domingo, 21 de dezembro de 2014

Nós, do Exército Brasileiro!


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que lutamos nos Guararapes contra o invasor holandês, justificados e motivados pelo sentimento de pátria que o amálgama de raças e o amor à terra fazia surgir.

Fomos nós que asseguramos a Independência, que lutamos na Cisplatina e que defendemos a honra, os interesses, a soberania e o patrimônio da Pátria nas guerras e conflitos internos que abalaram, ameaçaram e fixaram nossas fronteiras e asseguraram a unidade nacional.

Fomos nós que, aliados a antigos adversários, fizemos malograr as intenções expansionistas de Solano Lopes.

Somos nós, do Exército Brasileiro, que temos na consciência o peso da participação na derrubada do Império e que conhecemos a responsabilidade que nos cabe na instauração desta República que, até os dias de hoje, envergonha a história política do Brasil.


 Fomos nós que lutamos em Canudos, no Contestado e na 1ª Grande Guerra Mundial. Fomos nós que, ao morrermos movidos pelos ideais "tenentistas", escrevemos a epopéia dos "18 do Forte"

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que ajudamos a colocar Getúlio no poder e não o impedimos de implantar o Estado Novo.

 Somos os mesmos que, em 35, sofremos na carne a traição e a agressão assassina de comunistas fardados, falsos camaradas, idiotizados pelo internacionalismo vermelho.
 Fomos nós que lutamos na Itália e que trouxemos de lá lauréis de bravura e de abnegação que refletem nosso exacerbado amor à  liberdade e à justiça.

Somos os mesmos, os do Exército Brasileiro, que, em MARÇO DE 1964, assumimos a liderança do clamor popular que repudiava a ameaça comunista que, mais uma vez, nos rondava às escâncaras e à sorrelfa, pregando mentiras e preparando o golpe de morte aos valores pelos quais sangráramos em guerras e revoluções.

 Fomos nós, do Exército Brasileiro, que lutamos nas matas do Araguaia contra uma guerrilha de lunáticos, preparados por fanáticos da utopia comunista e liderados por falsos profetas que pregavam o ódio e exploravam desigualdades e injustiças que nunca pretenderam ou seriam capazes de corrigir.

Somos os mesmos que,  atônitos, vimos surgir nos grandes centros a ação deletéria, covarde e assassina de terroristas treinados longe da Pátria que, misturados às próprias vítimas, as usavam como escudo e camuflagem. Aprendemos, não sem perdas e sem o sacrifício de pessoas inocentes, a conhecê-los,  a combatê-los e a vencê-los!

Fomos nós que, com o espírito aberto e pacificador de Caxias, assistimos ao retorno dos banidos, dos fugitivos da justiça e dos exilados e que, inocentemente, alimentamos a crença de que, anistiados, voltavam ao convívio e ao aconchego da Pátria para ajudar na construção do Brasil livre, desenvolvido e democrático que o desejo da maioria impunha construir.
Fomos nós, do Exército Brasileiro, que, como Soldados da Paz, arriscamos nossas vidas na África, no Timor Leste e na Bósnia. Fomos nós que, ao levarmos a paz e a solidariedade ao sofrido povo do Haiti, morremos com ele, soterrados no cumprimento do dever.

Fomos nós, do Exército Brasileiro, que conduzimos e executamos as operações que resultaram na retomada de áreas ocupadas por facínoras e traficantes no complexo de favelas do Alemão, devolvendo e assegurando àquelas comunidades os direitos de cidadãos que a covardia, a omissão, os interesses e a conivência de políticos, governantes e até de policiais lhes haviam tirado.

Este rápido, superficial e incompleto passeio pela história de nossos feitos, faz ver que nós, do Exército Brasileiro, desde Guararapes até o "Alemão" e a “Maré”, carregamos e continuaremos a carregar a herança desses fatos que não pertencem ao passado ou aos que lá estiveram naqueles momentos, mas a nós todos, soldados de ontem, de hoje e do amanhã, porque é herança de honra e de glória!

O que está feito não pode ser mudado e pertence a todos nós. Não há ordem, relatório ou desconforto, de quem quer que seja, que nos possa fazer esquecer ou ser menos orgulhosos dos feitos e fatos que compõem a nossa história, sob pena de termos que abdicar do orgulho de sermos nós, os do Exército Brasileiro!

Que viva a história! Que viva o inesquecível 31 de março de 1964!

Relatório da Calúnia


Caros Amigos: Mais uma vez assisti a encenação das lágrimas da terrorista que nos governa.

Será que derramou alguma delas pelos inocentes que morreram vitimados pelos atos criminosos dos que com ela ombreavam e que, propositadamente, deixaram de ser lembrados no relatório que lhe trouxe tanta saudade e emoção?

Reporto-me a seu passado de ativista, idealizadora e partícipe de atos de guerrilha urbana, do qual tem tanto orgulho, e fico a imaginá-la aos gritos de exultação a cada sucesso de seus atentados.

Mais uma vez a vi mentir ao dizer que lutou pela democracia.

Quanta hipocrisia!

Há muito venho falando e escrevendo sobre a comissão nacional da verdade, ou da “calúnia”, como lhe ficaria mais justa a denominação.

Todas as vezes em que me referi ao relatório que estava a produzir o fiz com a convicção de que se tratava de algo inútil e falso, porquanto, desde sua criação, a comissão pautou seu trabalho pela linha da ilegalidade e do sectarismo.

Hoje, recebi da própria CNV a comprovação do que disse e escrevi.

Trata-se, de fato, de um agrupamento de pessoas selecionadas entre as mais comprometidas com os interesses ideológicos da facção criminosa que ocupa o poder da república. Esta, por sua vez, comprometida com a desonestidade, com a corrupção, com o desvio de recursos públicos e, dentre tantas outras adjetivações da canalhice, visceralmente amancebada com a mentira e radicalmente avessa à democracia!

Mesmo sem ler o extenso e inócuo relatório, encontro a prova da sua falsidade na lista de autoridades militares ditas como envolvidas em graves violações dos direitos humanos, porque nela consta, entre outros cujo passado ilibado conheço, o nome do meu pai, Gen Div Floriano Aguilar Chagas, já falecido.

A calúnia, o desrespeito e a covardia embutidos neste fato merecem e terão muito mais do que o meu veemente repúdio.

As pessoas que conheceram meu pai e que sabem e compartilham da admiração que meus irmãos, eu e nossas famílias dedicamos a ele, à sua memória e à sua obra - como cidadão, soldado, pai e amigo - podem avaliar o tamanho da revolta que se apossa de nós todos.

Nós e os amigos do meu pai não permitiremos que suas cinzas sejam usadas impunemente na tentativa de desviar a atenção da sociedade para o lado oposto da realidade e da verdade.

Nada mais oportuno para o governo corrupto da terrorista Dilma Rousseff do que a cortina de fumaça que inutilmente quer produzir para comover a sociedade e tentar encobrir os crimes que tem cometido contra o patrimônio nacional, protagonizando os momentos mais obscuros e vergonhosos jamais vividos pela Nação.

Meu pai foi, em março de 1964, contra-revolucionário de primeiro momento. Tenho muito orgulho de conhecer o desassombro com que, de imediato, ele e seus camaradas do Comando da 2ª Divisão de Cavalaria aderiram ao movimento salvacionista. Tenho muito orgulho do seu desempenho como Adido Militar junto à Embaixada do Brasil em Buenos Aires, onde conquistou admiradores para toda a vida, dizendo, com sinceridade e convicção, que em sua carreira andarilha de Soldado de Cavalaria acostumara-se a percorrer fronteiras e a cruzá-las para encontrar os amigos, irmãos sul americanos.

De que forma teria ele, como querem fazer crer os comissários, “atentado contra os direitos humanos” enquanto praticava com maestria e elegância a diplomacia militar?

Meu pai foi um homem de sucesso porque, sendo justo e rigoroso com todos e intransigente consigo mesmo, não fez inimigos nem teve desafetos, só amigos fieis e admiradores sinceros.

Um velho poema hebraico, cuja essência é a essência do caráter do soldado, diz:“Três verdades há no mundo; a verdade e a verdade e o fulgor da verdade.”

Eles responderão pela calúnia!


Paulo Chagas, General de Divisão na reserva, é Presidente do Ternuma.

4 comentários:

Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse:
Excelentíssimos Generais, Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Paulo Chagas e Newton Álvares Breide, sempre leio os artigos neste respeitado Blog e em outros também.
Hoje o Sr. Gel.Valmir Fonseca afirmou: "A Pátria não merece, mas o nosso povinho, sim". DISCORDO E EXPLICO. O que é " A Pátria"? É seu território e seu povo, com sua história.
Qual a instituição responsável em garantir a nossa Constituição?
O Sr. Gel Valmir afirmou nesse Blog no artigo "UMA INFAME GUERRA CIVIL NÃO DECLARADA", OPINIÃO COMPARTILHADA COM MAIS DE 90% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA. Se para os senhores a situação é tão difícil, imagina para o povo.
Se o povo pode governar a si próprio far-se-ia desnecessário qualquer tipo de governo.
Não vejo o povo apoiar qualquer ataque às FFAA. Porém estão assustados e muitos desanimados com a falta de respostas a tantos "PEDIDOS DE SOCORROS".
Estamos abandonados à própria sorte. Enganam-se os que pensam que o povo não sabe quem são os verdadeiros responsáveis por tantos sofrimentos, esses homens que já perderam a Europa, a Ásia, o Oriente, a América do Norte e a África. E agora querem a América do Sul como sua colônia de exploração.
Gel. Paulo Chagas nós o povo sabemos que discutir sobre os mortos é mais fácil do que cuidar dos vivos. Assim o tempo vai passando e o Brasil descendo ladeira abaixo, rumo a um abismo desconhecido. É muita tristeza ver o que está acontecendo com nosso Brasil. Gel. Newton Álvares Breide, li o seu artigo e pedirei ao Grande Legislador do Universo que dê sabedoria e derrame muita Luz nas vossas vidas, sabemos que a vida de um soldado é de luta constante.
Que Deus ilumine a todos.

Caio Germano disse...

Caro Paulo saudações ! O senhor falou em nome do exercito. Eu falo em nome da população civil.
Toda a história citada é real e merece toda a nossa consideração, respeito e admiração.
Mas lembre-se fomos nós, fomos nós e fomos nós... não, não foi você e nem eu. Nunca o Brasil precisou tanto de suas FFAA, nunca corremos um perigo tão grande, nunca fomos tão humilhados, traídos e maltratados. Todos os dias somos, roubados, assassinados, estuprados e sequestrados. Vivemos a pior das guerras ! A guerra nao declarada. Então por favor !!!! Não me venha com o, fomos nós !!! Sejamos francos ! Esses heróis que realmente lutaram e morrem pelo Brasil, hoje devem estar se remoendo em seus túmulos, vou mais longe, alguns diriam que se soubessem que o Brasil viraria esse esgoto fétido e nojento, concerteza nao derramariam uma gota de suor, quanto mais sangue, por esse povinho que hoje se encontra sobre o solo brasileiro. Deixemos de olhar para o passado, e atentemos ao futuro. Se é que nos resta algum ?!

Loumari disse...

O senhor Germano formulou a seguinte questão:
Deixemos de olhar para o passado, e atentemos ao futuro. Se é que nos resta algum ?!

Resposta: Lhe asseguro que para os filhos de Deus e da Virgem sim há futuro.


Eis que faço novas todas as coisas. (APOCALIPSE 21:5)


Está cumprido:
EU SOU O ALFA E O ÓMEGA, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.
Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
Mas, quanto aos tímidos, e aos descrentes, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos devassos, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com Fogo e enxofre; o que é a segunda morte.
( APOCALIPSE 21:6 )



Vai, e dize a este povo: Ouvis, de facto, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis.
Engorda o coração deste povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; não venha ele a ver com os seus olhos, e ouvir com os seus ouvidos, e a entender com o seu coração, e a converter-se, e a ser sarado. (ISAIAS 6:9)


Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor, como sinais e maravilhas em Israel da parte do SENHOR DOS EXÉRCITOS, que habita no monte de Sião. (ISAIAS 8:18)


Porque esta é a vontade de DEUS: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição;
Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra. (1 TESSALONICENSES 4:3)




Porque o teu CRIADOR É O TEU MARIDO; O SENHOR DOS EXÉRCITOS É O SEU NOME; E O SANTO DE ISRAEL É O TEU REDENTOR:
Ele será chamado o DEUS de toda a terra.
( ISAIAS 54:5 )



Então a virgem se alegrará na dança, e também os mancebos e os velhos; e tornarei o seu pranto em Alegria, e os consolarei, e transformarei em regozijo a sua tristeza.
E saciarei a alma dos sacerdotes de gordura, e o meu povo se fartará dos meus bens, diz o Senhor.
( JEREMIAS 31:13 )



Liga o testemunho, sela a lei entre os meus discípulos.
E esperarei ao Senhor, que esconde o seu rosto da casa de Jacob, e a Ele aguardarei. ( ISAIAS 8:16 )



Oxalá que todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu espírito.
(NUMEROS 11:29)



Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.
(LUCAS 4:4)

Anônimo disse...

Mas até agira não reconhece o nosso Exército que foram derrotados pela guerra assimétrica que nos moveu Cuba e, pior, está totalmente despreparados para revidar, pois não tem especialistas nem técnicas para enfrentar os parasitas.