sábado, 15 de dezembro de 2012

Como funciona a censura em Cuba

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net  
Por Francisco Vianna

O agente da censura estatal da mídia cubana, o presidente do Instituto Nacional de Rádio e Televisão (ICRT) de Cuba, Danilo Sirio López, anunciou enfaticamente que a música "considerada vulgar e ofensiva ao estado" não poderá mais ir ao ar pela programação de rádio e TV, totalmente estatizada, alegando que "essas músicas deformam o gosto musical" que o politiburo cubano quer que a população tenha.

A férrea oposição das autoridades do regime comunista cubano aos gostos musicais, princiapalmente da juventude, que não se encaixem no "modelo revolucionário socialista" da ilha não parece ter outro propósito a não ser o de barrar o estilo "reggae", considerado subversivo. Irreverente e de alto conteúdo sexual, o "reggaeton" é um estilo de música muito popular entre os adolescentes da ilha-cárcere dos Castros.

"Está decidido: nada de músicas grosseiras, banais, e com letras ofensivas e tampouco vídeo-clips que atentem ou denigrem a imagem da mulher, seja cubana ou não ou que critiquem, mesmo veladamente, as políticas do estado revolucionário cubano", disse López.

Tal agravamento das limitações da escassa liberdade de expressão permitida ao povo cubano foi decidida como uma preparação para a abertura da "Assembleia Nacional do Poder Popular". As ferozes críticas de López têm sido respaldadas por outros funcionários da "área cultural" do regime e membros da "União dos Escritores e Artistas" da ilha. Todos tem criticado a promoção e difusão de músicas que consideram "pseudo-artísticas" e que contêm expressões "vulgares, banais e medíocres" vinculadas consistentemente pelo "reggaeton".

A popular blogueira Yoani Sánchez, opositora ferrenha do regime, disse que as medidas de censura poderão abrir as portas a limitações ainda maiores da expressão popular.

"Agora eles dizem que vão erradicar a "vulgaridade" da música popular e as obscenidades. Pressinto que não ficarão apenas nisso, o que não seria de todo condenável. Cuba quer regular tudo: o pão que comemos, a música que ouvimos, a Internet que usamos, e a ideologia com que devemos educar nossos filhos, o que torna a vida um inferno", comentou Sánchez.

Para os brasileiros que acham que Cuba é um paraíso no Caribe, recomendo que se mudem para lá, recomendação essa extensiva à todos os comunistas e "sucialistas" de Pindorama. Inclusive, os condenados pelo "mensalão" bem que poderiam ser enviados para lá, para viver em "liberdade" na ilha, com a ressalva de nunca mais voltarem a cruzar a linha do equador para desembarcarem por aqui.

Francisco Vianna é Articulista.

Nenhum comentário: