domingo, 18 de novembro de 2012

Uma mensagem a Garcia ou a quem interessar possa



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

Corria o ano de 1899, e no seu decurso, a guerra entre os EUA e a Espanha. Primordial era o contato entre o presidente Mac Kinley e o chefe revoltoso, General Garcia, que se encontrava numa fortaleza desconhecida no sertão cubano.

O presidente necessitava da valiosa colaboração de Garcia. Mas era impossível o entendimento com ele pelo correio ou pelo telégrafo.

Já ouvimos falar do guia, o Rowan, que imbuído da missão de levar uma mensagem do Presidente para o General Garcia, enfrentou estoicamente terríveis dificuldades.

A mensagem era fundamental para a vitória dos combatentes, pois os aliados necessitavam do apoio de Garcia. Assim, a missão do guia Rowan era de primordial importância.

Diz a tradição oral que o dedicado guia apenas recebeu a sua missão de entregar aquela missiva para o destinatário e, sem delongas, partiu.

Na sua árdua jornada enfrentou colossais dificuldades, mas imbuído de um sentimento inquebrantável de cumprimento do dever, lá foi ele.

E cumpriu a sua tarefa.

Por vários motivos o incansável guia poderia ter desistido, pois desculpas, algumas aceitáveis, poderiam derrotar o diligente mensageiro.

Foram terríveis os obstáculos enfrentados. Mas nunca o suficiente para desanimar um homem determinado a cumprir a sua importante missão.

Quantas desilusões, quantos caminhos tortuosos, contudo, quanta dignidade, quanta fibra. Contra todas as adversidades lá foi o intimorato Rowan.

Não somos Rowan, nem temos as suas virtudes nem a sua determinação, mas mesmo assim, seguimos o seu exemplo, pois temos uma mensagem da sofrida Pátria e, através dos anos, estamos procurando um General Garcia, que talvez tenha dado baixa, e agora seja um civil.

Cidadão Garcia, por favor, apareça, aqui estamos para entregar - lhe uma carta, é um pedido, um apelo de milhares de cidadãos brasileiros; manda-nos um reforço, assuma a luta que o inimigo é ignóbil, insidioso e solerte.

Não somos porta - voz de bolsistas, nem de ocupantes de cargo de confiança, nem filiados ao PT, nem negros (?) (a nossa saudosa avó era), somos simplesmente gente temente a Deus, que clama por justiça e vislumbra o abismo que nos espera.

Gostaríamos de ser Garcia, mas por artes da vida tentamos pelo menos ser o destemido Rowan, e como ele, nunca desistimos; e carregamos como o intrépido guia um tesouro, a mensagem clemente da Pátria, e pretendemos entregá – la, pessoalmente, para que o bravo Garcia avalie quão importante ela é.

Sim, incansavelmente, vamos seguindo pistas, fazendo denúncias, testemunhando cretinices e uma calamidade de barbaridades que nos impulsionam e animam a procurar Garcia.

Cidadão Garcia, logo chegaremos até você, na esperança de que um patriota de sua grandeza nos dará o apoio necessário para banirmos de nossa terra este bando de salafrários e saqueadores, que infelizmente dominam o País.

Cidadão Garcia, sua fama de batalhador e de homem integro cruzou fronteiras e a sua grandeza nos animará e, certamente, fará a quadrilha de patifes borrar - se nas calças.

Nesta certeza, General Garcia, ainda estamos a sua procura, imbuídos da convicção de que ao receber a mensagem da gentil mãe Pátria, tudo mudará.

Se alguém vir ou ouvir falar do corajoso Garcia, por favor nos informe, pois como o destemido e resoluto Rowan temos uma mensagem urgente e de suma importância para ele.

Trata - se do salvar o futuro desta incauta e espoliada Nação.

Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Presidente do Ternuma, é General de Divisão Reformado.

3 comentários:

Anônimo disse...

E, por que o senhor, General de Divisão Reformado Valmir Fonseca Azevedo Pereiranão pode assumir o papel do Cidadão Garcia?

Qual a sua desculpa?

Tem lido os comentários nos jornais? E nos Blogs? Então sabe que temos milhões de destemidos Rowan, enviando mensagens ao Cidadão Garcia.

Ou prefere confortavelmente bebericar whisky com 12 anos e fumar charutos cubanos no seu escritorio?

Mostre que è diferente dos seus camaradas generais castrados na ativa.

Anônimo disse...

Concordo com o comentário acima oh Gal Valmir Fonseca.

1)Convença o Alckimin a romper com a federação,por ser o estado mais poderoso.
2) Coloque-se a seu lado e assuma o comando Geral.
3)Feche a fronteira paulista aos corruPTos e instale um governo independente.
4)Aproveite que o corruPTos namora com o Hamas,e,solicite financiamento à Israel com logicamente apoio logistico.
5) Declare a separação paulista até que sejam presos aos cárceres todos os usurpadores.
6) Não esqueça de liberar a venda de armas para os paulistas embuídos e de bem,pois tenho certeza que eles defenderão São Paulo.

Ps:Aproveite seu nome "marrano",mano.!!!.fonseca.

Pode ser reproduzido por qq blog comprometido com a luta anti PTralhas.

Anônimo disse...

É general ,acho que te pegaram de jeito.