sábado, 31 de outubro de 2015

Falar é preciso


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ernesto Caruso

Vejam a importância dos fatos que ultrapassam os muros dos quartéis e chegam à sociedade.

Não há porque ser pequeno ou grande mudo, o segmento militar é parte dessa sociedade, que por princípio deve ser organizada, composta por cidadãos que exercem todas as atividades, sem farda ou com farda, civis ou militares.

Portanto, como parte da sociedade, deve se pronunciar diante das relevantes questões nacionais, em especial na descomunal crise econômica e social, quando avultam por parte de representantes do governo ou aliados, incentivos à luta, tipo "exército do Stedile", do presidente da CUT, do deputado Sibá Machado e a pregação exposta na última propaganda do PC do B.  

É preciso demonstrar que as FA estão a serviço da Nação.

As manchetes abaixo inseridas e o Jornal da Cultura demonstram que as FA não estão na região do conforto diante da realidade. Risco de atirar, risco de falar, risco de agir, de se ferir, na vida sempre os há. Interessante que o experiente jornalista do telejornal, diz que perde a voz. Vejam.


- Defesa vai exonerar comandante militar que criticou o governo



Ernesto Caruso é Coronel de Artilharia e Estado Maior, reformado.

4 comentários:

marco aurelio de nigris boccalini disse...

Quando o político profissional se sente "chocado" com uma declaração igual a do Gen. Hamiltom Mourão, então a dedução que devemos chegar é uma só:a declaração é séria; o resto é tudo mentira, engodo, hipocrisia, venha de onde vier.

Estéfani JOSÉ Agoston disse...

Senhor cel Ernesto Caruso:

Quanto à mudez do Grande Mudo, de experiência própria pós acidente grave, aprendi que quando se passa um tempo considerável deitando em cama hospitalar, é difícil andar novamente com os próprios pés; quando pela primeira vez retiraram-me da cama para uma cadeira de rodas, senti grande tontura, enjôos, tudo parecia girar, faltavam-me forças nas pernas e suplicava à enfermeira que me pusesse novamente na cama, deitado no aconchego dos lençóis. Mas a sacana insistiu e levou-me para um pequeno pátio ensolarado, o que foi uma delícia quando os males estares diminuiram. Ela, a enfermeira na experiência própria, estudos, era sábia, e a todos os dias forçava-me à cadeira de rodas, até que finalmente o que era ruím em ficar em pé, ir para a cadeira, findou e passei a sentir-me até bem andando com muletas.

O que sentia, projeto para quem deixa de falar por muito tempo, vinte, quarenta anos ou mais até, será que, então a pessoa perde a capacidade de falar? Ou simplesmente perde a coragem de ouvir a própria voz?

Anônimo disse...

Como eu já disse antes, o Exército não se resume a um General.
Há toda uma Legião do Bem disposta a defender o Brasil e os brasileiros decentes.
Hoje os quadrilheiros afastam da Tropa um grande líder, mas outros saberão honrar seus dignos Comandantes e a própria farda.
A Onça está atenta a tudo o que ocorre ao seu redor.
A Onça não hiberna!
SELVA!!!!

Anônimo disse...

AF disse:

Coronel, temos que ir pra cima, e prender os traidores que estiverem impedindo as FFAA de agir.