sexta-feira, 17 de julho de 2015

A revolta de um General Brasileiro


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Francisco Torres de Melo

Estou tomado por uma depressão que fico sem saber o que devo escrever.
Caso minha posição social fosse da classe C poderia dizer os mais abjetos
nomes feios. Não sou. Cheguei ao Posto de General de Divisão e preciso
mostrar fina educação, pois do contrário serei taxado de um cidadão sem
polidez.

O Presidente da República dos USA, Henry Trumann, mandou para PQP, um
jornalista americano que lhe fez uma pergunta indelicada a respeito de sua
filha. Causou uma grande celeuma. O senhor faria o mesmo?

O general francês,  Cambronne, ao recebeu a ordem para se render, teria
dito: Merda! A guarda morre, mas não se rende!. Foi no fragor na luta. O General De Gaulle  afirmou que o Brasil não é um País sério. O senhor
concorda?

Posso afirmar que somos um país de ladrões, injusto e  sem justiça? Estou
dizendo  a verdade? Penso que sim. O senhor assina em baixo?

Ladrões, pois todo dia ladrões de gravata roubam o seu povo e nada
acontece. Quase todos soltos e os ladrões de galinha presos. Confirma?

Injusto, pois o meu nordeste tem gente morrendo de fome e bilhões de reais, dólares e euros são roubados. Até senador tem sua casa vasculhada e são apreendidos carros de elevado luxo, com dinheiro nosso. É verdade?

Justiça? Onde vamos encontrá-la? Presos das classes inferiores amontoados
em  xadrezes imundos e impróprios a vida humana e para os criminosos da Lava Lato são mandados para casa com tornozeleiras. Estado de Direito para ricos, com advogados pagos com dinheiro roubado do povo e os pobres sem advogados.

Concorda? Rico é gente e pobre não?

Agora, uma operação da PF, com ordem do STF, e quase o mundo vem abaixo. A TV mostrou um monte de dinheiro (quase 4 milhões de reais e milhares de dólares e euro) apreendido e meu povo morrendo de sede. Concorda?

O dinheiro desviado da Petrobrás daria para fazer dois canais do São Francisco para abastecer o meu povo de água e assistimos a palhaçada de ladrão preso em casa. Concorda?

Em 1932 vi um cearense cair morto na frente da casa de meu pai, em
Fortaleza. Era a seca de 1932. Em 1964, enterrei três crianças mortas pela
fome, no Piauí.  Na década de 90, como provedor da Santa Casa de Fortaleza, vi a desgraça do pobre. Ameacei fechá-la, porque o SUS não paga os custos e a crise continua, pois, o dinheiro roubado salvaria todas as Santas Casas.

E os grandes ladrões presos em casa, rindo da desgraça do povo enganado. Na década de 2000, fui Presidente de uma Instituição para idosos. A mesma miséria. Os governos não querem saber de velho. Só dá despesa.

Ouvi de um político que velho não vota. Não é para repetir o que falou Trumann: PQP?

E qual a solução? Simples. A solução foi dada pelo ex. 1º ministro  Belga
ao ministro da Grécia, na sessão no Parlamento Europeu. Senhor Ministro:
Todos concordamos com V. Ex.: quem vai pagar a conta é o povo grego. Não foi ele que produziu a crise. Foram os políticos gregos. V. Ex., que tem
que resolvê-la e nomeia 10 correligionários para diretores de banco?  Foi
mais ou menos o que disse o ex.1º ministro belga com outras palavras.

Não é  o mesmo no Brasil? A crise na porta e estão brigando por cargo e a
festança continua e o povo pagando a conta.

SOLUÇÃO: APERTAR O CINTO.

DEIXAR DE PENSAR EM PARTIDO POLÍTICO E OLHAR PARA O BRASIL!

Francisco Batista Torres de Melo, General de Divisão reformado, é coordenador do Grupo Guararapes.

2 comentários:

Anônimo disse...

General nos civis precisamos de armas para começar a REVOLUÇÃO chega de conversa,
estamos aguardando ordens para varrer de nosso pais essa escória comunista e a raça desses políticos ladrões. Revolução constitucional agora!

Maria Klyw disse...

É não há um só general na ativa que ouse discordar do que aí está! Tudo dominado! Que horror!