terça-feira, 19 de março de 2013

Uma data convenientemente esquecida



Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Osmar José de Barros Ribeiro

Dentro de poucos dias transcorrerá mais uma data que a esquerda quer que esqueçamos: 31 de Março de 1964.

Há 49 anos, éramos um País a ponto de se tornar uma enorme Cuba. Naquele dia, um verdadeiro ponto de inflexão na nossa História, tal desastre foi evitado.

Hoje, apenas aqueles com mais de 60 anos guardam a lembrança da sucessão de greves e tumultos que perturbavam os dias de uma população sacrificada pela insânia política; das palavras de governantes que se compraziam em incentivar a baderna; da ação daqueles esquerdistas, de todos os matizes que, a todo custo, desejavam implantar entre nós a cizânia.

A luta dos governos militares para sanear a economia, moralizar a atividade política e trazer de volta o desenvolvimento com justiça social, há muito caiu no esquecimento, substituída que foi pela mais desbragada demagogia.

Os vitoriosos de ontem, por acreditarem na democracia sem adjetivos, tornaram-se os derrotados de hoje. E, para satisfazer a sede de vingança da esquerda por eles vencida, seus nomes e a lembrança dos seus feitos, são esquecidos. Os sobreviventes, aqueles que lutaram o bom combate contra as forças do mal, são execrados, perseguidos, apontados como feras insanas que se divertiam com o sofrimento alheio.

Hoje, a História é reescrita e, nas escolas de todos os níveis, estudada sob a ótica marxista.

Mas a verdade, cedo ou tarde, triunfará sobre a mentira.

Que tal triunfo não nos custe sangue, suor e lágrimas.

Osmar José de Barros Ribeiro é Tenente Coronel na Reserva do EB.


Um comentário:

Anônimo disse...

Já somos Cuba, por covardia dos nossos generais de 4 estrelas.

Panacas da porra!