segunda-feira, 6 de julho de 2015

O Caso Maju e a Pepper


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Enio Mainardi

Não entendi direito. Essa moça, Maju, apresentadora na Globo, é casada com Agostinho Paulo Moura, publicitário. Ele (os dois são negros) teve sua agência vasculhada pela PF por suspeitas de ligação com o Lava Jato.

Corrupção, imagino. Então, para tirar o foco dessa notícia péssima para a agência, que se chama Pepper, os companheiros MAVs do publicitário, ainda à salvo da investigação, postaram maliciosamente na Globo ofensas raciais à sua apresentadora, afim de desviar o assunto da investigação policial.

Se foi assim, tiveram sucesso. Pois o noticiário da investigação da PF foi "esquecido", se concentrando nas ofensas raciais. Jogaram no poder de comunicação do JN - que, indignado, fez uma campanha pública em favor da moça Maju. A Globo teria sido, nessa hipótese, envolvida numa onda artificial, numa jogada para livrar a cara do publicitário. Será que foi assim?

Pelo menos é isso que se depreende da noticia publicada hoje por Denise Farina. Alguém, aqui no face, lendo o post, comentou..."é tanta merda no ventilador que é impossível distinguir o que é merda e o que é vento!".

Manifestem-se pois os envolvidos. E tragam muitos rolos de papel higiênico.


Enio Mainardi é Publicitário. Originalmente publicado no facebook do autor em 5 de julho de 2015.

5 comentários:

lgn disse...

Vive-se tempos estranhos nesse Brasil de Macunaíma. Fez-me lembrar de uma piada dark. Um sujeito entra numa boate com nome de Vampirus. Tudo muito escuro, pessoas sinistras vestindo-se de múmias, assombrações, fantasmas, música tétrica. Ele se aproxima do pianista ao mesmo tempo que passa por sobre sua cabeça um morcego. Ele cutuca o pianista e diz: "Acaba de passar por nossas cabeças um enorme morcego". O pianista, sem se abalar, pergunta: "Essa música eu não conheço, mas pode assobiá-la em meu ouvido".

Cleyton Araujo Pinheiro disse...

Se não houvesse tanta pressa para tentar atenuar ou mesmo excluir a responsabilidade de pessoas imbecis como vc, teria tempo de verificar que não há ligação. Digo mais, se vc fosse minimamente inteligente saberia que notícias falsas, que mancham indevidamente a imagem e reputação de pessoas ou sociedades empresárias geram o dever de indenizar.

Anônimo disse...

Interessante esse auê sobre uma jornalista do JN. Lógico que os ataques partiram de gente sem escrúpulos. Mas, esqueceram-se de terem xingado o Joaquim Barbosa de macaco, chimpanzé e por aí vai. E os ataques ao aposentado Joaquim Barbosa ficaram no esquecimento.

Anônimo disse...

Cleyton Araujo Pinheiro. Caso não saiba chamar alguém de imbecil, por escrito, em meio eletronico, se configura em crime de injuria. Também indenizavel e sem o direito de retratação.

Anônimo disse...

A notícia é falsa, o marido dela tem uma empresa a chamada Pepper, já a empresa envolvida na investigação se chama Peepr, nomes muito parecidos. Agora resta saber se foi uma confusão com os nomes ou se foi intencional.