quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Não vejo razões para temer o Decreto 8515


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: Recebi, há poucos dias, um texto que reporta a personalidade e, principalmente, a atitude de um General alemão chamado Dietrich Von Saucken, oficial da Cavalaria Prussiana.

Segundo o relato, Von Saucken, um herói das duas Grandes Guerras Mundiais, várias vezes ferido em combate, foi chamado à presença de Hitler, a quem desprezava, para receber a ordem de defender a Prússia do avanço da Rússia. Ao final do encontro, o “Fuhrer” acrescentou que o General deveria prestar contas das suas ações ao líder nazista local.

Visivelmente contrariado, Von Saucken bateu forte com a mão na mesa e disse, energicamente, que não receberia ordens de um representante do Partido. Hitler não teve dúvidas da determinação daquele Soldado e, prontamente, aquiesceu, dizendo em voz baixa: “Tudo bem, Saucken, você será o seu Comandante”, ou seja, o “Fuhrer” simplesmente cedeu quando se viu confrontado por um homem melhor que ele.

Valho-me deste relato para reforçar minha opinião sobre o Decreto 8515, de 3 de setembro último, pelo qual a Presidente da República, no uso das suas atribuições, delega novas missões ao Ministro da Defesa, parte das quais eram, desde a criação do MD, delegadas aos Comandantes das Forças e, anteriormente, aos  Ministros Militares.

Tenho recebido grande número de mensagens de pessoas preocupadas com as consequências dessa redistribuição de tarefas, às quais tenho respondido, com absoluta convicção, que não me preocupam, porque nada mudará!

Comparo as FFAA a um circuito fechado de processos, hábitos, compromissos e procedimentos morais construídos, aperfeiçoados e consolidados, sempre, sob a tutela de valores, tradições e princípios.

As entradas deste circuito são mantidas muito bem fechadas e guarnecidas pelos mesmos valores, tradições e princípios que têm tutelado a sua evolução e que impedem a penetração de ideias que não estejam em consonância com eles e que fazem das FFAA brasileiras uma referência para a Nação e uma ameaça permanente aos seus inimigos.

Meu conhecimento me permite ter a convicção de que qualquer tentativa de burlar a hermeticidade deste circuito fará surgir, à frente do atrevido, tantos  Dietrich Von Saucken quantos forem necessários para intimidar a ousadia!

Em 1964, João Goulart ousou penetrá-lo e logo aprendeu que as FFAA tinham seus próprios Comandantes e que não valeria a pena confrontar homens que eram melhores do que ele.

Assim, confiante no Exército de Caxias, na Marinha de Tamandaré e na Força Aérea de Eduardo Gomes, não vejo razão para temer qualquer decreto de homens ou mulheres que, sob quaisquer aspectos, não são melhores do que nós.


Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva.

4 comentários:

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Os senhores das FFAA, até hoje foram coniventes ou por ação ou por omissão com os governos que sucederam ao fim dos governos militares, inclusive e a partir do governo de José Sarney, portanto não acredito em vossas boas intenções, pois que vossos propósitos são aqueles ditados pelo Fabianismo, comunismo suave, mas sempre comunismo. Os senhores das FFAA descontruiram nossa Nação, descontruiram o Brasil.

Os senhores das FFAA nos trouxeram ao inferno socialista que vivemos. Reproduzo comentário que inseri em página do Facebook, á dona B.H.:

...'sugiro que leia sobre Fabianismo e em seguida pesquise; a maioria de oficiais brasileiros das FFAA são de linha Fabianista (é incutida neles essa linha política/filosófica nas academias de formação de oficiais), linha que é praticamente um comunismo suave e em decorrência disso, de serem dessa linha, é que estiveram e estão (sim, sempre trabalhando nas sombras) apoiando os PT e os ditos "movimentos sociais" e é por isso que até hoje as FFAA não se movimentaram para reordenar o Brasil, não se movimentaram para a Intervenção Militar Constitucional, pois a eles dessa linha lhes interessa que o processo socialista/comunista em curso, continue pujante',

Anônimo disse...

Milicos de bunda mole! Merecem ser comandados por um general venezuelano!

Anônimo disse...

Senhor General Paulo Chagas.
Com certeza, o senhor conhece os atuais Comandantes militares muito melhor do eu, que sou leigo e um tanto alienado dos assuntos castrenses.
Mas lhe afirmo que, aos meus olhos de leigo, tais Comandantes transmitem a nítida idéia de que, tal como na velha e manjada piada sem graça, são militares melancia - verdes por fora e vermelhos por dentro.
Para quem não os conhece no íntimo, os Comandante parecem estar representndo papéis de cooptados ideologicamente, ou, na pior hipótese, de corrompidos monetariamente, para aceitar tudo o que de ruim e degradante os desgovernos esquerdopatas, há treze anos, vêm impondo às FFAA.
Lamento, mas os nossos "Dietrich von Saucken" brasileiros, ou estão na reserva remunerada ou, o que é mais provável, nos cemitérios pátrios.
Desnecessário dizer que não sou dono da verdade, mas sou um cidadão brasileiro que observa o que se passa na vida pública, e o que escrevi acima é reflexo da impressão que recebo dos nossos impotentes e péssimos representantes dos nobres e honrados Duque de Caxias, Almirante Tamndaré e Brigadeiro Eduardo Gomes.
No meu entendimento, o temor não deve ser apenas em relação ao tal Decreto Castrador, mas a toda a ideologia mal intencionada que levou à edição de tal
Decreto, além da forma subreptícia e quase clandestina com que o mesmo tramitou, até ser assinado por aquela lá. Isso é típico dos governos bolivarianos, da quadrilha chefiada pelo tal Foro de São Paulo e liderada pelos ditadores-assassinos cubanos.
Saudações.
Paulão.

Ed Garcia disse...

General Paulo Chagas.
O Sr deu bola fora dessa vez.
Meteu bola nas costas dos Brasileiros.
O Sr não sai do muro, quer passar a aparência de uma normalidade que não existe, e defende uma democracia que não existe.

DECEPCIONADO com sua fala fe Atitude e firmeza.

@EdGaarcia