segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Intervenção militar já?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: Não é errado incluir a Intervenção Militar no rol dos recursos disponíveis para a reversão do caos político, econômico, social e moral que se tem alastrado pelo Brasil, principalmente, a partir da chegada do Partido dos Trabalhadores ao poder. 

No entanto, é um grave equívoco incluir como primeiro o que deve ser o último dos recursos da Nação. No jargão da Artilharia, “a ultima ratio regis” , ou seja, o último recurso dos reis, ou, ainda, a “reserva” da sociedade.

É erro tático e estratégico atuar sem reserva ou empregá-la prematuramente! Qualquer operação militar ou empreendimento deve ser planejado de forma a ser concluído com sucesso sem a necessidade de empregar a reserva, ou seja, com sobra de recursos ou de poder de combate. 

Manter uma reserva é tão importante nas operações que a sua existência e capacidade devem ser guardadas no mais absoluto sigilo, porquanto a sua neutralização é objetivo fundamental do planejamento do inimigo. 
Induzir ao emprego prematuro da reserva faz parte das intenções de qualquer planejador, pois retira do adversário a capacidade de manobrar e de reagir, aumentando a probabilidade de sucesso do seu plano original. 

É, portanto, equivocada a postura de quem só enxerga no emprego imediato do último recurso a solução para a crise e para a ameaça, assim como também é erro grave desconsiderar no planejamento a existência de uma reserva em condições de contribuir, no mínimo, para a manutenção da conquista dos objetivos. 

Na Venezuela, o “comandante” Chavez iniciou seu movimento pela cooptação das Forças Armadas para o seu projeto bolivariano, tirando da sociedade o que seria, naturalmente, o seu derradeiro recurso. O mesmo, aparentemente, aconteceu no Equador. 

Os Kirchner, na Argentina, sabendo da inviabilidade de cooptar as FFAA, trataram de demonizá-las e desmoralizá-las até que perdessem seu poder de combate e, principalmente, a confiança e o respeito da sociedade. 

No Brasil, desde o fim do Regime Militar, a esquerda vem tentando implementar, em vão, uma estratégia do tipo “kirchneriana”, conseguindo nada mais do que aumentar o prestígio das FFAA  perante a sociedade e a confiança desta na capacidade dos militares para intervir, quando e se for necessário, e assegurar o respeito à sua vontade, à soberania e à inviolabilidade do território nacional. 

O próprio governo petista, que tudo fez para deslustrar a imagem dos militares, tornou-se dependente do seu apoio para fazer as poucas coias que deram certo em seu governo, tais como: projetar o poder militar do Brasil em Operações de Paz no exterior; mostrar ao crime organizado que não há lugar neste País em que o Estado não possa impor sua soberania; assegurar a segurança necessária aos grande eventos internacionais ocorridos no Brasil; fazer chegar água , sem politicagem e roubalheira,  aos brasileiros atingidos pela seca e pela inépcia dos governos em todos os níveis; e, para não alongar mais, a "Transposição do Rio São Francisco", pois, como se sabe, o Exército Brasileiro (não o do Stédile) foi o único a cumprir sua missão.  

A Sociedade brasileira tem, portanto, em sua composição de meios, uma reserva preservada, comprometida com os interesses do Estado, não contaminada pelo bolivarianismo e suficientemente forte para cumprir sua missão constitucional e seu compromisso com a democracia. 

Essa mesma Sociedade, diferentemente do partido corruPTo, tem seu Plano B nas suas Forças Armadas, é a contingência que os atuais donos do poder jamais contarão para se perpetuar no poder. 

Empregá-la prematura ou desnecessariamente é um erro estratégico tão grave quanto ignorar a sua capacidade, desconsiderar o seu comprometimento constitucional com a lei e a ordem e desacreditar da sua subordinação ao interesse nacional.

= Nenhuma ditadura serve para o Brasil =


Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva.

11 comentários:

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Oras, oras, senhor gal Paulo Chagas, não era o senhor em vídeo onde defendia a gestão de Dillma Rousseff? Era sim, por isso não merece minha confiança, e enquanto não desdizer-se, ou der uma justificativa crível para tal ato horrendo, não reputa-lo-ei um homem honesto e digno, mas sim um melancia.

Quanta falta nos faz um Diógenes com sua lanterna.

Militares da linha Fabianista promoveram e fizeram a merda nacional em que o Brasil hoje está atolado, agora como Madalenas Arrependidas posicionam-se contra o que criaram, sem mínimo pudor ou vergonha, e por isso não merecem respeito ou que suas palavras sejam consideradas honestas; são canalhas e melancias.

Cristiano disse...

O final covarde no comentário é prova de que eles se acham ditadores.

O Brasil foi pilhado para sustentar o ISIS e o programa nuclear iraniano, o que só dá lucros geopolíticos à Rússia. E só o Glenn Beck comentou isso. A farsa do pré-sal foi justamente para render muita grana às ações do George Soros para usar os lucros na irmandade mulçumana (aka ISIS)

Moacyr Torres Ferreira disse...

Caro General,

Seus argumentos contradizem vários princípios do secular manual A ARTE DA GUERRA de Sun Tsu.
Só para ficar em um "SE VOCÊ CONHECE O INIMIGO E A SI PRÓPRIO, VENCERÁ TODAS AS BATALHAS.Esse é o caso atual das FFAA.
ALÉM DISSO RESERVA QUE É CONHECIDA PELO INIMIGO, DEIXA DE SER RESERVA.
A única reserva que independe é a reserva moral da tropa. E essa depende da capacidade do comando.
DESCULPE, MAS SUA ARGUMENTAÇÃO É FALHA. DEVERIA CONSIDERAR TAMBÉM O FATOR SURPRESA DIANTE DO INIMIGO.
CHEGA DE TIBIEZA, DISFARÇADA SOB FALSAS ARGUMENTAÇÕES.

Loumari disse...

Uma antiga lenda norueguesa narra o episódio sobre um homem chamado Haakon, que cuidava de uma ermida à qual muita gente vinha orar com devoção.



Nesta ermida havia uma cruz muito antiga, e muitos vinham ali para pedir a Cristo que fizesse algum milagre.

Certo dia, o eremita Haakon quis também pedir-lhe um favor. Impulsionava-o um sentimento generoso.

Ajoelhou-se diante da cruz e disse:

- Senhor, quero padecer por vós. Deixai-me ocupar o vosso lugar. Quero substituir-vos na Cruz.

E permaneceu com o olhar pendente da cruz, como quem espera uma resposta.

O Senhor abriu os lábios e falou. As suas palavras caíam do alto, sussurrantes e admoestadoras:

- Meu servo, cedo ao teu desejo, mas com uma condição. - Qual é, Senhor?, perguntou com acento suplicante Haakon. É uma condição difícil? Estou disposto a cumpri-la com a tua ajuda!

- Escuta-me: Aconteça o que acontecer, e vejas tu o que vires, deves guardar sempre o silêncio.

Haakon respondeu:

- Prometo-o, Senhor!

E fizeram a troca sem que ninguém o percebesse.

Ninguém reconheceu o eremita pendente da cruz; quanto ao Senhor, ocupava o lugar de Haakon.

Durante muito tempo, este conseguiu cumprir o seu compromisso e não disse nada a ninguém.

Certo dia, porém, chegou um rico. Depois de orar, deixou ali esquecida a sua bolsa. Haakon viu-o e calou.

Também não disse nada quando um pobre, que veio duas horas mais tarde, se apropriou da bolsa do rico.

E também não quando um rapaz se prostrou diante dele pouco depois para pedir-lhe a sua graça antes de empreender uma longa viagem.

Nesse momento, porém, o rico tornou a entrar em busca da bolsa. Como não encontrasse, pensou que o rapaz se teria apropriado dela; voltou-se para ele e interpelou com raiva:

- Dá-me a bolsa que me roubaste!

O jovem, surpreso, replicou-lhe:

- Não roubei nenhuma bolsa!

- Não mintas; devolve-me já!

- Repito que não apanhei nenhuma bolsa! O rico arremeteu furioso contra ele. Soou então uma voz forte:

- Pára!

O rico olhou para cima e viu que a imagem lhe falava. Haakon, que não conseguiu permanecer em silêncio diante daquela injustiça, gritou-lhe, defendeu o jovem e censurou o rico pela falsa acusação.

Este ficou aniquilado e saiu da ermida.

E o jovem saiu também porque tinha pressa para empreender a sua viagem.

Quando a ermida ficou vazia, Cristo dirigiu-se ao seu servo e disse-lhe:

- Desce da Cruz. Não serves para ocupar o meu lugar. Não soubeste guardar silêncio.

- Mas, Senhor, como podia eu permitir essa injustiça?

Trocaram de lugar. Cristo voltou a ocupar a cruz e o eremita permaneceu diante dela.

O Senhor continuou a falar-lhe:

- Tu não sabias que era conveniente para o rico perder a bolsa, pois trazia nela o preço da virgindade de uma jovem. O pobre, pelo contrário, tinha necessidade desse dinheiro e fez bem em levá-lo;

quanto ao rapaz que ia receber os golpes, a suas feridas o teriam impedido de fazer a viagem que, para ele, foi fatal: faz uns minutos que o seu barco acaba de soçobrar e que ele se afogou. Tu também não sabias isto; mas eu sim. E por isso me calo.

E o Senhor tornou a guardar silêncio.



Muitas vezes nos perguntamos por que Deus não nos responde. Por que Deus se cala?

Muitos de nós quereríamos que nos respondesse o que desejamos ouvir, mas Ele não o faz: responde-nos com o silêncio.

Deveríamos aprender a escutar esse silêncio.

O Divino Silêncio é uma palavra destinada a convencer-nos de que Ele, sim, sabe o que faz.

Com o seu silêncio, diz-nos carinhosamente:

"Confia em mim, sei o que é preciso fazer!"

Anônimo disse...

AF disse:

O atual momento não comporta os negligentes nem perdoará os covardes, Sr. general. Responsabilizados serão aqueles que têm deixado de cumprir com sua missão e com seu juramento, entregando, desde a "proclamação da república", nossa nação aos interesses estrangeiros.

A internet proporcionou INFORMAÇÃO; e assim o povo tem saído das trevas da ignorância. Quanto tempo mais se sustentará "A FARSA"!?

Anônimo disse...

Caro J.Serrão: Esse artigo do Gen.Paulo Chagas foi aplaudido de pé no site da Revista Sociedade Militar,que normalmente é muito discreto nesse assunto,com 34 comentários,até agora. Aproveitei a chance para lembrar ali que alguns poucos generais da Ativa,e não só os da Reserva, já estão pensando seriamente na intervenção do art.142 da CF. É o caso do Gen.Mourão,Comandante Militar do Sul. Mas se os generais não quiserem,certamente os coronéis vão querer e toda a caserna vai acompanhar. Mas para que isso aconteça,os militares teriam que se desprender dos seus rígidos regulamentos por um só momento,como se estivessem frente a uma "força maior",destituindo seus superiores fiéis a esse Governo corrupto,num primeiro momento,e num segundo os comandos dos Três Poderes.Essa parece ser a única alternativa para o Brasil ter alguma chance de mudar,efetivamente,para melhor,aliás,como bem VªSª salientou na matéria que leva sua assinatura.Sérgio A.Oliveira.

Anônimo disse...

Lamentável as palavras desse ex-general. Texto repleto de chavões militares sem nenhuma relação com a realidade política dessa nação.

Sr. Paulo Chagas: o Sr. afirmou exatamente o que os lobos da alcateia política já vem afirmando a tempos: é impensável que o brasileiro tome alguma atitude contra a destruição da nação.

O Sr. general esquece de mencionar que nenhum governo promove (e executa!) o que o bolivarianismo faz por aqui se NÃO TIVER O APOIO DAS FORÇAS ARMADAS. Atualmente somos uma colônia de Cuba, com nossas forças armadas servindo de cãozinho de quintal no Haiti.

O final do texto é um ode à ignorância e covardia, obviamente, pois nem todas as ditaduras são maléficas. Somente no Brasil, afogado em ideologias populistas, covardes e monstruosas, a palavra "ditadura" foi reescrita, literalmente.

Vita detestabilis in terram istam.

Anônimo disse...

serrão fela da buta!
vai censurar a Buta que te pariu
CORNO SAFADO COVARDÃO!, VELHACO!
!!!!
BABA OVO SAFADO DE MELANCIAS
PIOR DO QUE O ESCREVO É A SACANAGEM NEFASTA CONTRA O BRASIL DESTAS MELANCIAS COMUNISTAS QUE VC DEFENDE E BABA!
VC É UM BUNDA MOLE! NA HORA QUE O CIRCO PEGAR FOGO E OS COMUNAS PARTIREM PARA O BOTE NÓS SEREMOS TRUCIDADOS E SABE QUEM VAI APOIAR A CANALHA COMUNISTA???
ELES OS "MELANCIAS" QUE VC DEFENDE E ME CENSURA SEU FDP!
COVARDE!
QUERO QUE VC SE PHODA NAS MÃOS DOS COMUNAS E SE LEMBRE DESSAS LINHA QUANDO ESTIVER NO PAREDÃO COMUNISTA.

Almanakut Brasil disse...

Constituição elaborada à base de concessões de Rádio e TV, após o golpe do palanque da Diretas Já!


Está evidente que há uma parte dentro das Forças Armadas que tende para o lado comunista!

Esse é um perigo oculto ao Brasil!

Porém, que a maior força do Ocidente esteja atenta e faça o melhor para as Américas!

Anônimo disse...

Sai de cima do muro gal. Já perdeu a credibilidade. Ora fala uma coisa, ora fala outra. Nos poupem, por favor.

Anônimo disse...

Foro de São Paulo ameaça Brasil


http://radiovox.org/2015/08/31/foro-de-sao-paulo-ameaca-intervir-no-brasil-em-favor-da-narcoditadura-do-pt/