domingo, 25 de maio de 2014

O Rei saúda a Censura


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Zuenir Ventura

Na época, o telegrama de Roberto Carlos ao então presidente José Sarney teve repercussão, mas é oportuna agora sua publicação na íntegra pelo blog do jornalista Mário Magalhães. Lá está com todas as letras: “Cumprimento Vossa Excelência por impedir a exibição do filme ‘Je vous salue, Marie’, que não é obra de arte ou expressão cultural que mereça a liberdade de atingir a tradição religiosa de nosso povo e o sentimento cristão da Humanidade. Deus abençoe Vossa Excelência. Roberto Carlos Braga.” O diretor do filme, o franco-suíço Jean-Luc Godard, era ninguém menos do que um dos principais representantes da Nouvelle Vague e autor de uma obra, de fato, polêmica, mas respeitável.

Era o começo da Nova República, que vinha substituir a ditadura. Menos de um ano antes, no dia 29 de junho de 1985, um ato público no Teatro Casa Grande, no Rio, reuniu cerca de 700 intelectuais e artistas para ouvir o ministro da Justiça de Sarney, Fernando Lyra, anunciar: “Está extinta a censura no Brasil.” E declarar que o documento que ele recebera, elaborado por Chico Buarque, Antônio Houaiss, Ziraldo, Dias Gomes, entre outros, era a “Lei Áurea da Inteligência Brasileira”.

Foi uma festa da cultura, um momento de regozijo como não acontecia havia 21 anos. Portanto, pode-se imaginar a reação, meses depois, à interdição do filme. O novo presidente tinha como álibi o fato de que fora pressionado pela ala mais conservadora da Igreja. Mas, e o rei?

Em artigo na “Folha de S.Paulo’’ de 2 de março de 1986, Caetano Veloso falou da “burrice de Roberto Carlos” e acrescentou que o telegrama saudando a censura a “Je vous salue, Marie’’ (em português, “Eu vos saúdo, Maria”, ou “Ave Maria”) “envergonha nossa classe”. Daí a conclamação: “Vamos manter uma atitude de repúdio ao veto e de desprezo aos hipócritas e pusilânimes que o apoiam.”

O episódio ajuda a desmontar alguns mitos régios, como o de que o rei só foi favorável à proibição das biografias não autorizadas para preservar sua privacidade. Há 28 anos, ele estava preocupado também com a privacidade da Virgem Maria, mesmo sabendo que o filme de Godard era uma obra de ficção. O outro mito é o da imagem de um artista afastado do poder, trancado numa torre de marfim, sem sujar as mãos com a impureza da política.

O novo livro de Paulo César de Araújo (*), autor da biografia proibida, mostra que ele vai aonde lhe convém, ou seja, aonde pode defender a censura: Senado, Câmara, Judiciário e até ao Planalto, como fez recentemente ao ser recebido pela presidente Dilma, que, segundo a imprensa, ficou “visivelmente emocionada” por abraçá-lo.

(*) “O réu e o rei — minha história com Roberto Carlos, em detalhes.”


Zuenir Ventura é Jornalista. Originalmente publicado em O Globo em 24 de maio de 2014.

4 comentários:

Loumari disse...



Ouvi agora isto, ó povo louco e sem coração, que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis.

Não me temereis a mim? diz o Senhor; (JEREMIAS 5:21)




Oxalá que todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu espírito.
(NUMEROS 11:29)




Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus. (LUCAS 4:4)




Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque, neste caso, o irmão, ou irmã não está sujeito a servidão; mas Deus chamou-nos em paz.


Porque, de onde sabes, ó mulher se salvarás o teu marido? ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás a tua mulher?

E, assim, cada um ande como Deus lhe repartiu, cada um como o Senhor o chamou.

É o que ordeno em todas as igrejas.

Cada um fique na vocação em que foi chamado. (1 CORINTIOS 7:15-20)




Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão.
(GALATAS 3:7)



Assim diz o Senhor: Quem ouvir, ouça, e quem deixar de ouvir, deixe; porque casa rebelde são eles. (EZEQUIEL3:27)




Porque semearam ventos, e segarão tormentas: não há seara, a erva não dará farinha: se a der, traga-lo-ão os estrangeiros. (OSEAS 8:7)




Salvai-vos desta geração perversa.
(ACTOS DOS APOSTOLOS 2:40)




Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão.n(FILIPENSES 3:2)

Loumari disse...


A zelos me provocaram com aquilo que não é Deus; com as suas vaidades me provocaram à ira;

portanto EU os provocarei a zelos com os que não são povo; com uma nação louca os despertarei à ira.

Porque um fogo se acendeu na minha ira, e arderá até ao mais profundo do inferno, consumirá a terra, com a sua novidade, e abrasará os fundamentos dos montes.

O seu vinho é ardente veneno de dragões, e peçonha cruel de víboras. (DEUTERONOMIO 32:21 )





Alvoroçai-vos, ó povos, e sereis quebrantados; dai ouvidos, todos os que sois de longes terras, cingi-vos e sereis feitos em pedaços. (ISAIAS 8:9)

Loumari disse...

Filho do homem, dirige o teu rosto para os montes de Israel(juízos dos homens); e profetiza contra eles.

E dirás: Montes de Israel, ouvi a palavra do SENHOR JEOVA: Assim diz o Senhor JEOVA aos montes, aos outeiros, aos ribeiros e aos vales: Eis que EU, SIM EU, trarei a espada sobre vós, e destruirei os vossos altos,

E serão assolados os vossos altares, e quebradas as vossas imagens do sol, e derribarei os vossos traspassados, diante dos vossos ídolos.

E porei os cadáveres dos filhos de Israel diante dos seus ídolos; e espalharei os vossos ossos em redor dos vossos altares.

E todos os vossos lugares habitáveis, as cidades serão destruídas, e os altos assolados; para que os vossos altares sejam destruídos e assolados, e os vossos ídolos se quebrem e cessem, e as vossas imagens do sol sejam cortadas, e desfeitas as vossas obras.

E os traspassados cairão no meio de vós, para que saibais que EU SOU O SENHOR. (EZEQUIEL 6:2)





Porque o Senhor Deus de Israel diz que aborrece o repúdio, e aquele que encobre a violência com o seu vestido, diz o Senhor dos Exércitos: portanto, guardai-vos em vosso espírito, e não sejais desleais. (MALAQUIAS 2:16)

Anônimo disse...

Pensei que tivesse entrado em um blog político-ideológico para, como cidadão, me informar ou opinar sobre a situação real do Brasil e dos seus governantes e políticos.

Infelizmente,abusando da hospitalidade do Serrão, o pastor evangélico Loumari resolveu fazer do blog mais um púlpito para difusão de sua crença milenarista.

O pregador de bíblias aleatórias sabe que a tolerância e gentileza do jornalista também teem limites. Se persistir em fazer do blog um templo para cooptar maior rebanho para suas ricas pastagens, corre sério risco de dele ser expulso como reles vendilhão da fé, à semelhança dos fariseus do Novo Testamento.