terça-feira, 15 de setembro de 2015

"Nunca broxantes na História desse País..."


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O homolusco, que hoje retratar busco, sabe que não escapou; seu pibinho murchou!

Pior pra pixuleca, do grão sapo a perereca.

Pedindo perdão aos amáveis leitores, imagino o diálogo dos que estão nos estertores:

-”Ó querida, vamos lamber ferida?

--”Não amor; prefiro chupar tumor!

-”Tumor não me seduz; eu quero é beber pus.

--”Vamos brincar de passa-anel?

-”Lembrar disso me dá pena. Pior é que passa de noite e de dia, esse assunto porcaria, em minha mente. Refina a ira e tento em vão, me esquecer do petro...”

--”Finge que não sabe; que não viu. E mande a Anta a PQP !”

-”Se fosse só a Anta, estava fácil, mas tem um tal de touro que quer tirar meu couro.”

--”Mas o caradura da pudicatura já não ameaçou castrá-lo?”

-”Já; mas seu prestígio foi pro ralo! Andou levando uísque falsificado na marmita (que comprou no porto do serviço porco) e agora -coitado eremita- vai tomar um tal purgante, pior que o do merdandante. Das consequências nem te falo!”

O ocaso é um terremoto; no caso, um ocamoto.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

5 comentários:

Loumari disse...

O que vocês todos têm contra o pibinho???
Coitadinho do PIBINHO do Brasil!!!

Loumari disse...

Estou Cheia de Ti esta Noite

Estou cheia de ti esta noite, Henry, e triste porque preferiria muito mais ir embora contigo. Percebi hoje, quando falaste no meu enxoval, que, relativamente a tudo o que compro, fico a pensar se tu gostarias. Não me pergunto se o meu pai gostaria. Estou terrivelmente longe do meu passado e terrivelmente perto de ti. Tocou-me que tenhas achado o café duplamente bom. Tudo será duplamente bom nas nossas férias.

Estou realmente esfomeada pelas nossas férias. Teria sido demasiado feminino da minha parte querer ver-te todos os dias, porque senti que o teu estado de espírito estava acinzentado, e eu queria que flutuasses outra vez. Não te quero torturado... nem por uma constipação!
No sábado vamos sair e escolhemos discos juntos, okay?
Envia-me a minha carta "Auto-Retrato" que eu deixei.

Lembra-te das últimas palavras de Lawrence no Apocalypse... Algo sobre estar de bem com o Sol. Que bem trará o Sol para mim? O Sol está bem para o homem, o criador, o macho cósmico, etc. A mulher é tão terrivelmente pessoal que até o Sol deve encarnar num homem. No Henry, para mim.

"Anais Nin, in "Carta a Henry Miller (1933)"
Estados Unidos 21 Fev 1903 // 14 Jan 1977
Autora

Loumari disse...

Tornamo-nos Mais Objectivos Depois de Reconhecermos a Nossa Subjectividade

Toda a arte da psicologia ou da ciência da psicologia, se lhe quisermos chamar assim, é baseada numa inversão do processo de objectividade. Não que não possamos tornar-nos objectivos, mas que apenas possamos tornar-nos objectivos depois de termos confrontado as nossas atitudes não objectivas, as nossas atitudes não racionais. Atingir uma objectividade honesta significa termos de saber quais os pontos da nossa natureza que são propensos a determinado preconceito, que parte de nós é defensiva, que parte de nós distorce o que ouvimos. E é necessária uma tremenda auto-honestidade para começar a remover essas distorções e a clarificar a nossa visão. De modo que só podemos atingir a objectividade depois de termos descoberto quais as áreas da nossa psique que não são objectivas.
Além disso, o reconhecimento básico da psicologia é que, lá bem no íntimo, a maior parte da nossa vida é desconhecida da mente consciente e que, quanto mais nos tornamos consciente dela, mais honestos e mais objectivos nos podemos tornar. Nós não vemos os outros com clareza, e o que obscurece a nossa visão são os preconceitos que a pessoa supostamente objectiva se recusa a reconhecer. Uma pessoa objectiva diria que não é responsável pela guerra, mas uma pessoa que sabe psicologia sabe que cada um de nós é responsável porque cada um de nós tem sempre uma área de hostilidade, que depois é projectada para hostilidades colectivas mais vastas.

"Anais Nin, in "Fala Uma Mulher"
Estados Unidos 21 Fev 1903 // 14 Jan 1977
Autora

Loumari disse...

Feitas as contas, parece que nos arrastamos num estado de esquizofrenite crónica, em que ideias feitas meio desconexas se nos impõem, em que a ambivalência é um estado de espírito, em que o sentimento de solidão e a angústia de desfragmentação fazem parte do nosso inefável quotidiano.
(Isabel Leal)

Anônimo disse...

Caro Jornalista Serrão, com esta proposta factoide de ajuste fiscal em que a maior parte dos recursos vem de impostos, (tais como da ressureição da CPMF e de outros que dependem da aprovação do Congresso para serem efetivos) e não de cortes dos milhares de cargos comissionados por petistas e outras medidas discricionárias de sua exclusiva competência, comprova que dilma não quer ajuste nenhum e ainda por cima irá colocar a culpa do fracasso no Congresso por não aprovar o óbvio. Todos sabemos que a CPMF não vai passar, assim como as demais fontes de recursos que dependem da aprovação no legislativo. O problema foi criado por ela, então não vale jogar para a plateia. Ela não criou tantas estatais, tantos ministérios? Agora seria a hora de extingui-los e passar um pente fino (finíssimo) nos programas sociais e milhares de ongs e só manter os participantes que realmente necessitam. Por que ela então insistiu tanto para colocar o cadáver da CPMF no meio da sala da sociedade e as demais medidas que sabe que seriam rejeitadas? Uma resposta muito simples – só para criar muita fumaça para distrair a atenção da sociedade e do congresso do foco sobre o seu iminente afastamento da presidência por impeachment ou crime eleitoral.
Tem mais outra coisa – retirando o abono permanência, milhares de funcionários públicos vão se aposentar e como também proibiu o concurso público, o que acontecerá é um brutal esvaziamento da estrutura administrativa do Estado composta por cargos efetivos, que seriam preenchidos (ou apenas continuar preenchidos, já que não mexeu nos cargos comissionados dos apadrinhados) Uma consequência seria completo descontrole sobre a corrupção em todos os níveis da administração, pois sabemos que apesar de encontrarmos alguns funcionários de carreira também corruptos, é infinitamente menor a chance de um simples funcionário arriscar a ser demitido se comparado ao funcionário terceirizado ou de cargo comissionado.