terça-feira, 4 de agosto de 2015

Ferrovias S/A


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão

Em tempos de vacas magras e com o aumento do custo Brasil por todos os setores, seria lógico e racional pensarmos no transporte público a partir de um reengenharia ligada à construção de ferrovias, e o sonho acalentado do trem bala.

De dimensão continental o Brasil sofre forte e intensamente por causa da falta de ferrovias. Recente decisão liberou pedágio de eixos suspensos dos caminhões, transferindo para o consumidor final o importe dessa despesa.

Incrivelmente os projetos não saem do papel, em pleno século XXI e sem razão aparente, depois da forte crise da maior estatal do País, já passou da vanguarda termos linhas férreas eficientes, e que possam interligar

os principais eixos do País,no transporte de cargas e de passageiros.

Os países adiantados podem se dar ao luxo de trens rápidos, velozes, ligando as principais cidades do arcabouço arquitetônico e mais do que isso ampliando a fatia para outras Nações. No Brasil sequer conseguimos desenvolver malhas ao alcance dos carros importados e suas velocidades. No trem tanto pior: com bitola estreita e falta de projetos suficientes à megarevolução que se exige.

São obras caras e demoradas, sem dúvida, mas que terão o condão de transformar radicalmente o modelo multimodal e oferecer segurança, menor custo e rapidez, aliviando aeroportos, navios e notadamente as estradas sobrecarregadas que constantemente apresentam acidentes. Com essa metodologia seria possível escoar a safra por trens e sem a necessidade de caminhões que trafegam pelas cidades e estrangulam o transito quando não entalam em pontes e viaduto.

A agilidade dos trens modernos é uma concepção que existe em todo o continente, mas que, por motivos de pressão, não alcança êxito na esfera da construção de ferrovias e ligações que levem à população aos seus principais destinos.

O amanhã somente acontece quando tivermos a certeza de boas ferrovias construídas em sólidas situações que permitam planos e consórcios com investidores estrangeiros, ao longo de uma década, a fim de que não soframos mais a cada dia nos congestionamentos diários e que se multiplicam.

Não há bom senso em tanta demora também em linhas de metro. E todas essas obras devem ser feitas por meio de um seguro que garanta o término no prazo previsto, ou, caso contrário, a posição de outra empresa para a conclusão da obra.

Estamos engatinhando no transporte ferroviário e isso não é um bom sinal. Em breve teremos as olimpíadas, mas temos o viés de rodovias, estradas ruins e aeroportos lotados. Quando nos conscientizarmos do relevo que assume o papel das ferrovias iremos em busca do tempo perdido.

Não na velocidade desejada mas naquela imprescindível para uma reestilização de todo o setor componente da malha brasileira.


Carlos Henrique Abrão, Doutor em Direito pela USP com Especialização em Paris, é Desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo.

4 comentários:

Anônimo disse...

O TREM NO BRASIL É PEÇA DE MUSEU, A POUCO TENTARAM RECUPERAR E OS RECURSOS TODO DESVIADOS OU SEJA ROUBADOS, TENTAR RECUPERAR ESTE TIPO DE TRANSPORTE APESAR DE BURRICE É MALHAR EM FERRO FRIO. ENQUANTO NÃO MUDAREM O SISTEMA DEVE SE PROIBIR ESTE TIPO DE TRANSPOTE QUE A MUITO NÃO SERVE PRA NADA E APENAS ATRAPALHA AS CIDADES ONDE AINDA EXISTE. NÃO NOS ESQUECEMOS QUE A ALL, ACABOU EM NADA POIS A FEPASSA JÁ SABIA QUE ESTE TIPO DE TRANSPORTE FICOU INVIAVEL. AGORA O SR. DESEMBARGADOR DEVE FICAR A PAR QUE O PLANO DE SABOTAGEM QUE VEM ATRAVANCANDO O PAIS NÃO DEIXA AS REPRESAS ENCHEREM, OS TRENS ANDAREM,OS RIOS NAVEGAREM E O SR. PODERIA AJUDAR. MANDE REVER OS CONTRATOS DOS PEDAGIOS QUE ESTES SIM TENHO CERTEZA, QUE SÃO INCINSTITUCIONAL E TEM COSTA QUENTE DE MUITOS AI DO SEU JUDICIARIO,JOGUE A PROMOTORIA PARA CIMA DESTA MAFIA E VAI VER QUE O PREÇO DOS PEDAGIOS SÃO ASSALTO A MÃO ARMADA, ARMADA PELA MAFIA...

Loumari disse...

Não sei por que, mas hoje me ocorreu lembrar-me sobre a aquisição realizada pelo Brasil de aviões caças à Gripen NG fabricados pela empresa sueca Saab.

Pude ver que os aviões a jato só serão entregue ao Brasil em 2019?

Querem que vos conte algo? No mês de Fevereiro deste ano (2015) o presidente de Egipto assinou o contrato com a DASSAULT Aviation (o industrial do armamento francês) para compra de 24 Rafale. O avião caça mais polivalente do mundo, cuja velocidade se estima à: 2.203 km/h e o tempo de fabricação é estimado, um mês.

O contrato com Egipto foi assinado meados de Fevereiro deste ano, e na data de hoje, já foram entregue ao Egipto 3 rafales. E para o resto, no total serão entregues em 2016.

Então, como é isto que os aviões caças encomendados por Brasil serão entregue só em 2019? Quantos anos os Suecos levam para fabricarem um avião a jato?

Porque o industrial francês Dassault Aviation em 24 meses vão entregarem 24 aviões caças (rafale) ao Egipto.

Brasil não é um país sério mesmo!

Anônimo disse...

DEPOIS DO CONCORDE SÓ UM BESTA QUER PAPO COM A FRANÇA. A FRANÇA ASSIM COMO TODA A EUROPA NÃO DEMORA VAI COMER NA PALMA DA NOSSA MÃO...

Loumari disse...

Do Budget nacional foi tirado a soma de: US$ 5,4 bilhões (cerca de R$ 13,9 bilhões na atual cotação), sendo que existem poucos detalhes sobre as transacções confirmados até agora. Mas um deles já é sabido e vem causando certa polêmica. para compra de aviões caças. Só que o dinheiro saiu das caixas publicas, e o Brasil não verá nunca os tais aviões caças e o dinheiro se evaporou na natureza.

Entretanto Cuba se armou de novos Helicopteros e de novos aviões caças e de misseis de longo-alcance de origem russo. O que lhes parece?

Só Cuba tem suficiente armamento para vencer Brasil militarmente.