sábado, 11 de maio de 2013

Pesquisa sobre a copa de 2014


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Haroldo P. Barboza

Esta breve coleta não foi elaborada por um instituto de pesquisa conhecido. Nem será. Elementos situados no topo de órgãos oficiais e de empresas vencedoras de licitações duvidosas voltadas para eventos esportivos jamais efetuarão um referendo onde a baixa probabilidade de se obter um resultado “adequado” (que sirva para propaganda) é bem provável.

Basicamente ela não tem sentido entre cidadãos integrantes das classes cuja renda mensal lhes permite contornarem os problemas sociais “fabricados” para manter eleitores “fiéis”. Por isto não constam perguntas envolvendo o transporte aéreo, acomodações de hotelaria e coisas do mesmo nível.

Esta pesquisa é apropriada para aqueles necessitados que sofrem profundamente com o abandono das autoridades quando o assunto se refere a elaborar processos urbanos que propiciem um mínimo de qualidade de vida para quem paga impostos elevados (estamos entre os cinco mais caros do mundo – e sem retorno paralelo). Adequada para centros urbanos onde alguns acreditam que vivemos bem pelo fato de pagarmos altas taxas sem nada contestar.

Sem mais delongas, vamos às questões. Não são perguntas. O entrevistado precisa apenas dar nota entre 0 e 10 (0=péssimo ***  10=muito ótimo) a cada item citado. Abordaremos apenas poucas áreas para não gastar o tempo de cada entrevistado. Que não deve se deixar levar por alguma emoção mais escancarada de minha parte.

Educação

Tome como referência a escola pública onde seu filho estuda. Você tem obrigação de visitá-la pelo menos um dia por semestre. Pense na distância de sua casa, nas instalações (carteiras, quadro, iluminação, pintura, limpeza, refrigeração, instalações sanitárias, pátio de recreio, sinalização, tipo de lanche). E também: existência de professores, calendário escolar cumprido, conteúdo das matérias oferecidas, reuniões trimestrais com a comunidade.
Nota para este item: _____

Saúde

Hospital público onde sua família precisa comparecer em caso de emergência. Pense na distância de sua casa, nas instalações (ambulâncias, macas, leitos, pintura, limpeza, refrigeração, instalações sanitárias, iluminação, sinalização, enfermaria, instrumentos, curativos básicos, informações sobre os internados, alimentação deles). E também: existência de médicos, anestesistas, atendimento burocrático, horários de visitas, separação de doentes para evitar contaminação hospitalar. Sem contar com as ambulâncias abandonadas em pátios e que servem de berçário para a dengue.
Nota para este item: _____

Segurança

Visualize os locais por onde você circula regularmente. Veja se estão bem iluminados. Mentalize quantas viaturas policiais passam em média por estes locais durante o/a dia/noite. Quando tiver a sorte (ou azar?) de encontrar um policial, confira se ele está bem identificado, bem apresentado, se é educado para lhe atender, se o colete à prova de balas não exibe sinais de validade vencida, se a viatura está em ponto de perseguir um fusca em fuga e se o rádio funciona com clareza. Acompanhe o noticiário sobre a quantidade de delitos em sua área. E quantos são resolvidos pela polícia. E quantos condenados são mantidos presos pelo tempo estipulado pelo Juiz. E quantos são “recuperados” pelo sistema carcerário.
Nota para este item: _____

Trânsito

Relembre o tempo médio de seu transporte coletivo leva para conduzi-lo aos locais escolhidos. Deve ser no mínimo, o dobro do considerado normal em ruas esburacadas apesar do alto IPTU. Sendo trem ou metrô, anote quantas vezes por mês ocorrem atrasos, intervalos elevados, falta de refrigeração, panes diversas. E quantas vezes foi preciso andar pelos trilhos a pé. Observe a balbúrdia das ruas mal sinalizadas, as placas enferrujadas, as árvores prestes a tombar, os veículos abandonados, os carros das autoridades estacionados em locais proibidos.

Fora os semáforos sem sincronia e com lâmpadas queimadas. E mais o desconforto que transforma estes “caixotes” em latas de sardinhas. E para completar, relembre o caos dentro e no entorno da rodoviária nas épocas de feriados. Similar (ou pior?) ao que acontece nos aeroportos.
Nota para este item: _____

Estrutura da cidade

Os bueiros entupidos há dezenas de anos produzem grandes lagoas que engarrafam a cidade com meia hora de chuva deixando vários logradouros ilhados. Rios que acumulam lixo se transformam em armadilhas para os habitantes locais. Bueiros abertos, calçadas rachadas, árvores por cair, passarelas sem proteção, viadutos com vergalhões enferrujados e praças abandonadas. Diversos pedregulhos se soltam das encostas e arrastam barracos mal localizados.

Neste instante, em algumas ocasiões diversos bairros ficam alagados e às escuras por mais de 12 horas. E os telefones de emergência não atendem aos que foram surpreendidos pelo episódio. As “ouvidorias” de cada órgão demoram dias para devolver mensagem apenas dizendo que “o fato será investigado”. Já estamos sendo ridicularizados pela imprensa internacional. A Defesa Civil, apesar da bravura de vários integra ntes, fica à deriva por falta de planejamento e material adequado.
Nota para este item: _____

Administração pública

Você rala muito para obter alguma renda. Paga impostos embutidos (e não especificados) em tudo que consome. Do alfinete à geladeira que no crediário sai por um valor 3 vezes maior. Perde um dia de trabalho em longas filas para obter qualquer documento para qualquer atividade que lhe seja necessária. Se pelo menos tivesse serviços públicos adequados, poderia desfrutar de maior tranqüilidade para investir no seu próprio futuro.Fomos eleitos para produzir a copa de 2014 e a Olimpíada de 2016. 

Certamente alguns empregos temporários serão criados para amenizar a angústia dos menos capacitados. Dezenas de edificações de concreto serão levantadas para estes eventos. Cada uma delas terá um custo inicial estimado em R$ X milhões (valor que daria para duas destas). No final do projeto, o gasto será de R$ 5X em função do superfaturamento. Lembra dos esqueletos levantados no Pan-2007?

A diferença que sobra será repartida entre alguns dos signatários destes acordos milionários que apesar de manipular dinheiro público não possuem balancetes para exibir ao povo. Outros emprestarão sua chancela nestes contratos como “inocentes úteis” (ainda tem inocente nestas esferas?). Os bilhões de Reais que serão torrados nestes eventos que deixarão alguns “elefantes brancos” bem que poderiam amenizar as necessidades imediatas já citadas.
Nota para este item: _____

Para finalizar, duas perguntas simples onde só é preciso circundar o SIM ou o NÃO.

Você acha que as realizações da Copa em 2014 e da Olimpíada em 2016 deixarão alguns legados que nos trarão elementos para a melhoria de nossas vidas nos próximos 20 anos?
SIM   NÃO  

Você tem certeza que mais da metade dos gastos investidos nestas aventuras não irão para as contas bancárias dos mentores destas jornadas?
SIM   NÃO

Nota: efetuei tal pesquisa em março dentro de meu círculo cotidiano. Balconistas, frentistas, entregadores diversos, porteiros, idosos em filas de mercado,  camelôs e assemelhados. Foram 39 entrevistados. A nota média final foi pouco acima de 3,8. E a opção “NÃO” (ambas as perguntas) quase chegou a 79%. Tudo documentado numa planilha do Excel.

Se desejarem pesquisar junto aos que lhe ouvem diariamente, podem solicitar que a enviarei para vocês tabularem seus resultados.

Haroldo P. Barboza é Professor e Escritor.

Nenhum comentário: