quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Consumidor já sente na bomba reajuste de combustíveis que apenas ameniza rombo bilionário na Petrobrás

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

A ganância imediatista dos donos de posto de combustíveis já provoca desde ontem uma dorzinha no bolso de quem vai abastecer. Trata-se de uma postura nada ética nos negócios contra o interesse público. O reajuste de preços de gasolina e do diesel nas distribuidoras não deveria ter impacto direto e imediato para o consumidor na bomba de abastecimento. O problema é que teve! No Rio de Janeiro ocorreram altas absurdas de até 10%. Um assalto a bomba armada!

Mais infeliz que tal jogada oportunista é a declaração do ministro Guido Mantega. O apadrinhado de Lula (que mais nada manda na Fazenda) cometeu a burra ousadia de opinar que o aumento “é uma pequena correção que não vai atrapalhar ninguém”. Como de costume, Mantega está erradíssimo. Se a nova alta terá um impacto de 0,16 ponto percentual na inflação, como ele mesmo admitiu, claro que o cidadão-consumidor contribuinte terá alguma perda – por menor que seja.

Além disso, qualquer idiota sabe que o reajuste de combustíveis detona “uma onda psicológica” de aumentos de outros produtos e serviços. Custo de fretes e passagens de ônibus terão de acompanhar a subida. Na prática, o reajuste de 6,6% para a gasolina e 5,4% para o diesel nas refinarias – promovido pela deficitária Petrobras – deveria ter um impacto de 4% a 5% nas bombas, só a partir do mês que vem, de acordo com a área econômica do governo.

A Petrobrás paga caro por subsidiar o preço da gasolina – que é turbinado pela alta carga tributária no Brasil. A numerologia é cruel com a empresa que vende combustível mais barato do que paga pela importação. O aumento anunciado dará um reforço mínimo de R$ 540 milhões e máximo de R$ 650 milhões por mês no caixa da companhia. Mas estatal capimunista continuará perdendo cerca de R$ 1,2 bilhão mensais. Antes do reajuste, o rombo mensal era de R$ 2 bilhões.

Como a Petrobrás não pode desinvestir, a previsão real é que ocorram novos aumentos. Afinal, a defasagem da gasolina está em 11,2% e a do diesel, em 19,7%. Complicado é que qualquer reajuste (sempre inflacionário dos combustíveis) não resolverá os rombos gerados pela má gestão de projetos ambiciosos e metas irreais da Petrobrás – tudo produzido na gestão do baiano José Sérgio Gabrielli, um dos homens da máxima confiança do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Outro apontado pelos investidores como o grande responsável pela incompetente gestão de caixa da Petrobrás é seu diretor financeiro Almir Barbassa. O dirigente é o rolador diário das dívidas junto a grandes bancos internacionais para segurar o tsunami deficitário no caixa da companhia. Todas as principais decisões táticas e estratégicas dos “planos de investimento” empresa passam por ele. Barbassa é imexível porque é aliado da turma de Guido Mantega e do chefão Lula.

O poder de Barbassa é tanto que alguns o consideram o “presidente paralelo” da Petrobrás. Maria das Graças Foster, amiga da Presidenta Dilma Rousseff, é considerada uma técnica competente que herdou uma herança maldita” da má gestão de Gabrielli. Nem Dilma (que presidia, na gestão Lula, o Conselho de Administração da Petrobrás) teve como mexer com o poderoso Barbassa. Nem Graça se engraça com ele. E ainda padece da desgraça de ser atropelada por decisões financeiras dele.

Na gestão (?) Barbassa, a Petrobras opera no vermelho do PT. Gera cerca de US$ 30 bilhões, mas gasta US$ 42 bilhões (nas contas do Credit Suisse First Boston, em projeção para o resultado fechado de 2012). Até setembro, as dívidas somam R$ 133,9 bilhões, valor que é 2,5 vezes a sua geração de caixa. Entre 2009 e 2012, o rombo no caixa da estatal pode ter chegado a US$ 54 bilhões.

Em síntese, a estatal de economia mista tem gasto sistematicamente bem mais do que consegue gerar de receitas. Assim, seu endividamento cresce de forma preocupante. O Citibank prevê que, até o final deste ano, a relação entre a dívida e o patrimônio líquido da Petrobras deve subir para 33,2%. O número chega próximo ao limite de 35%. Se passar disto, a Petrobrás perde seu grau de investimento (investment grade). O desafio é a energia para impedir que tal desgraça aconteça.

O mais grave problema prático da empresa hoje é sua queda de produção – justamente no momento em que o consumo de combustíveis cresce. O mais danoso efeito psicológico contra a Petrobrás, no mercado, é a constante desvalorização de suas ações ordinárias e preferenciais. Os prejuízos irritam investidores estrangeiros e acionistas minoritários brasileiros. No segundo trimestre do ano passado, a Petrobrás registrou prejuízo de R$ 1,3 bilhão. O susto foi o primeiro resultado negativo desde 1999.

Ontem, a Petrobrás perdeu nada menos que R$ 12,5 bilhões em valor de mercado. Mas o número tende a ficar menos feio em médio prazo. Até porque o mercado trabalha com a projeção de que o recente reajuste dos combustíveis vai elevar em R$ 4,3 bilhões o lucro da Petrobras em 2013. Na próxima segunda-feira, para alegria dos grandes jornais que faturam alto com a publicação de cadernos especiais de balanços, a Petrobras vai divulgar os resultados do quarto trimestre de 2012. A previsão é de lucro entre R$ 4,5 e R$ 5 (bilhões).

Inflação voltando?

O reajuste nos preços da gasolina e do diesel para as distribuidoras, anunciado pela Petrobras, pode ser o estopim para o aumento inflacionário.

Quem faz tal advertência é o coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Santa Marcelina (FASM), Reginaldo Gonçalves:

O reflexo desse aumento certamente desencadeará aumento de preços e serviços. A estratégia do governo de redução da tarifa de energia, além de aumentar o endividamento public, não será capaz de conter o repasse da alta do combustível para o consumidor final. Os caminhos podem indicar que teremos que conviver com a sombra da inflação em 2013, já que esse aumento não deve repor todas as perdas da Petrobras e a inércia do governo em obras estruturais podem demandar tempo para melhoria do custo brasil”.

Leia, abaixo, o artigo dele: Governo perde muleta e demonstra fragilidade em suas ações com a Petrobrás

Lobby da inspeção veicular

O governador Geraldo Alckmin sofre pressão de empreiteiros porque São Paulo não vai implantar a inspeção veicular obrigatória em todo o Estado em 2013.

As grandes empreiteiras já tinham como certo que a adoção do esquema em todo o Estado de São Paulo facilitaria o projeto de faturar alto, em todo o Brasil, com mais esta taxa extorsiva.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, pressionado a cumprir sua promessa de campanha de acabar com a taxa de inspeção, ainda não sabe como vai lidar com o subsídio para conter a perda de receita com o esquema Controlar.

Capimunismo é isto aí...

Propaganda do Ministério do Planejamento festeja que “as empresas estatais federais brasileiras bateram dois recordes em 2012, alcançando o melhor desempenho absoluto da história, com R$ 97,9 bilhões em investimentos”:

“Na prática, isto significa que, em média, as estatais brasileiras nunca realizaram tantos investimentos quanto no ano passado”.

Segundo a turma do Planejamento, “o orçamento de investimento das estatais para 2013 será ainda maior do que em 2012 (R$ 105,6 bilhões) e atingirá o patamar dos R$ 110 bilhões”.

Bem na fita?

Na versão oficial, tudo vai bem, no melhor dos mundos, para a empresa em cuja gestão Graça não rima com Barbassa:

O Grupo Petrobras realizou R$ 85,9 bilhões em investimentos, alcançando o melhor desempenho entre todas as estatais: 98,1% do seu orçamento de investimentos para o ano (R$ 87,5 bilhões). O crescimento nominal é de 20,5% em relação ao realizado em 2011 (R$ 71,3 bilhões)”.

A Portaria nº 1, de 29 de janeiro de 2013, publicada no Diário Oficial da União, traz os números.

http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Legislacao/Portarias/2013/130129_port_1.pdf

Temer poeta

José Sarney, nosso imortal da Academia Brasileira de Letras, que se cuide...

O vice-presidente da República, o maçom Michel Temer, lança nesta quinta-feira, em São Paulo, a obra Anônima Intimidade.

Trata-se de um livro com 120 poemas que, segundo Temer, foram escritos em guardanapos de papel durante suas viagens entre Brasília e São Paulo.

O lançamento será na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, a partir das 18h.



Detonando o Renan

Uma petição on line aberta pela ONG Rio da Paz no site da AVAAZ já reuniu em 24 horas quase 100 mil assinaturas contra a pretensão do político Renan Calheiros voltar a assumir a presidência do Senado.

O manifesto, que será entregue aos senadores antes da votação, tem apoio de diversos políticos brasileiros que se opõem à candidatura de Calheiros e ganhou, em poucas horas, enorme repercussão nas redes sociais.

A AVAAZ é a maior plataforma de campanhas on line do mundo, com mais de 17 milhões de membros em todos os países.

Detalhe: esta campanha contra a posse de Renan tem tudo para bater um recorde de assinaturas.

O texto contra o senador

O Senador Renan Calheiros, que acaba de ser denunciado criminalmente ao STF pelo Procurador-Geral da República, é o favorito para ser o próximo presidente do Senado. Somente uma mobilização gigantesca pode impedir esta vergonha.

A última vez que Renan Calheiros foi Presidente do Senado, em 2007, ele teve que renunciar após sérias denúncias de que um lobista pagava suas despesas pessoais, paralisando o Senado por meses. A denúncia agora é que para se defender daquelas acusações ele apresentou notas falsas. Após a aprovação da lei da Ficha Limpa e do julgamento do Mensalão o país precisa deixar claro que não aceita mais que a moralidade pública fique em segundo plano.

Antes da denúncia ao STF, Renan era franco favorito, mas agora está surgindo uma forte articulação entre os Senadores contra sua candidatura e uma mobilização popular gigantesca nas próximas 48 horas -- antes da eleição na sexta-feira -- pode enterrar de vez os Planos de Renan. Assine agora essa petição, que foi criada pela ONG Rio de Paz, e ao atingirmos 100.000 assinaturas ela será lida no plenário do Senado por Senadores que se opõem a Renan.

Para assinar a petição: http://www.avaaz.org/po/ficha_limpa_no_senado_renan_nao/?fSSbJdb&pv=4

Desrespeito aos mortos

Do leitor Pedro Paulo Rocha - Eng./MSc/Prof aposentado, criticando o oportunismo dos petistas com a tragédia de Santa Maria:

“É deveras lamentável a catástrofe que ceifou a vida de quase 250 jovens na flor da idade, devido à incúria das autoridades públicas, do dono da boate e dos músicos, diretamente responsáveis pelo incêndio que destruiu tantas vidas. Contudo, é muito mais lamentável que este infortúnio seja explorado para fins eleitorais por uma pessoa que não se manifestara quando antes também tivemos centenas de mortes nas enchentes e desmoronamentos de Angra dos Reis, Petrópolis, Teresópolis e Friburgo e agora venha, cheia de lágrimas e com voz embargada por uma teatral emoção, cabalar votos para as próximas eleições. Se eu fosse pai de uma das vítimas a teria escorraçado”.

Leia também (abaixo) o artigo do General José Carlos Leite Filho: A tragédia de Santa Maria e o poder militar

Respeito aos mortos-vivos



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 31 de Janeiro de 2013.

Governo perde muleta e demonstra fragilidade em suas ações com a Petrobrás

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Reginaldo Gonçalves

A Petrobrás poderá ser mais uma vez a vilã de manobras na contabilização das importações brasileiras. Uma Instrução Normativa da Receita Federal estabeleceu que a empresa terá até 50 dias para informar ao sistema de informações de dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), órgão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) as compras realizadas no exterior. Tal fato fortalece a desconfiança de que os dados da balança comercial de 2012 poderiam estar manipulados. Com os dados contabilizados apenas em janeiro de 2013, os índices de inflação no final do ano estariam preservados.

Se tudo tivesse sido registrado no período convencional, certamente outras situações seriam apontadas e poderiam ter reduzido ainda mais o superávit comercial ou até transformá-lo em déficit. Estimativa da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) aponta que entre R$ 7 e R$ 9 bilhões deixaram de ser registrados na coluna das importações.

Considerando os dados da AEB, o superávit comercial de R$ 19,438 bilhões divulgado pelo governo, um dos piores dos últimos 10 anos, seria de aproximadamente R$ 10,4 bilhões. Os problemas internacionais com a Zona do Euro e a economia americana ainda fragilizada justificam os números. Porém, manobras nos dados socializados através dos sistemas oficiais, como o Aliceweb, fragilizam toda a transparência na geração de informações, evidenciando que estamos ainda dependentes do petróleo vindo do exterior e que nossa produção esta aquém das necessidades relacionadas a política energética.

A continuidade de uma política governamental dependente da Petrobras está minguando o patrimônio de uma das maiores empresas petrolíferas do mundo, reduzindo as reservas de recursos para financiar suas operações. Tudo em troca de falta de repasse do aumento dos preços relacionados à importação e à desvalorização do real.

Janeiro demonstra naturalmente timidez nas ações comerciais, mas percebe-se que as perspectivas do governo em relação a um PIB mais consistente e uma inflação controlada poderá se tornar cada vez mais difícil. Ao empurrar para debaixo do tapete os problemas relacionados ao não atendimento das metas, o Planalto está inflando o superávit primário através de antecipações de dividendos e manipulação em vendas de títulos e jogando o problema para frente, esperando que nos meses posteriores a situação seja melhor. É uma forma de mascarar o que a realidade já vem demonstrando na vida cotidiana do cidadão brasileiro, o aumento de preços e da inflação.

O que se espera é que o governo seja transparente em suas ações para que haja contrapartida dos empresários e do cidadão que confiou seu voto, acreditando numa melhor qualidade de vida.

Reginaldo Gonçalves é coordenador do cursos de Ciências Contábeis da Faculdade Santa Marcelina.

A tragédia de Santa Maria e o poder militar

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Carlos Leite Filho

O noticiário a respeito do nefasto acontecimento na cidade de Santa Maria (RS), onde um incêndio tirou a vida de cerca de 230 pessoas e deixou, aproximadamente, mais uma centena hospitalizada consternou a população brasileira. Desde já manifesto a minha solidariedade na dor das famílias enlutadas, em especial as dos oito militares da guarnição do Exército lá sediada também vitimados.

A repercussão e o lamento têm sido grandes, no Brasil e no exterior, assim como a busca de vulnerabilidades do local a fim de identificar causas e tentar remediá-las visando à repetição da tragédia. Muitas vezes, parodiando, se ouve dizer que de nada vale para eventuais vítimas e seus familiares a porta fechada depois de arrombada, pois o essencial e indispensável é a eficácia permanente de medidas de segurança adequadas.

Isso me faz lembrar que mais triste é a dor de uma nação derrotada por um inimigo que ouse desafiar a soberania nacional. De nada servirão lamentos posteriores, entrevistas, emoções incontidas, promessas e a identificação de culpados, pois a dor e a vergonha não cessarão. Nessa hipótese, a Lei Maior brasileira dispõe competir às Forças Armadas a defesa da pátria, sendo oportuno lembrar o antigo aforismo que diz: “pode se passar um século sem haver guerra, mas não se pode passar um dia sem se estar preparado para ela”.

Da mesma maneira que não se vislumbrou a hecatombe da boate gaúcha Kiss, também a hipótese de guerra costuma ser negligenciada, embora, no mundo atual, os conflitos de interesses entre nações não sejam coisa rara e os seus governantes não se mostrem exemplos de sensatez e de equilíbrio.

Se a falta de uma saída de emergência na casa noturna fez chorar o Brasil, é de se imaginar o que aconteceria se a hipótese improvável, mas não impossível, ora cogitada se tornasse realidade e a improvisação se impusesse.

Forças Armadas, em qualquer país, são onerosas mas indispensáveis! O Brasil, como potência emergente, tem a obrigação de estar preparado para defender a sua soberania e a sua integridade territorial e para tanto necessita de um poder militar à altura de sua importância estratégica. Claudicar nessa questão relevante é indesculpável!

Que não cessem de soar as trombetas para despertar ou para encontrar governantes estadistas a fim de que os brasileiros jamais venham a chorar pela incúria dos que regem o destino do país!

José Carlos Leite Filho é General de Exército na Reserva – linsleite@supercabo.com.br

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Gurgel centra fogo em Renan Calheiros, e joga Lula para outros procuradores no Mensalão e no Rosegate

2a Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

Tudo indica que Lula será no mínimo convidado a prestar esclarecimentos sobre as denúncias feitas pelo publicitário Marcos Valério, apontando-o como o verdadeiro comandante da quadrilha do Mensalão. Ainda esta semana, o Procurador-Geral da República prometeu dar sua posição oficial sobre o caso. Sem imunidade ou foro privilegiado, Lula pode enfrentar um processo na primeira instância da Justiça Federal, embora o Supremo Tribunal Federal já tenha um procedimento investigatório número 2.474, com com 77 volumes, que tramita em segredinho judicial contra ele.

O desdobramento do Mensalão é uma preocupação apenas periférica para Lula – da qual ele aposta que continua saindo ileso. Dor de cabeça real é o Rosegate detonado pela Operação Porto Seguro. Lula teme desgaste de imagem só em ser convidado pela Procuradoria-Geral da República (algum dia quem sabe) a prestar esclarecimentos sobre suas ligações pessoais, profissionais ou de eventuais negócios com Rosemary Nóvoa Noronha – apadrinhada dele na chefia de gabinete do escritório da Presidência da República, em São Paulo. Rose também era a acompanhante oficial de viagens internacionais de Lula.

Paira uma dúvida no ar: Gurgel realmente quer atacar Lula diretamente? A resposta clara é negativa. Gurgel vai tirar o dele da reta. Jogando o caso de Lula para a primeira instância, na prática, Gurgel nada decidirá. Quem cuidará de denunciar ou não o ex-Presidente em função das recentes declarações de Marcos Valério é algum procurador que atue em varas federais, e que receberá o caso por sorteio. No caso do Rosegate, a procuradora do caso é Suzana Fairbanks. Ela - e não Gurgel - deverá convidar Lula a ser ouvido. 

Enquanto não chega a vez do companheiro $talinácio, a bola da vez é o provável futuro presidente do Senado. Roberto Gurgel classificou como "extremamente consistente" a denúncia apresentada por ele ao STF contra Renan Calheiros. Tudo foi fundamentado em relatórios de inteligência financeira e informações fiscais fornecidas pela Receita Federal. O inquérito contra Calheiros tramita em sigilo no Supremo. A situação dele só não é pior porque o relator do caso é o ministro Ricardo Lewandowski – que ainda não tem prazo para avaliar o processo.

Assim, Renan pode se eleger presidente do Senado, reforçando sua blindagem e transformando o problema em mais uma pretensa crise institucional entre os poderes republicanos. A bancada do PMDB no Senado vai se reunir nesta quinta-feira à tarde para indicar oficialmente o nome de Renan. Devem concorrer com ele os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Pedro Taques (PDT-MT). A eleição será na sexta-feira. O atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e o vice-presidente da República, Michel Temer, apoiam Renan.

A quase certa vitória de Renan Calheiros será a mais terrível derrota do senso ético, moral e de justiça necessários ao justo e perfeito ordenamento político institucional. Renan, eleito presidente do Senado e terceiro na linha de sucessão presidencial em caso de problemas, vai sacramentar a completa desmoralização da classe política brasileira – o que tira completamente a seriedade e violenta os valores democráticos no Brasil.

Bocarra



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 30 de Janeiro de 2013.

Incêndio da Boate Kiss: uma avaliação técnica

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Ramos

Esta avaliação foi feita com base nos recentes noticiários veiculados pelos jornais e TV´s, sobre o incêndio da Boate KISS em Santa Maria – RS. Já houve vários incêndios similares ao de Santa Maria, entre os quais destacam-se: incêndio numa boate de Buenos Aires ocorrido em 2004 vitimando fatalmente 192 pessoas. Incêndio num Circo em Niteroi-RJ ocorrido em 2002. Todos eles aconteceram sob condições similares em termos de falhas nas áreas de segurança e prevenção de acidentes.

Na NR1 da Lei 6514/77 – sob Disposições Gerais, em seu artigo nº 1.1 está escrito; As Normas Regulamentadoras – NR, relativas à segurança e prevenção de acidentes, são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas... Enquanto isto, o artigo 1.4 da mesma Lei determina que a Delegacia Regional do Trabalho – DRT, nos limites da sua jurisdição, é o órgão regional competente para executar as diversas atividades relacionadas com a segurança e prevenção de acidentes, inclusive a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes do Trabalho – CANPAT e a fiscalização do cumprimento dos preceitos legais e regulamentares sobre segurança e prevenção de acidentes no trabalho.

As seguintes irregularidades podem ser detectadas de imediato no incêndio da Boate KISS em Santa Maria: a) falta de portas tipo “corta fogo” com capacidade de evacuação de centenas de pessoas para fora do recinto, sob condições de emergência. b) falta de ventilação adequada. c) uso de materiais inflamáveis, com a liberação de fumaça tóxica, para a cobertura interna do recinto. d) falta de extintores de incêndio. e) falta de inspeção oficial pertinente para a obtenção do alvará de funcionamento. Essa documentação poderia ter sido pleiteada junto ao Corpo de Bombeiros ou à Delegacia Regional do Trabalho.

Na falta desses documentos a Boate KISS jamais poderia ter recebido um alvará de funcionamento. O pior foi que o alvará, concedido irregularmente, estava vencido hà mais de um ano. Neste caso os responsáveis pela Boate KISS, se enquadram no artigo 261 do Código Penal Brasileiro. Portanto, o grau de culpabilidade dos responsáveis pela Boate KISS deveria ter como embasamento legal:

1- o fornecimento irregular do alvará, sem a respectiva vistoria e aval das autoridades competentes (Corpo de Bombeiros ou DRT).

2- 2- falta de fiscalização da Prefeitura local deixando a Boate funcionar sem alvará por mais de um ano.

3- 3- falta de extintores de incêndio no recinto.

4- 4- falta de portas com capacidade suficiente para a evacuação adequada do recinto sob condições de emergência. 4- falta de inspeção na cobertura interna do recinto, que deveria ser confeccionada com material anti-chama.

Se tivesse havido atenção especial com a segurança e prevenção de acidentes, objeto da Lei 6514/77, a Boate KISS seria interditada, pelo menos até que os requisitos básicos de segurança e prevenção de acidentes estivessem plenamente de acordo com a Lei.

Várias autoridades do RS e Santa Maria já manifestaram suas opiniões a respeito dessa tragédia, que vitimou fatalmente cerca de 233 jovens, cuja maioria foram mortos por asfixia causada pela falta de ventilação adequada no recinto. Mas nenhuma delas abordou o aspecto segurança e prevenção de acidentes. Se o Corpo de Bombeiros ou a DRT tivessem sido consultadas conforme estabelece a Lei nº 6514/77, esses órgãos públicos teriam orientado os responsáveis pelo evento na Boate KISS a respeito dos equipamentos de segurança, proteção e prevenção de acidentes que deveriam estar disponibilizados no local do evento.

Obviamente, se tudo tivesse sido feito em conformidade com a lei 6514/77, nenhuma morte teria acontecido. Mas no Brasil tudo funciona na base da corrupção e, neste caso, as Leis são desrespeitadas ao bel prazer de cada um.

Paulo Ramos, Engenheiro de segurança aposentado, perito judicial para a Comarca de São José dos Campos-SP e adjacências, com abalizada experiência em avaliação de sinistros e incêndios - pauloramos74@msn.com

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Dilma prepara privataria na Eletrobrás, enquanto é alvo de ação internacional de investidores lesados

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

Na linha de se livrar de problemas energéticos que podem atrapalhar sua reeleição, a Presidenta Dilma Rousseff prepara uma das grandes privatizações de seu governo. Em acordo com os aliados do PMDB (principalmente a turma de José Sarney e Edson Lobão), Dilma vai criar uma holding para juntar as distribuidoras de energia das regiões Norte-Nordeste, preparando-as para a privataria petralha.

Claro, os petralhas e os parceiros políticos regionais, certamente através de “laranjas”, vão comprar as empresas que hoje levam fama de mal geridas e deficitárias. Usarão aquele rico dinheirinho público desviado nos habituais esquemas mensaleiros. Um negoção em tempos de carência de energia. Têm a desculpa de “reduzir custos” os futuros negócios de alienação de pelo menos 51% das ações de seis distribuidoras: Amazonas Energia, Eletrobras Acre, Rondônia, Roraima, Piauí e Alagoas.

Privatarias à parte, Dilma tem na Eletrobrás uma fonte de desgaste só comparável com a Petrobrás. Investidores internacionais e nacionais das duas “estatais” de economia mista vêm acumulando prejuízos com baixos dividendos e queda do valor das ações na bolsa de valores. Tais interesses contrariados são as grandes fontes ocultas de ações de espionagem e denúncias – a maioria absolutamente procedentes – contra o governo e o principal chefe petista Luiz Inácio Lula da Silva.

No caso da Eletrobrás, tudo se agravou com os desmandos cometidos pelo governo na 160ª Assembleia Geral da empresa, no final do ano passado. Investidores preparam ações judiciais contra o que chamam de “abuso de poder de controle sem precedentes, que se materializa na tentativa de confiscar e expropriar o patrimônio da companhia e dos acionistas”. Os acionistas foram prejudicados com a redução das reservas da empresa – o que provocou “um esvaziamento absoluto dos dividendos estatutários a que tinham direito assegurado”.

Os maiores prejudicados foram os portadores de ações do tipo PNB. Por estatuto, eles sempre tiveram direito a dividendo mínimo obrigatório no valor de 6% sobre o capital próprio da Eletrobrás. Esvaziando o patrimônio, as reservas e o faturamento anual da companhia,em uma assembleia geral sem quórum qualificado, o governo Dilma atropelou a Lei.

Agora, a Presidenta em campanha reeleitoral faz a demagogia com a promessa de redução na conta de luz, contraditoriamente quando o custo da energia aumenta com o uso das termelétricas (hoje responsáveis por 25% da geração). A Eletrobrás perdeu 70% de sua receita com a renovação dos contratos de concessão com base na medida provisória (MP) 579 aprovada goela abaixo dos investidores na 160ª assembleia.

A previsão de desgaste para Dilma é evidente: a delinquência contra a Eletrobras e os seus acionistas foi consumada e sancionada por Dilma Rousseff. Já que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), apesar de acionada pelos lesados, nada fez até agora, o caso tem tudo para parar no órgão que fiscaliza o mercado de ações nos Estados Unidos. Como os papéis da Eletrobrás são negociados na Bolsa de Nova York, e a empresa tem elevada participação de capital estrangeiro, a SEC (Security and Exchange Comission) pode causar sérios problemas para atos ilegais do desgoverno brasileiro.

Qualquer medida dos lesados só deve acontecer depois de 28 de fevereiro, prazo máximo para a Eletrobrás publicar seu Balanço de 2012. O grande perigo para os investidores é que o governo faça na Eletrobrás o mesmo que fez com a conta final do superávit primário: uma grande maquiagem nas demonstrações financeiras, para tentar produzir contabilmente o milagre de que não lesou ninguém. Se isto ocorrer, a vingança dos lesados pode custar caríssima para a véspera de campanha reeleitoral de Dilma.

Tampinha cara

George Vidor, em O Globo, revela que o governo foi obrigado a gastar US$ 27 milhões na troca da tampa do reator da Usina Nuclear Angra 1.

O elevado valor corresponde ao fornecimento da nova peça e à retirada da antiga (junto com sua armazenagem em depósito protegido por ter sido exposta a alta radiotividade).

A tampinha velha, pesando 40 toneladas, sofreu corrosão em sua liga metálica.

Detalhe: Angra 1 está parada nestes tempos de falta de energia...

Leia, no Fique Alerta, o artigo de Heitor Scalambrini Costa: Energia para poluir

Efeito Rosemary?

Dilma começa a limpar sua área para se descolar totalmente do Rosegate.

A presidente pilotou a troca na presidência da Brasilprev – o poderoso braço de previdência complementar do Banco do Brasil – tirando de lá Ricardo Flores, que era amigo pessoal de Rosemary Nóvoa Noronha – a famosa melhor amiga e apadrinhada de Lula, apanhada pela Operação Porto Seguro.

Como de costume, Flores alegou que deixou o cargo por razões pessoais e familiares...

Antigo Alvo

Dilma não topava muito com Flores – que era um dos homens mais fortes do esquema sindical petista na área dos bancários.

Foi Dilma quem o demitiu da presidência do poderoso Previ – o fundo de previdência dos empregados do Banco do Brasil, que é um dos mais poderosos braços investidores do capimunismo tupiniquim.

O novo presidente da Brasilprev é Miguel Cícero de Terra Lima, que há três anos ocupava a direção de marketing da empresa que é uma associação do Banco do Brasil (74,9%) com o grupo norte-americano Principal (25,1%).

Dilmo da Maçonaria?

O luta pelo cargo de Grão-Mestre Geral do Grande Oriente do Brasil promete botar fogo na Maçonaria.

O senador Mozarildo Cavalcanti pediu até licença de seu cargo no Senado para jogar pesado na campanha.

O advogado-sindical Benedito Balouck Filho já soltou seus santinhos de campanha e espera vencer com os votos de lojas do Estado de São Paulo.

Mas o atual Grão-Mestre Geral, Marcos José da Silva, rompido com a turma do Balouck e com medo do crescimento de Mozarildo, pode entrar na disputa pela reeleição, aproveitando a resistência de muitas lojas maçônicas paulistas a Balouck e com apoio forte dos maçons do Rio de Janeiro e adjacências...

Maçonaria política

A Augusta e Respeitável Loja Maçônica Brasil 683 promoverá no próximo dia 6 de fevereiro, a partir das 20h, no templo nobre da Grande Loja Maçônica do Estado de São Paulo, um mega-encontro político.

Com a presença confirmada do Grão-Mestre Francisco Gomes da Silva, e dirigentes e membros de dezenas de lojas maçônicas, acontecerá um conclave sobre o tema: “Brasil, maçons e conjuntura nacional”.

A intenção dos maçons de São Paulo é lançar um trabalho para a formulação de um projeto nacional para o Brasil.

Monitoramento



Raínha argentina

A Presidanta Cristina Kirchner deve estar morrendo de inveja porque uma bela argentina vai se tornar raínha da Holanda.

Máxima Zorreguieta, casada com o futuro rei da Holanda, Williem Alexander, é filha do general e ex-presidente argentino Jorge Videla (que cumpre pena de prisão perpétua por causa da anulação da Lei de Anistia de lá).

Alexander se deu bem porque a raínha Beatrix, após 33 no trono, resolveu abdicar em favor do filho mais velho, que assume em 30 de abril.

O que também deve ter deixado morrendo de inveja os herdeiros do trono britânico, já que a Raínha Elisabeth II, aos 86 anos, não dá o menor sinal de que possa largar o trono em favor do Principe Charles ou um dos filhos dele.

O Maduro chicoxavier da Venezuela



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 29 de Janeiro de 2013.

Operações Ágata, a gendarmerização em marcha

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Ricardo da Rocha Paiva

Todos se lembram, 1989, “Consenso de Washington”, o conjunto de regras neoliberais de grande abrangência que motivou os EUA a idealizarem, é de pasmar, uma novel forma de emprego das forças armadas sul-americanas na repressão direta ao narcotráfico, considerado por “Tio Sam” como uma das novas ameaças à tão invocada “comunidade internacional”.

O certo é que desde 2009/2010, várias operações de nome “ÁGATA” foram desencadeadas, todas com grande alarde pelo governo, preocupadíssimo em emprestar um caráter militar para tarefas que, em verdade, constituíram, sim, tão somente, grandes batidas policiais.

Nada contra o emprego das Instituições Militares do País neste mistér policialesco, na medida em que, governo e nação, sabem muito bem em quem podem confiar e que missão dada, para o soldado brasileiro, desde que os meios sejam compatíveis, é missão cumprida.

De qualquer maneira, o cidadão deve ponderar conscientemente as impropriedades deste tipo de emprego dos profissionais das armas: as ações (patrulhamento nas calhas dos rios e estradas, bloqueios fluviais e rodoviários e revistas de embarcações e veículos) são vivenciadas numa situação em que a finalidade geral é evitar a ocorrência de delitos transfronteiriços (tráfico de armas, de drogas, de pessoas e crimes ambientais).

O que tem isso a ver com: o adestramento da tropa na estratégia de resistência, a preparação para a defesa da Pátria? Os grandes predadores militares, sempre de olho nas amazônias verde e azul, por um acaso, integram quadrilhas do crime organizado internacional?

Foi criada uma Força Nacional de Segurança (FNS) para que? Que estrutura afinal é esta? Tem-se notícia de que existem dois batalhões na corporação, um em Goiás e outro no Rio de Janeiro. Na realidade o que isto representa em termos de aumento de eficiência/eficácia na segurança pública?

Em verdade, seus efetivos, se não lhe forem dados os meios para cumprimento a contento de sua missão, que se entende correspondente à da antiga Guarda Nacional Imperial, a presença/existência deles seria, como se diz na gíria, apenas para inglês ver. O governo se engana pensando que este reforço pífio, às PM estaduais, vai dirimir os impasses na segurança pública. O que são duas unidades valor batalhão para o reforço da Força Pública de São Paulo, da PM/RJ ou da Brigada Militar/RS? O pior cego é aquele que não quer ver: seria apenas como colocar mais lenha no fogo, sem nenhum resultado prático.

Operações Ágata! Em verdade, a FNS, sim, deveria encabeçá-las, todas, por estranhíssima coincidência, com seus objetivos engrazados às diretrizes que serviram de base à estrutura do plano de combate ao tráfico internacional de drogas visualizado pelos EUA, tais como: emprego das forças armadas dos países de origem ou atravessados pelas drogas destinadas à Europa e aos EUA (Colômbia, Equador, Peru e Bolívia) e também dos demais da região, incluindo Venezuela e Brasil (de maior faixa de fronteira e com maior extensão da floresta tropical); desejo do envolvimento militar na repressão ao plantio/produção/refino, por entender que o problema extrapolou o nível meramente policial, constituindo assunto de Estado e exigindo a participação direta de suas forças nacionais. São uns pilantras!

Ah! Mas custa caro estruturar uma tropa federal capaz de liberar as Forças Armadas para o adestramento específico em sua missão constitucional! Ministro Celso Amorim, se a 6ª potência econômica não é capaz de financiar a segurança pública, que dirá sua defesa!

Aliás, com certeza, oficiais-generais não gostam de dar uma de “Pancho Villa” das fronteiras como seus correspondentes mexicanos.

Paulo Ricardo da Rocha Paiva é Coronel de Infantaria e Estado- Maior.

Como a política indigenista desintegra a Pátria brasileira

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Manoel Soriano Neto

Orlando Villas Boas, o saudoso e maior sertanista brasileiro depois do Marechal Rondon, foi um acendrado patriota, por duas vezes indicado para o Prêmio Nobel da Paz. No ano de 2002, antes de sua morte, ele nos legou uma mui preocupante profecia, quando de uma entrevista a uma emissora de televisão, cuja íntegra vem circulando na internet, de maneira recorrente. Dizia aquele notável patrício, que as maiores jazidas de urânio do País, a par de outros minerais estratégicos, se encontram em Roraima, na Reserva Ianomâmi.

Assinalou que há lideranças ianomâmis em nações hegemônicas, sendo preparadas para a criação de “um País independente” na descomunal reserva, absurdamente demarcada em área contínua, em faixa de fronteira (!) e contígua à outra, também gigantesca, existente na Venezuela.

Orlando Villas Boas não viveu o suficiente para testificar a sua profecia que começou a se concretizar, após a deletéria criação de mais uma colossal reserva, igualmente em faixa de fronteira, no novel e pobre estado de Roraima - a Reserva Raposa Serra do Sol -, cujo julgamento pelo STF, acerca de sua demarcação em área contínua, nos foi assaz pernicioso e vem causando enorme inquietação aos brasileiros deveras patriotas, eis que, indubitavelmente, restou vulnerada a Soberania Nacional.

Sim, pois o desejo de criação de “nações indígenas” já era um fato concebido e recentemente denunciado em relatório da ABIN, como nos deram conta renomados jornalistas, porém escamoteado de toda a nação, pelo Governo (que não desmentiu as denúncias!!!), sendo certo que até bandeira própria já foi exibida na dita reserva, pelos índios manipulados de dentro e de fora do Brasil. Assim, estão lançadas as sementes do separatismo em nossa Amazônia, máxime após o Brasil ter assinado, em 2007, na ONU, a entreguista e vexatória Declaração Universal dos Direitos dos Povos Indígenas.

Diga-se mais que a soberania do estado de Roraima (como a de outros que possuem “Terras Indígenas”) é praticamente nula nas precitadas terras, em face do Decreto Presidencial n° 4412/2003 que nelas autoriza a presença das Forças Armadas e da Polícia Federal, com o respectivo “poder de polícia” que lhes é inerente, mas não das Polícias estaduais (Civil e Militar), como se áreas indígenas fossem enclaves em territórios de Unidades da Federação, cerceando-se, de forma abusiva, um constitucional e legítimo poder/dever - o múnus do exercício da segurança pública -, de entes federativos da União.

Os termos do Decreto vêm sendo iterativamente verberados pelo Secretário de Segurança Pública de Roraima, General Eliezer Monteiro, e necessitam ser urgentemente corrigidos. Destarte, conclamações cívicas contra o fracionamento e a cobiça internacional sobre a região amazônica, que vêm sendo apregoadas por entidades e grupos patrióticos como a Liga da Defesa Nacional (os seus últimos motes foram: “A Amazônia é Nossa!”; “Amazônia: Ocupação, Defesa e Guarda!” e “Amazônia: Patrimônio do Povo Brasileiro!”) devem se multiplicar, SIM, com desassombro e o mais amplamente possível, por este País afora!

Pretendemos, a partir deste trabalho, escrever uma série de artigos que versarão sobre a problemática indígena brasileira. Registre-se, preliminarmente, que a Assembleia-Geral das Nações Unidas, por força da Resolução n° 49/214, de 23 de dezembro de 1994, instituiu o “Dia Internacional das Populações Indígenas”, a ser celebrado no dia 9 de agosto de cada ano, em homenagem aos mais de 370 milhões de índios, espalhado por quase 70 países. Diz a Resolução que “a data é um marco no reconhecimento da luta indígena contra a discriminação e a violação dos direitos humanos”. A partir daí, houve um progressivo e agressivo exacerbamento mundial da chamada “causa ou questão indígena”, um dos “movimentos sociais” de maior vulto e perigo em nosso amado Brasil.

Manoel Soriano Neto, Historiador militar, é Coronel de Infantaria e Estado-Maior. Comandou o 16º Batalhão de Infantaria Motorizado-Batalhão Ytapyrú - e chefiou a Seção de História Militar e Geografia da AMAN.

Nós e Eles

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Salvatore D' Onofrio

Uma das reportagens da revista Veja, de 30/01/2013, comenta um discurso da nossa presidente Dilma, feito em rede nacional de TV, onde, em tom de propaganda eleitoral antecipada, compara os pressupostos avanços econômicos e sociais de seu governo com relação aos anteriores. Ao dizer “Nós”, ela se refere aos governos petistas, enquanto “Eles” seriam os políticos do PSDB e de outros partidos da atual oposição. De uma forma maniqueísta, ela opõe os bons aos maus, os anjos aos demônios. Textualmente: “Nesse novo Brasil, aquele que são sempre do contra estão ficando para trás”.

Mas que Brasil ”novo” é esse que não conheço? Quem continua governando nosso país são as raposas de sempre, que vivem disputando cargos públicos para se enriquecerem. Por acaso, Sarney, Collor, Maluf, Renan, Temer e caterva é gente nova na política nacional? São eles que continuam dando sustentabilidade aos governos petistas de Lula e Dilma, em troca de favores, aumentando o nível da corrupção e da impunidade! O premiado escritor português José Saramago se pergunta: “O que foi que eu fiz, se nada mudou?...O amanhã não existe se não mudarmos o hoje!” E outro poeta lusitano, mais antigo mas não menos profundo, Fernando Pessoa, já dizia: “É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”.

Na briga entre “Nós” e “Eles” quem acaba sofrendo é o povo que realmente trabalha, produzindo a riqueza nacional que, infelizmente, não é distribuída conforme o mérito de cada um, privilegiando-se a caridade pública para fins eleitoreiros, em prejuízo da justiça social. O princípio da igualdade de direitos e de deveres de todos os cidadãos perante a lei, consagrado na nossa Constituição de 1988, vem sendo constantemente conspurcado por normas jurídicas que permitem a prática de injustiças intoleráveis num sistema de governo considerado democrático. Está na hora de a sociedade civil tomar providências para propor uma reforma institucional, visando diminuir o poder da classe política no nosso país!

Salvatore D' Onofrio, Dr. pela USP e Professor Titular pela UNESP, é autor do Dicionário de Cultura Básica (Publit), Literatura Ocidental e Forma e Sentido do Texto Literário (Ática), Pensar é preciso e Pesquisando (Editorama) - www.salvatoredonofrio.com.br  

O Burro e o Deputado

Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Luciano Carneiro

O deputado e o burro
Tão num impasse danado
Vão findar trocando murro
O burro e o deputado
O burro quer trabaiá
O dotô num qué deixá
Diz que a carroça é pesada
Porém o burro enfezado
Diz que não é deputado
Pra ganhar sem fazê nada.

O burro inda diz assim
Eu trabaio pro meu patrão
Mais ele mim dá capim
Mim dá remédio e ração
Dá água bãe e vacina
E só me aprica disciprina
Quando invento bestêra
E você, seu deputado
Ee fosse disciprinado
Agia douta manêra.

Burro, cavalo e jumento
Tem mais é que bataiá
Se for no seu argumento
De vivê sem trabaiá
De disprezá o seu dono
Lhe deixá no abandono
Eles vai tranca o roçado
Tem razão, que a roça é sua
E joga nóis no mei da rua
Pra morrê atropelado

E será se essa tá
De proteção dos animais
Tem roçado, tem quintá
Cum água e cum capinzais?
Pra nóis vivê só cumeno
Bebeno água e correno
Tudo gordo e bem zelado
Viveno uma vida incrive
Iguá a que o senhô vive
Na câmara dos deputado?

Será que os dono da gente
Tem a merma opinião?
Que tem o seu presidente
O chefe dessa nação
Que cobra imposto danado
Do pobre lá do roçado
Do piqueno comerciante
Pra todo finá de mês
Pagá um montão pra vocês
Só pruquê são importante?

Eu num reparo o sinhô
Sê dotô, seu deputado
Esquecê seus inleitô
Que veve disagregado
Ou trabaiano na roça
Ou mermo nu’a carroça
Cuma meu patrãozim faiz
Tentano sobrevivê
Mas deixe de meter
Na vida dos animais.

Vá criá projeto novo
Vá cuidá doutos assunto
Fazê morada pro povo
Vá douto, fazê conjunto
Vá ajeitar as estrada
Que tão tudo esburacada
Dão má pra gente passá
Ou então fique parado
Ganhano seu ordenado
Mais deixe nóis trabaiá.

Parece que o sinhô
É mais burro do que eu
Que diabo é isso douto
O que foi que aconteceu?
E o pobe do deputado
Oiô pro burro ispantado
Sem tê o que respondê.
Findô falano pro burro:
- Se você me dé um murro
Eu dô um coice in você.

Luciano Carneiro é Poeta cordelista.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Dilma enquadra Mantega, Tombini e Gerdau e assume responsabilidade total pela gestão da economia

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

Mesmo ainda sem mini-reforma ministerial, prevista para depois do carnaval, desde o final de dezembro o Brasil já tem sua mais forte “ministra da Economia”. O nome dela é Dilma Rousseff. Guido Mantega apita mais nada. Apenas cumpre tabela como Ministro da Fazenda. Não saiu (como chegou a pedir) e nem foi tirado para evitar turbulências no mercado. O silêncio dele, imposto por Dilma, é sintomático.

Quem manda, de fato, na gestão econômica do governo é Dilma, e ninguém mais. Nem o godfather Lula (padrinho de Mantega) apita mais. Inclusive, esta é uma das principais causas de atritos, nos bastidores, entre a criatura e seu criador. Dilma se lançou candidata à reeleição por dois motivos. Porque confia no próprio taco e porque deseja se descolar, gradualmente, de Lula, e, rapidamente, do PT (principalmente da banda petralha mensaleira que nunca a digeriu).

Não foi Mantega o único enquadrado por Dilma. O presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini, também recebeu ordens expressas de não se pronunciar publicamente sem autorização da chefona do Palácio do Planalto. Um assunto proibido para Tombini é qualquer comentário sobre aumento dos combustíveis. Dilma odiou que o Comitê de Política Monetária do BC do B, presidido por Tombini, tenha feito a inédita previsão de um percentual para o reajuste dos combustíveis.

Dilma já avisou que o tema-tabu será decidido, na hora mais conveniente, por ela e a “presidenta” da Petrobrás, sua amiga e afilhada Maria das Graças Foster. Provavemente, a decisão só sai depois do carnaval, ou quando Dilma tiver certeza de que qualquer aumento não terá impacto tão grande no índice de inflação – em preocupante crescimento percentual.

Outro censurado por Dilma foi o empresário Jorge Gerdau Johannpeter, que acumula a presidência do Conselho de Administração do poderoso Grupo Gerdau, juntamente com a Coordenação da Câmara de Gestão e Planejamento do Governo Federal. Não é à toa que, em rodinhas fechadas de amigos e parceiros de negócios, Gerdau esteja falando mal de Dilma. A Presidenta é criticada por seu “centralismo” e “autoritarismo”.

Dilma não liga para tais críticas. Além de assumir pessoalmente o controle da gestão econômica, resolveu fazer política. É para tratar de rumos da economia e de sua reeleição que ela vem promovendo reuniões reservadas, em separado, com grandes empresários. Dilma também pretende assumir o comando da pauta política – já sabendo que tudo vai ficar muito tumultuado e difuso com a provável eleição de Renan Calheiros (para a presidência do Senado) e de Henrique Alves (para o comando da Câmara dos Deputados).

Dilma agora vai adotar o estilo de seu velho inspirador, o falecido Leonel de Moura Brizola. A tática brizolista de Dilma consiste em assumir a ponta de todos os acontecimentos – favoráveis ou desfavoráveis. Uma demonstração disso foi a decisão de voltar imediatamente da reunião de cúpula no Chile para a cidade gaúcha de Santa Maria, onde mais de 230 pessoas morreram no incêndio da danceteria Kiss. O comportamento direto, ofensivo e pragmático de Dilma – já agindo como candidata ao próprio cargo – já incomoda Lula e a petralhada.

Poste é coisa do passado. Dilma pretende seguir a teoria brizolista de que precisa ter “luz própria” e ter a “força do povo” para ser a principal responsável pela reeleição - complicada por uma previsível conjuntura de recessão econômica, porém facilitada pela falta de uma candidatura de oposição com peso suficiente para derrotar a máquina PMDB-PT. Dilma só teme a sabotagem petralha, mas se diz pronta para o embate interno no partido. O resto ela pretende tomar a frente, principalmente da problemática economia, para e atingir seu objetivo de poder.

Imensos desgastes políticos - com o mensalão, Rosegate, Renangate ou Henriquinhogate – só lhe favorecem na estratégia de centralização de decisões. Mas Dilma também terá de se blindar contra problemas oriundos ou “parceiros” de sua “gestão centralizadora”, como no setor energético, seja por risco de apagão, problemas de caixa nas distribuidoras e crise de gestão na Eletrobrás. Dilma gerencia o setor elétrico desde que Lula sssumiu a Presidência da República, em 2003. Fica impossível distanciá-la das causas geradoras de problemas, mesmo jogando a culpa na turma do PMDB: José Sarney, Eduardo Cunha e outros menos votados que dominaram o setor.

A principal preocupação de Dilma é com a Petrobrás. A estatal de economia mista é diretamente comandada por alguém de sua absoluta confiança, mas que enfrenta problemas herdados da complicada gestão de José Sérgio Gabrielli – apadrinhado de Lula. Dilma foi presidente do Conselho de Administração da empresa – cargo agora ocupado pelo Mantega em processo de derretimento político. Dilma sabe que terá de operar o milagre de reverter a situação de uma companhia que hoje gasta mais do que fatura – o que gera prejuízos, provocando a ira de grandes investidores internacionais (que promovem e financiam espionagens, denuncismos e desgaste contra o governo, aqui e lá fora).

Por tudo isso, parafraseando o slogan publicitário da Petrobrás, o desafio da reeleição de Dilma vai depender da energia política dela para encarar de frente problemas de complicadíssima solução política e econômica. Se sobreviver aos desgastes (a guerra invisível promovida por investidores estrangeiros e a sabotagem interna da petralhada que aparelha a República Sindicalista em parceria com o bando do PMDB), Dilma tem chance de se reeleger em 2014 – principalmente por falta de uma oposição consistente.

Hermanos não perdoam

Os argentinos, PTs da vida com a presidente deles, aproveitam até a tragédia de Santa Maria para desgastá-la.

O quadrinho (abaixo) – solto nas redes sociais na tarde de domingo - traça uma comparação entre a atitude de Dilma Rousseff e de Cristina Kirchner diante de acontecimentos trágicos.



Medinho

O companheiro Lula teve encontros recentes, em sua residência em São Bernardo do Campo, com o ex-ministro das Minas e Energia, Silas Rondeau, e com o empreiteiro baiano Zuleido Veras, dono da Gautama.

Rondeau e Zuleido estão no meio do furacão de denúncias que afetam as candidaturas legislativas de Renan Calheiros e Henrique Alves.

Pode sobrar para Luiz Inácio Lula da Silva a guerra de dossiês para minar os dois políticos, fritando junto José Sarney e seus aliados mais próximos.

Aposta

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, tem tudo para sofrer mais um desgaste de sua imagem, comprometendo também o tão violentado senso de Justiça no Brasil.

Lewandowski tende a não acatar as denúncias feitas pelo procurador Geral da República, Roberto Gurgel contra o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) nas 5.600 folhas do inquérito 2593.

Nos bastidores, Lewandowski já teria comentado que não veria provas suficientes para Renan ser denunciado no caso das notas frias de venda de bois alagoanos para supostamente pagar a pensão alimentícia do filho que o senador teve com a jornalista Mônica Veloso.

Oscar


Indagação funesta

Até quando o descaso vai assassinar tanta gente no Brasil?
Não bastam os pêsames a quem perdeu seus entes queridos na tragédia de Santa Maria.

Precisamos tomar vergonha na cara, como cidadãos e não como massa ignara, para dar um basta a tantos desmandos, incompetências e ingerências corruptas que são as verdadeiras causas de desgraças que afligem o Brasil e matam tantos brasileiros, diariamente.

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 28 de Janeiro de 2013.

Nasci no lugar errado

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Humberto de Luna Freire Filho

Nem o mais otimista dos brasileiros espera algo ético e moral no país a curto e a médio prazos. Afinal estamos às vésperas de um Senado, há muito já desmoralizado, eleger para presidente da Casa Renan Calheiros, substituindo o incomum, José Sarney.

Segundo o vice-presidente da República, ele, em sendo eleito, fará uma "belíssima gestão" .É verdade, vamos dar a César o que é de César; a primeira gestão do nobre foi tão bela que ele se viu obrigado a sair temporariamente de cena, pela porta dos fundos.

A Câmara vai no mesmo caminho e deverá eleger um outro ficha-suja para Presidente. Será que o mau caratismo, a pouca vergonha, a habilidade para roubar o erário, o desprezo pela ética e pela moral são condições sine qua non para o preenchimento desses cargos? Não conseguiríamos coisas melhores em nosso meio político?

Já temos há dois anos uma presidente da República eleita com pelo menos 30 milhões de votos comprados, camuflados em falsos programas de inclusão social, e com um currículo cujo conteúdo não vai além de ex guerrilheira e assaltante de bancos. E , como se não bastasse, hoje não passa de pau mandado de um ex metalúrgico, semi analfabeto, eleito presidente por analfabetos mal informados e que durante oito anos, não governou o país, apenas o desmoralizou, chefiando várias quadrilhas de assaltantes dos cofres públicos. Vale salientar que uma das facções comandada por ele acaba de ser condenada pela mais alta corte do país.

Confesso que pretendia ter nascido e estar vivendo em um país sério. Dispenso carnaval, futebol e novelas e, sem falsa modéstia, afirmo que estou acima de tudo isso, não penso rasteiro, nem sou beneficiário do sistema.

Humberto de Luna Freire Filho é Médico.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Dilma and the Red Star lost into darkness

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net  
Por Jorge Serrãoserrao@alertatotal.net

Dilma and the Red Star Lula lost into darkness”. Seria o título perfeito, em inglês, para um documentário sobre o Brasil de hoje até outubro de 2014. A estrela vermelha do PT e a companheira Dilma já começam a se perder nas trevas, com apagão energético, retorno da inflação, sinais de recessão, risco alto de desemprego, dificuldades para exportação, aumento da inadimplência e endividamento das famílias e dos governos.

O roteiro fica ainda mais apavorante graças ao buraco negro político que pode gerar um vácuo institucional. A confusão econômica prevista pioraria com os desdobramentos imprevisiveis dos escândalos do Mensalão (com a prisão de alguns condenados) e do Rosegate (uma caixinha de esgoto aberta pela Operação Porto Seguro, da Polícia Federal). São tsunamis de sujeira que atingirão em cheio o mito em decadência Luiz Inácio Lula da Silva – aquele que finge nunca saber de nada que o afeta.

Um filme de tamanho terror como “Dilma e a estrela vermelha Lula perdida nas trevas” teria de ser roteirizado pelo diretor da famosa série Lost (Perdidos). O criativo Jeffrey Jacob Abrams deveria ser especialmente contratado a peso de diamantes angolanos pelo marketeiro baiano João Santana. O mestre do cinema hollywoodiano produziria os melhores efeitos especiais necessários à equipe econômica de Dilma Rousseff para conseguir emplacá-la como candidata com chances de reeleição.

JJ é perfeito porque vai dirigir “Star Trek into Darkness” e o próximo filme da franquia "Star wars" – dois ícones da ficção científica. Como ele vai trabalhar na LucasFilm – que pertence ao conglomerado Disney – teria facilidades na eventual parceria cultural com o governo brasileiro. J. J. Abrams poderá convocar como colaboradores do nosso filme alguns famosos astros da Disneylandia – como o Pateta e os Irmãos Metralha -, caso não queira usar os personagens reais daqui. E, na contrapartida, se precisar de um Dart Vader, pode importar o Sarney. O ator Dirceu também daria show. Mas deverá estar preso a outros compromissos...

Indo do irônico mundo da fantasia ao Real em desespero, a coisa promete ficar ainda mais obscura para nossa economia – o que pode afetar, negativamente, a campanha de Dilma. Consultores econômicos e políticos já trabalham com uma previsão terrível para outubro de 2014, quando acontece o primeiro turno da eleição presidencial. O Brasil tem tudo para estar mergulhado nas trevas da recessão e quase à beira de uma ruptura institucional – agravada por muita incompetência e corrupção.

Assim, a jornada eleitoral de Dilma e do PT deve ser nada estrelada. A suprema lógica racional do Sr Spock e muito menos a ousadia empírica do Capitão Kirk poderiam salvar a candidatura dela, se a situação empretejar. Dilma pode ir para o espaço – literalmente – se o pirão econômico continuar desandando.Hoje, teoricamente, Dilma ainda tem boas chances de vitória pela absoluta falta de oposição. Mas se a crise se agravar, ela dança. Este é o cenário previsto hoje por consultores políticos, economistas independentes e muitos empresários, e que os petistas rezarão para mudar, com seu fanatismo fantástico.

Sabe por que Dilma já se lançou, tão cedo, candidata à reeleição? A razão é bem simples. Se não fizer agora, enquanto o caldo ainda não entornou totalmente, não terá condições de fazer depois. A marketagem com a conta de luz é patética. Pior é que os tucanos ainda dão corda para ela. É a falta oposição que a situação adora. E os petralhas e petistas fanáticos ainda falam mal das avis raras do PSDB...

Na linha de defensora do povo (endividado), Dilma deve promover novas pancadas contra os bancos – que não liberam mais crédito e abaixam seus juros para alegrar a pobrada e a classe mérdia em processo gradual de desilusão com o PT. Mas o Império dos “vilões” deve contra-atacar. Os banqueiros já sabem que vão apanhar, e podem investir em candidaturas de oposição – se por acaso elas aparecerem, com viabilidade...

Dilma também tentará se descolar da banda pobre do partido – para não ser confundida com os companheiros petralhas. Tal missão quase impossível vai render brigas e traições homéricas na antevéspera eleitoreira. Esta parte renderia até um bom filme policial. Aí seria o caso de chamar outro especialista: Quentin Tarantino. Pena que os filmes dele sejam mais delicados que os brutais assassinatos de Celso Daniel e Toninho – os cadáveres politicamente insepultos do PT...

O triste de tudo é que o Brasil é um País em esclerose múltipla. Instituições e personagens políticos obsoletos. Tudo parece anacrônico, porém mais apegado que nunca aos esquemas arcaicos de gestão, ideologia e poder. Tudo envelhecido da pior e mais errada maneira. Eis por que compomos o cenário perfeito para um filme melancólico, de preferência bancado pelo desvio de verbas públicas, para ver se fica mais fácil roubar um Oscar...

Pena que JJ não vai topar o nosso desafio cinematográfico... Na falta dele, só resta contratar um tal de Mesquita para roteirista. Afinal, no ar, ele é um dos que sabe tudo sobre o filho do Brasil e suas histórias não contadas sobre a Rosemary – que pediu à Justiça, em sigilo, proteção especial, porque "se sente ameaçada de morte por saber demais". Deve ser por isto que ela é tão ligada a Lula, um legítimo apedeuta, que sempre finge de nada saber, quando convém. Os opostos realmente se atraem... Veja aqui o furo do Alerta Total de ontem. E se for verdade que os verdadeiros amigos nunca se traem, dificilmente o Mesquita vai trair o amigo de copo a quem tanto bem serviu... Então, deixa tudo para lá! Dane-se o avião!

As inconfidências do Mesquita dariam argumento para um novo filme da série “Brasileirinhas”... Só que o mestre J. J. Abrams não toparia tal parada pornográfica. O máximo que toleraria é a continuação de um romance proibido entre um vulcano e uma negra em Jornadas nas Estrelas. E sorte do diretor é que o Spock não é Presidente e nem a melhor amiga Uhura trabalha como super-assessora em viagens interestelares, até onde ninguém jamais esteve...

Tchau, J. J. Abrams, porque a histórinha daqui tende a ficar censurada por segredinhos de injustiça, sempre para proteger o herói de mentira!



Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Edição do Blog Alerta Total de 27 de Janeiro de 2013.

Brasil na Máquina do Tempo

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Alberto Mendes Júnior

O Brasil já é comunista e não sabe. Quando acabar a "grana" dos cofres públicos será tarde demais para todos. Enfim. se cumpre a vontade das Monarquias Europeias, que na realidade tomam as decisões de tudo que ocorre aqui "na pocilga".

Somos mantidos como mera colônia de exploração controlada segundo suas demandas e visão de futuro onde enxergam nosso continente como um plano B em uma eventual conflagração no norte ou em um um episódio natural que os imponha uma mudança temporária, até que as coisas "esfriem lá prá cima".

Logicamente tudo isto ocorre porque deixamos que assim se conduzam os fatos. Trabalhei em dois países asiáticos. Muita coisa vi por lá e todas elas são parecidas com o futuro que se delineia por aqui. A Soberania Nacional foi jogada fora e isto nos quebrará a espinha para reverenciar o rei que mora além mar. Com base nessa vivência, escrevi uma estorinha de ficção científica, que passo em primeira mão:

Cap I

20:37, 27/12/2012

Saí esta manhã e fui dar lá nas bandas de Tatuí , passando defronte a um ferro velho. Deslumbrei uma sucata que se entrevia no meio daquele amontoado fractal.

Perguntado o proprietário do local, disse-me ele, em tom jocoso: é uma máquina do tempo.

Interessei-me instantaneamente. Era tal qual a máquina descrita no volume I da obra “ Operação Cavalo de Tróia” de J.J. Benítez.

De pronto negociei o equipamento, e já de pronto providenciei sua remoção.

Ligada à rede elétrica providencialmente instalada no sótão, dei a partida e....

Cap II

Manhã chuvosa, fora do comum para final de abril.

Estou agora aqui no Ibirapuera, SP. Passo por uma banca de jornal desconfiado com as vestimentas das pessoas, e noto a manchete:

“Leônidas detido, junta militar assume Governo “.

Cáspita, o que é isso? Estava eu, então, em 27 Abril de 1985.

Cap III

A máquina permanecia estacionada, em sua condição de invisibilidade, no Monumento do Bandeirante. Já estou em 1987. A Junta convocou eleições indiretas, onde foi eleito o Gen. Silvio Frota que permanecerá até 1990. A coisa pegou legal para a esquerda 12 anos.

O País mudou. Mudou-se a Doutrina. Agora as escolas já ensinam o que é gramcismo. A matéria “Moral e Cívica” tomou novo rumo. Tudo se explica, de forma planejada, os últimos 40 anos.

Todas as polícias estaduais foram reestruturadas. Os que cometeram , “por conta própria” atos em nome do Estado, foram julgados pelo CPM, e já eram.

Já circulam pelas ruas os primeiros veículos com motores desenvolvidos para consumo do etanol. Fazem quase 40km por litro. São produzidos em unidades situadas em alguns Estados pela Fábrica Nacional de Automotores. A EMBRAER decolou seu caça de 4º geração...

CAP IV

Novo salto temporal avante. É 92. Há um murmurinho pelas ruas e bares. O recém eleito Presidente, primeiro civil desde 64, compôs seu Governo.

Neste seu segundo ano de trabalho já lançou o novo plano estratégico que atinge metas até 2020, veja só. Já contamos com 12 usinas nucleares. O ITA de São José tem 15 unidades espalhadas pelo País.

A revolução educacional se fez nos moldes já sonhados. Lançamos o primeiro porta aviões da série “BARROSO” . Pelos jornais vem a surpresa: feita a reforma política, o Brasil fora dividido geopoliticamente em 6 regiões autônomas. Há o Parlamento em Brasília. O voto, não obrigatório, é distrital.

Cap V

Ressurge em São Paulo um movimento sindical liderado por uma figura criada por proeminente pensador da ala vencida da revolução. Descobre-se e divulgam-se os meandros do movimento, que tem seu núcleo lá no poderoso Arbeitsamt da ex BRD.

Toda a trama que ameaça nossa indústria nacional é revelada. Seus próceres julgados no STF tiveram justa e pronta resposta. O Brasil segue com apenas dois partidos de âmbito Nacional. O Congresso torna-se a Grande Casa de Leis e lidera a expansão da Nação. É 1993. O índice médio nacional de criminalidade é de 12/100.000.

Cap VI

1996. Manhã gelada de agosto. Começam retornar os nossos primeiros pracinhas da frente Norte. Uma curta e sangrenta guerra afastou a ameaça das nações comunistas do Caribe, que, com apoio dos Ingleses, lançaram uma invasão em nosso território. O Plano era tomar e “libertar” todo o território acima de uma linha imaginária que partia de Salvador e ligava a Rio Branco.

Nossos EET1 C Osório foram a coqueluche nas frentes. Os Batalhões de Selva se desincumbiriam de sua Missão com Louvor.A Avibrás justificou plenamente seus investimentos. O Novo Presidente e Primeiro Ministro lançam, em Brasília a pedra fundamental do Monumento do Heróis Nacionais.

No início deste mês o Ministro da Ciência e Tecnologia anunciara à Nação o domínio completo do ciclo nuclear. O Brasil entrou para o Conselho de Segurança da ONU pela porta da frente.

Abrimos um corredor para o Pacífico, e lá instalamos nossa primeira Base Naval, denominada Itararé. Tudo conquistado em decorrência de um ataque aéreo de uma grande nação do oriente à Itaipu, que ficou destruída. A tragédia a jusante foi imensa. A esquadra atacante posicionou-se no litoral norte do Chile. Após o ataque sumiu no oceano e a “questão” está na ONU.

Cap VII

Inicia-se a Copa da França, nossa Seleção não está bem.

Em maio último o Ministro da Educação anuncia os ganhadores da Olimpíada Mundial de Matemática realizada em 6 sedes regionais com a participação de várias Nações. O Brasil levou a medalha de ouro em todas as categorias. Não há escolas públicas no Brasil. Todas são privadas. As associações de Pais e Mestres atingiram um padrão nunca sonhado. Tudo bancado com a redução no número de tributos, graças a um programa transparente e rigoroso de investimentos públicos.

Engraçado, agora todos os agentes públicos de quaisquer escalão têm seus filhos matriculados nas escolas do bairro em que moram e se servem do sistema de saúde da municipalidade. Isto tudo está agora na CF de 1992.

O Serviço Militar passou a ser obrigatório por 4 anos aos jovens independentemente de gênero a partir deste ano.

Cap VIII

Noite abafada de janeiro 2001.Estou gerenciando uma pane na unidade de força da máquina do tempo. O escudo de invisibilidade não se sustenta há horas.

Em recente contato com uma cultura de nosso futuro, 2775 AD, fui informado que a solução para esta instabilidade já fora dominada em 2350 AD.

Vou dar um pulinho lá para reorganizar as coisas aqui na cabine.

Volto logo. Assim que der tempo. Sempre dá...

Alberto Mendes Jr, Engenheiro de chão de fábrica, agora também é “estoriador”.

PS - Em 24 de janeiro, seria o aniversário de 65 anos de Alberto Mendes Junior, caso o tenente não tivesse sido assassinado por terroristas da turma de Carlos Lamarca, no dia 10 de maio de 1970.

Lulândia, o reino da avacalhação

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Maria Lucia Victor Barbosa

Bastou o intervalo das festas de fim de ano, das férias nas praias ou no exterior quando ninguém pensa em dívidas, contas a pagar, despesas que virão para que Lula da Silva ressurgisse do conveniente mutismo e retomasse os preparativos para sua “treeleição”.

De fato o ex-presidente nunca deixou de exercer o poder. Recorde-se que tentou impedir o julgamento do mensalão chantageando o ministro Gilmar Mendes para que esse adiasse o julgamento. Como isto não funcionou ordenou ao Congresso que realizasse a CPI do Cachoeira, uma espécie de cortina de fumaça para desviar a atenção sobre as condenações dos quadrilheiros do PT que poderiam atrapalhar as eleições municipais de 2012. A CPI acabou condenando apenas o senador Demóstenes Torres e prendendo o contraventor sem que nada acontecesse à Delta e à grande rede nacional de políticos envolvidos na trama. Deste modo a farsa se converteu em um dos maiores espetáculos de degradação já apresentados pelo Congresso Nacional.

Consta também que a presidente Rousseff, gerente dos apagões e pibinhos, não dá um passo sem consultar seu chefe e inventor que assim demonstra quem é o verdadeiro presidente da República.

Contudo, após as acusações de Marcos Valério que indicaram Lula da Silva como chefe e beneficiário do “mensalão”, este se calou. Especialmente depois da eclosão do fragoroso escândalo no qual ficou demonstrado que a amante, Rosemary Nóvoa de Noronha, não só desfrutava de maravilhosas viagens presidenciais pagas por nós, os contribuintes, mas nomeava através do “tio Lula” uma quadrilha de trambiqueiros, falsificadores, fraudadores de pareceres, o ex-presidente deu em fugir da imprensa. Fato grotesco ocorreu em Barcelona quando o poderoso Lula bateu em veloz retirada através da lavanderia do hotel em que se encontrava hospedado e escapuliu dos repórteres pela porta dos fundos.

Agora, enquanto o povo em férias se entretém com os preparativos do carnaval, Lula da Silva emerge anunciando futuras caravanas pelo Brasil. Ao mesmo tempo, faz saber que assumirá as negociações com a base aliada. Portanto, após ter nomeado o ministério de Rousseff na prática está demitindo a fiel Ideli de suas funções de ministra das Relações Institucionais, ou seja, do ministério do balcão de negócios, posto muito conveniente para quem é candidato.

Além do mais, para mostrar quem manda de verdade Lula da Silva se reuniu com seu outro poste, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad e secretariado para dar as ordens e ministrar lições de populismo.

Em países de instituições sólidas, Poderes independentes e igualmente fortes, de oposição para valer tal avacalhação seria impensável. Mesmo no Brasil nenhum ex-presidente chegaria a tanta desfaçatez e lambança. Mas, na Lulândia tudo é permitido porque o povo elegeu e continua aplaudir o grão senhor Lula. Algo que faz parte de nossa cultura da avacalhação desde os tempos coloniais.

Além do mais, como não existe oposição, exceto uma ou outra voz solitária, Genoino, um dos condenados petista do mensalão tomou posse como deputado federal decretando o fim da ficha limpa. Se isto foi legal, como dizem seus defensores, foi imoral e abjeto.

Em outra manifestação típica da Lulândia membros do PT, inclusive, a juventude petista organizaram um jantar com o objetivo de arrecadar fundos para pagar as multas dos companheiros criminosos. Alguns militantes acreditam ou fingem acreditar que os companheiros quadrilheiros, coitadinhos, foram injustiçados, condenados sem provas, vítimas da imprensa maldosa e da oposição que não existe. Por sua vez a CUT, braço sindical do PT, fez ato para anular sentenças do STF. Hilariante piada de salão como diria Delúbio Soares.

Enquanto segue a politicagem, por mais que ministro Mantega distorça dados da economia e faça mágicas para adulterar resultados, a inflação acelera, progride a inadimplência, aumenta a devolução de cheques sem fundo.

Com a projeção do endividamento da Petrobrás virá o aumento dos combustíveis tantas vezes adiado politicamente e com ele mais inflação, apesar de que os reajustes previstos apenas amenizarão a piora do endividamento.

Acrescente-se que as previsões da economia para 2013 não são das melhores. Segundo, por exemplo, Flávio Castelo Branco, gerente executivo do Núcleo de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI): “Se a economia seguir um padrão fraco como o de 2012, a desaceleração alcança o mercado de serviços e aí podemos ter uma contaminação do mercado de trabalho”.

Rousseff está em campanha e fez comício em cadeia nacional de rádio e TV para anunciar redução de tarifas de energia. Entretanto, no cenário sombrio que se desenha para a economia de 2013, a quem o povo recorrerá como salvador da pátria? É fácil adivinhar. Que o digam os invasores do Instituto Lula que não perderam tempo indo à Brasília.

Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. www.maluvibar.blogspot.com.br - mlucia@sercomtel.com.br

A volta do Renan, o Rei do Gado

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Eichbaum

Mônica Veloso é o nome da mina. Ela apareceu na Playboy muito melhor do que veio ao mundo, com frontespício e traseiro de sereia, ubres rijos, cheios de saúde, e bumbum arredondado por natureza. É morena, de cabelos negros, e tem um olhar de tigresa no cio, com inquietantes encantos de mulher.

Sabe o Renan Calheiros, da dupla Zé Sarney e Renan? Pois o Renan não resistiu, deitou e rolou – literalmente.

Até aí, tudo bem. Afinal, diante de uma criatura com tamanhos predicados, não é qualquer um que tem coragem para dizer “eu fora”. Ou vocês conhecem alguém que gosta de seios encostando na barriga e traseiro mais mole que espuma?

Mas, quando aparece aquele item que não está na lista de muita gente, com a mulher perdendo as formas originais e os contornos que lhe garantiriam papel em filme para adultos, a coisa começa a mudar de figura: a relação oxida, a paixão deixa de ser labareda, o amor é cotado em cifrão.

Isso, cifrão. Criança fora do casamento é sinônimo de incomodação e pensão alimentícia.

Foi o que aconteceu. Mal o bebê berrou no mundo, a mamãe já interpretou a choradeira como “quero os meus direitos”. Então ela correu para o Renan e apresentou a conta de suas dádivas de prazer. O Renan coçou o queixou, disse “hum”, mas sentiu que tinha de abafar o devastador escândalo.

A empreiteira Mendes Júnior, que está sempre nas bocas, participando da receita que o governo contabiliza com o nosso dinheiro, assumiu a paternidade da criança, para alívio do senador das Alagoas.

Não, pera lá. Não é o que vocês estão pensando. Ela resolveu bancar a pensão alimentícia para o filho que o Renan pensa que é dele.

Então, cada mês, Cláudio Gontijo, representante dos interesses da Mendes Júnior junto ao Renan e ao governo federal, levava uma bolada para aquela mamãe, que aos poucos vinha recuperando a antiga forma.

Sabem quanto? Quatro mil e quinhentos reais para o aluguel de um apartamento de quatro quartos em Brasília e mais doze mil reais- eu disse doze mil reais - de pensão alimentícia.

Mas a coisa veio a furo, fedeu, e o Renan teve que se explicar. E explicou. Que não era nada daquilo. Que ele tinha dinheiro para bancar a pensão, e mostrou sua contabilidade: milhões com venda de gado, deixando para trás todos os reis da espécie.

Então a Comissão de Ética do Senado, fechando os olhos para o óbvio, resolveu aceitar a tese de que o Renan Calheiros era o melhor criador de gado do país, com um tino comercial que nenhum do ramo tem. E absolveu o alagoano no processo de cassação de mandato.

O Renan ficou na moita muito tempo, preferindo não ser lembrado. Mas agora, crente de que suas relações perniciosas com a Mendes Júnior foram esquecidas, ele está voltando, para retomar a cobiçada cadeira de presidente do Senado. E a turma toda taí, batendo palmas.

É assim: vergonhoso. Mas nada que esteja fora dos padrões da dupla Zé Sarney e Renan, chefes da república norte-nordestina, da qual o resto do Brasil não passa de simples colônia.

João Eichbaum é Escritor e Advogado - joaoeichbaum@gmail.com

Estorinha do Lobão

Poesia no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Almir Longo

Essa estorinha não cola,
conta outra, seu Lobão!
“Nóis só tem” cara de bobo,
mas “nóis não é” bobo não!

Vir atochar que blecaute
é falha humana e trovão,
é não respeitar São Pedro,
é subestimar o cristão!

Chega de conversa fiada
para explicar apagão…
não é só falta de chuva,
nas usinas, seu Lobão!

Vá contar sua estorinha
Pro incautos de plantão:
O que falta é planejamento,
Investimento e gestão!

Invente outra estorinha,
essa é velha, seu Lobão!
“Nóis só tem” cara de tonto,
mas ”nóis não é” tonto, não!

Almir Longo é poeta gaucho

Tirando Leite de Bode

Poesia no Alerta Total - www.alertatotal.net
Por Miguel Lucena Filho (Miguezim de Princesa)

Vi cantador forrozeiro
Leite de pedra tirar,
Assisti Tião Badé
Com um jumento se atracar,
Mas tirar leite de bode
Somente no Ceará.

Depois que Joaquim Barbosa
Acunhou no fogareiro,
Deputado Guimarães
Respondeu breve e ligeiro,
Dizendo ter-se criado
Mamando em pai-de-chiqueiro.

Guimarães e Genoíno,
Nascidos no Ceará,
Quando eram pequeninos
Não paravam de berrar.
Então alguém já dizia:
O cabrito quer mamar!

De tanto mamar no bode,
Beber mel de mandaçaia,
Comer tanajura frita,
Preá, calango e lacraia,
Genoíno, estando forte,
Foi lutar no Araguaia.

Nem deu o primeiro tiro
Pra fazer revolução,
Se atrapalhou na vereda,
Por causa da escuridão,
Deu de cara com um tenente
E acabou na prisão.

Anos depois, no poder,
Se enrolou no mensalão,
Apesar de não ter sido
O chefe da confusão,
Recebeu mais de seis anos
Da caneta do negão.

Foi aí que Guimarães,
Pra defender o irmão,
Bateu na caixa dos peitos,
Encheu bem forte o pulmão,
Disse que mamaram em bode
E não temiam nada, não!

Forte, não sofreu abalo
Quando um assessor careca,
Que estava acostumado
A andar com uma merreca,
Foi flagrado no avião
Com dinheiro na cueca.

Guimarães será o líder
Da bancada do partido,
Vai fazer questão de ordem,
Como homem decidido,
E quando usar o microfone
Só vai sair um balido...

No Ceará é assim:
Quem desse leite tomar
Perde o medo do perigo,
Pode o mundo se acabar,
E se topar com uma cabrinha
É capaz de se casar!

Miguel Lucena Filho (Miguezim de Princesas) é poeta, jornalista, advogado e delegado da Polícia Civil do Distrito Federal.