quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Explicando a Intervenção Constitucional


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Antônio Ribas Paiva

As Forças Patrióticas, civis e militares, estão obrigadas a INTERVIR CONSTITUCIONALMENTE , no processo político, na forma prevista pelo art. 142 da CONSTITUIÇÃO FEDERAL, para garantir os poderes constitucionais, restabelecendo a LEGITIMIDADE do governo.

Cumprindo esse DEVER PATRIÓTICO, deverão nomear um GOVERNO DE TRANSIÇÃO, que poderá ser uma junta governativa, a qual RESTABELECERÁ as INSTITUIÇÕES , dotando-as de mecanismos de proteção contra a usurpação e, convocará ELEIÇÕES GERAIS, em todos os níveis. Portanto, a Intervenção Constitucional não pode ser confundida e nem qualificada como "golpe".

Só as Forças Patrióticas têm legitimidade para o EXERCÍCIO do PODER INSTITUINTE, que lhes faculta CRIAR, MODIFICAR OU REVOGAR INSTITUIÇÕES, diante da usurpação do poder do Estado, pela classe política, para a prática sistemática de crimes. Esta é a tese básica que justifica a Intervenção Constitucional, já, pedida por milhares de pessoas nas redes sociais e nas grandes manifestações de rua pelo Brasil afora.

A classe política perdeu a legitimidade, porque foi pega roubando e traindo a Nação. Esse processo é irreversível. Tudo o que fizerem para salvar a pele suja será inócuo. Nós, cidadãos de bem, como segmentos esclarecidos da sociedade, é que temos o dever de lutar pela Intervenção Constitucional, a fim de salvar o Brasil dos corruptos e desqualificados políticos eleitos de forma absolutamente ilegítima por um processo eletrônico de votação tão digno de confiabilidade quanto as máquinas caça níqueis do Cassino do Al Capone.

Por isso, só nos resta: Intervenção Constitucional, já!


Antônio José Ribas Paiva é Jurista.

5 comentários:

Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse:
Convocar novas eleições? Qual a função do Tribunal Eleitoral? Acredito que uma delas é aprovar a candidatura de candidatos ao cargo de político. Não somos serviço de inteligência para investigar e saber se são pessoas honradas e capacitadas. Nós o povo só referendamos "os já escolhidos." A responsabilidade de candidatos não qualificados se eleger não é do povo. Tanto faz ser isso que" CHAMAM DE DIREITA CENTRO OU ESQUERDA."
Nos o povo queremos uma Intervenção Constitucional já!
O povo pode suportar quase tudo, menos uma sequência interminável de mentiras.
A afirmação do conceituado Jornal Financial Times de que o Brasil vive na política e na economia um filme de terror sem fim, é o que está na cabeça dos brasileiros que já perderam as esperanças há muto tempo. É sabido como a economia e a política afeta a vida do seu cidadão.
É um ledo engano afirmar que estamos chorando que nem crianças, não estamos.
Se as FFAA não puderem livrar o Brasil de sua destruição, pedimos que liberem as Armas para O POVO DEFENDER O NOSSO PAÍS, NÃO TEMOS MEDO. Sabemos que a única certeza que temos nessa vida é a morte, esta é certa e segura que a teremos um dia. Não entendo uma pessoa assustar com a morte,desde o dia do nosso nascimento estamos condenados, só não sabemos a hora, o dia e o ano. Quero deixar claro que não queremos uma guerra mais infame do que a que estamos já vivendo, acreditamos que as FFAA tem competência para fazer uma Intervenção Constitucional Com grande êxito para o Brasil. Sei que podem corrigir o rumo desastroso em que está tomando conta do nosso país.
Que o senhor absoluto de Universo ilumine o nosso Brasil e todos aqueles que precisam tomar decisões nessa hora mais crucial na história do Brasil.
FFAA DO BRASIL NAS MÃOS DOS SENHORES O PODER E A ESPADA!
BRASIL LIVRE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Apoiado.
É só se preparar e marcar a data.

Anônimo disse...

Intervenção Constitucional é a solução. Sem isso náo há salvação. Afundaremos de vez no lamaçal que aí está.

JESUS disse...

JÁ ESTA NA HORA DA IMPRENSA TELEVISIVA ESCOLHER UM LADO, E PENSO QUE SEJA O NOSSO, POIS, IRÃO PAGAR CARO A PROTEÇÃO QUE ESTÃO DANDO AOS BANDIDOS POLITICOS.INTERVENÇÃO POPULAR JÁ COM APOIO DE NOSSAS FORÇAS ARMADAS ART1o CF COM ART 142 CF.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor advogado Ribas Paiva, concordo