terça-feira, 16 de abril de 2013

Dia de Circo no Arquivo Nacional


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Geraldo Pimentel

O senhor Claudio Fonteles, membro da Comissão Nacional da Verdade, declarou que o objetivo da Comissão não é esclarecer coisa alguma, o que se deseja é esculachar os agentes do Estado, humilhando-os, já que não podem repetir o processo em andamento na Argentina.

Daí porque não vejo razão para se atender a convocação dessa comissão da calúnia.
Eu tenho o coração mole. Sou incapaz de fazer uma maldade com um animal; mas com um ser humano que me ponha contra a parede, este, sim. Não perdôo quem me faz mal ou à minha família. Os comandantes das Forças Armadas, em especial os dois comandantes do Exército, o atual e seu antecessor, são covardes.

Se eu estivesse na condição de um agente do Estado, entregue numa bandeja de prata ao inimigo, os primeiros que passariam pela fúria da minha vingança seriam os que por dever de ofício deveriam me proteger, mas por confundirem covardia com disciplina militar, dão as costas para os companheiros de farda.

Os pseudos chefes militares não honram a farda que vestem. Agem como Pilatos. Vivem lavando as mãos. Traem os colegas e a instituição militar. São uns indivíduos desprezíveis, bajuladores, e como tais, são tratados como cachorros pelos comuno-petistas que eles tanto amam e enchem o peito de medalhas e condecorações! São uns vendidos.

O comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, permitiu que se jogasse na sarjeta a Academia Militar das Agulhas Negras, assinando o Acordo que possibilitou o descerramento de uma placa injuriosa no Curso Básico da academia.
Faltam homens comandando as Forças Armadas e agentes do Estado com o culhão roxo para dar um basta neste quadro de desonra e humilhação em que se encontram as Forças Armadas. Os comandantes militares vivem num eterno silêncio obsequioso. Só abrem a boca para declarar:

"O Exército não vai fazer nada!", ou quando numa reunião com a comissão afiançam que não irão criar obstáculo para que a mesma convoque os 'militares do passado' para depor! Os agentes do Estado se recolhem em sua insignificância, esperando que um milagre caia do céu, e sejam protegidos da sanha dos que querem a todo custo vê-los mofar num presídio de segurança máxima. Acordem e mostrem que vocês ainda são os guerreiros que enfrentaram os militantes da luta armada e os derrotaram. 

Não se deixem ser vencidos pelo desprezo de seus chefes e a indiferença de seus companheiros de farda. Se vocês não tivessem sido fortes o suficiente para dobrar a espinha daqueles que na calada da noite atuavam contra as instituições, hoje viveríamos num país deflagrado pelo conflito armado como a Colômbia, ou seriamos um povo prisioneiro dentro de seu próprio país como acontece em Cuba e países outros comunistas. Se estão condenados a serem esmagados pela indiferença das autoridades militares, que vão à luta. Se tiverem de morrer que seja em defesa de sua honra e de seus familiares!

Odeio de morte os covardes e traidores! Nossos chefes militares, com raras exceções, são umas pústulas covardes. Uns miseráveis que estão assistindo de camarote à derrocada dos seus subordinados.

Ontem [15/04/2013] é dia de circo no Arquivo Nacional, localizado no Campo de Santana, bem ao lado do Comando Militar do Leste. A Comissão da calúnia aguarda com pompa e circunstância o momento do esculacho, quando irá massacrar o Cel Luiz Mário Vale Correia Lima, convocado para depor a partir das 13 hs perante um tribunal de inquisição. Vai ser uma festa para os integrantes do Levante Popular da Juventude, o movimento que recebeu uma ‘Menção Honrosa’ das mãos da presidente da república, Dilma Vana Rousseff, pela sua contribuição aos direitos humanos dos marginais. O guerreiro será linchado ao cruzar o portão monumental do Arquivo Nacional. Tinta spray e muita cusparada no rosto o aguardam.
Até uma charanga foi contratada para animar o sacrifício do velho agente do Estado.

Mas quem manda acreditar em chefe militar! Todas as autoridades militares lhe deram as costas. Pode ter a certeza que quando a primeira pedra lhe atingir, alguém muito especial estará numa das janelas do prédio do Palácio Duque de Caxias apreciando a sua desgraça. Você não morrerá sem o aplauso dos covardes!

José Geraldo Pimentel é capitão reformado do Exército - http://www.jgpimentel.com.br

5 comentários:

Anônimo disse...

Capitão Pimentel, a sua indignação é a mesma daqueles homens que não submetem as suas consciências ao poder dos terroristas, guerrilheiros, assaltantes de bancos, seqüestradores e assassinos hoje no Poder da Nação. Nação vilipendiada, estuprada e desonrada pelos parasitas vermelhos e que já está parcialmente destruída.
Estou admirado por sua coragem e pelo destemor de um verdadeiro militar.
Você o exemplo vivo de que um líder não tem patente. Tua voz tem eco.
Ao contrário do General articulista que escreveu um inócuo e insípido texto sob o título "Um gentil CONVITE".
Este, tratou a famigerada Comissão da Vingança com punhos de renda. E nem sabe informar se o ex-agente de Estado perseguido deve ou não comparecer ao tribunal terrorista.
Ora, seria oportuno que o General se informasse a respeito!
O momento é para fortalecer o moral dos parceiros de armas que serão intimidados pelas patrulhas da PF, a serviço do nefasto "Pravda Komintern". Não é o momento de criar dúvidas para eles e para os seus familiares.
Não é crível abandonar os companheiros no campo de batalha, feridos ou mortos. E é o que está sendo feito.
Com excessão de alguns bravos e corajosos militares - na acepção do termo - que se pronunciam contundentemente contra os terroristas vermelhos, pouco ou quase nada lemos ou ouvimos de contestação às ofensas oriundas da corja ainda no poder.
Por isso é que os verdadeiros militares estão sendo achincalhados, humilhados e aterrorizados por criminosos integrantes da comissão de justiçamento.
Parabéns, Capitao Pimentel! Orgulho-me de você.
Sou militar, já reformado - em condições de (ECD) - e preservarei a minha honra e dignidade com a vida.
Hoje, a justificativa para a patrulha intimidatória bater à nossa porta está limitada pela vergonhosa corte inquisitória.
Amanhã, os motivos serão outros.
Por qualquer razão, se baterem na porta da minha residência, dela só sairei morto.
A anarquia está próxima de gerar o Kaos.

J.F.Filho

Anônimo disse...

Um aqui para o seu GC!
Jmv

Skorpio disse...

Não entendo a razão de nossos militares se submeterem a essa humilhação. Bastaria que se recusassem a comparecer a essa comissão ou, em comparecendo, seguir acompanhado de uma advogado. Recusar-se a dizer qualquer coisa, pois essa comissão não está revestida de autoridade para exigir nada de alguém. Vejam o caso do deputado Pastor Feliciano, encostou os canalhas na parede. Simplesmente disse: Eu saio se os bandidos saírem também. Ora, por quê então nossos militares não poderiam dizer: Eu irei depor se os terroristas depuserem também, ou, só comparecerei se na comissão estiverem também os representantes do outro lado, não os representantes de um lado só. Não entendo por quê se humilharem diante desses embusteiros.

Skorpio disse...

Bastaria que nosso militares não se humilhassem tanto aceitando comparecer diante desses embusteiros. Essa "Comessão da Verdade", juridicamente, não tem poderes para punir ninguém. Bastaria que impusessem uma condição: Irei se os terroristas, os sequestradores, também comparecerem para depor e que nós, os militares, estejamos representados por advogados membros das FFAA, ou que nessa comissão estejam também membros das três Forças. Simples assim. Até o deputado Pastor Feliciano conseguiu encostar os bandidos na parede, está enfrentando sozinho os grupinhos das minorias reacionárias e baderneiras. Até quando pretendem se humilhar diante desses embusteiros?

Anônimo disse...

Se cuspiram no rosto daquele velhinho no ciclo militar e ficou por isso mesmo, espero que cuspam na cara e passem a mão na bunda desses paspalhos! Talvez assim tomem alguma tendência! Esses três patetas vão ficar até quando? Subserviência exagerada! Desde os 28% feitos conscientemente, perdi a fé no comando!