sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Recomendável, com empenho


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

Não se tem notícia no mundo democrático contemporâneo, de um governo que, com os índices de reprovação e rejeição comparáveis aos exibidos pelo atual mandato presidencial, se tenha conseguido manter em funcionamento por muito tempo. 

Eleita há pouco mais de seis meses, após uma campanha eleitoral que maquiou os inchaços da economia, finalmente emersos após o pleito, resultando no aumento do desemprego e no recrudescimento da inflação, está sendo a Presidente Dilma obrigada a implantar um ajuste que deveria ter-se iniciado bem antes mas que não o foi porque o objetivo maior era a reeleição. 

Os números da rejeição são de tal forma expressivos que a insistência de Sua Excelência em permanecer no cargo representa um enorme prejuízo para a população, sem possibilidades de ser suportado até 2018, além de impedir o aparecimento de um ambiente que restaure a confiança dos investidores, condenando, assim, o país, a uma fase de  crescimento negativo, com duração imprevisível. 

Acrescente-se a esse quadro uma crise política originária na falta de traquejo dos articuladores do Planalto e no ambiente de corrupção que atormenta a sociedade há pelo menos 12 anos, com a eclosão do mensalão,  petrolão, lava jato e sabe-se Deus mais o quê. 

Em que pese o fato de que qualidades como a resistência a ambientes adversos e a resiliência a ataques de inimigos e desafetos , honestos ou não, sejam elogiáveis, e que, surpreendentemente, partam de líderes políticos supostamente oposicionistas, manifestações dando conta da honradez da Presidente , conceito polêmico, face ás suspeitas de que todas as manobras de favorecimentos a políticos aliados eram de seu conhecimento quando pertencia ao conselho de administração da maior estatal do país, é recomendável, com empenho, diante dos valores extremos da reprovação do governo, que Sua excelência, num rompante de estadista que pensa mais no país do que na sua fixação de se manter no poder, renuncie.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Nenhum comentário: