quarta-feira, 28 de maio de 2014

A esquerda e seu medo do mundo real


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Guilherme Ribeiro

Medo de assombração é atavismo puro na sinistra... É, os antolhos da esquerda dogmática engessada só permitem ver mesmo pelo mesmo ângulo...

Deve ser gozado viver entre quimeras, utopias, fantasmas, preconceitos e cagaço, sempre pulando de uma promessa não cumprida para uma justificativa estropiada, de uma utopia não concretizada para o exorcismo de algum demônio causador do fracasso...

Tão previsível! 

Mais ou menos como o kabuki japonês ou arte pictórica egípcia: tudo formal, arrumadinho, esteriotipado.  Mais ou menos como um minueto do século XVIII – por sinal, é mais ou menos onde ainda vivem, com sua rígida etiqueta doutrinária que não admite desvios sem a inexorável acusação de crime de pensamento!...

Até dá para entender porque a esquerda tem medo do mundo real e se refugia atrás do preconceito, vendo assombrações à luz do dia, acreditando em conspirações (não, as deles não são conspirações, mas a luta legítima em defesa do povo!) à luz do dia e com medo que arroto se converta em explosão nuclear.  Não.  Mesmo que não produzam, mesmo que sejam um embuste profissional, se o deles não vier certinho no final do mês, morrem de ansiedade...

Gente assim jamais vai entender a iniciativa privada.

Divertido.


João Guilherme C, Ribeiro é Empreendedor Cultural.

Um comentário:

O Libertário disse...

Lendo o livro "Adeus, China" - O último bailarino de Mao, em que Li Cunxin faz sua autobiografia, na página 90 lê-se o seguinte relato:"-O que diz a primeira linha? - a professora Song perguntou para a menina sentada à minha direita.
- Viva o chefe Mao! - a menina respondeu orgulhosamente.
- Bom, muito bom! - a professora fez uma pausa e percorreu a classe com os olhos. - É verdade. Damos vivas ao chefe Mao, porque esse grande líder nos salvou. Tenho certeza de que os pais de vocês já contaram muitas histórias como era cruel a vida sob o regime Guomindang de Chiang Kaishek. Foram dias de escuridão e frio realmente. O governo só cuidava dos ricos. Crianças como vocês não podiam nem sonhar em sentar-se aqui, mas o chefe Mao tornou esse privilégio acessível a todos. Hoje vou ensinar vocês a escrever "Viva o chefe Mao. Eu amo o chefe Mao. Você ama o chefe Mao. Nós amamos o chefe Mao". A gora vou escrever tudo isso no quadro negro. prestem atenção...
Não parece propaganda petista?