domingo, 30 de agosto de 2015

O povo não vai murchar


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Enéas

Uma das armas mais eficientes da guerra política é a ridicularização do adversário. No caso da esquerda, a melhor maneira de ridicularizá-la é colocar um espelho em sua frente, mostrando o que ela realmente é: uma ideologia política assassina, responsável pelo genocídio de milhões de pessoas no mundo todo e que é acima tudo uma ideologia cognitivamente contraditória, amoral e corrupta. No caso do PT, a criação do personagem pixuleco representado pelo boneco do Lula Inflado, numa caracterização que não apenas ridiculariza como representa alegoricamente quem de fato é o aiatolá de sindicato líder supremo da organização, calou fundo no brio dos petistas.

A reação por parte dos petistas à ridicularização a que foram expostos foi igualmente ridícula. Durante a exibição do Pixuleco na capital paulista na tarde de sexta-feira, uma militante investiu contra o boneco com uma faca, desinflando-o, nesse que talvez tenha sido o ato político mais ridículo, histérico e tresloucado da história da esquerda mundial: atacar um boneco de plástico em nome da revolução! Por sua vez, o presidente do partido, Rui Falcão, afirmou que a “exibição do boneco como se fosse um ladrão faz parte de uma campanha de destruição da imagem do PT”. O ridículo dessa afirmação do presidente do PT demonstra a dificuldade que eles estão tendo em lidar com o espelho que lhes foi colocado na cara.

Em primeiro lugar não existe campanha de destruição da imagem do PT coisíssima alguma. O que existe é a percepção por parte de um número cada vez maior de brasileiros do que realmente é o PT. Um partido empenhando na subserviência do país ao Foro de São Paulo por meio do comprometimento de nossa dignidade e de nossa soberania nacional. Um partido comprometido com um projeto de poder permanente autoritário e antidemocrático e decidido a nos transformar numa ditadura socialista que irá trazer miséria e pobreza a toda população. Um partido que, para atingir esse objetivo, não se furtou nem se furta em usar da corrupção generalizada no aparelho de estado como método preferencial de se fazer política, e em fazer uso da mentira sistemática e do cinismo desavergonhado, no melhor estilo de Joseph Goebbels, na sua comunicação com a população, para enganar, mentir, iludir e ocultar a realidade. Essa é a síntese e o resumo do PT.

O que Rui Falcão chama destruição da imagem do PT nada mais é do que a revelação de sua verdadeira face, hoje percebida e compreendida pela maioria dos brasileiros.

A militante tresloucada e histérica pode ter desinflado o pixuleco num acesso de fúria ensandecida típica da psicopatia dos revolucionários de esquerda. Mas o que ela fez foi só murchar um boneco, que será consertado. O que não vai murchar é a disposição dos brasileiros de bem em combater esse partido e seu projeto de poder corrupto e antidemocrático.

E usaremos para esse combate todos os meios que a democracia, democracia essa que o PT tanto odeia e despreza, nos propicia. Inclusive o humor e a sátira, representados por um boneco inflado que se alguma petista histérica resolver murchar, a gente infla de novo.


Paulo Enéas é Ativista.

Um comentário:

Anônimo disse...

“BOLETIM MÉDICO”

Comunico, para o alívio de todos os democratas deste país, que o “‘Pixuleco” – alvo de um tresloucado atentado à faca cometido por u’a militante histérica de uma brigada comunista – foi operado e passa bem no seu pós-operatório.

Havia um certo temor de agravo do seu estado, diante da procastinação de atendimento motivada pela recusa do “Pixuleco” de ser operado no SUS, preferindo o Sírio-Libanês. Mas, consumada a transferencia, a cirurgia transcorreu com pleno êxito, sendo cosido o buraquinho que a “mulher-faca” fez no seu flanco, mas sem que nenhum órgão vital fosse atingido, felizmente.

O “Pixuleco” já está de alta hospitalar, e deverá completar a sua recuperação em casa, sob os cuidados de seus familiares. A recomendação mais rigorosa é de que ele não leia os jornais, não assista os jornais televisivos e não leia as revistas Veja, Época e Isto É deste final de semana, para evitar agravamento do seu estado. A leitura da Carta CaPTal, no entanto, está liberada e é até aconselhável..Palavras como ‘”lavar”, “lava”, “jato”, “porto”, “Mariel”, “empréstimo”, “tráfico” e “influencia” não devem ser pronunciadas na sua presença, por razão não muito bem esclarecida. E mais: não deve frequentar lugares públicos em hipótese alguma, exceto com cordão de isolamento, inclusive acústico.

Finalmente, devo comunicar que o “Pixuleco” estará retomando, em breve, a sua tournée de combate à corrupção e à impunidade, sendo aguardado, desde já, em diversas capitais do país. O “Pixuleco’, que já era inimputável, será também blindado a partir de agora, para evitar novos ataques de mulheres e homens-facas das brigadas vermelhas