quinta-feira, 20 de junho de 2013

Decifra-me se fores capaz

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Carlos Leite Filho

Não está sendo fácil identificar as causas e os objetivos das manifestações populares eclodidas simultaneamente na maioria das capitais brasileiras dois dias após a estrondosa vaia dirigida à presidente Roussef, no último sábado, por ocasião da cerimônia de abertura da Copa das Confederações transmitida pela televisão para o Brasil e para o mundo.


A população foi às ruas e os fatos estão aí, sem versões, sem “resgate da memória” e sem história reescrita, à semelhança de um tsunami a derrubar o que parecia sólido, sendo lícito imaginar que a data de 17 de junho passará a ser um marco da democracia e do desmonte pacífico (ou quase) da farsa de um governo que busca, pelo uso continuado da mentira e pela distribuição de benesses, dissimular a sua incapacidade de bem governar e de querer ser popular.

Seria miopia atribuir os acontecimentos em foco apenas a um protesto pelo aumento no preço do transporte público urbano, em verdade um estopim do extravasamento da insatisfação e do basta de um povo carente também de seus direitos constitucionais de saúde, educação e segurança e ciente de que para tanto não há falta de recursos financeiros, abundantes para a construção de estádios de futebol e para outras obras que tanto contribuem para a corrupção contumaz da vida pública nacional.

Só não vê quem não quer e parece chegada a hora da voz das ruas reclamar também da ausência de um estadista à frente dos destinos do país para substituir o governo da famosa “base aliada” capaz de viabilizar desmandos, justificar erros e legalizar ações criminosas. E o povo se fez ouvir!
 

Louvores à democracia certamente não faltarão, o que é bom, mas não se deve esquecer que é indispensável ao seu pleno exercício a presença de instituições fortes que assegurem à população o expurgo pronto e imediato de seus inimigos tais como os vândalos que mancharam as ordeiras e pacíficas marchas, afrontando a lei, a ordem e autoridades constituídas. Ser democrata não obriga ao medo de não reprimir e nem à covardia de assistir à distância o quase linchamento de um agente incumbido da proteção da cidadania e do patrimônio público.

A voz do povo é a voz de Deus! Que sejam poucos os ateus! Amém!

José Carlos Leite Filho é General de Exército na Reserva.

Um comentário:

Jurandir D'almeida disse...

SERRÃO! NESSE ANGU TEM CAROÇO...

Isso já estava ARMADO, e por isso que o Gilberto Carvalho disse que: EM 2013 O BICHO IA PEGAR.

Com certeza o FORO DE SÂO PAULO esta por trais disso...

AGORA O MOVIMENTO DO PASSE LIVRE QUER SE LIVRAR DO ESTADO DE DIREITO.

Ontem, em entrevista acelerada, a líder do Movimento do Passe Livre, Mayara Vivian, afirmou que agora a luta é pelo fim do latifúndio urbano e rural, bem como pela reforma agrária e que nenhum manifestante sofra processo criminal. Ou seja: a luta do MPL passa a ser contra o Estado de Direito, atingindo não mais só o direito de ir e vir, mas também o direito de propriedade. Que o país fique de olho. Em vez de invadir as ruas, vão começar a invadir casas e apartamentos. Nada que o campo brasileiro, que sustenta o país, não conheça pelas mãos do MST e do CIMI.

ACORDA BRASIL... ACORDA FFAA...