domingo, 19 de julho de 2015

A Continência


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Nelsimar Vandelli

Inadmissível, sectária, ignorante, lamentável, tendenciosa e outros tantos adjetivos similares que se possa relacionar, a grita com que parte da Mídia e de várias Organizações Sociais, em especial, aquelas que externam seus ódios e fanatismos via Redes na Internet, trataram  o assunto da continência que muitos atletas brasileiros, no pódio dos vencedores em Toronto, prestaram ao Hino e à Bandeira Brasileira.

Trata-se de um procedimento tradicional, justo e respeitoso que, ao contrário do "senso comum" atualmente vigente em nosso tão maltratado país, onde a moralidade vem sendo  destruída pelos interesses pessoais, pela incompetência e pela luta pelo poder a todo custo, conformados por corrupção nunca vista, com o qual as Forças Armadas respeitam e respeitarão sempre nossos Símbolos, ao contrário do que ocorre com o fanatismo e a triste devoção de parcela do nosso povo e  de dirigentes (com exceções que apenas confirmam a regra), que certamente prefeririam substituir o verde e amarelo pelo vermelho, com suas estrelas, foices e martelos que nos acostumamos a ver prevalecer  em alguns protestos e até atos oficiais.

A solenidade de posse da atual presidente, em janeiro último,  foi um claro exemplo desse lamentável desrespeito aos mais caros Símbolos Nacionais. Bandeiras vermelhas portadas pela grande maioria  dos assistentes, sobrepujavam, em grande número, a verdadeira Bandeira Nacional.

Felizmente, os cerca de 130 atletas que compõem parte da Delegação Brasileira pertencem à Marinha, ao Exército e à Aeronáutica, Instituições que desfrutam de  alta, merecida e reconhecida  credibilidade junto à sociedade nacional, e que, indubitavelmente, têm relevante parcela de colaboração e apoio no sucesso obtido por eles.

Cá com meus botões, penso que se o Pavilhão Nacional fosse substituído pela bandeira do PT ou de qualquer outro símbolo "socialista bolivariano" que representasse a Grande Pátria Latino Americana que teimam em tentar construir e impor, a continência dos atletas seria entusiasticamente aplaudida por muitos dos que  hoje injustamente os criticam. Nosso país carece de urgente, extensa e profunda revisão moral, ética e educacional, em resumo de uma outra "Pátria Educadora" que não conseguimos, os brasileiros instruídos, bem informados , patriotas e nacionalistas, hoje vislumbrar no modelo que o Governo, em pedalada de marketing, nos empurrou.

Assim como está, só nos resta reconhecer - Pobre Brasil!!!!!


Nelsimar Moura Vandelli é Coronel da Reserva do EB. 

9 comentários:

Anônimo disse...

Mas tocar o hino da Internacional Socialista, pra fazer bonito para o patrão deles, o Putin, aí pode!
Os comunas estremecem de alegria e entram em transe quando toca a maldita Internacional Socialista. Os olhinhos deles até brilham!

Cristiano Arruda disse...

Ser Brasileiro é um crime para os terroristas. Porque ser Brasileiro é estar SEMPRE ALERTA para defender a própria NAÇÃO que os terroristas querem pilhar.

Cristiano Arruda disse...

Ser Brasileiro é um crime para os terroristas. Porque ser Brasileiro é estar SEMPRE ALERTA para defender a própria NAÇÃO que os terroristas querem pilhar.

Anônimo disse...

Aplaudo os atletas brasileiros pelo patriotismo!Demonstram respeito e acima de tudo amor pelo Brasil!A turma da gritaria são os que estão deixando o Brasil depenado!E melhor:morrendo de medo de uma intervenção!Tem motivos pra isso?Vocês é que estão demonstrando o pavor!Dando margem pra pensar...

Loumari disse...

Tudo isso é uma manobra muito inteligentemente orquestrado com o objectivo de criar polémica sobre o tema. Pelo visto, funciona a mil maravilhas. Serve ao povinho idiota um sujeito que suscite debate na altura da sua ignorância, e para o resto, deixa-lhes comer-se uns aos outros. Entretanto, deixam em paz os seus dirigentes livre espaço para fazerem o que bem eles sabem fazer. O navio está a afundar-se, e o povinho se lhes serve o circo. E os macacos acham que é sujeito de debate.

Todo mundo sabe que continência é um acto revolucionário, não Patriótico.

Acto Patriótico é sentido com os braços a longura do corpo.

Desde que existe competições desportivos internacionais, quantas nações republicanas e democráticas cujos atletas se manifestaram de forma revolucionário no símbolo de continência que é um acto de Maximos Leninimos?

Eles além de atletas, são Milícias. Vós sois que sois idiotas que não compreende nada das suas manobras astuciosamente orquestradas, e vocês todos caem como moscas que correm após a merda.

Anônimo disse...

Dona Loumari, não queira comparar os costumes portugueses com os daqui!

Loumari disse...

Comparar? Por amor do céu! Pode-se mesmo comparar senhores com escravos?

Olhando para os vossos atletas batendo continência, reflecta imagem del comandante Hugo Chavez.

Brasil província de Cuba. Trabalhai ESCRAVOS para sustentar la capital La Havana.

Anônimo disse...

Eu também parabenizo estes valorosos atletas das Forças Armadas. E espero que continuem a fazer continência dando exemplo de patriotismo. Como discorreu o anônimo das 12:02: eles morrem de medo de uma intervenção militar. E foi na época dos presidentes militares que tínhamos mais segurança e prosperidade. Quem só pensava em trabalhar e estudar não teve problema nenhum neste período. Fora PT!

JOSÉ AIGUPTOS disse...

Há em primeiro, sobre "continências", destacar o fantástico e maravilhoso programa das FFAA em apoiar e treinar atletas brasileiros, programa que saúdo como precursor da inevitável continuação que será a transformação de todas as escolas públicas brasileiras em Escolas Militares, com currículos, direção e supervisão das FFAA, assim que DEUS O SUPREMO ARQUITETO elimine do cenário a presidente da república e em seguida o nosso Brasil decente e de bom senso defenestre a canalha que têm acompanhado a presidente da república, seus áulicos corruptos e canalhas e outros tantos de outros partidos políticos além dos petistas. Há um porém nessa questão, aquele de prestar continência e estar continente a uma bandeira, a um outro humano, esquecendo todos de que todos os poderes estão às mãos de DEUS O SUPREMO ARQUITETO, e que à ELE a quem devemos prestar continência; havendo um "porém" nessa questão, pois em nossa Bandeira nada há que leve à DEUS O SUPREMO ARQUITETO, havendo sim algo que leva na direção de Jesus Cristo (o Cruzeiro do Sul), que nada tem a haver com JEOVAH, ALLAH (SUPREMO ARQUITETO).

Se não prestarmos continência ao CHEFE respeitando SUAS Leis e proposições então somos insubordinados, desrespeitosos e sujeitos a perdermos a proteção e apoio incondicional que ELE prometeu, se O respeitássemos, se seguíssemos SUAS Leis e proposições; e isso acontece a nós brasileiros constantemente, pois vejamos como somos sujeitos às intempéries -faltando chuvas em tempos e medidas certas, sol no tempo e medidas certas- pragas daninhas e maus e corruptos governantes, além de mãos de estrangeiros que nos tolhem, manietam nossos esforços.