domingo, 18 de outubro de 2015

O Cômico e depois o Trágico


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

O momento atual é cômico. O cara de mico leviano ainda pensa que pode carregar o piano.

Ainda tem chefe de redação idiota que ainda repete sua lorota.

A Anta é a que mais se espanta! Na teoria é possível esconder sua patifaria?

A mina rosa verá que tem espinho o seu ínvio caminho.

Enquanto o país se afunda a constituição só serve pra limpar a rima.

O Brasil por sua grandeza, ignora qualquer fétida torpeza.

A hora que o vento estocado sair pelo buraco errado, vai ter muito cágado apavorado.

Dona onça já esturra. Que risco corre essa gente burra!

Quem pariu Matheus que o embale. O atual tem mancha em piche e já teve paralelo nos tempos do cor de marmelo.

Enquanto isso o bravateiro, que só pensava em dinheiro, continua em Cannes.

Do chefe, por decisão, um genuíno cagão, perdeu sua merdalha.

A Onça tarda mas não falha. Pelo menos é o que diz a internet. Se não tem serpentina vai confete!

Aguardemos o trágico desfecho da saga de Anta vagabunda.

Dinheiro nenhum é paga pra vê-la tomar na rima.

A polidez não é fingida. Evita-se calão em tempos de petrolão.

É um pouco de compaixão com anta mal parida.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

5 comentários:

Loumari disse...

Assumir a Dor

Quanto mais uma pessoa que foi traída tenta anular a pessoa que a traiu, mais raiva sentirá e, consequentemente, mais a dor da traição será arquivada no centro da sua memória. Quanto mais uma pessoa tentar esquecer a crise financeira que atravessa, mais penetrará nas janelas que financiam a sua hiperpreocupação, mais se perturbará, perderá o sono e descarregará a ansiedade no seu corpo, gerando sintomas psicossomáticos. Essas defesas do Eu não são apenas ineficientes como também aumentam os níveis de stresse.

Nunca tente apagar os seus arquivos. Não conseguirá. Não gaste energia tentando esquecer as pessoas que o magoaram. O seu desgaste torná-las-á inesquecíveis. A melhor técnica, como veremos, é assumir sempre a dor, reciclá-la com maturidade, nunca se colocar no lugar de vítima, conversar sem medo com os seus fantasmas, revê-los por outros ângulos e reescrever as janelas onde estão inscritas.

"Augusto Cury, in 'A Fascinante Construção do Eu'
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor

Loumari disse...

"Dor é o tormento que traz, após si, o contentamento"

"Contentamento próprio não se compra por nenhum preço"

"Contentamento vale mais que riqueza"

Loumari disse...

Treinar a Emoção

A emoção é bela, mas ingénua. Não seja passivo diante das suas dores, determine o que quer sentir. Não peça licença para ser feliz, determine ser feliz. Determine ser tranquilo, sereno, alegre. O campo de energia emocional precisa de se submeter à autoridade do «eu».

A emoção aprecia uma ordem, mas domina pessoas passivas. Não é possível nem desejável controlar completamente as emoções. Elas dão sentido à vida porque são uma energia incontrolável. Mas não as deixe serem muito ingénuas, dê-lhes um choque de lucidez. Outro erro educacional grave é que nunca nos ensinaram que as nossas emoções não são obrigadas a viver o conteúdo dos pensamentos negativos e das fantasias destrutivas. É preciso treinar a emoção para sermos seguros e lúcidos.

Deixe a emoção solta para que você possa amar, ser tolerante e tranquilo, mas não a deixe solta para dirigir a sua razão. A maioria dos crimes, dos conflitos sociais, das ofensas nunca resolvidas e dos traumas sociais nunca apagados foram produzidos porque a emoção governou a razão. Determine não submeter a sua emoção ao conteúdo dos pensamentos perturbadores. Jamais se esqueça de que há uma força dentro de si que está desativada ou mal usada.

"Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz '
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor

Loumari disse...

O stress, enquanto tensão emocional vivida em dados momentos, funciona como energia motivadora para o suporte da vida, para lidar com a adversidade, superar dificuldades e deixar obra feita. Sem stress, não há capacidade de reacção aos estímulos, quedamo-nos abúlicos, letárgicos.
(Vasco Prazeres)


Aceitar as emoções é vital no sentido de controlar os seus efeitos. Aceitar a raiva, o ressentimento, a falta de protagonismo ou a solidão, por exemplo, ajuda a conhecermo-nos melhor e a não descarregar nos outros aquilo que nos deixa desconfortáveis a nós próprios.
(Laurinda Alves)

Loumari disse...

Maturidade Emocional

Dez funções da inteligência multifocal resultantes do treino da emoção e da arte de pensar:

1. A arte de amar a vida e tudo o que a promove.

2. A arte de contemplar o belo.

3. A arte da serenidade: pensar antes de reagir.

4. A arte de expor e não impor as ideias.

5. A arte da solidariedade.

6. A arte de gerir os pensamentos dentro e fora dos focos de tensão.

7. Colocar-se no lugar dos outros.

8. Ter espírito empreendedor.

9. Trabalhar perdas e frustrações.

10. Trabalhar em equipa.

Se você tem cinco dessas características bem trabalhadas na sua personalidade, a sua maturidade emocional está bem acima da média. Se, das seis artes da inteligência multifocal, você viver intensamente pelo menos três delas, saiba que é um poeta da vida. Infelizmente, a grande maioria das pessoas não tem constituída na colcha de retalhos da personalidade nem sequer duas dessas dez características.

"Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz'
Brasil n. 2 Out 1958
Psiquiatra/Escritor