sábado, 11 de julho de 2015

É imperiosa a moralização imediata da Bovespa


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Aurélio Valporto

Sem investimento não há crescimento, e a  forma mais eficiente de fomentar os investimentos em uma economia é através do mercado de capitais, da atração de sócios para a atividade produtiva. É imperiosa a moralização imediata da Bovespa - a empresa que detém o bilionário monopólio do mercado de bolsa de valores e mercadorias & futuros no Brasil.

Infelizmente hoje, quando mais se precisa, percebe-se que o Brasil está privado também da capitalização através do mercado de capitais. Isto ocorre porque os seguidos crimes, induzindo investidores ao erro, além de destruírem a poupança nacional, arrasaram com a credibilidade do mercado de ações brasileiro.

O mercado de capitais brasileiro é um covil de criminosos. A grande maioria dos crimes ocorridos na bolsa, mais de 99%, jamais são sequer denunciados e os criminosos se tornaram cada vez menos cuidadosos, dada a certeza na impunidade. Até o próprio presidente da Bovespa, Edemir Pinto, figura em notícia crime do MPF, feita pelo procurador federal de segunda instância Osório Barbosa Sobrinho.

Entretanto, na esteira de moralização liderada por poucos brasileiros, alguns destes gigantescos crimes recentemente receberam grande destaque na imprensa e resultaram e ações judiciais. Entre eles destacamos os bilionários crimes cometidos por Eike Batista, por Marcos Elias da LAEP e o estrondoso rombo da Petrobrás, que se não for punido aqui certamente o será nos EUA, que dará uma lição aos legisladores e juízes brasileiros.

É preciso que todos tenham consciência da gravidade dos crimes cometidos no mercado de capitais, não são crimes contra investidores apenas, estes são os que menos sofrem. São crimes contra a economia nacional que resultam na morte de milhares ou até milhões de brasileiros, justamente os mais necessitados.

Precisamos moralizar o mercado caso queiramos uma nação que volte a crescer de forma pujante. Peço aqui que todos cobrem do Ministério Público Federal de São Paulo, mais exatamente do procurador Anderson Vagner, que priorize as investigações contra os crimes cometidos pela própria Bovespa e seu presidente Edemir Pinto, pelo banco JP Morgan (de responsabilidade de seu presidente José Berenguer) pelo banco Itaú e pela corretora XP. Todos estes de acordo com notícia crime feita pelo procurador federal de segunda instância Osório Barbosa Sobrinho.

O primeiro passo para a moralização da Bovespa, que ninguém acreditava que ocorreria, já aconteceu. Ele veio com as denúncias da brilhante e incorruptível procuradora Karen Louise Jeanette Kahn​, que denunciou Eike Batista e sua equipe por um sem número de crimes contra o mercado e, mais recentemente, denunciou Marcus Elias da LAEP. O segundo, mais largo, e importantíssimo passo deverá ser dado pelo procurador Anderson Vagner. Cobremos dele o prosseguimento.

Desnecessário dizer que contamos com a existência de juízes enérgicos e corretos, como o Sérgio Moro. Mas é no MPF, em especial no de São Paulo e no de Curitiba, onde temos o procurador Deltan Dallagnol liderando os trabalhos da Lava Jato, que depositamos, neste momento, as esperanças deste país.


Aurélio Valporto, Economista, é conselheiro da ANA - Associação Nacional de Proteção dos Acionistas Minoritários. Aliás: Todo brasileiro é um acionista, diretamente ou indiretamente através da União.

Nenhum comentário: