sábado, 24 de outubro de 2015

Entortando a língua


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

A maneira mais fácil e mais cretina de combater as desigualdades é
nivelar por baixo. A quem interessa fazê-lo?

Na Rádio Guaíba de Porto Alegre, há um programa diário com informações e comentários no qual, durante quatro horas, desfilam os assuntos mais graves e as amenidades mais hilárias. Outro dia, em meio a notícias pouco alentadoras, o condutor do programa fez digressões quanto à utilização de "ponto" ou "vírgula" na designação da frequência da emissora de FM. Com acerto, falou "é cento e um VÍRGULA três", enfatizando ser errado pronunciar "ponto" no lugar da "vírgula".

Sem demora um ouvinte enviou um torpedo, na maior grosseria, para dizer que aquele comentário era uma grande bobagem que só servia para "elitizar a língua". Ora, elitizar!

O apresentador - o jornalista Rogério Mendelski - estava informando, esclarecendo e, sem que se superdimensione o feito, dando uma pequena contribuição cultural, sendo a exatidão, sim, uma qualidade muito apreciável da linguagem. E ele tem cacife para fazê-lo. Não sei quantos anos tem. Mas é de uma geração de jornalistas que ainda sabe usar o modo subjuntivo...

Reflexo de uma época em que a escola servia para alfabetizar as crianças... Diga-se de passagem que, por não fazer cerimônia para dizer o que pensa, ele é, digamos assim, figura polêmica. E a fração raivosa da esquerda quer o seu fígado.

Do ignoto ouvinte (se o adjetivo não for elitista) nada se sabe, senão que é reflexo da nem sempre explícita perversidade com que estão sendo conduzidas a educação e a cultura no Brasil. Simples. Por aqui, para que não haja elites intelectuais, como se isso fosse por si só negativo, desdenha-se do que quer que se apresente como norma culta, ridiculariza-se a erudição e se exalta a vulgaridade. Assim, em lugar de ensinar a norma gramatical, decreta-se que a linguagem dos carroceiros passa a ter o mesmo status do padrão culto. Mas em que sairá favorecido o carroceiro com isso? O resultado é a estupidificação da juventude.

Para quem acha que é pura teoria espontânea, aqui vai a base empírica. Cito um fato apenas, tão execrável quanto apto a retratar o que está vigorando no país. Em 2011, o Ministério da Educação comprou 485 mil exemplares de um livro, pretensamente didático, da autoria de Heloisa Ramos, elaborado DELIBERADA E SOLERTEMENTE com erros gramaticais. Óbvio, material destinado a alunos de escolas públicas.

Ora, no Brasil, há muitos autores sérios e proficientes que poderiam contribuir. Mas o Programa Nacional do Livro Didático tem lá os seus critérios e decidiu subverter a norma gramatical. A justificativa da autora para a sua "obra-prima" e, por conseguinte, diretriz do Ministério da Educação, foi "privilegiar a linguagem oral sobre a escrita" e, ainda, substituir a noção de "certo ou errado" pela de "adequado ou inadequado". Estão querendo educar ou ensinar a viver sem regras? Ouso afirmar que o "ignoto ouvinte" - talvez sem entender do assunto e até por isso mesmo - apoiará a orientação ideológica de tal degenerescência.

Para completar, um registro: à época, o ministro da educação era Fernando Haddad. Ele mesmo! O prefeito moderninho de São Paulo. Fica tudo claro: embora absolutamente inaceitável, é fácil compreender o disparate governamental.

Ninguém me dirá que esses caras são ingênuos. Não. Tem planejamento nisso. Oficializar a degeneração da língua nacional é um eficaz meio de reduzir a capacidade de pensar de crianças e adolescentes. Nivela por baixo e subtrai, a muitos alunos com talento acima da média ou simplesmente com grande motivação para estudar português, o direito a obter um domínio superior da língua, o que é imprescindível em determinados ofícios - além de fixar um modo peculiar de "estar no mundo". Ah, mas eu devo estar sendo elitista...

Triste é saber, com clareza, aonde essa "elite burocrática" (essa sim, indesejável) pretende chegar.


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

8 comentários:

Anônimo disse...

"A degeneração de um povo, de uma nação ou raça, começa pelo desvirtuamento da própria língua." - Rui Barbosa

Loumari disse...

E podem vocês acreditar que os brasileiros, agarraram na Bíblia Sagrada depois desta ter sido canonizada pela igreja católica apostólica Romana, os brasileiros amputaram letras dos nomes dos profetas.
Ao JACOB lhe tratam de Jacó
Ao JOB lhe tratam de Jo
Ao DAVID lhe tratam de Davi
De todas as traduções e língua em que a Bíblia foi traduzida, o povo brasileiro é o único que pegou na Bíblia Sagrada e a perverteram. Fizeram com a Bíblia o que eles têm o costume de fazerem com os seus homens e suas mulheres que lhes passam pelo bloco operatório e os transforam segundo o seu gosto. Porque o que o Criador fez é feio aos olhos deles. Há que modificar o tudo. O povo brasileiro tem todas as similitudes com o povo islâmico. Com as suas sinagogas de Satanás e são matões. Mais de 60 mil assassinatos por ano, e mais de 145 mil estupros registrados por ano. Há algum outro país no Globo que os supera nisto?
Para que vejam que parece que a origem do povo brasileiro fosse analfabetos, porque se eles compreendessem o que lêm, teriam notado que na Bíblia, no livro do Apocalipse vem escrito:
Porque eu testifico, a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, DEUS fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, DEUS titará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro. (APOCALIPSE 22:18)

Loumari disse...

Graças a DEUS, Deus é fiel a fé que Lhe temos.
Agora entendem por que eles já andam malucos??? Para vós que ainda lhes sobra algo de discernimento, que filhos são estes que amputam letra de seu próprio património genético? Os nosso pais são Hebreus. Em nós mesmos, quem é de nós que suporta ver o seu nome amputado de alguma letra? Este Jacó, este Davi, este Jó, só são os brasileiros que os conhecem, nenhum outro povo cuja origem é a Bíblia conhece.
Nem na Bíblia traduzida em dialectos africanos, os nomes dos Profetas estão em Hebreu.
Brasil, a nação que entregou a sua autoridade a Besta.
Deus é JUSTO e sempre dá oportunidade de arrependimento. Foi para Brasil o Papa Francisco pregar o arrependimento. E o povo do Brasil foram organizar uma contra manifestação, chamando-a de: marcha das vadias. Tomavam a Cruz de Cristo e se a enfiavam no QU. E bastou o Papa partir que os brasileiros se viraram para os projectores de TV assistir a mais sensacional telenovela que promovia a homosexualidade. Vamos todos nos sodomizar que a sodomia está na moda falou o brasilês. E praticamente o país ficava paralizado na hora da projecção da tal novela, porque todos queriam se deleitar das cenas de homosexualismo. E eles chamam aquela abominação: "amor a vida". Para o brasileiro, a vida é engendrada no orifício posterior do homem. Visitem os QU's, é lá onde há amor a vida diz o progressista e raça superior do brasilês. E eles agora estão surpresos, não sabem a origem do mal que se abate sobre eles e acusam como responsável de todos os males do país, ao Lula?
Esperem para ver que o Lula é o homem que vai escovar bem o juízo do povinho perverso e macabramente diabólico. Com o seu português reduzido a expressão dos escravos. Onde os outros povos de expressão portuguesa dizem: Meus Actos! eles dizem: Meus Atos. Como isso seus atos? Portanto a escravidão foi abolido há várias décadas, mas o brasilês até hoje ainda não realizou que estão soltas as correntes da escravião.
Eles estão mazéns é atados a sua ignorância que é daquela ignorância mesmo Mórbida. Brasil não levanta mais devido as abominações de seu próprio povo.
Agora eles se divertem com pegar na Cruz de Cristo e jogar com ela nas suas paradas gays. Tudo isso não é sem consequências!
A Cruz de Cristo é a espada de São Miguel Arcanjo.

Loumari disse...

Tu, pois, ó filho do homem, julgarás, julgarás a cidade sanguinária? faze-lhe conhecer, pois, todas as suas abominações,
E dize: Assim diz o Senhor JEOVA: Ai da cidade que derrama sangue no meio dela, para que venha o seu tempo! que faz ídolos contra si mesma, para se contaminar!
Pelo teu sangue que derramaste, te fizeste culpada, e pelos teus ídolos que fabricaste, te contaminaste, e fizeste chegar os teus dias, e vieste ao fim dos teus anos; por isso, EU TE FIZ OPRÓBRIO DAS NAÇÕES E O ESCÁRNIO DE TODAS AS TERRAS.
( EZEQUIEL 22:2 )

Anônimo disse...

A língua une as pessoas e assim formam uma nação. A forma mais eficiente de destruir uma nação começa pela destruição da língua, seja pela introdução de estrangeirismos ou pela péssima educação praticada.

rolusanro disse...

A língua une as pessoas e assim formam uma nação. A forma mais eficiente de destruir uma nação começa pela destruição da língua, seja pela introdução de estrangeirismos ou pela péssima educação praticada.

rolusanro disse...

A língua une as pessoas e assim formam uma nação. A forma mais eficiente de destruir uma nação começa pela destruição da língua, seja pela introdução de estrangeirismos ou pela péssima educação praticada.

Kleber disse...

Exatamente por isso, há quase 20 anos, troquei minhas filhas de colégio. Aprender o certo e o errado foi ótimo para elas.