terça-feira, 21 de julho de 2015

Crônica de uma implosão anunciada - Me dá licença, Gabo?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jussara Carvalho Rocha

Depois de mais de uma década de escândalos, desmandos e corrupção descarada, não acho conveniente afirmar que fomos atingidos por uma “onda” de ladroagem e roubalheira. É até difícil encontrar adjetivos para qualificar a situação que nos consome – este sim, um termo mais adequado – com a voracidade de uma doença letal. Os fatos pululam à nossa frente, diariamente, como que a nos esbofetear.

Pequenas batalhas travadas e vencidas aqui e ali, por paladinos como o juiz Sérgio Moro e a super PF, nos dão a esperança de que a justiça se faça algum dia. Infelizmente, como publicado pela revista VEJA da semana passada (edição n.º 2434), existem algumas “cascas de banana” no caminho do juiz Moro, no intuito de levar todo o inquérito para a gaveta.

É de dar medo; medo do que pode acontecer se depois de tanto trabalho, tantos podres revelados, tanta gente presa e tantos outros na lista, tudo dar em nada. O país que vem sendo inflado pela indignação diante de tantos descalabros, não vai suportar um final pífio, um “cala a boca” dado por um judiciário devidamente comprado. Será o fim.

Santiago Nasar (personagem de Gabriel Garcia Márquez) teve sua morte anunciada por toda a cidade, por um “crime” que não cometera. Morreu inocente. O que se anuncia como futuro para nós não se distancia tanto de uma “morte”, visto que o país está doente, na UTI, para usar um clichê. Se a LAVA-JATO for jogada no lixo, figurando em mais um escândalo de roubalheira que os brasileiros foram obrigados a engolir, o país vai implodir, que ninguém se iluda.


Embora os poderosos tenham visto e ouvido a força que o povo tem, parecem não realizar o que um final frustrante para a novela “Brasil contra a LAVA-JATO” pode acarretar. Pode não, acarretará.

Jussara Carvalho Rocha é Professora.

Nenhum comentário: