quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Os Cãoflitos

Cérbero não aceita cãocorrência desleal

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

A chefe da matilha está rosnando para o grande Fila.

Ouviu-se uma paródia à modinha:

“Cão longe de mim distante, onde irá, onde irá seu pensamento...? ”

Pediu e lhe negaram atestado de vacina contra raiva para os cotados a formar sua escolta.

Cãometeu um enorme erro ao apoiar “à outrance”a bela Fifi.

Se aparecer mais uma mordida babau.

A partilha do Boi ainda promete lances espetaculares. Ele entrou num estado de iluminacão.

Ainda mais que um ilustre personagem de branco disse que os cães também podem ir para o céu.

Cãocorde ou não com a afirmacão, siga as cenas do próximo cãopítulo.

Tudo indica que os danados daqui vão pro purgatório do Mundo Cão.

Problema é que, lá embaixo do pré-sal, Cérbero não quer saber da cãocorrência deles.

E o patrão dele, que é o Cão em Pessoa, menos ainda...

Entre cãoflitos e cãesfritos, esperamos que não sobre nenhum!

O brasileiro, à beira de um magnicídio, não aguenta mais tanta cachorrada!

Por isso, deixemos os cães de lado e oremos pelo Cordeiro.

Au, Au, Au e um Feliz Natal!

Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador. De quando em sempre escreve algo bom pra cachorro.

Um comentário:

Loumari disse...

O profeta suplica a Deus que livre a sua vinha dos que a destroem

Ó PASTOR DE ISRAEL, dá ouvidos; tu, que guias a José como a um rebanho, que assentas entre os querubins, resplandece!
Perante Efraim, Benjamin e Manassés, desperta o teu poder, e vem salvar-nos.
Faze-nos voltar, ó Deus; faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos,
Ó SENHOR, DEUS DOS EXÉRCITOS, até quando te indignarás contra a oração do teu povo?
Tu os sustentas com pão de lágrimas, e lhes dás a beber lágrimas em abundância.
Tu nos pões por objecto de contenção entre os nossos vizinhos: e os nossos inimigos zombam de nós, entre si.
Faze-nos voltar, ó DEUS DOS EXÉRCITOS; faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.
Trouxeste uma vinha do Egipto: lançaste fora as nações, e a plantaste.
Preparaste-lhe lugar, e fizeste com que ela profundasse raízes, e assim encheu a terra.
Os montes cobriram-se com a sua sombra, e como os cedros de DEUS se tornaram os seus ramos.
Ela estendeu a sua ramagem até ao mar, e os seus ramos até ao rio.
Por que quebraste então os seus valados, de modo que todos os que passam por ela a vindimam?
O javali da selva a devasta, e as feras do campo a devoram.
Ó DEUS DOS EXÉRCITOS, volta-te, nós te rogamos, atende dos céus, e vê, e visita esta vinha;
E a videira que a tua dextra plantou, e o sarmento que fortificaste para ti.
Está queimada pelo Fogo, está cortada; pereceu, pela repreensão da tua face.
Seja a tua mão sobre o varão da tua dextra, sobre o filho do homem que fortificaste para ti.
Deste modo, não nos iremos de após ti; guarda-nos em vida, e invocaremos o teu nome.
Faze-nos voltar, SENHOR, DEUS DOS EXÉRCITOS: faze resplandecer o teu rosto, e seremos salvos.
( SALMO 80 )



Ouve-me, povo meu, e EU te admoestarei: ah, Israel, se me ouvisses!
Não haverá entre ti Deus alheio, nem te prostrarás ante um Deus estranho.
EU SOU O SENHOR, TEU DEUS, que te tirei da terra de Egipto: abre bem a tua boca, e ta encherei.
Mas o meu povo não quis ouvir a minha voz, e Israel não me quis.
Pelo que, EU os entreguei aos desejos dos seus corações, e andaram segundo os seus próprios conselhos.
Ah! se o meu povo me tivesse ouvido! se Israel andasse nos meus caminhos!
Em breve EU abateria os seus inimigos, e voltaria a minha mão contra os seus adversários.
Os que aborrecem ao Senhor ter-se-lhe-iam sujeitado, e o tempo dele seria eterno.
E EU o sustentaria com o trigo mais finho, e o saciaria com o mel saído da rocha.
( SALMO 81:8 )


Sião será remida com juízo, e os que voltam para ela com justiça.
Mas os transgressores e os pecadores serão juntamente destruídos; e os que deixarem o Senhor serão consumidos.
Porque vos envergonhareis pelos carvalhos que cobiçastes, e sereis confundidos pelos jardins que escolhestes.
Porque sereis como o carvalho, ao qual caem as folhas, e como a floresta que não tem água.
E o forte se tornará em estopa, e a sua obra em faísca; e ambos arderão juntamente, e não haverá quem os apague.
( ISAIAS 1:27 )