terça-feira, 30 de setembro de 2014

Enquanto candidatos perdem tempo com “homofobia” do Fidelix, especuladores violentam Dilma


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Enquanto a economia brasileira dá sinais concretos de desintegração na véspera da eleição, só muita netadaputice, combinada com burrice, poderia levar os candidatos à Presidência a perderem tempo com a polêmica inútil sobre a questionável “homofobia” do nanico-candidato Levy Fidelix no debate televisivo de domingo passado, na Rede Record. O desvio de um assunto seríssimo para um tema secundário, que nada acrescenta ao debate sobre o mundo real, é mais uma confirmação do subdesenvolvimento político brasileiro.

Só os imbecis e os canalhas conseguem ignorar a conjuntura econômica – que violenta e estupra o brasileiro que trabalha e produz honestamente. A carestia compromete a renda das famílias – cada vez mais endividadas e com problemas para honrar compromissos. A cada vez mais elevada carga tributária, para sustentar a gastança perdulária da máquina pública, inviabiliza a vida de todos. Além de causar a deterioração da indústria brasileira, alimenta a inflação e diminui o poder de compra. As consequências diretas são o desemprego e a queda no consumo. Tudo ainda mais complicado pelos juros absurdos, que dificultam o crédito, mas dão lucros recordes aos bancos – que faturam alto rolando a trilionária dívida pública no País do Pibinho.

A bomba só não explode porque o Brasil é uma bagunça institucionalizada. A economia informal, que consegue driblar o modelo econômico usurário e gastador, garante o milagre do consumismo para as classes economicamente mais baixas. Como elas também contam com os favores clientelistas do governo (as várias formas de bolsas do programa de compensação de renda que gera mais votos que prosperidade efetiva), o capimunismo tupiniquim sobrevive.

A impostura é tão surreal que o Brasil tem uma máquina arrecadatória autoperdulária: torra 70 centavos para cada R$ 1 real que consegue arrecadar. O brasileiro sofre um assalto a mão armada no contracheque. A Super Receita confisca, na fonte, os salários de quem já paga dezenas de impostos absurdos. Estudos sérios já listaram pelo menos 56 tipos de impostos, taxas e contribuições que roubam dinheiro da atividade produtiva no Brasil. A rigidez das regras trabalhistas, a formação educacional sem qualidade e a visão ilusória de lucro no curto prazo, junto com a especulativa “inflação”, tornam o “Custo Brasil” inviável para competir com o resto do mundo que se desenvolve e cresce de verdade – e não apenas na propaganda governamental mentirosa.

O grande drama (ou tragicomédia) da véspera eleitoral é a falta de compromisso efetivo dos candidatos com as mudanças efetivas e possíveis. Todos prometem, genericamente, reformas: tributária, trabalhista, educacional e por aí vai... Nenhum deles consegue comprovar, na prática, como vão cumprir o prometido. Ninguém fala em mudar o modelo econômico brasileiro – totalmente dependente da mera exportação de commodities. A balança comercial brasileira já foi, visivelmente, para o saco. A indústria brasileira, praticamente, já era. Nosso mercado interno depende de caríssimos incentivos de crédito (sempre a juros altamente absurdos). A moeda brasileira nada vale em relação ao capital do resto do mundo. Qualquer coisa no Brasil custa mais cara que em outro lugar do planeta. O País é uma ilusão quase perdida.   

Enquanto faz a pressão que pode para detonar Dilma, o tal “mercado” aproveita para faturar com a alta do dólar frente ao (i)Real e a queda na BM&F Bovespa. Nem sempre a queda na bolsa de valores tem a ver com a desastrada política econômica do governo. Aqui no Brasil, os especuladores sabem se aproveitar bem das situações para ganhar muito dinheiro. Muita gente fará a festa comprando ações na baixa vendidas pelos desesperados por resultados imediatos. É tão difícil punir a esperteza quando provar as operações atípicas feitas com base em insider trading (informação privilegiada). Quem ganha sabe porque faturou alto, enquanto a quem perde só resta o consolo...

Domingo todos seremos obrigados à dedada obrigatória na inconfiável urna eletrônica – que vai processar o voto sabe lá Deus como... O cidadão supertributado compulsoriamente vai fazer sua aposta no Cassino do Al Capone. Vai dar mais quatro anos de emprego para os políticos – a maioria absoluta sem o menor compromisso com a efetiva mudança do triste estado das coisas no Brasil.

Como o modelo não tem perspectiva de que vá se alterar, vamos continuar levando... O Governo do Crime Organizado é econômica e politicamente homofóbico... Pena que esta “homofobia” política e econômica não entra na ordem do dia. Assim, “o nosso” continua na reta... Os políticos ficam com o prazer... O eleitorado com a dor do estupro coletivo... Vamos continuar tomando na urna até quando?

Quem mandou me demitir antes da hora?


Batom na cueca


Leia, abaixo, o artigo de João Vinhosa - “Dilma: Mentirosa ou Omissa?”

Reação Generalizada


O tal Manifesto à Nação Brasileira, redigido por 27 generais de quatro estrelas do Exército Brasileiro, parece que já produziu um efeito prático...

Ontem, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, mandou suspender as ações contra cinco militares reformados acusados da morte do ex-deputado Rubens Paiva, em 1971, até que o plenário da Corte tome uma decisão final sobre o caso.

Zavascki aproveitou para lembrar que o plenário do STF já tinha reafirmado que tudo já estaria coberto pela Lei de Anistia de 1979, ainda em vigor, como também recordam os generais em seu manifesto...

Terrorismo puro...


E teve gente ontem convocando a Dilma para negociar com o rapaz, sob o argumento de que ex-terrorista dialoga bem com terrorista...

Pagando caro...

Não tem preço saber que o camarada José Dirceu está PT da vida com Luiz Marinho – um dos coordenadores da campanha da Dilma e um dos queridinhos do chefão Luiz Inácio Lula da Silva – sendo por ele apontado, até, como um “herdeiro político”.

Dirceu está revoltado porque o Prefeito de São Bernardo do Campo declarou que o desempenho de Dilma é atrapalhado em São Paulo por causa da prisão dos condenados no mensalão:

“É inaceitável! Como ele diz uma coisa destas?”...

Ela merece... Ela merece...


Até logo Mestre Braga

Não tem missão pior que informar a perda de um grande e velho amigo.

Deus convocou para seu time do plano superior o professor José da Silva Braga.

Com certeza, os ensinamentos dele continuarão permanentes neste nosso mundo transitório.

Doações ao Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.
                           
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.


A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Segunda Edição do Blog Alerta Total de 30 de Setembro de 2014.

Dilma: mentirosa ou omissa?


Esta charge-chula, de quatro anos atrás, ficou atualíssima com a recente denúncia da revista Veja de que o coordenador da campanha passada de Dilma, Antônio Palocci, teria pedido R$ 2 milhões ao esquema Paulo Roberto Costa/Alberto Yousseff, a dupla processada na Lava Jato. O pássaro misterioso volta a entrar na reta da candidata a perder a reeleição...

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por João Vinhosa

No debate promovido pela TV Record no último domingo, 28 de setembro, Dilma afirmou que foi ela quem deu autonomia à Polícia Federal para prender o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Foram as seguintes, as palavras textuais de Dilma: “Na minha vida eu tive tolerância zero com crimes de corrupção. Eu, além disso, dei autonomia à Polícia Federal para prender o senhor Paulo Roberto e os doleiros todos”.

Diante de tais palavras, Aécio retrucou: “Apenas um alerta à presidente: ela não tem que autorizar a Polícia Federal a prender ninguém. Essa é uma prerrogativa constitucional da Polícia Federal”. 

Das duas, uma: ou a afirmativa de Dilma é uma deslavada mentira, ou é uma verdade que foi omitida do público até aquele momento por mero oportunismo.
Caso Dilma tenha mentido, esse condenável procedimento foi ainda agravado pelo fato de a atual presidente da República ter, mais uma vez, aviltado a reputação da Polícia Federal.

Quanto à relação de Dilma com citada instituição, é recomendável a leitura dos dois artigos publicados no Alerta Total de 24 de setembro de 2014: “Desmascarando Dilma” e “Polícia Federal é do Brasil”.

Caso não tenha mentido, e, realmente, tenha influenciado a Polícia Federal, fica constatado que Dilma se omitiu, escondendo da população este fato relevante. E só veio a se manifestar porque ficou acuada, sem ter como minimizar sua responsabilidade em escândalos de corrupção envolvendo a empresa cujo Conselho de Administração era por ela presidido.

Mais: na hipótese de Dilma ter omitido que desempenhou o papel principal no desbaratamento da petroquadrilha, lícito torna-se concluir que sua omissão foi para evitar a ira dos companheiros denunciados pelo “delator premiado”.

Outra coisa que causa espanto é ver que (para afirmar que não compactua com crimes de corrupção) Dilma continua insistindo no desgastado bordão “tolerância zero”.

Diante do ostensivo uso do bordão que imortalizou o cômico Francisco Milani, sinto-me cada vez mais estimulado a saber o que aconteceu com o depoimento por mim dado à Polícia Federal contra a Gemini – a filha devassa da Petrobras, parida no período em que Dilma acumulava os cargos de Ministra de Minas e Energia e presidenta do Conselho de Administração da Petrobras.

Detalhes de tal depoimento podem ser vistos no vídeo “Dilma e as investigações da Polícia Federal”, cujo endereço se segue:



Quanto à relação de Dilma com citada instituição, é recomendável a leitura dos dois artigos publicados no Alerta Total de 24 de setembro de 2014: Desmascarando Dilma e “Polícia Federal é do Brasil”.

João Vinhosa é Engenheiro.

Tédio, não...


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

“Mãos ao alto; isto é um assalto”.

A frase acima é muito apropriada para refletir a situação atual que vivemos.

Nos últimos anos já nos roubaram:
o sossego;
a paz de espirito;
a segurança pessoal;
a segurança jurídica;
a nossa alegria de viver.

Estamos agora perdendo a esperança.

Não há solução política possível.

O voto obrigatório é o instrumento para garantir o curral eleitoral.

O horário obrigatório no rádio e televisão é um verdadeiro escárnio à nossa inteligência.

A urna eletrônica está sob suspeita e não se permite auditoria externa.

Felizmente a incompetência e a arrogância dos que tentam nos escravizar os destruirão.


Um mentiroso de alto rango provocou um terremoto na semana passada.

Atacados em sua honra, muitos dos homens mais patriotas e inteligentes deste país demonstraram o limite da tolerância.

Morreremos por outras causas; nunca de tédio.

Carlos Maurício Mantiqueira é Livre Pensador.

Frases que fizeram a História – parte 2


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

- “O único lugar aonde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário”. (Albert Einstein)
- “Em nossos dias, mais do que nunca, não foi a política que se moralizou, mas a moral que se politizou” (Jean François Revel, livro A Grande Parada).
- “Nos anos que se seguiram à derrota da guerrilha (no Brasil) muitos intelectuais se tornaram leitores e devotos do teórico da revolução cultural, Antonio Gramsci, o qual, nos planos que delineia para a tomada do poder pelos comunistas, destaca uma tese que denomina de implantação do Estado Ético (...). Diz Goethe, quando a gente não sabe o que fazer, uma palavra é como uma tábua para o náufrago” (Olavo de Carvalho, livro O Jardim das Aflições)

- “Meu povo está subjugado na mais negra miséria. Torturam-se pessoas e um quinto da população fugiu por razões políticas. O povo cubano vive esperando o abraço solidário dos mandatários ibero-americanos. Estes, porém, o negam às vítimas e o oferecem ao carrasco” (Armando Valladares, poeta que passou 22 anos nas masmorras cubanas).

- Em 3 de junho de 1989 o então vice-prefeito de São Paulo, Luiz Eduardo Rodrigues Greenhalg, no teatro Clara Nunes, disse que caso o PT chegasse ao poder os principais pontos seriam:
- “desativação dos ministérios das FF AA, que seriam substituídos pelo Centro de Defesa Civil;
- remanejamento das FF AA, transferindo os Oficiais que servem no Sul para o Norte, e vice-versa, afastando-os, assim, das frações por eles comandadas, prevenindo possíveis ações armadas;
- reforma de 50% dos atuais Oficiais da Ativa, cujos nomes já tinham sido levantados;
- extinção de todos os Órgãos de Inteligência, abrindo seus arquivos ao exame de uma Comissão Popular;
- submeter a júri civil todos os envolvidos direta ou indiretamente com a repressão”.
Ao final do evento proclamou: “O povo deve se conscientizar e se mobilizar. Sair às ruas. Só através da luta armada é que conseguiremos garantir a posse de Lula”.(livro A Face Oculta da Estrela, João de Paula Couto, Porto Alegre, Gente do Livro, 2001).

- “O Orçamento nacional deve ser equilibrado. As dívidas públicas podem ser reduzidas. A arrogância das autoridades deve ser moderada e controlada. Os pagamentos a governos estrangeiros devem ser reduzidos. Se a Nação não quiser ir à falência as pessoas devem novamente aprender a trabalhar em vez de viverem por conta do governo” (Marcus Túlio Cícero, Roma 55 AC).
- “Embora seu rosto já esteja marcado por rugas, Fidel, sua alma continua limpa porque você nunca traiu os interesses de seu povo. Obrigado, Fidel, obrigado por você continuar existindo” (Lula, 2001, no Encontro do Foro São Paulo - aquele que os petralhas dizem que não existe..- em Havana).
- “Aqueles que conseguem desistir de uma liberdade essencial para obterem um pouco de segurança temporária não merecem nem liberdade e nem segurança” (Benjamim Franklin).
- No início de abril de 2003, José Dirceu declarou que a geração que chegou ao poder com o presidente Lula deve muito a Cuba. Lembrou que nos anos do regime militar a esquerda teve a solidariedade de Cuba com “sua mão amiga e seu braço forte”. “A geração que chegou ao poder com Lula é devedora de Cuba. E me considero um brasileiro cubano e um cubano brasileiro”.
- “Pode ficar certo de que não tem chuva, não tem geada, não tem terremoto, não tem cara feia, não tem Congresso Nacional, não tem Poder Judiciário. Só Deus será capaz de impedir que a gente faça este país ocupar o lugar de destaque que ele nunca deveria ter deixado de ocupar” (presidente Lula, O Globo, 25 de junho de 2003).
- “Os comunistas passaram no Século XX as piores humilhações. Cada partido que constituíam tornava-se imediatamente uma máquina de controle repressiva interna. Mais sufocante que a Inquisição. Se fosse a direita que os perseguisse, isso lhes infundiria orgulho e autoconfiança. Mas, oprimidos por seus próprios líderes, como é que ficavam as suas auto-imagens? Parece que agora, no Século XXI, isso está voltando a ocorrer num partido chamado dos trabalhadores". (autor deste artigo, 7 de agosto de 2003).
- “Jurgen Habermas ensina às esquerdas o preceito da reivindicação impossível, a luta pela promulgação de direitos e normas propositadamente idealísticos e impraticáveis; reivindicação que, não atendida pelo Estado, gera uma onda de indignação moral; e, atendida, precipita uma crise de legitimidade onde o Estado é acusado de não cumprir suas próprias leis; de modo que, faça o que fizer, a autoridade se entrega inerme aos golpes de seus inimigos” (Olavo de Carvalho, livro O Jardim das Aflições).
- “Todo mundo sabe que nunca aceitei o rótulo de esquerda” (candidato Lula, dia 27 de agosto de 2002, antes das eleições, em Caracas).

- “Nem todos os membros da esquerda subscrevem as palavras de Danielle Mitterrand: ‘Cuba representa a síntese do que o socialismo pode realizar’, frase que constitui a mais arrasadora condenação do socialismo jamais proferida” (Jean François Revel, livro A Grande Parada).

- “Pouco nos importa a desproporção de forças. Quando os grandes se acovardam, os pequenos têm de dar o exemplo” (Olavo de Carvalho, Mídia Sem Máscara)

- “Um homem deve ser julgado mais pelas suas perguntas do que pelas suas respostas (Voltaire).

- O espírito se enriquece com aquilo que recebe; o coração com aquilo que dá” (Victor Hugo).

- “Cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro” (Clarice Lispector, escritora)

- “Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu “(John M. Richardson Jr)

- “O socialismo é cativante porque cada um pode idealizá-lo como desejar” (Norberto Bóbio)

- “A grande maioria de nossas importações vem de fora do país” (descoberta científica!) (presidente Lula).

- “Eu gostaria de ter estudado latim, assim eu poderia me comunicar melhor com o povo da América Latina” (fantástico!) (presidente Lula).

- “Se não tivermos sucesso, corremos o risco de fracassarmos” (gênio!) (presidente Lula)

- “O Holocausto foi um período obsceno na história de nossa Nação. Quer dizer, na história deste século. Mas todos vivemos neste século. Eu não vivi nesse século” (raciocínio surpreendente!) (presidente Lula)

- “Uma palavra resume provavelmente a responsabilidade de qualquer governante. E essa palavra é estar preparado” (Nobel pra ele, rápido!) (presidente Lula)

- “O futuro será melhor amanhã” (gênio!) (presidente Lula)

- “Nós temos um firme compromisso com a OTAN. Nós fazemos parte dela. Nós temos um firme compromisso com a Europa. Nós fazemos parte da Europa” (coitada da geografia!) (presidente Lula)

- “Um número baixo de votantes é uma indicação de que menos pessoas votaram” (grande!) (presidente Lula)

- “Nós estamos preparados para qualquer imprevisto que possam ocorrer” (coitada da gramática!) (presidente Lula)

- "Para a NASA o espaço ainda é uma alta prioridade" (fenomenal!) (presidente Lula)

- "Não é a poluição que está prejudicando o meio ambiente. São as impurezas no ar e na água que fazem isso" (a Marina Silva sabe disso?) (presidente Lula)

- "É tempo para a raça humana entrar no sistema solar" (como é que é?) (presidente Lula)

- “Se um cortador de cana tem que trabalhar 60 anos para se aposentar, por que um professor universitário se aposenta com 53?” (presidente Lula, aposentado com 50 anos)

- O hoje professor de História Contemporânea da Universidade Federal Fluminense e ontem guerrilheiro do MR-8 que recebeu treinamento em Cuba, em recente seminário na UFRJ assim se expressou: “As esquerdas radicais se lançaram na luta contra a ditadura, não porque a gente queria uma democracia, mas para instaurar o socialismo no país por meio de uma ditadura revolucionária, como existia na China e em Cuba. Mas, evidentemente, elas falavam em resistência, palavra muito mais simpática, mobilizadora, aglutinadora. Isso é um ensinamento que vem dos clássicos sobre a guerra. Falava-se em cortar cabeças, essas palavras não eram metáforas. Se as esquerdas tomassem o poder, haveria, provavelmente, a resistência das direitas e poderia acontecer um confronto de grandes proporções no Brasil. Pior, haveria o que há sempre nesses processos e no coroamento deles: fuzilamentos e cabeças cortadas”. (Daniel Aarão Reis - O Globo, 29 de março de 2004). 

- “Deve-se combater o comunismo não em nome do liberalismo, da social democracia ou de qualquer outro regime, mas em nome da dignidade humana” (Jean-François Revel)

- “A Guerra assimétrica: inspirada na Arte da Guerra de Sun-Tzu, consiste em dar tacitamente a um dos ladosbeligerantes o direito absoluto de usar de todos os meios de ação, por mais vis e criminosos, explorando  ao mesmo tempo como ardil estratégico os compromissos morais e legais que amarram as mãos do adversário” (Olavo de Carvalho)

- “Para nós, bolcheviques, a democracia formal é um recipiente vazio, e os interesses do partido são tudo” (Stalin, no XIV Congresso do PCUS, dezembro de 1925)

- “A idéia de que Stalin não era somente o líder do partido, mas de toda a Nação, foi gradualmente inoculada na mente do povo. Uma idéia publicamente expressa de forma concentrada, em dezembro de 1939, por um membro do Politburo – Nikita Kruschev, que na ocasião disse:

            “Todos os povos da União Soviética vêem Stalin como seu amigo, seu pai e líder;
            Stalin, em sua simplicidade, é o amigo do povo;
            Stalin, em seu amor pelo povo, é o pai do povo;
Stalin, em sua sabedoria como líder da luta dos povos, é o líder dos povos”

- Em fevereiro de 1956, no XX Congresso do PCUS, o Congresso da Desestalinização Nikita Kruschev declarou que “Stalin nunca passou de um assassino”. Ou seja, um discurso de carrasco destinado a isentar os carrascos e a salvar o sistema, fazendo com quem toda a culpa incidisse sobre Stalin, que já estava morto.

- “Não pode existir trégua na luta contra a religião porque, enquanto ela existir, o comunismo não prevalecerá. Devemos intensificar a destruição de todas as religiões aonde for que elas sejam praticadas ou ensinadas” (Mikhail Gorbatchev, em 15 de dezembro de 1987, já em pleno processo da perestroika).

- No final de dezembro de 1991, quando a União Soviética deixava de existir, num final de noite, no Kremlin, Gorbachev ainda teve tempo de responder a uma pergunta do repórter Ted Koppel, da rede de televisão norte-americana ABC: “O que se passa na alma do senhor agora? Resposta de Gorbachev: Respondo com a parábola de um rei que encarregou os sábios de descobrirem qual é o segredo da sabedoria. Depois de passarem a vida viajando e de redigirem 40 volumes, os sábios finalmente trouxeram a resposta para o rei. Mas o rei estava morrendo. Para não perder tempo eles resumiram tudo em uma frase:“O homem nasce, sofre e morre” (Andrei Gratchev, assessor e porta-voz de Gorbachev, livro L’Histoire Vraie de La Fin de L’URSS – A História Real do Fim da União Soviética)
- Trecho de um discurso do Ministro da Cultura Gilberto Gil em dezembro de 2004: “É... bom..., eu queria dizer que a metáfora da música brasileira na globalização efetiva dos carentes objetos da sinergia fizeram a pluralização chegar aos ouvidos eternos da geografia assimétrica da melodia... “ (corta o tubo!)
- “O vício inerente ao capitalismo é a desigual distribuição de bens. A virtude inerente ao socialismo é a eqüitativa distribuição da miséria” (Winston Churchil)
- Liberdade? Para que? (Lenin)

- “A política é a arte de procurar os problemas, encontrá-los, fazer um diagnóstico falso e, depois, aplicar os remédios equivocados” (Grouxo Marx)

- “Às vezes eu me pergunto que aspecto teriam os Dez Mandamentos se Moisés os houvesse passado pelo Congresso dos EUA” (Ronald Reagan)  

- “O governo não pode resolver o problema. O problema é o governo” (Ronald Reagan)  

- “A política é a segunda profissão mais antiga do mundo, segundo se supõe. Cheguei à conclusão de que ela guarda grande semelhança com a primeira” (Ronald Reagan)

- “Um exercito de ovelhas liderado por um leão, venceria um exercito de leões liderado por uma ovelha” (Provérbio árabe)           

- Personagens: o vitorioso Duque de Wellington e Napoleão.
Wellington: “Venci porque lutei pela honra. Perdestes porque lutastes tão somente pelo Poder...”
Napoleão: “É verdade...cada um luta pelo que não tem...”

- O filósofo popular Tim Maia, dizia que no Brasil as coisas não podem dar certo por que aqui “traficante se vicia, cafetão se apaixona e puta goza”.

- “Roberto Marinho não faz outra coisa a não ser mentir para o povo” (Lula, em 
1987).


- ”O Brasil perde um homem que passou a vida acreditando no Brasil. Como dizia nosso amigo Carlito Maia, tem gente que vem ao mundo a passeio. Tem 
gente que vem ao mundo a serviço. Roberto Marinho foi um homem que veio 
ao mundo a serviço. Quase um século de vida de serviços prestados à 
comunicação, à educação e ao futuro do Brasil. À família, aos amigos e 
aos funcionários das Organizações Globo, rendo as minhas homenagens 
póstumas. Declaro três dias de luto oficial”. (presidente Lula, em 2003)


- “E, para nossa felicidade, muitos companheiros que eram militantes de esquerda na década de 80 estão se transformando em governo. Então, nós passamos a ter uma relação privilegiada com presidentes e com ministros que eram militantes, junto conosco, do Foro de São Paulo, tentando encontrar uma saída democrática para a esquerda na América Latina”. (presidente Lula, em 1 de setembro de 2005, na formatura dos novos diplomatas, no Instituto Rio Branco).

“Quero uma solução para o caso do INCOR em 48 horas”, disse Lula ao ministro Mantega em 12 de novembro de 2006.  O prazo dado pelo presidente para a solução da crise do Instituto do Coração terminou dia 14 sem que nenhuma providência de peso tivesse sido tomada.

- "Não me pergunte o que é ainda, que eu não sei, e não me pergunte a solução, que eu não a tenho, mas vou encontrar, porque o país precisa crescer" (presidente Lula, em novembro de 2006) (Deixa o homem trabalhar!)

Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Crônica de uma derrota antecipada pelas fraudes


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Será que Dilma Rousseff conseguirá o milagre de se reeleger já no primeiro turno? Será que Marina Silva conseguirá conter sua queda nas pesquisas, para levar a disputa ao segundo turno? Ou será Aécio Neves quem milagrosamente passará Marina para tentar vencer Dilma na “outra eleição” (o significado real da disputa polarizada em segundo turno)?

Tais indagações devem ser respondidas até quinta-feira que vem, dia 2 de outubro. Lobistas, grandes empresários e estrategistas de campanha afirmam ter mecanismos de consulta, mais eficientes que as tradicionais e questionáveis pesquisas eleitorais para indicar a previsão mais factível para a eleição presidencial de domingo que vem.

A propaganda eleitoral se encerra sem um debate eficiente sobre soluções concretas para os problemas brasileiros, com o prazo definido para implantá-las. Os favoritos na disputa só jogaram para a “galera” – o eleitor que prefere se comportar como torcedor fanático de futebol, em vez de se portar como cidadão que reivindica direitos e cumpre deveres. Alguém vai ganhar e nós vamos perder, porque o Brasil não vai mudar – a não ser para pior...

Independentemente do resultado final, já sofremos, antecipadamente, uma derrota institucional. Novamente o eleitor é obrigado a referendar um processo eleitoral com resultado inconfiável. Você sabe em quem vota. Mas é o sistema que sabe quem elege. O eleitor é forçado a aceitar, dogmaticamente, a lisura do processo sem direito a recontagem física de votos e auditoria independente. A tecnologia vigente permite que hackers façam a festa.   

O eleitor tem o dever de ler com atenção o artigo acadêmico (In)segurança do voto eletrônico no Brasil, escrito por Diego Aranha, Marcelo Karam, André de Miranda e Felipe Scarel, publicado das páginas 117 a 133 dos Cadernos Adenauer XV - 2014, Número 1.

Os autores apresentam um conjunto de vulnerabilidades no software da urna  eletrônica que permitiu a recuperação eficiente, exata e sem deixar vestígios dos  votos em ordem registrados eletronicamente, derrotando o único mecanismo de proteção do sigilo do voto utilizado pelo software de votação.

Os especialistas fazem recomendações para contornar as falhas perigosas, mas o Tribunal Superior Eleitoral, em uma visão incompreensivelmente dogmática, prefere recusar um debate público sobre o assunto, propagandeando a infalibilidade do sistema eletrônico de votação no Brasil. 

Releia o artigo de ontem: Fraude Eleitoral à vista

Miss Prostituta


Calma, pessoal, não é a foto de nenhuma mãe de político...

Trata-se apenas do resultado do concurso Miss Prostituta vencido no domingo pela mineira Milena, de 25 anos, que ganhou R$ 1 mil e uma cesta de produtos de beleza como premiação.

O 2º lugar no concurso ficou com a veterana Efigênia, de 54 anos e 20 de profissão, que embolsou 700 Reais.

Mari, de 30 anos, foi a 3ª colocada na disputa entre 14 mulheres de Minas, Rio de Janeiro e Manaus.

Detalhe importante: elas não foram escolhidas pelas dedadas em urnas eletrônicas absolutamente inconfiáveis...

Derrota prevista


Doações ao Alerta Total

Os leitores, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo de várias formas, com qualquer quantia, e com uma periodicidade compatível com suas possibilidades.

Nos botões do lado direito deste site, temos as seguintes opções:

I) Depósito em Conta Corrente no Banco do Brasil. Agência 4209-9, C/C: 9042-5, em favor de Jorge Serrão.

OBS) Valores até R$ 9.999,00 não precisam identificar quem faz o depósito; R$ 10 mil ou mais, sim.

II) Depósito no sistema PagSeguro, da UOL, utilizando-se diferentes formas (débito automático ou cartão de crédito).

III) Depósito no sistema PayPal, para doações feitas no Brasil ou no exterior.
                           
Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus. Nekan Adonai!

O Alerta Total tem a missão de praticar um Jornalismo Independente, analítico e provocador de novos valores humanos, pela análise política e estratégica, com conhecimento criativo, informação fidedigna e verdade objetiva. Jorge Serrão é Jornalista, Radialista, Publicitário e Professor. Editor-chefe do blog Alerta Total: www.alertatotal.net. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos.

A transcrição ou copia dos textos publicados neste blog é livre. Em nome da ética democrática, solicitamos que a origem e a data original da publicação sejam identificadas. Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

© Jorge Serrão. Segunda Edição do Blog Alerta Total de 29 de Setembro de 2014.

Espinhos


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Dizem que um ouriço excelso, amor incondicional da bruxa malvada, num arroubo de paixão, atirou-se em seu colo inopinadamente, ferindo-a com vinte e sete espinhos.

Ela exigiu desculpas, mas não foi atendida.

Agora avalia o que fazer.

Sabe que a infecção virá por fás ou por nefas.

O episódio foi um marco. Consulta o Aurélio, o Zorro e o sargento Garcia.

O melhor é fingir que nada aconteceu.

A princesa da floresta parece que se transforma em sapo depois que foi beijada por um banqueiro da pedra preta.

“Ah! é  cio arrebatador da primavera!” exclama num esforço de auto-engano.

Afinal, quem  tudo quer tudo perde.


Carlos Maurício Mantiqueira é Livre Pensador.

O Circo da Justiça Eleitoral


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

Passei, mais uma vez, por azar, na frente da televisão que estava ligada na  hora da campanha institucional da Justiça Eleitoral para as eleições de 2014. A minha dor de ouvidos, que começou no início dessa campanha, se agravou . Entrei em crise “aguda”,o que me oportunizou identificar a origem dessa dor. Não era caso, evidentemente, de tomar algum remédio. Era de “desabafar”, para aliviar esse maldito desconforto. Então vamos em frente.

Tiveram o incrível mau gosto de colocar num “comercial” do TSE  um idiota  qualquer como candidato a algum cargo eletivo ,um daqueles chatos que não têm consciência do limite de tolerância dos outros. Em resumo: um chato de galocha, engravatado, pedindo votos, constrangendo seus “alvos” que não sabiam o que fazer para se livrar do “cara”. Em resumo:  um daqueles sujeitos que todos gostariam de dar uma passagem só de ida à Marte.Até aí tudo bem.

Mas em seguida vem uma chamada do “justiceiro” para o telespectador-eleitor “não cair nessa”, atribuindo-lhe responsabilidade se isso acontecesse. O caso é que a Justiça Eleitoral optou pelo menor dos problemas que impregnam a política,que é  o desequilíbrio mental, a “chatice”, a ausência de “flagrômetro”, do candidato. E o moralmente desequilibrado, que  é o grande contingente da política e o câncer do país, Senhora Justiça Eleitoral?

A verdade é que a Justiça Eleitoral avaliza a prática de uma falsa democracia, nela colocando o “carimbo”da Justiça. Para começar, o que se pratica aqui em pindorama nunca foi democracia, e sim a sua contrária, a oclocracia, que é a democracia degenerada, falsificada, deturpada e corrompida, tendo num pólo, como  beneficiários, a pior escória da sociedade ,um bando de falsários e delinqüentes da política, e como vítima a massa ignara e muitas vezes comprada com um mísero prato de comida.

O que revolta é que a Justiça acusa nesse seu “comercial” os eleitores pelas eventuais más escolhas, quando isso não é verdade. O problema está nos dirigentes dos partidos, e no “sistema” que gerencia a política, aí incluída a própria  Justiça Eleitoral. O povo não escolhe candidatos. Eles são enfiados  na sua “goela-abaixo”. O melhor exemplo está nas eleições presidenciais correntes. Formalmente, ela está de acordo com a lei. Nada de errado. Mas a sua essência deixa muito a desejar. É cheia de vícios. Se eu fosse um condenado à morte, essa eleição significaria para mim o mesmo que o carrasco ser “democrático” e deixasse para mim a escolha da  morte “preferida”:  se enforcado, guilhotinado ou eletrocutado? Ora, isso não é democracia nem  aqui, nem na PQP...

Essa “democracia”, portanto, não merece respeito, e sua “decapitação” estaria legitimidade mesmo por vias excepcionais.


Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo gaúcho.

O Manifesto dos Generais e a hipocrisia da governanta


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: A chamada "Comissão Nacional da Verdade" (CNV) perdeu a sua legitimidade no dia em que decretou, por iniciativa de seus “comissários”, que não iria cumprir a “lei” que a criara.

A Governanta - candidata, desinformada e hipócrita, a reeleição -, reagindo ao “Manifesto dos 27 Generais”, declarou, em primeiro lugar, o óbvio – “quem não quiser pedir [desculpas] que não peça”-, e, em seguida, o quanto desconhece ou desconsidera o que seja democracia e legalidade, porquanto referiu-se à CNV por intermédio da lei violada que a criou, lembrando, inclusive, a sua aprovação pelo Congresso – poder que o seu partido quis comprar e que pretende neutralizar com a criação de “sovietes”,  caso vença as eleições -, acrescentando que “leis, no estado democrático de direito, têm que ser cumpridas”!

“Santa incoerência”, diria ao Batman um espantado Robin!

Como é possível apelar à legalidade de uma comissão que se autocolocou fora da lei, tornando-se definitivamente desmoralizada e uma ameaça à verdade, já que, declaradamente e por unanimidade, posicionou-se a favor de uma investigação unilateral, facciosa e ao arrepio da lei?

A CNV transformou-se em uma farsa a serviço do nada! Não passa de mais um cabide de empregos para apaniguados de terroristas assassinos e mentirosos que não conseguem conviver com a honestidade, a verdade, a grandeza e, principalmente com a humildade para aceitar a derrota e admitir que nunca foram democratas e que nunca lutaram por liberdade!

Considerando a hipocrisia do fato e da alegação, cumpre, por oportuno, comentar, ainda, dois outros correlatos. O primeiro refere-se ao último mote da campanha da Governanta quando enfoca sua “determinação” para, em seu suposto próximo mandato, dar combate à ação dos corruPTos, acabando com a impunidade, “doa a quem doer”. O segundo, intimamente ligado ao primeiro, diz respeito ao uso dos Correios e Telégrafos para o envio de propaganda política dela própria!

Como quer a Sra Governanta que acreditemos que o governo mais corruPTo da história deste País vá, algum dia, combater seu mais rentável ganha pão?

Como quer a Sra Governanta que venhamos a dar crédito a um compromisso de campanha assumido por intermédio da utilização corrompida de recursos e meios públicos?

Será que a Sra Governanta dará provas de sua determinação legalista e anticorruPTiva ainda no tempo que lhe resta do mandato vigente?

Que moral tem a Sra Governanta para falar de desculpas ou cumprimento da lei aos Srs Generais do Exército de Caxias, pois, com certeza, não são eles nem o Exército que devem desculpas à Nação?


Paulo Chagas, General de Brigada na reserva, é Presidente do Ternuma.

Um gás para Amorinha


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ronaldo Fontes

O ministro da defesa do Brasil, disse claramente na última semana em reunião em Santos, que o Brasil deve preocupar-se com as fronteiras da América Latina  e que as Adesgs(Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra) assim como a própria Escola Superior de Guerra deverão mudar seus conceitos de defesa e soberania em benefício da América do Sul.

O que isto representa?

Representa, que o ministro, assim como o governo, está  trilhando o caminho da traição contra o país e contra o povo. O globalismo, que teve início na segunda década do século XX, nada mais é que a forma moderna do colonialismo, onde os países desenvolvidos extraem bens e recursos  primários dos menos desenvolvidos porém ricos em matérias-primas.

Para esse fim utilizam atualmente duas estratégias: a filosofia Gramscista e a tática Fabianista, ambas com características de não violência para tomar o poder
Fazem crer a população que nosso grande inimigo é os estados Unidos da América do Norte, quando em realidade é nosso grande parceiro.

Os EUA poderão um dia tornar-se uma ameaça? Claro que sim, porém não é da forma com que estão projetando nossa defesa que conseguirão isso.

Conceitualmente, a Defesa Nacional é um conjunto de atitudes , medidas e ações de Estado, para defesa do território , da soberania e dos interesses nacionais contra ameaças preponderantemente externas, potenciais e manifestas.
Para isto, as Forças Armadas dever possuir condições de dissuasão a QUALQUER TIPO DE AGRESSÃO.

O ministro referiu-se em seu discurso, me parece que sem conhecimento de causa e assim contemplo meus pensamentos evitando uma análise mais cruel de sua figura, a um capítulo da defesa Nacional denominado SEGURANÇA E DEFESA COLETIVAS.

Segurança coletiva é proporcionada por ações de um Sistema de Defesa integrado por diferentes nações e deve possuir três condições básicas:

1-     Os membros devem ter condições de reunião a qualquer momento força suficiente para enfrentar com vantagem o agressor.

2-     Devem ter as mesmas concepções de defesa

3-     Devem colocar interesses regionais conflitantes abaixo do interesse coletivo, para colocar em prática as medidas de defesa comuns.

Não é isso que esses governos fazem. São lacaios do Foro de São Paulo e do Diálogo Interamericano que lhes dão as ordens a ser cumpridas. São planos de governo e não de Estado, porque são ideológicos e não visam o Bem Comum da Nação Brasileira.

Deveriam estar preocupados com as condições de nossa defesa, através de consecução de políticas de Estado que premiem nossas Forças Armadas com recursos materiais , humanos e valorizando nossos soldados.

Ao contrário , tudo fazem para desacreditar nossas Forças Armadas e reduzir sua capacidade de defesa da nação.

O Amorinha é doce ao foro de são Paulo e ácido aos brasileiros.


Ronaldo Fontes é Médico e presidente do Instituto Foro do Brasil.