segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Raízes da Violência em São Paulo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio Ribas Paiva

Política é a decisão do que fazer, por quem tem o poder. Estratégia é como fazer. O governo do Estado nunca adotou uma clara politica de combate ao crime. Portanto, não existe estratégia, somente ação tática. A polícia faz o que o governador determina. Inexistindo a politica, o combate policial é travado, apenas, no nível tático, pontual, contra criminosos, não contra o crime.

A “tolerância zero” do Governo do Estado é apenas contra os motoristas. Multiplicam-se barreiras e bafômetros. Se no combate ao crime, o Governo Alckmin e sua policia fossem onipresentes como a CET é na fiscalização do Transito, São Paulo seria o paraíso na terra! Explica-se: O garimpo do transito da lucro ao Estado e à Prefeitura e a guerra ao crime custa caro e é perigosa.

Os frutos dessa omissão do Governo do Estado são 90 policiais executados, centenas de cidadãos assassinados e a população aterrorizada. E ainda falam em desarmamento dos cidadãos!!

Não satisfeito, o Governo Alckmin ainda criou batalhões de trânsito, desfocando a prioridade, que deveria ser a policia combatendo o crime. Não apitando e multando.

A falta de política de combate ao crime em São Paulo é antiga. Em 16 de maio de 2006, a cidade ficou sitiada pelo terrorismo, virou cidade fantasma, a valorosa policia rodoviária sumiu das estradas, 800 pessoas foram executadas, pelos ataques de terroristas e criminosos (FARC, ETA, IRA E PCC). O governador era outro, mas a falta de politica de combate ao crime era a mesma!

Observe-se, que crime Organizado é a Associação de criminosos com agentes públicos e não organograma de quadrilhas, como querem nos impingir.

A inexistência de clara e pública política de combate ao crime é o fato gerador da prevalência dos criminosos. Porque o crime é estratégico, mas a polícia é tática.

Com a palavra os governantes.

Antônio José Ribas Paiva, Advogado, é Presidente da Associação dos Usuários de Serviços Públicos.

5 comentários:

marcelo disse...

Isso não ocorre só com a segurança pública, mas também com a segurança nacional.
O governo insiste em dizer que: não temos inimigos; não há ameaças; não precisamos de equipamento moderno e outras aberrações.
Logo, se não há necessidade pra que investimento?
Parabéns pela matéria que traduz exatamente a realidade disto que chamam de "nação brasileira", a "República da Mentira e da Corrupção".

Anônimo disse...

Advogado petista.
Parece tambem ser carioca.
Baba contra SP.
Lembrando que SP não é o Rio, faço da palavras abaixo do Reinaldo Azevedo as minhas:

Não houvesse mais nada – e há -, em uma coisa ao menos São Paulo é muito melhor do que a federação: combate à violência. Mesmo assim, claro!, a ajuda, havendo, é bem-vinda. O que Dilma pretende? Combater o crime organizado ou fazer propaganda? Infelizmente, a segunda alternativa é insofismavelmente a correta. E por que é?

Porque a violência, em São Paulo – que passa, sim, por um surto preocupante –, está entre as menores do país. O que Cardozo tem feito efetivamente para tentar diminuir o escandaloso número de 50 mil homicídios por ano no Brasil??? Querem alguns delinquentes intelectuais que a “estratégia do enfrentamento (com os bandidos)”, que São Paulo realmente aplica, não seja a melhor. Não? Então qual seria? Quem não enfrenta acomoda – é assim na linguagem e na vida. O que querem os patriotas? Um acordo com marginais; a celebração da pax com a bandidagem, o reconhecimento do crime como “força beligerante” – tese que Marco Aurélio Garcia, assessor de Dilma, defendia para os narcoterroristas das Farc???

Dilma quer ocupar Paraisópolis com o Exército e a Força Nacional de Segurança porque pretende emprestar ao estado do país que menos mata a mácula da desordem e da falta de controle. E conta com o apoio quase unânime da imprensa petista por convicção ou petistófila por conveniência

Alessandro Gusmão disse...

Que teoria fraca!! Como São Paulo não tem política de segurança se pelo próprio governo federal, São Paulo é o estado que teve a maior redução na mortalidade pela violência no Brasil. Quase o dobro da redução do Rio de Janeiro (que não combate...exporta bandido). E fez isso sem UM real do governo federal. Se no Brasil fossem adotadas as políticas de São Paulo, milhares de brasileiros estariam vivos. NÃO HÁ FAVELA “PACIFICADA” NO RIO QUE TENHA A PRESENÇA DO PODER PÚBLICO QUE TEM A FAVELA DE SÃO PAULO. O que esta acontecendo é o confronto dos bandidos acoados por policiais.

Anônimo disse...

Tá parecendo político prezado,pedindo até doação...vai fazer o quê com o dinheiro??

Sô SP disse...

Acho que quem NÃO GOSTA DE SP, deveria se mudar...de preeferência para algum estado administrado pelo pt! Que tal a Bahia hein? Tá uma maravilha lá!

Continuem PREGANDO CONTRA O GOVERNADOR ALCKMIN VIU! CONITNUEM CRITICANDO E JOGANDO ENERGIAS NEGATIVAS PRA ELE!