sábado, 21 de fevereiro de 2015

Bandidos do Oriente preparam invasão cinzenta


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Ricardo da Rocha Paiva

Enquanto a República Popular da China (RPC) pleiteia treinar seu exército na Amazônia, eis que Rússia e Cuba também poderão fazer exercícios militares no Brasil ainda nesse ano de 2015. A temeridade se agrava com o pedido da ditadura chinesa para adestramento no Centro de Instrução de Guerra na Selva (fonte jornal manauara “A Crítica”). A nota do dito noticioso segue comentada.

JORNAL A CRÍTICA - Autoridades militares do País receberam com estranhamento informação de que a China pretende treinar tropas no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS)), em Manaus. A desconfiança não está no interesse pela unidade, que já recebe militares de outras nações. O senão está no contato que a China usou com o ministro da defesa, Jaques Wagner, o General Li Jinzhang, militar recém-indicado a embaixador chinês no Brasil, fato raro nas relações entre os países.

PRRPAIVA - Causa perplexidade que as autoridades militares do País tenham “estranhado” a informação de que a RPC pretenda treinar tropas no CIGS, na medida em que, já faz tempo, mesmo alertadas por vários especialistas no métier, estas mesmas autoridades continuam permitindo ministrar cursos para militares integrantes da “quadrilha da OTAN”, a sua maioria pertencentes ás forças especiais (FE) de grandes potencias militares que não escondem sua cobiça pela região. Em verdade, esse adestramento, no mínimo bizarro, avesso aos mais comezinhos ensinamentos do mestre da Arte da Guerra SUN TZU já deveria ter sido suspenso de longa data desde que altos dignitários, daqueles países e do bloco antagônico, passaram a se reportar de forma agressiva sobre a nossa grande região norte.  Assim foi com John Major, ex-primeiro ministro inglês; Mikhail Gorbachev, ex presidente da antiga URSS; General Patrick Hughes, ex Chefe do Órgão Central de Informações das Forças Armadas dos USA, este que, já em 1998,declarava, sem nenhuma cerimônia: -“Caso o Brasil resolva fazer um uso da Amazônia que ponha em risco o meio ambiente nos Estados Unidos, temos de estar prontos para interromper esse processo imediatamente. ” De modo que esta tal estranheza, em princípio, como sempre, precisa ser transmitida sem maiores inibições, com absoluta reprovação por quem deveria “botar a boca no mundo”!

JORNAL A CRÍTICA - Enquanto isso a Rússia está aperfeiçoando suas forças nucleares e a força aérea espacial do país. Os planos incluem colocar em serviço quatro regimentos de mísseis, dois novos submarinos nucleares (Vladimir Monomakh e Alexander Nevsky) e mais 50 novos mísseis balísticos intercontinentais.

PRRPAIVA - Enquanto isso o Brasil, além de permanecer submisso ao TNP, se contenta com um ”foguetinho”, um tal de MTC (míssil tático de cruzeiro) 300, com um alcance ridículo de apenas 300 Km, que os grandes predadores militares permitiram o Brasil soltar durante as festas juninas, e isto somente porque ”a arma está no limite do Regime de Controle de Tecnologia de Mísseis (o MTCR), do qual o Brasil (cúmulo de amadorismo irresponsável) é signatário. O acordo restringe o raio de ação máximo a 300 Km e as ogivas a 500 Kg, nos vedando o desenvolvimento de vetores que habilitem nossa artilharia bater, no mínimo, com o dobro deste alcance e poder letal, de molde a neutralizar os meios aeronavais potentíssimos, de notórias armadas de respeito que possam se acercar da foz do Amazonas ou da nossa bacia pré-sálica.

JORNAL A CRÍTICA - Na primeira reunião de 2015, o ministro da defesa Serguei Shoigu definiu os planos para esse ano, incluindo manobras militares com Cuba, Coréia do Norte, Vietnã e Brasil.

PRRPAIVA - O que teria a dizer, sua excelência, o senhor Ministro da Defesa Jaques Wagner? Em verdade acho que nada, na medida em que deve ver com muita naturalidade o “cavalo de Tróia” já admitido com a verdadeira brigada de paramédicos cubanos,infiltrada com o tal “Programa Mais Médicos”, prestigiado pela presidenta e comandanta em chefe das FFAA, hoje mais do que nunca necessitada de um braço armado de que possa se valer, no caso da concretização da ameaça de “impeachment”, que está a assombrá-la desde que tomou posse para o seu segundo mandato.Também é difícil acreditar que o alto comando das FFAA não venha acompanhando esta marcha desenvolta da estratégia “gramscista” de tomada e permanência no poder, palmilhada pela governança comunopetista que, quer queiram quer não queiram os oficiais-generais do último posto integrantes da cúpula das forças singulares, não vai “entregar o ouro” pacificamente, nem com nem sem eleição. Que não se duvide, porém, estão vendo a banda passar e já perderam o bonde do “bom combate”, pois a luta é inevitável e será tão ou mais sanguinolenta enquanto não se der um basta imediato nas vulnerabilidades que vem sendo admitidas por um colegiado de profissionais das armasque, até sobejas provas em contrário, parece ter perdido toda e qualquer noção do perigo e da realidade nacional.  O Presidente João Baptista de Oliveira Figueiredo vaticinou com muita propriedade: -“Vocês querem, então vou reconhecer esse sindicato do PT. Mas não esqueçam que esse partido chegará ao poder e, lá estando, tudo fará para instituir o comunismo. Nesse dia, vocês vão querer tirá-lo de lá. E para tirá-lo de lá será a custa de muito sangue! ”

A argumentação de alguns indignados no sentido de abrirem os olhos do alto comando já está praticamente esgotada!  Os “velhos soldados” serão mártires ou heróis desta luta insana! De qualquer forma, que Deus os ilumine pela verdadeira cruzada que fazem com as armas da crítica e do esclarecimento.

Se cometem alguma impropriedade, o desfecho final mostrará que não há condenação cabível pela última trincheira que, tão poucos, ousaram levantar e continuam defendendo, apesar de todas as injustiças que sofrem, chamados mesmo de “raivosos” pelos “pastores de ovelhas” que, ao invés de se juntarem aos alertas, teimam em “enxugar gelo”, justificando com a disciplina a falta de posicionamento mais firme por parte de comandantes que, parece, se esqueceram do “farol nosso de cada dia”,  que não pode ser apagado e que reza “BRASIL ACIMA DE TUDO!”


Paulo Ricardo da Rocha Paiva é Coronel de infantaria e Estado-Maior.

8 comentários:

Anônimo disse...

Sempre a mesma história de cobiça da região...isso já encheu o saco amigo, passa pra próxima. Qualquer retardado militarmente sabe que se a Amazônia for ameaçada, o será pelas grandes potências que tem o controle absoluto do ciberespaço, armamento, força bélica e política.(mas debaixo das arvores não pega...)Outra enganação ou despreparo. Não lutaremos contra nossos vizinhos, com certeza, e toda tecnologia emprega na região, já é obsoleta para as grandes potências. Ai vem o problema maior: deixar que outras forças treinem no CIGS, grande coisa, o que irão apreender que em outros lugares (digo outros lugares de soldados profissionais, treinados em experiências vividas em combate) não saibam? passar fome? não dormir? perigo? Isso eles já passaram em guerras, portanto sabem como é, não é só imaginação. Então o problema é os chineses, russos, franceses, visigodos ou sei lá quem treinarem no CIGS? com tantos problemas a resolver nas FFAA e a preocupação é esta, CHINESES.

Anônimo disse...

O uso da amazonia não está pondo em risco o meio ambiente americano.. está pondo em risco o meio ambiente brasileiro, mais especificamente o sudeste do pais, onde as riquezas do pais são produzidas,, o desmatamento descontrolada da amazonia está secando essa região....e o futura derpa dificil...

Cactus disse...

.
A questão não se trata de se é indiferente os militares chineses treinarem na Amazônia ou não. Se treinar aqui não irá fazê-los aprender mais nada do que já sabem, então por que vem para cá?
.
Simples.
A China e o Brasil estão unidos pela comunistada, e o governo brasileiro está sentindo o perigo de uma revolta militar no Brasil. Então, já estão enchendo o país de guerrilheiros cubanos travestidos de médicos, bem como diversos africanos, e agora militares chineses. Tudo indica que o bicho vai pegar. Preparem-se.
.

Loumari disse...

O Esforço pelo Conhecimento da Verdade

Devemos escolher como finalidade independente do nosso esforço o conhecimento da verdade ou, exprimindo-nos mais modestamente, a compreensão do mundo inteligível por meio do pensamento lógico? Ou devemos subordinar esse esforço pelo conhecimento racional de qualquer espécie a outros objectivos, por exemplo, a objectivos práticos? O simples pensamento não pode resolver esta questão. A decisão tem, pelo contrário, uma influência decisiva na nossa maneira de pensar e julgar, partindo-se do princípio de que tem o carácter de convicção inabalável. Permitam-me que confesse: para mim, o esforço pelo conhecimento é um daqueles objectivos independentes, sem os quais uma afirmação consciente da vida me parece impossível ao homem de pensamento.
Uma das características do esforço pelo conhecimento é que ele tende a abranger tanto a multiplicidade da experiência como a simplicidade e redução das hipóteses fundamentais. O acordo final desses objectivos é, devido ao estádio primitivo da investigação, uma questão de fé. Sem essa fé, a convicção do valor independente do conhecimento não seria para mim forte e inabalável.
Esta atitude, por assim dizer, religiosa do cientista perante a verdade não deixa de ter influência sobre a sua personalidade. Pois, além daquilo que resulta da experiência e além das leis do pensamento, não há para o investigador, por princípio, nenhuma outra autoridade cuja decisão ou informação, por si, possa pretender ser «verdade». Daí resulta o paradoxo de que o homem que dedica o melhor dos seus esforços às coisas objectivas, se torna, socialmente falando, um individualista extremo que — em princípio pelo menos — em nada confia senão no seu próprio juízo. Até se pode facilmente afirmar que o individualismo intelectual e a ansiedade científica surgiram juntos na História, mantendo-se sempre inseparáveis.

"Albert Einstein, in 'Como Vejo o Mundo'

Anônimo disse...

Bem, eu acho que se os militares brasileiros concordam e apoiam o que está acontecendo, pra mim está bom. Afinal, eles juraram defender a soberania do país, não é mesmo?

Anônimo disse...

Gostaria que tivéssemos hoje a coragem dos miliares do nosso passado recente, que realmente defenderam o Brasil da cobiça comunista. Qual o interesse dos chineses em treinar na Amazônia ? Só pode ser para se juntarem à tropa disfarçada de médicos enviada por Cuba à revelia da vontade do povo brasileiro . Governo entreguista.

Anônimo disse...

A muito as ffaa abandonaram a sanha comunista o BRASIL e seu
Povo um bando de inúteis,o povo vai saber lutar e se necessário
morrer por sua liberdade.

Anônimo disse...

Comandos militares canalhas, traidores, pilantras da pior espécie! Eu não tenho mais estômago pra ler artigos e notinhas desses merdas! Vocês, milicos da reserva, também não são de nada!