segunda-feira, 24 de junho de 2013

Cuidado conosco. Estamos Brabos!

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Milton Pires

Meus caros colegas médicos, quer dizer que agora resolvemos ficar “brabos”? É isso? Depois da segunda vez que uma ex-terrorista, eleita por um partido que recebeu as FARC em Porto Alegre, que tentou comprar o Congresso inteiro, adepta de uma revolução na América Latina, resolveu afirmar que vai trazer milhares de médicos estrangeiros, nós “resolvemos” ficar brabinhos??

Nós passamos toda a década de 70 e 80 cantando Chico Buarque, viajando para congressos de estudantes de medicina com camisetas do Che Guevara, e agora estamos brabos? Nós ajudamos com toda força a criar no Brasil um sistema de saúde que atende traficantes, estupradores e assassinos com tudo pago pelo resto do país,  e agora estamos revoltados??

Passamos toda a década de 80 e 90 votando nesses bandidos do Partido-Religião que agora governa o Brasil, ajudamos a “aparelhar” todos os sindicatos médicos, colocamos dentro de secretarias municipais de saúde colegas nossos estelionatários que criaram fundações inconstitucionais, entregamos o controle dos hospitais às enfermeiras, aceitamos trabalhar em condições caninas, e agora estamos indignados?

Nós queremos agora fazer esse  movimento das ruas, desencadeado pela própria esquerda para recolocar Lula no poder em 2014,  se transformar num “Fora Dilma”? Somos nós que aceitamos fazer plantões atendendo sozinhos em 12h mais de 120 pessoas em escolinhas transformadas em pronto-atendimentos? Fomos nós que aceitamos dentro dos conselhos regionais de medicina, gente que tem a Dilma como amiga da década de 60?

Vocês realmente tem certeza que somos nós que estamos “brabinhos” por causa da vinda dos colegas de Cuba? Nós, que suspendíamos  matrícula na faculdade de medicina na década de 80 para viajar para Cuba? Nós que temos como colegas queridos o Dr. Henrique Fontana, Dr. Palocci, Dr. Padilha..e tantos outros..nós estamos “furiosos” com a Dilma?? Somos nós que aceitamos um sistema de saúde em que a União, ao contrário dos estados e municípios, não precisa ter definida em  lei a sua parcela de contribuição?? Somos nós, que aceitamos viajar fazendo “ambulância-terapia” com pessoas morrendo lá dentro que estamos irritados com o governo federal??

Vocês vão querer me convencer de que nós temos realmente condições morais de nos mostrar “furiosos” perante à nação brasileira  por causa de Cuba quando sequer temos um plano de carreira? Nós, que precisamos debater furiosamente para o Congresso aprovar uma lei dizendo que “ato médico deve ser praticados por médicos e não por astronautas ou artistas plásticos?” Nós, que aceitamos dentro de nossa própria classe o surgimento de uma ralé capaz de fazer qualquer coisa por um cargo de chefia e uma função gratificada num hospital público, estamos revoltados com a presidente da república? 

Nós, que vivemos num país onde uma prostituta não aceitaria trabalhar com pagamento fixo no final do mês feito pelo poder público, nem com dinheiro de uma cooperativa de trabalhadoras do sexo (UNIPROST) estamos brabos por causa dos médicos que vão chegar de fora.?? Nós que precisamos ser lembrados por colunistas desportivos do “nosso juramento de médico” estamos irritados com a suprema autoridade do país??

Por favor, meus colegas, há um ponto a partir do qual uma classe (se é que ainda somos uma classe; e não um bando) desce tanto na sua moral que nada mais pode ser feito...

Vamos parar com essa de “ficarmos brabos no Facebook” e anunciar ao país uma greve geral ou vamos fazer o que sabemos fazer melhor – calar a boca e continuar trabalhando!

Nós não temos mais moral para fazer outra coisa há muito tempo...


Milton Pires é Médico.

13 comentários:

Anônimo disse...

Não. Dilma, invista em nossos jovens, oferecendo-lhes uma educação de qualidade e em nossos profissionais da saúde pagando-lhes uma remuneração decente e dando-lhes boas condições de trabalho. Dilma, a população aumentou precisamos de mais hospitais. Vocês pagam salários exorbitantes para seus comissionados, que muitos, nem comparecem no órgão para trabalhar. E os servidores concursados, de carreira, não são valorizados. Não aos médicos cubanos.

Fernando Carvalho disse...

MÉDICOS CUBANOS
Quando Dilma falou em médicos cubanos ela frisou que é para áreas onde os médicos brasileiros não querem trabalhar. Dizem que há prefeituras de grotões oferecendo 30 mil reais de salário para médicos. Mas os médicos se recusam a ir porque lá faltam condições de trabalho. Os médicos brasileiros são dependentes da tal "medicina diagnóstica", porque não sabem mais diagnosticar uma doença, precisam dos exames sofisticados de laboratórios. Nos grotões não tem tomografia computadorizada. Os médicos brasileiros são também dependentes da indústria farmacêutica. Seu trabalho consiste em encaixar o paciente numa doença e prescrever a droga associada a essa doença. Drogas que não faltam no repertório de 40 mil drogas comercializadas pelas farmacêuticas. A medicina cubana trabalha com uma lista de "medicamentos essenciais" composta de poucas centenas de medicamentos. A medicina brasileira também tem sua lista de medicamentos essenciais só que adulterada com a introdução de drogas impostas pelo lobby da indústria farmacêutica incluindo genérico de viagra. Nossa lista consta de 800 medicamentos. Essa lista de nada vale porque a Constituição garante que "saúde é um direito de todos e dever do estado". De modo que quando um médico do SUS prescreve um medicamento da lista dos essenciais, o paciente prefere a droga (patenteada e cara) da lista das quarenta mil drogas das multinacionais farmacêuticas. No Brasil já existe a classe dos "advogados de porta de farmácia" especializados em processar o SUS para obrigá-lo a pagar medicamentos como os "biológicos" cuja uma drágea custa até 50 mil reais e o tratamento 200 mil reais. Aqui no Brasil existe um esquema comensalista montado que se sustenta mutuamente de alimentos e medicamentos. A população é alimentada com uma ração açucarada que causa várias epidemias (cárie, obesidade, diabetes etc.) e a medicina doutrinada pelo cartel farmacêutico prescrevendo drogas. Nos Estados Unidos as mortes iatrogências (decorrentes de tratamento médico) já são a principal causa de mortes por doenças, câncer e doenças vasculares ficam respectivamente em segundo e terceiro lugares.
Cuba devido ao covarde bloqueio americano teve que se virar e constituir uma medicina mais preventiva e se limitou aos mencionados "medicamentos essenciais", ou seja, uma medicina apropriada a condições de pobreza que é o que prevalece no interior do nosso país. Os médicos cubanos são portanto bem-vindos. A presença deles aqui terá o papel de um contraponto que talvez faça nossa classe médica começar a pensar, porque hoje está antolhada pela indústria farmacêutica.

Paulo Sergio disse...

Aplaudo de pé, colega!!! Disse tudo!

Paulo Sergio disse...

Aplaudo de pé, colega!!! Disse tudo!!!

Paulo Sergio disse...

Aplaudo de pé, colega!!! Disse tudo!

Paulo Sergio disse...

Aplaudo de pé, colega!!! Disse tudo!

Anônimo disse...

Fernando Carvalho disse...
10:41 AM

Onde Cuba tem disponíveis 6 mil "médicos" para enviar? Outros tantos já estão na Venezuela e mais alguns na Bolivia.

Logo, quem vier, são militares cubanos para provocar a guerra civil, tal como fizeram em Angola.

Os médicos que trabalham fora dos grandes hospitais particulares, são merda! Basta vê-los nos SUS e nos HGE. Não tratam, matam!

E você, petista da porra, vá para Cuba por aqui está a mais! Você pode muito bem ser um dos médicos que mata doentes tanto por omissão como obrigando a tomar genêricos que nada valem mas enriquecem tanto as farmaceuticas como os medicos que recebem comisões, viagens e prendas.

Tive um AVC diabético, o tal que não apresenta sintomas alguns bem ao contrário do AVC normal, devido ter estupidamente tomado um medicamente para diabetes tipo II, que se encontra banido nos EUA devido a esses problemas que sucederam comigo. E todos sabem que diabetes não tem ainda cura! Menos médicos vigaristas e cubanos coo você!

Vocês médicos são os filhos de Hitler, Stalin e Lenin.

Vocês, médicos petisytas, são nota zero!

Anônimo disse...

Serrão veja este video do professor Carlos Reis...

MÉDICOS CUBANOS OU AGENTES CUBANOS?

http://www.youtube.com/watch?v=-fXsacvnjZs


Milton-SP

Anônimo disse...

Muito bem.Fora petralhas.

Anônimo disse...

Serrão, é favor para o brasil voce publicar esse artigo.



http://adireitabrasileira.blogspot.com.br/2013/06/a-venezuela-definha-sob-o-aparato-de.html

Anônimo disse...

Fernando Carvalho, quando você ficar doente, eu pessoalmente pago sua passagem pra se tratar em Cuba. Mas te dou a passagem só de ida, porque você vai A-D-O-R-A-R viver lá. Tenho certeza que sim. Buon voyage!

Milton disse...

Será que eu entendi? “Nós (os médicos) não temos mais moral para fazer outra coisa (calar a boca) há muito tempo...”, Milton Pires. O médico que disse só ter moral para calar a boca, ao invés de se calar, manda os outros se calarem. Ao criticar os outros médicos por terem usado a camisa do Che Guevara e por isso devem se calar, só pode ser uma confissão velada de que o autor do texto jamais deixou de usar a camisa do Che, por isso ele não precisa de calar.

Milton disse...

Será que eu entendi? “Nós (os médicos) não temos mais moral para fazer outra coisa (calar a boca) há muito tempo...”, Milton Pires. O médico que disse só ter moral para calar a boca, ao invés de se calar, manda os outros se calarem. Ao criticar os outros médicos por terem usado a camisa do Che Guevara e por isso devem se calar, só pode ser uma confissão velada de que o autor do texto jamais deixou de usar a camisa do Che, por isso ele não precisa de calar.