sábado, 21 de fevereiro de 2015

Surgimento das condições objetivas - fatores de motivação


“Vergonha não é ser derrotado, é ser surpreendido” 
(Frederico, o Grande, Rei da Prússia)

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Sem qualquer comentário ou ilação, os fatores abaixo são os considerados de motivação para o surgimento das famosas condições objetivas. Ou seja, aquelas que tornam factíveis as revoluções. Compare com os dias atuais e tire as suas conclusões:

-          Governo instável, caracterizado pela descoordenação; indisciplina nos partidos políticos;
-          Propensão de grupos de oposição para a contestação;
-          Grupos frustrados advogando soluções radicais para a economia;
-          Sistema de administração pública inadequado;
-          Ausência de sintonia do governo com as aspirações populares;
-          Deficiência de comunicação entre o governo e o povo;
-          Segurança deficiente nas áreas urbanas e rurais, ensejando oportunidades para a perturbação da Lei e da Ordem;
-          Falta de confiança no governo e nos sistemas social e econômico vigentes;
-          Inabilidade ou incapacidade do governo para neutralizar a propaganda adversa;
-          Falta de motivação das instituições militares e civis;
-          Moral nacional baixo;
-          Disseminação, entre o povo, de sentimento de injustiça;
-          Ansiedade e incerteza com relação ao futuro nacional e individual;
-          Extenso analfabetismo;
-          Caráter nacional indolente;
-          Saúde pública precária;
-          Previdência e Assistência Social ineficientes;
-          Desarmonia entre as classes sociais;
-          Dissociação entre a elite e a massa;
-          Existência de um valor monetário instável;
-          Exagerada dependência de exportações;
-          Sistemas viários e de transporte inadequados nas grandes cidades;
-          Extensa pobreza;
-          Injusta distribuição de rendas;
-          Má distribuição de terras;
-          Sistema tributário inadequado;
-          Desemprego em larga escala;
-          Dependência de auxílio do capital estrangeiro;
-          Desmoralização do governo, a partir do desprestígio, mofa e ridicularização de autoridades;
-          Sensação popular de inoperância e ineficiência do Poder legal;
-          Negação dos êxitos e exagerada propaganda dos fracassos governamentais;
-          Ceticismo a respeito de medidas econômicas e do funcionamento da Justiça;
-          Campanhas psicológicas de desobediência coletiva;
-          Presença da corrupção como fator de desprestígio de autoridades e ceticismo quanto à apuração de fatos e punição dos culpados;
-          Indiferença dos neutros e deserções nas fileiras dos que apóiam o governo;
-          Reuniões de massa com desfiles agressivos;
-          Tumultos de rua, buscando a repressão policial;
-          Fracasso na repressão a esses distúrbios;
-          Incitação à paralisação do trabalho nas repartições públicas;
-          Saques ao comércio sob o mando de bandos organizados;
-          Temor das pessoas favoráveis ao governo;
-          Divergências entre chefes das Forças Armadas e autoridades quanto aos métodos de repressão a serem adotados;
-          Difusão da ideologia marxista-leninista pela infiltração em todos os campos de atividades visando provocar o surgimento de novos adeptos;
-          Indícios do surgimento de escolas e centros de formação de quadros;
-          Surgimento da imprensa clandestina;
-          Surgimento de um espírito antiimperialista;
-          Surgimento ostensivo de organizações e movimentos de opinião, criando a idéia de massa.


Aspectos militares que concorrem para o surgimento das condições objetivas e favorecem a infiltração subversiva nas Forças Armadas:

 -          Inadequada doutrinação da tropa;
-          Organização e equipamentos obsoletos;
-          Partidarismo dentro das Forças Armadas;
-          Ausência de motivação, moral baixo e indisciplina;
-          Dissociação entre as Forças Armadas e o povo;
-          Ausência de lealdade dentro das organizações militares;
-          Deficiência das Forças Armadas;
-          Desconhecimento das aspirações populares;
-          Relaxamento dos padrões de disciplina e da instrução da tropa.


Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

Um comentário:

Loumari disse...

E BUNGA-BUNGA FINITO!!!
E se querem saber o significado de Bunga-Bunga, ide questionar ao Silvio Berlusconi e seu amigo Mouammar Kadhafi.