sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Manifestações e Manifestantes


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Holst

Tenho sugerido a militares para se unirem a manifestações em vias públicas envergando seus uniformes de gala, desarmados e, se possível, acompanhados de suas esposas ou maridos no caso de mulheres militares; oficialato e praças junto aos civis servindo ainda como proteção a tropas de choque mal comandadas ou grupos de vândalos.

Nenhum governador ou presidanta ou quem quer que seja terá coragem de ordenar atacar uma multidão assim apresentada.

E os militares conseguirão, com seu comportamento respeitoso, infundir disciplina e coragem aos manifestantes.

Esta é a melhor forma de recuperar a dignidade das FA ante a sociedade civil e anular o atual governo sem que caia um disparo e mais, sem tanques e outros blindados, movimento de tropas ou armas ostensivas comandadas por anônimos generais : pelo contrário, uma liderança presente, viva e palpável, com a garantia da segurança e de uma luta de mãos limpas com o apoio de um poder indiscutível a ponto de fazer os quatro cantos do mundo pasmar diante do fato sem que nada saibam o que dizer em contrário e temam ainda sua própria surpresa.

Como resultado os roedores locais abandonarão imediatamente a nave dos tresloucados deixando-a na deriva.

Mas para tanto o governo provisório já deve estar previamente organizado sendo constituído unicamente por civis do mais alto gabarito, "fichas limpas", e nisto não se deverá tergiversar sob pena de mais um futuro fracasso. 

Obs. - esta estratégia não deve ser comunicada a mais ninguém que os próprios militares do alto escalão sob pena de sabotar o plano de modo catastrófico.  O senhor certamente sabe a quem se dirigir se assim concordar.

Carlos Holst é Cidadão.

Um comentário:

J.Koffler disse...

Utópica e infeliz ideia. O ilustre articulista deve ter se esquecido em que país reside - Brasil. Nada do que é feito de maneira ordeira, historicamente falando, produz efeitos em nosso País. Muito menos, nesta última década maculada, indelevelmente, pelo capimunismo petralha.
Militar não se reconhece pela farda, mas pela formação, pela postura, pelo caráter, pela ética e pelo respeito à Constituição.
Essa tal passeata, para fazer efeito, teria que ser estrategicamente armada e cuidadosamente pensada para surtir efeito imediato: a defenestração inegociável de toda essa corja que ocupa grande parte dos três poderes da República! Só assim poderemos ter alguma esperança de retornar a um estado equilibrado!