segunda-feira, 4 de março de 2013

Carta de um Coronel ao jornal O Globo


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Marco Balbi

Enviei esta carta para o jornal O Globo! Não acredito que publiquem!

O colunista Merval Pereira foi muito feliz em sua coluna. Não é de se admirar! Do seu texto escorreito de jornalista experiente e imortal da Academia Brasileira de Letras os leitores sempre esperam uma análise percuciente.

Há quase um ano um grupo de mulheres de um movimento que se intitulava Mulheres Negras ou algo semelhante, ocupou meia pista da Av Rio Branco, no centro da cidade do Rio de Janeiro. Escoltado por Guardas Municipais e Policiais Militares, que tentavam não tumultuar mais ainda a já tumultuada via, desfilando com carros de som e gritando palavras de ordem, sob a alegação que celebravam o Dia Internacional da Mulher.

Quando o grupo alcançou o prédio de nº 251, onde se localiza a sede do Clube Militar passou a pichar calçadas, portas e paredes com tinta vermelha, sob a alegação que ali se localizava um centro onde se reuniam militares "torturadores"! As autoridades que a escoltavam assistiram a tudo passivamente e coube a alguns funcionários de portaria tentarem controlar a situação, sendo que alguns deles perderam seus uniformes, completamente sujos. Pouco se noticiou sobre o fato.

No dia 29 de março de 2012, o Clube Militar promoveu um painel de debates com a presença de sócios e convidados sobre a revolução de março de 1964. Conclamados com o auxílio de um cineasta famoso, membros da UJS e de outras organizações similares ocuparam a calçada em frente as portarias principal e auxiliar, em manifestação absolutamente semelhante à relatada pelo Merval na sua coluna, na entrada e na saída do evento. Diante da intervenção da Polícia Militar, inclusive de fração do seu Batalhão de Choque, interromperam o trânsito da Av Rio Branco.

Se consultarem os relatos feitos pelos meios de comunicação sobre o ocorrido verão que foram bastante "simpáticos" para com os baderneiros. Uma jornalista chegou a relatar que passava pelo local de táxi e saltou do mesmo para, emocionada, com lágrimas nos olhos, assistir aquela manifestação "espontânea" dos jovens. Um outro jornalista chegou mesmo a dizer que os jovens estavam cobertos de razão, onde já se viu "comemorar" o "golpe" de 64? Ninguém se preocupou em saber quantas empresas e/ou pessoas tiveram suas rotinas alteradas naquele dia!

A fim de se preservar, o Clube Militar, como entidade de direito privado, registrou a ocorrência e a polícia e o MP decidiram abrir o competente inquérito. Pois não é que o cineasta famoso e um outro membro da UJS que se vangloriou e vangloria dos seus atos, em especial de ter cuspido num senhor de quase 80 anos, por sinal um coronel febiano que lutara pela democracia nos campos da Itália e que contribuiu para a derrocada da ditadura nazista na Europa e da ditadura de Vargas no Brasil, não é que ambos se insurgiram contra a oitiva do delegado responsável! E logo apareceu um séquito de advogados, inclusive membros da direção da OAB, para acompanhar os depoimentos? Estariam os direitos humanos sendo vilipendiados ali?

Por todo o ano de 2012, em diversas cidades do Brasil, o mesmo grupo protagonizou o que denominam "escracho" na frente de prédios que residem oficiais os quais acusam de "torturadores"! Eu assisti a um aqui na minha vizinhança, no qual o tráfego foi interrompido numa artéria importante, garantido pela autoridade policial que nada fez para que o direito de ir e vir da população em geral fosse preservado. Constrangeu a todos os moradores e vizinhos.

O Gilberto Carvalho avisou: em 2013 o bicho vai pegar! E a UJS, regada com verbas que fluem através do PC do B e de outras fontes a serem devidamente pesquisadas, lembrem-se que é o partido dono do Ministério dos Esportes com convênios com diferentes ONGs, vários jornalistas investigativos já levantaram o véu, ministro foi substituído etc, dizia eu, a UJS se presta muito bem a cumprir o papel. Cumpriu com brilhantismo com a Yoani! Prestou mais uma colaboração agora dia 1 de março, conforme relatou o Merval em sua coluna, com o corredor polonês formado pelos policiais para facilitar a agressão e sem nenhuma proteção à sua saída!

Vai prestar outros ao longo do ano. O próximo aqui no Rio de Janeiro já está marcado no calendário deles nas redes sociais. Será dia 1º de abril na portaria do Clube Militar! Se as autoridades da cidade e do Estado do Rio de Janeiro quiserem poderão evitar mais este ato de, no mínimo, incivilidade.

Será que agora, alertados pela pena do Merval Pereira, as autoridades começarão a acordar e perceber que algo de maior valor está em jogo? Será que alguém irá chamar o Sr Gilberto Carvalho para saber o que exatamente ele pretendeu com a sua assertiva? Que outros atos e/ou instituições serão objeto da atuação dos grupos organizados a soldo sabe-se lá exatamente de quem?

Quando o STF decretar a prisão dos mensaleiros irão tentar impedir a execução do ato? Vão se postar na frente do presídio da Papuda e impedir a entrada dos “cumpanheiros”? Vão impedir a votação da ADIN sobre a quebra dos contratos da exploração do petróleo? Enfim, vejam que qualquer coisa agora poderá ser objeto da lei do dá ou desce, imposta pela UJS e similares!

Será isto democracia?

Marco Antonio Esteves Balbi é coronel do Exército reformado.

5 comentários:

BRAGA disse...

Prezado Coronel Marco Antonio.
Essa corja asquerosa e nojenta é "pau-mandado" dos criminosos que nos governam. São tão boçais, que não é necessária lavagem cerebral. São tão fdp´s que por migalhas fazem isso!.
Mas vocês militares da época (1964), deveriam ter feito o serviço completo, como o fez o grande "guru" deles, Fidel Castro (homem riquíssimo, de berço) lá em Cuba.
Taí aí no que deu!
Não fui simpatizante do regime militar, mas hoje, realmente existe um Ditadura, dirigida por pelintras, escroques, respaldado pela jagunçada (Os SA tupiniquins).
E a reboque, uma sociedade escrota e alienada, só pensando em TER!
O SER foi pro cacete.

Paulo Figueiredo disse...

O regime militar brasileiro foi brando e tolerante. Se fosse como o regime cubano, não restaria ninguém para protestar nada contra; justamente o regime que esta turma esquerdopata defende.

Anônimo disse...

O Brasil vive uma guerra-civil não declarada. Alguns dias após o candidato do PSDB Aécio Neves lançar sua pré candidatura a presidência em 2014, os presos da Penitenciaria Nelson Hungria em Contagem fizeram uma rebelião com reféns. O preso ligou para uma rádio de BH e solicitou a presença do Deputado Durval Angelo PT-MG. Na mesma noite
um ônibus foi queimado no Anel Rodoviário. Ontem novamente um ônibus foi queimado no Bairro S.Gabriel e hoje pela manhã numa das vias mais importantes da zona norte da capital mineira outro ônibus também foi queimado.

Marcus disse...

Interessante matéria,mas porque será que todo mundo quer esculachar os militares? Houve grandes injustiças e realmente torturas para os "comunistas"como eram chamados todos que não eram simpatizantes do governo militar. Um filho adolescente de um amigo da minha mãe de trabalho se enforcou dentro da cela do DOPS no Rio de Janeiro depois de ter seus testículos arrancados numa das sessões de tortura. Eu me lembro , era um rapaz fora deste contesto ideológico,tranquilo que só estudava e que foi detido como alguns outros porque estava como todo estudante universitário escutando um comício, o que não há nada de errado.Duro né coronel, imagina se fosse um parente seu? Uma vida tirada e outra perdida, a do pai.
Virando a página, foi onde o Brasil mais cresceu em termos de infra estrutura.Hidroelétricas foram construidas, estradas,desenvolvimento da região norte, usina nuclear,empresas Bras ,etc, etc.De lá para cá o país nada fez a não ser a construção da estrada de ferro que liga o Maranhão ao centro oeste e que coincidentemente passa pelas terras do Sr. José Sarney,será que estou esquecendo algo importante? Só algumas reformas no governo democratico e mais nada.
Acredito também como os outros leitores que os militares não fizeram um bom trabalho, haja visto que toda essa corja que aqui está presente foi devido ao trabalho meio que cego pois todos reapareceram e agora mais do que nunca formam democraticamente o poder. Olha só a herança que vocês nos deixaram!

Anônimo disse...

Todo trabalho iniciado,tem que ser concluido. Vocês militares não foram capazes de levá-lo a termo. Deu no que deu. Hoje temos a mesma corja que tentaram combater, no comando da nação. Lembrem-se do lema militar: missão dada é missão cumprida. E vocês não a cumpriram!