terça-feira, 23 de junho de 2015

Grito no deserto


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão

A nova encíclica Papal alinha técnica e sabedoria desafiando o modelo economico global e as consequencias nefastas na natureza. O fundamental é mostrar à toda humanidade que essa forma de crescimento, desenvolvimento e exploração dos recursos da natureza não progridem no quesito de sustentabilidade.

Muitos aplaudiram, outros ficaram indiferentes, mas alguns criticaram pois que suas economias seriam prejudicadas, implicando custos sociais elevados. A Grécia vive seu momento histórico de negociações e indefinições com o Banco Central Europeu e o FMI. A sua saída da comunidade européia já é dada como certa e os riscos estariam precificados.

Vivemos de fortes assimetrias no conjunto global, e o Brasil não é nada diferente. De uma economia de grau de investimentos, passamos, por pedaladas e corrupção, a ingressar na perigosa situação do ajuste com a previsão de um produto interno bruto negativo que pode alcançar 2,5%, um retrocesso histórico.

Em quais medidas os americanos e europeus estariam dispostos a colocar em prática o bem lançado documento do Papa Francisco para advertir a humanidade no sentido de que o planeta terra não pode ser um depósito de lixo e a ambição pelo lucro a única finalidade existencial. Os combustíveis fosseis já tem dada certa para a finalização, mas não basta o verde estar sendo cada vez mais agredido.

A corrupção somente gosta do verde se for em moeda norte americana, levando bilhões dos países emergentes que não diagnosticam seus resultados e perdem nos serviços sociais prestados à população. A encruzilhada da humanidade parece se aproximar com o numero intransitável de carros, fábricas e o crescimento, ainda que menor, da China e da India. As populações migram com mais frequencia e abarrotam pelos mares as entradas na Europa.

O Brasil sofre o mesmo problema. Milhares de estrangeiros, dentre os quais haitianos, sem mão de obra qualificada, entupindo ainda mais a carente cidade de São Paulo, desprovida, minimamente, de água e com enormes contrastes habitacionais.

Faltam-nos planejamento e dimensionar o social, no propósito de erradicar bolsões de miséria, como existentes no Rio de Janeiro, às vésperas dos jogos olímpicos para que todos visitantes se deparem com essa dura e crua realidade.

Passados todos os momentos e atendidas suas circunstâncias esperamos, sinceramente, que a nova Encíclica Papal não represente um grito no deserto, mas um momento de reflexão, um ponto fora da curva, acenando para que as lideranças mundiais compreendam suas ações e reduzam as assimetrias com os países em desenvolvimento.

O peso forte das moedas estrangeiras e o reduzido comércio exterior fazem do Brasil refém de produtos agrícolas primários e de ineficiente tecnologia exportadora. Assim precisamos mirar a competição e a concorrência, até para a redução dos preços que se praticam no País.

Que a Encíclica de Francisco seja um grito de alerta para o planeta e a reconstrução gradual do interior da humanidade.


Carlos Henrique Abrão, Doutor em Direito pela USP com especialização em Paris, é Desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo.

6 comentários:

Anônimo disse...

Vivemos de fortes assimetrias no conjunto global, e o Brasil não é nada diferente. De uma economia de grau de investimentos, passamos, por pedaladas e corrupção...

Assimetrias e corrupções estas causadas sobretudo pelo seu imoral poder judiciário, que dá ganho de causas as instituições bancárias bilionárias como o Bradesco, Banco do Brasil, Santander etc., em detrimento do cidadão comum roubado na cara dura.

A corrupção somente gosta do verde se for em moeda norte americana, levando bilhões dos países emergentes que não diagnosticam seus resultados e perdem nos serviços sociais prestados à população. A encruzilhada da humanidade parece se aproximar com o numero intransitável de carros..

Inclusive a corrupção desse seu poder judiciário, que blinda políticos ladrões do PSDB...Faça um favor seu hipócrita, ande deixe seu carrão de luxo em casa e passe a ir para trabalho caminhando, de bicicleta ou de transporte coletivo, como fazem os honestos juízes da Suécia (Europa)???

Os serviços prestados à sociedade brasileira são uma verdadeira merda, principalmente os do seu Poder Judiciário que só pensa em privilégios (projeto da nova LOMAN)???

O Brasil sofre o mesmo problema...e com enormes contrastes habitacionais.

Causados pela sua merda de justiça, cuja máfia do leilão de imóveis tem roubando casas de várias famílias. Máfia esta, que favorece as construtoras e desalojam famílias como o caso Pinheirinho.

Faltam-nos planejamento e dimensionar o social, no propósito de erradicar bolsões de miséria...Para que todos visitantes se deparem com essa dura e crua realidade.

Como um estado vai erradicar a miséria se é obrigado a arcar com dinheiro público a aposentadoria compulsória de Desembargadores, Juízes e Ministros que vendem sentenças (bandidos da toga)???

Carlos Henrique Abrão, Doutor em Direito pela USP com especialização em Paris, é Desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo até agora não teve hombridade e coragem de fazer um único artigo sobre a safadeza chamada APOSENTADORIA COMPULSÓRIA OU SOBRE OS PRIVILÉGIOS ABSURDOS DA NOVA LOMAN. Vamos lá Senhor Desembargador? Não falas tanto em corrupção no quintal dos outros?

Quero ver se mais uma vez o blog democrático não irá publicar o comentário democrático.

Anônimo disse...

QUE É HOMEM DE AFRMAR QUE A IGREJA É UMA FARSA MILENAR? QUE A ESCASES DE AGUA EM SÃO PAULO NÃO PASSA DE UM PLANO SUJO DE SABOTAGEM. QUEM É HOMEM DE AFIRMAR QUE NO BRASIL INTEIRO AS TERRAS ESTÃO SENDO GRILADAS E LEGALIZADAS PELO MESMO JUDICIARIO QUE FARTOU SEUS COMPARSAS DA MAÇONARIA,QUE A ORDEM É FAZER O POVO DE TROUXA,E ACOISA VAI SER SEMPRE ASSIM QUE O PRAZER DESTA RAÇA MALDITA É VER O POBRE ANALFABETO E PASSANDO FOME E ESCRAVIZADO. QUEM É HOMEM DE POR ESTE JUDICIARIO E ESTA MAÇONARIA NA CADEIA??? CORRAM QUE A PF UM DIA VEM AI...

Anônimo disse...

O QUE SE PASSA NA CABEÇA DE UM JUIZ AO DAR DIREITO DE POSSE DE UMA ATREA DE DOMINIO PUBLICO PARA UM POLITICO COMO PAULO MALUF, ERMINIO DE MORAIS, PEREIRA DA SILVA E OUTROS MAFIOSOS,SEM RESALVAS OU TRIBUTOS .ESSAS IMENSAS AREAS JA ESTÃO NA ÉPOCA DE VOLTAREM PARA A UNIÃO OU SEREM TRIBUTADAS POIS ESSAS MAFIAS FORAM QUEM MAS DEPREDARAM E NÃO SOFRERAM NEM UM TIPO DE RESTRIÇÃO. A FARRA DO USOCAPIÃO AINDA CUNTINUA,POR ORDEM DO JUDICIARIO PREFEITURAS E ESTADOS SE FINGEM DE MORTO A PROMOTORIA ATÉ PARECE QUE NÃO EXISTE E A CORREGEDORIA NEM ME VIU,EXISTEM CASOS DE DIREITO DE POSSE DERUAS E AVENIDAS.PAREM ESTES MAFIOSOS...

Loumari disse...

Líderes mundiais acabaram de firmar um grande compromisso: livrar a economia dos combustíveis fósseis – para sempre!

O acordo, fechado na reunião de cúpula do G7, é um grande passo na direção de uma vitória na cúpula de Paris. Em dezembro, poderemos unir o mundo inteiro em torno de uma mesma meta: um planeta sem combustíveis fósseis. Esta é a única maneira de nos salvar de uma catástrofe decorrente de mudanças climáticas.

No decorrer das últimas semanas, inspiramos Angela Merkel, presidente do G7 e chanceler alemã, a se tornar a verdadeira heroína ambiental que precisamos. Ainda não chegamos ao objetivo final, mas alcançamos um grande passo em sua direção, e hoje podemos comemorar uma vitória!

Enquanto celebramos, veja como chegamos a esse momento:

1º passo -- por dois anos, nossa comunidade organizou mobilizações públicas em todo o mundo em prol dessa meta: encabeçamos a gigantesca Marcha do Clima com 700 mil pessoas, recolhemos 2,7 milhões de assinaturas em uma petição pedindo energia 100% limpa, enviamos 250 mil mensagens a ministros do meio ambiente em todo o mundo na véspera de negociações importantes em Lima, no Peru, e fizemos dezenas de passeatas, reuniões, pesquisas e campanhas (tudo patrocinado por nossa comunidade). Tais atividades pressionaram os líderes na direção de metas ambiciosas de redução do uso de combustíveis fósseis, tanto a nível nacional quanto global.
Líder da ONU, Ban Ki-moon recebe petição por energia 100% limpa
Marcha climática na cúpula da ONU em Lima, Peru -- dezembro de 2014


Juntos, desempenhamos um papel central na alteração da dinâmica política sobre as mudanças climáticas, definindo o cenário para uma campanha de dois meses, impulsionada com toda a força na cúpula do G7 e com foco na chanceler alemã Angela Merkel e o fim dos combustíveis fósseis.

2º passo -- foco nos franceses: anfitriões da cúpula de Paris, o papel do governo francês foi crucial no G7.
Nos encontramos várias vezes com o presidente francês, François Hollande, a ministra do meio ambiente Ségolène Royal, e o ministro de relações exteriores Laurent Fabius, além de outros membros do gabinete de Hollande. Entregamos as assinaturas de nossos membros a todos eles e defendemos nossa causa com argumentos fortes para as metas de longo prazo acerca de nosso clima.
Mais de 25 mil pessoas foram à marcha do clima em Paris O presidente francês, François Hollande, recebe nossa petição por energia 100% limpa


3º passo -- centenas de membros da Avaaz acompanharam cada passo de Merkel nas semanas antes da cúpula. De Hamburgo a Berlim, passando por todo o percurso até a cúpula do G7, cantamos gritos de guerra para inspirá-la a se tornar a Chanceler do Clima. Merkel nos reconheceu e abriu um sorriso – a imprensa adorou e nossos heróis marcaram presença na mídia em todo o planeta!

4º passo -- entregamos pessoalmente nossa petição por energia 100% limpa aos ministros mais importantes da equipe de Merkel, e rumores de que não estávamos brincando chegaram ao seu gabinete.

5º passo -- expusemos o Japão e o Canadá como opositores. Este resultado foi inesperado: há alguns meses, não estava claro que o G7 sequer abordaria o tema, e países opositores como o Canadá e o Japão pareciam prestes a derrubar o acordo. Enquanto nossa comunidade no Japão enviou toneladas de mensagens para o governo japonês, arrecadamos milhares de pequenas doações ao redor do mundo para comissionar um anúncio enorme no Financial Times, além de pesquisas de opinião e uma campanha viral no Canadá, que em menos de dois dias foi vista 450 mil vezes no Facebook e YouTube!

Ler mais no link aqui abaixo
https://secure.avaaz.org/po/paris_here_we_come/?bZwmEib&v=60270

Anônimo disse...

No estado de são Paulo, a ordem é envenenar todos os rios e afluentes, desperdiçar tudo até se acabar, não ouvir denuncias por mas procedentes que sejam, esgoto a céu aberto e nunca mencionar a despoluição dos principais rios. E a desculpa sempre será esperamos a licença ambiental...

Anônimo disse...

Manda esse desembargador cara de pau acionar a polícia federal para prender todos os bandidos de toga do CASO FEDEX DENUNCIADO PELO SR OBERDAN BARBOSA EM SÃO PAULO?