quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

As intrincáveis manifestações de rua


Versão lusitana da Internacional, para nossa turma ir treinando...

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Valmir Fonseca

No ano passado, escrevemos sobre os três Poderes que dominam a República Nacional.
Recordando, colocamos o Foro de São Paulo no topo, depois o Chefe do Executivo, e em terceiro, o Partido do lulo - petismo.
É provável que muita gente não acreditasse, contudo o dia - a - dia demonstra que a nossa conclusão é correta.
Senão vejamos: o Executivo conduz a gestão do Estado aos trancos e barrancos, sem qualquer projeto de curto, médio, que dirá de longo prazo. Eventualmente, citam o PAC 1, o 2 e agora, o 3.
Na verdade, arremedos de programas deploráveis quando sabemos que ao anunciar o PAC 3, que é mais uma embromação eleitoreira, uma rápida e superficial analise mostra que o 1 vai de mal a pior, e o PAC 2 pouca gente sabe de fato o que é.
Logo, não tem cacife nem cérebro para engendrar um plano de dominação marxista.
Quanto ao Petismo, impossível não admitir - se que o seu poder esta acima dos demais, exceto, é obvio, o Foro e o Executivo.
Basta olharmos os resultados do julgamento do mensalão que atingindo em cheio a cúpula petista, na prática não redundou em nada além de uma leve equimose na estrutura do partido.
Apesar do já exposto, alguns podem perguntar, mas o que está acontecendo com este País, qual o motivo de tantas manifestações e greves periódicas violentas?
É fácil imaginarmos que acima de tudo existe uma intelectualidade comunistóide, que em surdina, realmente prepara a comunização do País, preferencialmente, com a manipulação da população através do escambo das bolsas.
Porém, não é o suficiente para a dominação total, o que somente ocorrerá com a censura da imprensa não cooptada ou comprada e com o estabelecimento de leis, sensibilizadas por meio de propostas politicamente corretas, e que se aproveitam das greves e manifestações que inundam o País, todas insufladas, sub - repticiamente, pelo Foro de São Paulo.
Assim, na indignação populacional, surgem projetos de leis, que na pratica, em futuro próximo, praticamente proibirão, sob o jugo de medidas legais, qualquer tentativa do exercício público da democracia.
Breve, após estabelecer regras severas para coibir mesmo as demonstrações pacificas populares nas ruas, o poder total estará finalmente obtido, como é o objetivo da alta cúpula do marxismo no Brasil.
Inclusive, como já acontece, para permitir a aplicação do Estado policialesco sobre os indignados, mas pacíficos cidadãos, a inteligência comunista sempre enviará os seus Black Shits para tornar o pacifico evento um terrível arrastão.
Acirrando a má vontade do restante da população, que induzida exigirá atitude forte do desgoverno, que assim, atingirá por linhas legais, o poder total.
Sublinham as nossas opiniões, a maneira como o desgoverno desprestigia as Polícias Militares e os órgãos civis que deveriam manter a lei e a ordem.
Basta ver as injustas críticas à PMDF, por haver reprimido a horda de baderneiros do MST que atacou, na semana passada, o Palácio do Planalto e deixou quarenta militares feridos. Porém, o mais estarrecedor aconteceu: os arruaceiros foram recebidos, no dia seguinte, em audiência especial, pela mais alta autoridade desse governicho.        
Este é o cenário que se descortina para alguns nacionais, como nós os trogloditas das cavernas, o imbatível projeto sobre a dominação de nossa Pátria que está em andamento, e vai de vento em popa.
Para os espertos e jeitosos, sugerimos, desde já, decorar o hino da “Internacional Socialista”
Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Presidente do Ternuma, é General de Brigada, reformado.

2 comentários:

ANTONINO CAMELIER disse...

Meu General
QUO USQUE TANDEM ABUTERE, CATILINA, PATIENTIA NOSTRA?
Gostaria muito de substituir "Catilina" por "Poder Executivo", e colocar, no lugar de Cícero, o Alto Comando das Forças Armadas.
Até quando este silêncio ensurdecedor, diante de tantos descalabros institucionais?
E o que humilhações podemos esperar para as comemorações dos 50 anos da contrarrevolução de 64?

ANTONINO CAMELIER disse...

Meu General
QUO USQUE TANDEM ABUTERE, CATILINA, PATIENTIA NOSTRA?
Gostaria muito de substituir "Catilina" por "Poder Executivo", e colocar, no lugar de Cícero, o Alto Comando das Forças Armadas.
Até quando este silêncio ensurdecedor, diante de tantos descalabros institucionais?
E o que humilhações podemos esperar para as comemorações dos 50 anos da contrarrevolução de 64?