quinta-feira, 30 de maio de 2013

Será que vamos despertar?

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

A partir do momento que assumiu o poder, o PT, de posse da chave do cofre e de uma caneta nervosa, postulou como tarefa primordial a apropriação do estado brasileiro.

A primeira investida, um inédito esquema de corrupção política atuando no Congresso visando à aprovação de projetos de interesse, encontrou, após denúncia de um dos envolvidos, forte oposição por parte de sociedade e culminou com a condenação, sete anos depois, dos implicados, pela Corte suprema, um raio de esperança na recuperação da ética e da auto-estima da república, embora até agora nenhum deles tenha ainda iniciado o cumprimento das penas.

A tênue oxigenação da dignidade nacional decorrente da atuação do Judiciário no episódio, não impediu, porém, que se constatasse, com o tempo, a completa submissão do Legislativo aos desígnios do governo, inclusive com a pulverização completa da frágil oposição.

O próximo passo, já em curso, é a desmoralização das instituições encarregadas da aplicar a lei, mediante propostas indecorosas de modificações do texto da Constituição, com o objetivo de diminuir o poder do STF, encaminhadas por  parlamentares a serviço do Planalto e não do interesse público do qual passam ao largo, além da nomeação recente, para ocupar vaga de Ministro da Corte, de advogado com passado de militância política e atuação no mínimo maliciosa ao defender a tese de não extradição para a Itália, incorporada pelo governo petista, do terrorista Cesare Battisti, atualmente acoitado no Brasil, em liberdade plena.

Quem poderá negar que o objetivo final de todas essas tentativas, com boa probabilidade de serem bem sucedidas, seja o estabelecimento de uma ditadura branca, solerte, cuja implantação, com todas as conseqüências ligadas a temas como, por exemplo, o controle da imprensa, faça com que a sociedade, anestesiada, a tudo assista sem reagir e quando o fizer talvez seja tarde demais?


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra reformado.

2 comentários:

Anônimo disse...

Eu já não tenho nenhuma dúvida do que pretendem. Resta-nos juntar às FFAA pra salvar o povo dos interesses espúrios dos "coitadinhos" de outrora.

QUEREM DESCARADAMENTE, TIRAR NOSSA LIBERDADE.

Anônimo disse...

Tal cenário só vai mudar quando:
- faltar tv por uma semana e o povo ter tempo para debater nossos problemas;
- nossas minas secarem e os abutres globais nos abandonarem (viraremos um Haití piorado);
- descer um ET aqui com um gás que paralise os 0,05% de pilantras que comandam a nação.
Haroldo - RJ