segunda-feira, 13 de maio de 2013

Missão Impossível e as Traquinagens do Grilo Falante


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Weslei Antonio Maretti

O depoimento do Cel Brilhante Ustra na Comissão da Verdade no dia 10 do corrente mês poderia estar no enredo de dois filmes, Missão Impossível e asTraquinagens do Grilo Falante.

É impossível a missão que o cel Ustra se auto atribuiu de demonstrar, junto aos membros da Comissão da Verdade, que os Órgãos de Informações do Exército combateram organizações criminosas que pretendiam tomar o poder no Brasil e implantar um regime ditatorial de inspiração marxista leninista nas décadas de 60 e 70.
Para os mesmos, os integrantes das organizações revolucionárias eram jovens idealistas, democratas, que buscavam derrubar um Estado de exceção e restabelecer o regime democrático. 

O fato de usarem armas e praticarem atentados contra quarteis e locais públicos, desapropriarem dinheiro de bancos, realizarem sequestros de diplomatas e justiçarem pessoas que se contrapunham aos seus objetivos é perfeitamente aceitável em razão de ser a única forma de agirem contra um regime ditatorial. Os fins justificavam os meios e era um grupo de idealistas que lutavam contra o que pior poderia ter na política brasileira.

Os “usurpadores do poder” tentavam impedir que, em um quadro da Guerra Fria, o Brasil se tornasse uma nova pátria dos trabalhadores como a URSS, Cuba, China, Albânia e tantos outros países que somente conseguiram se libertar do paraíso na década de 80, depois que milhões de pessoas foram mortas, torturadas, presas sem julgamento, desterradas e impedidas de viverem como cidadãos livres. Lutaram para colocar em prática os ideais do gen Goes Monteiro de transformar o Brasil em uma potencia para, em consequência, haver um Exército forte. A história e os dados econômicos do período dos governos militares são incontestáveis, para verificá-los é só saber ler.

A atitude tendenciosa dos integrantes da Comissão da Verdade ficou evidenciada com o comportamento do grilo falante Claudio Fonteles. É impossível ver o ex-Procurador Geral da República falando sem que nos venha à cabeça a imagem do grilo falante do Pinóquio.

Ao final da inquirição o dito inseto leu um relatório do DOI-CODI chefiado pelo coronel Ustra, com a classificação sigilosa Confidencial, em que é apresentado o movimento de pessoas presas em um período. No relatório há um item Mortos que, no espaço de tempo considerado, foi registrado o número de 47 pessoas.

Salta aos olhos que, conforme explicou o cel Ustra, o número citado se referia a terroristas mortos durante as operações do DOI. Para o patético grilo falante o número seria de pessoas mortas nas dependências do Destacamento. Assim, o chefe do DOI estaria enviando em um documento confidencial que, no mínimo dezenas de pessoas teriam acesso, a confissão de ter assassinado presos sob sua custódia.

Estamos tratando de Fonteles, que foi Procurador Geral da República, tem experiência na área jurídica e não seria tolo de julgar que alguma autoridade militar, em qualquer país do mundo, teria o comportamento de auto incriminar-se dessa forma. Restou o que? Um comportamento idiota, retrógrado, preconceituoso, para dizer o mínimo, de buscar uma forma de atribuir ao DOI algo que ele sabe não ser verdadeiro.

Finalmente o coronel Ustra disse que o Exército é quem deveria estar no seu lugar porque somente tinha cumprido ordens e nunca foi punido pelo seu comportamento profissional. Na verdade o Exército, como instituição, não pode estar sendo inquirido. 

Porém, os atuais dirigentes poderiam demonstrar publicamente o que pensam do assunto, todavia é mais fácil uma cobra fumar que algo assim acontecer. Parece que não se está tratando de ações que foram desencadeadas pela estrutura organizacional do Exército. Aos que não viveram o momento histórico fica a impressão que os profissionais do DOI-CODI agiam como os atuais milicianos, por motivação própria.

O comportamento e a coragem do coronel Ustra servem de exemplo para todos os que um dia se comprometeram a dedicar-se inteiramente ao serviço da pátria. Apesar de travar uma luta de Davi contra Golias a sua vitória é certa porque no final o bem prevalece sobre o mal, pelo menos é o que a ética cristãestabelece.

Weslei Antonio Maretti  é coronel  do Exército (já reformado), sociólogo, professor universitário, cientista político e consultor de polícia comunitária.

5 comentários:

Anônimo disse...

sim, cel, o bem prevalecerá, disto não devemos ter dúvidas até porque o mal é proíbido prevalecer.
eu tenho observado a atitude, o comportamento desses que faz parte da CNV e da esquerda como um todo. às vezes, fico pensando que eles pensam que o povo tem nariz de palhaço. querem nos empurrar goela abaixo que eram uns "anjinhos" que lutavam por democracia. cidadão, pelo Deus! isto que estou vivendo, não é democracia nem aqui nem na china. isto é anarquia. ditadores são vcs que reinvindicam o direito de cometer atrocidades e não ter punição. ditadores são vcs que se acham no direito de fazer dos outros, gato e sapato e não ter nenhuma penalização. vai-te danar ô EGOCÊNTRICO PSICOPATA. RESPEITE O POVO TRABALHADOR E ORDEIRO DESTE PAÍS! VAI-TE DANAR! A NOSSA SOBERÂNIA TÁ NO LIXO POR SUA CULPA!

Anônimo disse...

corrigindo o erro: SOBERANIA e não SOBERÂNIA.

esse pessoal atualmente no poder é uma máquina de fabricar indignação.

Anônimo disse...

O coronel Ustra precisa saber que, embora anõnimos, existem muitos homens de bem que o apoiam e admiram sua coragem ao enfrentar esse tribunal comunista de inquisição.
Força, Coronel Ustra!!!

Anônimo disse...

Finalmente o coronel Ustra disse que o Exército é quem deveria estar no seu lugar porque somente tinha cumprido ordens e nunca foi punido pelo seu comportamento profissional.

O exercito è merda! Basta terem o sovietico general peri, tantos anos como ditdor! Boiolas da porra!

Anônimo disse...

Tânia SP
Cel Ustra fêz oq deveria ter feito, falou td e ponto final.
Danem-se esta merda de CNV, eles podem e até conseguem enganar os analfabetos como eles, mas nós aqui de forma alguma, jamais!!!
Vai CNV contar esta "estorinha" p/ seus netinhos e não esquece do lobo mal "Lula" e da vovózinha "Dilma", porque o povo decente conhece realmente a HISTÓRIA DO BRASIL e dos Militares...