domingo, 23 de junho de 2013

O Cidadão quer saber do seu Exército

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Ricardo da Rocha Paiva

Considerando: que o dilema - lealdade versus disciplina - é desafio que se apresenta em situações extremas na carreira dos profissionais das armas, particularmente aos que galgam os mais altos escalões de comando e chefia; 

Considerando: que esse dilema desaparece quando silêncio e omissão contribuírem para causar um dano insuportável à Nação e à Instituição, estas sim, e nesta ordem, credoras de sua lealdade; que em passado não muito distante, a lealdade à Nação evidenciava disciplina em seu grau mais elevado, considerados missão constitucional das FA e juramento do militar à Bandeira; 

Considerando: que a crítica - “na reserva, o militar fica inteligente e valente” nem sempre é cabível-, primeiro, porque é legal sua livre manifestação sobre assuntos de interesse geral, inclusive os militares e, segundo, porque antes de generalizar a crítica, convém lembrar, muitos passaram à reserva justamente por terem primado sempre pela franqueza e coragem moral; 

Considerando: que a liderança pressupõe a submissão total à consciência, juíza perene da existência, e não aos cargos e funções, de passagem eminentemente efêmera, uma população estupefata exige respostas!

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: a evolução acelerada de um separatismo indígena, fomentado por interesses/pressões internacionais, comprometendo a soberania e posse de grande parte do nosso patrimônio em benefício da «comunidade mundial” (leia-se Conselho de Segurança da ONU); a proposição do PNDH3, de ratificação da Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas, reconhecendo a existência de 608 nações apátridas dentro da Nação brasileira; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: a ação deletéria da Comissão Nacional da “Verdade”, que escracha civis e militares de reconhecido valor no esforço de guerra ao terror dos anos 60/70; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: a indigência atual da Força Terrestre, sem que se exija reverter sua situação caótica pela participação maior no PIB, haja vista os seguidos cortes nos recursos e o temerário prazo a perder de vista na implantação de vitais projetos estratégicos de defesa; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: o permanente aviltamento do nível salarial nos soldos de seus filhos e netos que vestem farda, se comparado com os de não poucos “políticos probos” homiziados na governança e no parlamento; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: o processo continuado de gendarmerização dos contingentes, preconizado pelo “Consenso de Washington”, preterindo as marciais manobras de grande comando pelo papel de guarda nacional em operações eminentemente policialescas; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: o movimento subversivo, de “quinta-coluna”, poderoso nos três poderes da República e em refugos da sociedade para romper o compromisso com as nossas tradições e princípios basilares do dever e honra militares; 

Até quando o Exército da Pátria vai pagar para ver, tolerando: a versão dos nossos verdadeiros inimigos de que o resfolegar de um «nefasto exército de ontem» está dando lugar ao «exército politicamente correto de hoje»?


Paulo Ricardo da Rocha Paiva é Coronel de Infantaria e Estado-Maior na reserva.

4 comentários:

Anônimo disse...

Talvez até quando a América do Sul se transformar em uma União Soviética e derramar muito sangue. Eu também já perguntei várias vezes e não estou encontrando a resposta. Cada um que não faz nada para mudar este atual cenário brasileiro, é responsável por tudo de mal que vem ocorrendo no Brasil. Já cansei de falar que não mudaremos nada através das urnas. Todos os governantes desde que saiu do regime militar, exceto FHC, estão no comando da nação. Uns são senadores, outros ministros, outros deputados e o rumo que o Brasil está tomando é assustador. eu já cansei de dizer que não temos outro caminho pra nos livrar desta tragédia senão pelas FFAA. As pessoas não tem consciência com quem estão lidando. Deveriam ler sobre o que diz Olavo de Carvalho. Vou postar o endereço de um vídeo e gostaria que todos vissem. Eles falam que é coisa da oposição, mas sabemos que é uma realidade do Brasil. Eles tem esse negócio de culpar os outros por tudo que fazem de errado e de ruim. A culpa é de qualquer um, menos deles (comunistas)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=TT0Koi76E4Q

Anônimo disse...

O Exército da Pátria brasileira, è merda, è petista, è soviético e como tal, não vai fazer nada contra o PT e o PC do B!

È bosta! Não presta! È covarde por natureza!

Carlos Ramos disse...

Realmente é lastimável ver a omissão das Forças Armadas no cenário atual do país. Não tenho como "afirmar" mas parece que os oficiais de alto escalão estão tão vendidos como estão os políticos brasileiros. Todos sabem que um simples "espirro" das Forças Armadas faria essa canalhada terrorista que nos governa rever totalmente suas atitudes que visam a tomada total do poder na América Latina, e as Forças Armadas sequer coçam o próprio nariz. É vergonhoso vermos tantos oficiais honrados no passado do país e sermos testemunhas, atualmente, que quase se passa fome nos quartéis por causa da complacência dos oficiais com o governo que tanto os tortura. Não pensei que viveria para ver esse tipo de atitude dos comandantes das forças armadas (com letra minúscula mesmo).

Anônimo disse...

Não existe em nosso país,
'nações" indígenas, e sim tribos indígenas, Nação só o Brasil. O resto é conversa fiada.