terça-feira, 6 de novembro de 2012

Os objetivos de “Salve, Jorge”

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marco Antonio Felicio da Silva

Sou Coronel de Artilharia da turma de 1978 e estou na reserva desde 31 Dez 2009, desde então trabalhando no mundo corporativo.

Estou longe de ser mais um membro da reserva enfurecida, que vê sombras onde não existem, mas não poderia deixar de expressar minha indignação com a imagem que estão delineando da nossa Força, com episódios cada vez mais estarrecedores envolvendo personagens que representam a oficialidade do Exército Brasileiro, num posto que se pressupõe maturidade, equilíbrio e comprometimento com nossos valores mais caros, cultuados desde os bancos acadêmicos (capitães de cavalaria, no nosso exército, só saem da AMAN).

As demonstrações de deslealdade, desequilíbrio, petulância e falta de ação de comando, dão aos expectadores a ideia que o nosso Exército é aquele saco de gatos, a que ficou reduzido o brioso e tradicional Regimento Andrade Neves.

Vivo sendo questionado por civis de minhas relações, a perguntar se isso acontece dentro dos quarteis e sistematicamente tenho que explicar que essa não é a expressão da verdade (penso que esse passivo deva cair no colo de inúmeros militares da reserva e da ativa).

De qualquer maneira, nem sempre teremos um Coronel R1 disponível para explicar ao público externo que aqueles capitães e aquele Coronel Comandante, que não conhece sua oficialidade, são obra de uma orquestração muito sutil para reduzir o EB a expressão mais simples e nos nivelar por baixo, como se os valores que cultuamos e fazemos questão de apregoar fossem mero embuste.

Francamente... A ideia de fazer propaganda da Força Terrestre na novela das 21 horas, da Rede Globo, foi no mínimo ingênua e a concordância em utilização de instalações de uma unidade tradicional de Cavalaria para aquela patifaria, beira a irresponsabilidade. Um exército que se preza (e é o nosso caso), não necessita andar na mídia fazendo parte de historietas, a troco de migalhas, de luzes ou da simpatia da mídia.

Decisões como esta atingem a todos nós, da ativa e da reserva e põe em dúvida a credibilidade de uma instituição secular, que desde o nascimento da nacionalidade está presente nos momentos mais críticos da história do Brasil, preservando, defendendo e cultuando valores que nem de longe são mostrados naquela novelinha de quinta categoria.

Marcelo Antonio Neves é Coronel de Artilharia na Reserva.

7 comentários:

julio disse...

Salve Jorge, bem como todas as novelas dessa senhora não passam de putarias mesmo. Essa dona em particular é um exemplo claro de pessoa que não aprende nada na vida, nem quando a Lei que a tudo e a todos rege lhe dá um tranco e leva sua filha.Ensina tudo que não presta, sacanagem, traição, se presta a fazer propagando esquerdista de quinta categoria, talvez para se vingar da natureza, que não foi nada generosa e a fez muito feia por dentro e por fora.

Anônimo disse...

Carissimos colegas, como escravo de branco, digo, medico, trabalho com SUS e venho aqui , neste blog, ler, desabafar e lavar a alma.
Na minhas andanças e prosas com povao, vejo e entristeço que nosso país nao tem mais jeito!!
Eu tinha uma pequena esperança q a longo prazo nossa terra iria mudar, mas todos os dias, em consultas SUSzianas, vejo que estamos , literalmente, "no pau da goiaba"!
Aqui o povao faz questao de ser ignorante! Nao quer pensar, aprender, trabalhar e ridiculariza quem o faz assim! Oportunidade , proporcional a formaçao ,eles tem ao monte agora eles querem é que o govoreno banque tudo! Exames caros de graça, residencia com segurança 24hs gratis, carros de luxo a preços modicos ou gratis, Tv via satelote gratis, escolas e universidadesmde graça e sem esforço!!!!
Quando vejo um militar denunciar essa realidade encho meus olhos de lagrima, pois sei da imensa importancia das instituiçoes para a manutencao dos valores, ordem e desenvolvimento!!!
Estamos caminhando paro o buraco, o povao sabe disso e nao esta nem aí!! Pois afinal de contas eles querem é "Tchu, Tcha, Tchu, tcha,tchu,tcha!

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Não sei do que salvam Jorge; nem mesmo sei quais perigos Jorge corre, que precise ser salvo, mas tenho certeza que muitos oficiais das FFAA, seja da ativa ou reserva tem motivos de sobra para ficarem enfurecidos com o rumo que a Nação segue. Sugiro que, são vistas não mais sombras, mas sim a clara destruição da Nação, seja na moral, Ética, agropecuária, prestação de serviços, comércio e indústrias entregues a estrangeiros que não tem o mínimo pudor em dilapidarem o que conseguem à sorrelfa; para não lembrar das estratégicas áreas minerais e aeroespacial.

Marcos F disse...

Caro Coronel Marcelo,
Acredito piamente nas suas declarações e visão. No entanto, eu, um mero brasileiro, fiquei orgulhoso de ver um pouco daquele escondido mundo das Forças Armadas. Deturpado?
"That's Entertainment" - um pouco só como se vê frequentemente em filmes americanos.
Covenhamos que tenho mais medo do "mais alto nível de hierarquia" governista, em querer denegrir as FA, que uma Globo, que prima pela qualidade - mesmo com falhas.

Anônimo disse...

O Coronel não deve estar muito a par do q ocorre atualmente em muitas unidades da Força terrestre. Infelizmente os oficiais q saem da Aman atualmente em grande parte perderam o brio e personalidade tinham antes, talvez por isso grande parte deles tenham se vendido ao governo Petista e talvez por isso tenhamos um comandante tão apagado e sem voz alguma. Me envergonho da nossa situação atual de penúria e esquecimento. Se chegamos a tal situação de submissão total ao governo, esquecimento e sucateamento da força é culpa da ineficiência e despreparo moral daqueles que comandam a tropa. Vão esperar algum sargento ou subtenente tomar a dianteira e dar um basta a tanta humilhação? E se algum dia um deles fizer de q lado estarão os orgulhosos oficiais da Aman? Do governo ou da Tropa? Acredito que pelo cenário atual estarão com o brevê do PT no peito esmagando qqr reivindicação de praça ou oficial subalterno. Esse é o perfil da maioria dos oficiais de hoje, talvez por isso a novela esteja apenas refletindo a realidade.

Sgt realidade

Ado Galvão disse...

Não apenas as Forças Armadas, mas também as leis e Instituições deste país seguem sendo continuamente enxovalhadas. A esperança de quem é apenas um mero e obscuro cidadão é que ao ser feridos em seus brios, a caserna dê resposta aos bandoleiros e quadrilheiros de plantão, interessados em obscurecer o clima a fim de manter camuflados seus interesses escusos.

Anônimo disse...

Este texto do Cel Marcelo, na minha opinião, está incoerente, pois já começa no primeiro parágrafo dizendo “que está longe de ser um membro da reserva enfurecida que vê sombras onde não existem”. Ao contrário, pelo que está escrito ele está vendo sombras demais sobre este caso, e digo mais! Está vendo tempestade em copo d’água como muitos estão.
Onde ele viu que esta novela “é obra de uma orquestração muito sutil para reduzir o Exército a expressão mais simples e nos nivelar por baixo, como se os valores que cultuamos e fazemos questão de apregoar fossem mero embuste”? Sinceramente não vi nada disso, pelo contrário, tanto o personagem do Comandante como o dos Oficiais estão tentando de todas as formas apregoar os valores que cultuamos, é só ver as entrevistas que eles deram nos programas Vídeo Show e no Esporte Espetacular, cujos vídeos estão inseridos na página do Exército, onde eles enaltecem nossos valores e chamam a nossa AMAN de santuário da formação do militar. Isto por acaso é um mero embuste? Penso que não!
Onde ele viu nesta novela “demonstrações de deslealdade, desequilíbrio, petulância e falta de ação de comando”? Pelo contrário! Acho até que os personagens estão sendo enquadrados demais, às vezes até exageram nas continências, mas isto é normal até no nosso meio quando o militar está iniciando a carreira, penso que no decorrer dos capítulos isto será corrigido. Quanto ao fato do personagem do Murilo Rosa (Cap Élcio) ser um mau caráter, não vejo nada demais, afinal de contas em qualquer instituição existem pessoas assim, até no Exército, é a minoria, mas existe. Eu mesmo já convivi com militares piores do que este retratado pelo Murilo.
Quem é o Coronel Marcelo para afirmar que esta novela é de quinta categoria? Ele por acaso acompanha o trabalho de produção para qualificá-la assim. Talvez seja pra ele, mas pra maioria dos que assistem não, isto é fato! É claro que ela é uma obra e é assim que temos que vê-la, contudo, ela está levantando uma questão que atinge nossa sociedade de forma direta que é o crime do tráfico de mulheres, considerado um dos maiores delitos do mundo em termos de rendimento financeiro a bandidos, além disso, valoriza o trabalho de pacificação do Complexo do Alemão que foi conduzido brilhantemente pelo nosso Exército.
Lembro que esta novela Salve Jorge seria feita com ou sem o apoio do Exército, pois não existe legislação que impeça Emissoras de TV de fazer uma novela sobre militares em geral, inclusive, utilizando nossos uniformes. Portanto, isto significa que se o Exército não apoiasse correríamos um grande risco de sermos “caricaturados” e até ridicularizados em horário nobre por falta de conhecimento das nossas atividades, dos nossos uniformes e do nosso dia-a-dia, neste caso provavelmente a crítica seria inversa e, talvez, o próprio Coronel Marcelo fizesse um outro tipo de questionamento como: “Será que o Exército não pensou em conversar com a Globo no sentido de orientá-los sobre os procedimentos usuais da caserna?”
O Centro de Comunicação Social do Exército analisou os comentários abertos postados por militares nas páginas do Exército das principais mídias sociais (Facebook, You Tube e Twitter) e concluiu, após os primeiros capítulos que: 70% dos comentários mostraram-se favoráveis ao núcleo militar da novela, 20% neutros e 10% desfavoráveis, destes últimos alguns realmente tinham uma certa razão, mas a maioria deles foram insignificantes ou incoerentes como, por exemplo, este do Coronel Marcelo.
Coronel da Cavalaria R/1 PAULO RINALDO FONSECA FRANCO