quinta-feira, 2 de maio de 2013

O Holocausto da Dignidade


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca
Após a Segunda Guerra Mundial, o termo Holocausto foi utilizado para se referir ao extermínio de milhões de pessoas que faziam parte de grupos politicamente indesejados pelo regime de Hitler.
Naqueles grupos estavam militantes comunistas, homossexuais, ciganos, eslavos, deficientes mentais, ativistas políticos, católicos, etc.
Contudo, na Alemanha nazista o alvo mais promissor foram os judeus.
Com vasta, intensa e insidiosa propaganda os judeus eram acusados como os culpados por qualquer coisa que acontecia contra aquela poderosa nação.
Os judeus foram segregados e perseguidos. Não era o bastante, por isso sucumbiram maciçamente em câmaras de gás.
O genocídio foi decretado como a “solução final”. Aniquilados os judeus, estaria aberta a trilha do reino milenar.
No Brasil, a esquerda festiva e vingativa, bem que gostaria e tem envidado esforços para desencadear o Holocausto das Forças Armadas. Contudo, apesar de estarem conseguindo o seu aniquilamento paulatino, eles sabem que demandará algum tempo para o seu Holocausto total.
Sem oposição, decidiram dividir para desbaratar. E estão conseguindo.
As Forças Armadas repudiaram os seus membros que atuaram na repressão, e promovem a separação dos integrantes da Ativa do restante, os da Reserva e os Reformados.
Os ex-agentes foram desprezivelmente abandonados, apesar de cumprirem missões superiores, dentro da legalidade, coibindo a quebra da lei e da ordem, e o seu gesto de amor à Pátria foi decretado como um atentado aos ditames do novo governo, agora composto pelos antigos subversivos.
E ainda: os militares não podem mais relembrar às novas gerações, o que foi a cruel, covarde e traiçoeira Intentona Comunista de 1935, nem comemorar, oficialmente, em suas Organizações Militares, a gloriosa Contrarrevolução de 31 de Março de 1964, olvidando-se que "esquecer também é trair...”       
Assim, os ex-agentes passaram à condição de alvos compensadores com implacável determinação, substanciais recursos e apoio legal.
Em diversas oportunidades, a esquerda exacerbada, tendo como objetivo maior a anulação da LEI DA ANISTIA (conforme decretado pelo Dirceu), que beneficiaria apenas aos seus acólitos, apontou suas armas contra os ex - agentes mais difamados.
Entre eles, como maior cabeça a prêmio, o Cel. Carlos Alberto Brilhante Ustra, convidado para prestar declarações para a Comissão Municipal da Verdade da cidade de São Paulo.
Para os otimistas, deveria ir para honrar a coragem militar; para os pessimistas, recusar, pois já foi tantas vezes intimado que está exausto de negar as mais infames acusações, sem o menor resultado.
Explicitamente, a Comissão da Verdade é somente uma ponta do iceberg de destruição que se abaterá sobre as Instituições Militares, que teve inicio suntuoso com a criação da Comissão da Anistia.
É nítido, que breve chegaremos ao final dos trabalhos da Comissão da Verdade, que na pratica somente serão encerrados quando atingir o seu objetivo, o justiçamento dos cidadãos que lutaram contra o comunismo.
O trucidamento de alguns agentes abrirá as comportas de uma avalanche que soterrará o edifício moral construído pelas Instituições Militares, abalará seus pilares, até o presente, sedimentados em glorioso passado que, covardemente, desejam apagar da História.
Somente um cego de conveniência, não percebe que a esquerda terá alcançado a vitória final, pois em sequência teremos o Holocausto das Instituições Militares.
O Holocausto não será apenas físico, porém, e, principalmente, da dignidade, e terá repercussões negativas para os futuros jovens atraídos pela carreira militar que diante do triste cenário, certamente, dela desistirão.
É medonho, mas é verdade.
Valmir Fonseca Azevedo Pereira é General de Brigada Reformado.

6 comentários:

Anônimo disse...

esses mau caráteres, estão fazendo tudo muito bem planejado. o fato de decretarem o fim da miséria no Brasil, é um deles. isto, é pra passar uma imagem para o mundo que são bonzinhos e logo, passará uma impressão de que foram vítimas dos militares. e que os militares são perversos e tem que ser sacrificados.
quem conviveu com um demônio (psicopata) desses, sabe muito bem quem são. mentirosos contumazes, vc está vendo que ele está mentindo, desmascara-o com a mentira e ele insiste que é verdade. ou então, se vc o desmascara com a mentira, ele, na maior cara-de-pau, muda o assunto pra encaixar de novo na mentira.
esses demônios, irrita qualquer pessoa com o cinismo deles. são doentes mentais.

Ronald disse...

General Fonseca,
Eu como civil que tem nas FFAA a mais importante instutição do nosso país, espero que isso realmente não aconteça e apóio todas atitudes no sentido de impedir que cheguemos a tal ponto.
Sds

Anônimo disse...

Infelizmente para nós, brasileiros, esse artigo escrito pelo Gal. Valmir Fonseca retrata uma realidade que nos causa um grande desalento. As FFAA brasileiras são o único esteio em quem ainda podemos confiar, já que a maioria das instituições estão em fase de desagregação. Que Deus nos proteja. Cagliostro

MISTER `V` disse...

TENHO 56 ANOS DE IDADE! ORGULHOSAMENTE SERVI MINHA PATRIA NA GLORIOSA MARINHA DO BRASIL! INFELIZMENTE, OS MILITARES DOS DIAS ATUAIS NAO TEM A DIGNIDADE, A FIBRA E O AMOR A PATRIA, QUE TINHAM E TEM OS MILITARES DA MINHA EPOCA! OS MILITARES ATUAIS NAO ESTAO PREOCUPADOS SE VAO `SERVIR AO CHEFE ` DE ESQUERDA OU DE DIREITA PORQUE NAO ESTAO INTERESSADOS EM SOLDO OU NA FUTURA RESERVA, MAS TAO SOMENTE NAS VERBAS QUE LHES CHEGAM PARA SE LOCUPLETAREM VIA PROCESSOS LICITATORIOS OU DE DISPENSAS DUVIDOSAS DE LICITACOES. E O PIOR, O POVO AINDA NAO APRENDEU QUE QUEM TEM QUE TER MEDO E O (DES) GOVERNO E NAO ELE. DESCULPE, MAS ESSE POVO E CAGAO!!!

Helder Araujo disse...

O chamado holocausto foi uma fantástica peça de propaganga para a criação de Israel e a propagação do semitismo. Historiadores sérios avaliam 250 mil o número de judeus assassinados nos campos de trabalho e extermínio.
Acontece que os judeus dirigiram-se em massa, aos milhões, para Israel, sobretudo na década de 30. Infelizmente os mais pobres não alcançaram Israel e foram exterminados.
Quem perpetrou esta peça de propaganda foi a dinastia Rothschild (a verdadeira dona de Israel).
Os nazistas dirigiram-se aos milhares para os EUA e para o sul da América Latina (ver Odessa, Paperclip etc).
Tivemos uma série de golpes militares por aqui e os nazistas dele partiparam.
O comunismo hoje se espalha pelas Américas e a sua natureza é absolutamente negasta.
Caso as forças armadas continuem a representar um papel de submissão prevê-se gravíssimas consequências no Brasil.

Anônimo disse...

No suposto holocausto judeu, não morreram seis milhões, mas no máximo entre 250 mil e 300 mil judeus.