domingo, 25 de outubro de 2015

O Relatório da CIA - Como será o mundo em 2020 (I)


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos I. S. Azambuja

Novos Desafios à Governabilidade

Um exercício de espionagem do futuro. É isso que o Conselho Nacional de Inteligência, o centro de análises estratégicas da comunidade de Inteligência dos EUA, apresentou em um relatório não-sigiloso que desenha os cenários hipotéticos do mundo de 2020.

Embora a especulação, claro, nunca esteja totalmente ausente quando se trata do futuro, essa parece não ser uma obra especulativa, pois está plantada solidamente no presente, identifica as grandes tendências que já se desdobram e projeta as novas geometrias do Poder no sistema mundial de Estados e novos campos de força na esfera da economia global.

Os ‘espiões do futuro’ consultaram peritos de todo o mundo, especialistas nas áreas de Relações Internacionais, Sociologia, Economia e Tecnologia, líderes empresariais, altos funcionários de governos e de agências multilaterais e chegaram a um relatório que expõe as forças que irão moldar e construir o futuro. Superpotências se enfrentarão não em uma guerra convencional, mas sim em busca de tecnologia, mercado, armas de destruição em massa, corrida espacial e biotecnologia, A economia, a demanda energética, a criminalidade, os combustíveis, o meio ambiente, as mudanças climáticas, o terrorismo e o crime organizado são abordados de forma articulada, inteligente e sutil. Um trabalho profundo e abrangente, produzindo um relatório completo com prognósticos e especulações.

Essa análise, que vale a pena ser conhecida, foi explicitada em 2006 em um documento com a denominação de
 O Relatório da CIA – Como será o Mundo em 2020, editado pela Ediouro, que expõe as forças que irão moldar e construir o futuro.Alguns capítulos serão aqui resenhados, iniciando pelos Novos Desafios à Governabilidade:

A Nação-Estado continuará a ser a unidade dominante da ordem global, mas a globalização econômica e a disseminação de tecnologias, especialmente as tecnologias da informação, significarão novas e grandes responsabilidades para os governos. A crescente conectividade será acompanhada de uma proliferação de comunidades virtuais de interesse comum, complicando a capacidade de governar dos Estados. A Internet, em particular, estimulará ainda mais a criação de movimentos globais, os quais poderão emergir como uma força robusta nas relações internacionais.

Parte das pressões sobre a governabilidade virá de novas formas de identidade política centradas em convicções religiosas. Em um mundo em processo de rápida globalização, que experimenta mudanças populacionais, as identidades religiosas geram seguidores com comunidades próprias que atuam como
 ‘redes de segurança social’ em tempos de necessidade – particularmente importantes para os migrantes. Em especial, o Islã político terá um impacto global significativo em 2020, reunindo grupos étnicos e nacionais dispersos e talvez criando até mesmo uma autoridade que transcenda as fronteiras nacionais, um Novo Califado. Ou seja, um movimento global movido por uma identidade religiosa radical que poderá transformar-se em um desafio às normas e valores ocidentais.

Uma combinação de fatores – aumento da população jovem em muitos Estados árabes, perspectivas econômicas pobres, influência da educação religiosa e islamização de instituições como uniões comerciais, ONGs e partidos políticos – assegurarão que o Islã continue sendo uma grande força. Fora do Oriente Médio, o Islã político continuará a atrair os migrantes muçulmanos estabelecidos em países do Ocidente em busca de melhores oportunidades de emprego, mas que não se sentem em casa em uma cultura que percebem ser estranha e hostil.

Regimes que foram capazes de enfrentar os desafios da década de 1990 podem não ser bem-sucedidos em relação aos que se apresentarão em 2020. Forças contraditórias estarão em jogo: regimes autoritários enfrentarão novas pressões para se democratizarem, mas novas e frágeis democracias podem não ter capacidade de adaptação para sobreviverem e se desenvolverem.

A chamada ‘
terceira onda’ de democratização poderá ser parcialmente revertida por volta de 2020, em especial entre os países da ex-União Soviética e do Sudeste Asiático, alguns dos quais nunca adotaram realmente a democracia. Todavia, a democratização e o pluralismo tendem a se afirmar em países-chave do Oriente Médio que foram excluídos do processo por regimes repressivos.

Com o aumento da migração em várias partes do mundo – da África do Norte e do Oriente Médio para a Europa, da América Latina e Caribe para os EUA, e do Sudeste Asiático para regiões mais ao Norte –, mais países serão multiétnicos e enfrentarão o desafio de integrar imigrantes nas suas sociedades, respeitando, ao mesmo tempo, suas próprias identidades étnicas e religiosas.

Os líderes chineses terão que acomodar pressões pluralistas para relaxar os controles políticos ou arriscarem-se a uma revolta popular. Pequim poderá tentar implantar uma ‘
democracia asiática’, que poderia incluir eleições em pleitos locais, e um mecanismo consultivo em nível nacional, possivelmente com o Partido Comunista retendo o controle sobre o governo central.

Com o sistema internacional passando por uma profunda mudança, algumas instituições encarregadas da administração de problemas globais podem ser solapadas. Instituições baseadas regionalmente terão de enfrentar as complexas ameaças transnacionais impostas pelo terrorismo, pelo chamado crime organizado e pela proliferação de armas de destruição em massa.

A ONU e as instituições financeiras internacionais criadas depois da Segunda Guerra Mundial correm o risco de ficar obsoletas, a não ser que se ajustem às profundas mudanças que ocorrerão no sistema global, inclusive no tocante à emergência de novas potências.

Insegurança aguda

Aumentará o sentimento de insegurança – tanto em percepções psicológicas como em ameaças físicas – por volta de 2020. Mesmo que a maior parte do mundo fique mais rica, a globalização deverá balançar profundamente o
 status quo, gerando enormes convulsões econômicas, culturais e, conseqüentemente, políticas. Com a gradual integração da China, da Índia e de outros países emergentes na economia global, centenas de milhões de trabalhadores estarão disponíveis para um mercado de trabalho mais integrado. Essa enorme oferta de mão-de-obra - grande parte com um nível de educação elevado – será uma fonte atraente e competitiva de trabalho barato. Mas a transição não será indolor e atingirá particularmente as classes médias dos países em desenvolvimento, ocasionando um turnover mais rápido e exigindo reeducação profissional.

Estados institucionalmente fracos e problemáticos, economias atrasadas, extremismo religioso e movimentos juvenis se alinharão e criarão conflitos internos em determinadas regiões. Alguns desses conflitos, particularmente os que envolverem grupos étnicos disputando fronteiras nacionais, poderão se tornar conflitos regionais e comprometer a governabilidade dos países com territórios e populações sem controle governamental efetivo. Tais territórios poderão se transformar em santuários para terroristas internacionais (como a Al-Qaeda no Afeganistão) ou cartéis criminosos ou de produção e tráfico de drogas (como na Colômbia).

Todavia, a tendência de um conflito em grande escala se transformar em uma guerra mundial nos próximos anos é menor do que já foi em qualquer período do século passado. A crescente dependência de redes financeiras e comerciais globais ajuda a deter os conflitos entre nações. Todavia não elimina essa possibilidade.

A transformação do terrorismo internacional

Os principais fatores que deram origem ao terrorismo internacional não mostram sinais de desaparecer nos próximos anos. Com as facilidades propiciadas pelas comunicações globais, cada vez melhores, o fortalecimento da identidade muçulmana criará uma estrutura para difundir a ideologia islâmica radical dentro e fora do Oriente Médio, principalmente no Sudeste da Ásia, Ásia Central e Europa Ocidental. Esse fortalecimento deverá ser acompanhado de um aprofundamento da solidariedade entre os muçulmanos, advindo de lutas separatistas nacionais ou regionais, como na Palestina, Chechênia, Iraque, Caxemira, Mindanao e Sul da Tailândia, e seguirá em alta em resposta à repressão, corrupção ou ineficiência dos governos. Redes informais de instituições de caridade,
 madrassas (escolas), hawalas (1) e outros mecanismos continuarão a proliferar e serão explorados por elementos radicais. A alienação entre os jovens desempregados tenderá a inflar as fileiras de grupos terroristas.

Por volta de 2020 haverá um risco substancial de que organizações terroristas islâmicas semelhantes à Al-Qaeda surjam de movimentos separatistas locais. A tecnologia da informação, que permite conectividade instantânea, permitirá também a evolução de grupos ecléticos, bem como de células e indivíduos que não precisam de bases fixas para planejar e executar suas operações. Materiais de treinamento, orientação e informação sobre alvos, conhecimento de armamentos e levantamento de fundos se tornarão virtuais.

Ou seja, poderão ser realizados on-line. Os terroristas provavelmente se tornarão mais originais, não em relação às tecnologias ou armas usadas, mas quanto aos seus conceitos operacionais. Isto é, concepção, planejamento e logística dos atentados. Uma grande preocupação é que os terroristas possam ter acesso a agentes biológicos ou – menos provável – a armas nucleares. Poderão também realizar cyber-atentados, a fim de destruir redes de informações vitais e causar danos físicos a sistemas de informações.

É evidente que os cenários acima descritos ilustram apenas algumas possibilidades que podem se desenvolver nos próximos anos, mas podemos imaginar que esse período será caracterizado por um maior dinamismo, particularmente em contraste com a dinâmica relativamente estática dos tempos da Guerra-Fria.

Como já foi dito, as análises aqui apresentadas, embora solidamente plantada nos fatos presentes, apenas desenham cenários hipotéticos.

O texto acima é um resumo das páginas 164 a 185 do livro
 O Relatório da CIA – Como será o Mundo em 2020, editora Ediouro, 2006.

(1) Dentro do Islamismo são vetados os juros, daí eles terem esse sistema bancário específico, a hawala.

Carlos I. S. Azambuja é Historiador.

7 comentários:

Loumari disse...

2020? Se chegarmos a festejar o Natal de 2017 num mundo tal como o é hoje será com muita sorte.

Loumari disse...

A INVASÃO ESTRANGEIRA ANUNCIADA E DESCRITA

Anunciai em Judá, e fazei ouvir em Jerusalém, e dizei: Tocai a trombeta na terra! gritai em alta voz, dizendo: Ajuntai-vos, e entremos nas cidades fortes!
Arvorai a bandeira para Sião, fugi para salvação vossa, não pareis; (o que é da bendeira é o que vemos arvorar o povo que sai dos abismos. Os islamistas)
porque EU trago um mal do norte, e uma grande destruição. (Europa invadido pelos muçulmanos)
Já um leão subiu da sua ramada, e um destruidor das nações; ele já partiu, e saiu do seu lugar para fazer da tua terra uma desolação;
a fim de que as tuas cidades sejam destruídas, e ninguém habite nelas.
Por isto, cingi-vos de sacos, lamentai, e uivai; porque o ardor da ira do Senhor não se desviou de nós.
E sucederá naquele tempo, diz o Senhor, que se desfará o coração do rei e o coração dos príncipes; e os sacerdotes pasmarão, e os profetas se maravilharão.
Então disse eu: Ah SENHOR JEOVA! verdadeiramente trouxeste grande ilusão a este povo e a Jerusalém, dizendo:
Tereis paz; pois a espada penetra-lhe até à alma. (pois eles têm vergonha de Deus. A ignorância dos Europeus acabará com eles.)
Naquele tempo, se dirá a este povo e a Jerusalém (nações edificadas sobre bases cristãs; Europa):
Um vento seco das alturas do deserto veio ao caminho da filha do meu povo, não para padejar, nem para alimpar.
Um vento me virá a mim, de grande veemência: agora, também, eu pronunciarei juízos contra eles.
Eis que virá subindo como nuvens (multitude), e os seus carros como a tormenta; os seus cavalos serão mais ligeiros do que as águias.
Ai de nós! que somos assolados!
Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém, para que sejas salva, até quando permanecerão no meio de ti os teus maus pensamentos?
Porque uma voz anuncia desde Dan, e faz ouvir a calamidade desde o monte de Efraim. (Europa já invadido de povo árabe-muçulmano)
Proclamai isto às nações, fazei-o ouvir contra Jerusalém: que vigias vêm de uma terra remota, e levantarão a sua voz contra as cidades de Judá (territórios da Mesopotâmia assolados).
Como os guardas de um campo, eles a rodeiam; porquanto ela se rebelou contra MIM, DIZ O SENHOR.
O teu caminho e as tuas obras te trouxeram estas coisas: esta é a tua iniquidade, que de tão amargosa te chega até ao coração.
Ah, entranhas minhas, entranhas minhas! estou ferido no meu coração! o meu coração ruge;
não me posso calar; porque tu, ó minha alma, ouviste o som da trombeta e o alarido da GUERRA.
Quebranto sobre quebranto se aprega: porque já toda a terra está destruida: de repente, foram destruídas as minhas tendas, e as minhas cortinas, num momento. (muçulmanos destruiram a terra santa profanando todos altares sagrados e agora vêm destruir Europa).
Até quando verei a bandeira, e ouvirei a voz de trombeta? (bandeira islâmica exibida pelos djihadistas)

Loumari disse...

Deveras o meu povo está LOUCO, já me não conhece; são filhos néscios, e não entendidos;
SÃO SÁBIOS PARA FAZER MAL, MAS PARA FAZER BEM NADA SABEM.
Observei a terra, e eis que estava assolada e vazia; e os céus, e não tinham a sua luz.
Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam.
Observei e vi que homem nenhum havia e que todas as aves do céu tinham fugido.
Vi, também, que a terra fértil era um deserto, e que todas as suas cidades estavam derribada diante do Senhor, diante do furor da sua ira.
Porque assim diz o Senhor: TODA ESTA TERRA SERÁ ASSOLADA: de todo, porém, a não consumirei.
Por isto, lamentará a terra, e os céus em cima se enegrecerão; porquanto assim o disse, assim o propus, e não me arrependi nem me desviei disso.
Ao clamor dos cavaleiros e dos frecheiros, fugiram todas as cidades; entraram pelas nuvens, e treparam pelos penhascos:
todas as cidades ficaram desamparadas, e já ninguém habita nelas. (estes djihadistas são demônios que saem do abismo.)
Agora, pois, que farás, ó assolada? ainda que te vistas de carmesim, ainda que te adornes com enfeites de ouro, ainda que te pintes em volta dos teus olhos com o antimónio, debalde te farias bela os amantes te desprezam, e procuram tirar-te a vida. ( a propria Arábia Sauditas já é vitima dos monstros que ela mesma deu vida )
Porquanto ouço uma voz, como de mulher que está de parto, uma angústia como da que está com dores do primeiro filho;
a voz da filha de Sião, ofegante, que estende as suas mãos, dizendo: Oh! ai de mim agora! porque a minha alma desmaia diante dos ASSASSINOS.
(JEREMIAS 4:5)

Loumari disse...

NOTA: Todo o mundo acompanhou que Alemanha abriu suas fronteiras para acolher generosamente os refugiados. Mas de repente fez volta-face e se apurou em fechar as suas fronteiras. Mas ninguém publicou a verdadeira razão que incitou a Alemanha a fazer volta-face e fechar suas fronteiras.
O que ocorreu foi o seguinte: Os alemães acolheram os refugiados em centros destinados a responder a necessidade das pessoas. Resultou que num dos maiores centros de hospedagem, alguns benévolos alemães são da Cruz Vermelha, e isto foi razão para encolerizar os muçulmanos. Os muçulmanos não queriam ver a Cruz. E os benévolos alemães organizaram uma festa para desejar as bem-vindas os refugiados, com comida e refrigerantes e puseram a tocar música. Mas de reperente se viu com estupefacção a reacção dos muçulmanos que primeiramente já vinham revoltados com ver a suas vistas gentes com a Cruz, o que este povo muçulmano fez foi pôr música deles e começaram a dançar. Os benévolos alemães que não compreendiam a língua deles nem as palavras das canções, começaram a tocar palmas e alegrar-se com os refugiados. Só que houve alemães que conhecem a língua árabe que compreenderam o que diziam as palavras nas canções; ERA O APELO AO DJIHAD. E os muçulmanos começaram a vandalizar o centro de hospedagem, começaram a incendiar o edifício. E claro que a polícia e os bombeiros tiveram que intervir, e foi quando as autoridades alemãs tomaram imediatamente a decisão de fechar suas fronteiras e não acolher mais refugiados. Mas esta informação foi sufocada para não ofender os muçulmanos, sobretudo os parceiros comerciais árabes. Sim ou não que já está claro como água cristalina que o islão é o anticristo? O islam é Satanás. Estes mçulmanos são analfabetos, vândalos, são ladroes e são assassinos, tal qual o seu profeta. E a civilização ocidental é para eles pecado. O inimigo jurado de Jesus Cristo, o diabo com o seu profeta analfabeto. Olhem o que lhes ocorre agora: que os muçulmanos não devem comer tomate porque é fruto cristão.
http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2012/06/grupo-islamico-proibe-consumo-de-tomate.html

Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis,
antes o seu entendimento e consciência estão contaminados.
Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra.
(TITO 1:15)

Loumari disse...

Deus envio ao mundo Jesus Cristo para que o mundo tivesse a imagem de Deus através de seu filho unigénito "Emanuel - Deus connosco". Mas o mundo escolheu: liberto o homicida, o saqueador Barrabás e que o filho de Deus Jesus Cristo fosse morto crucificado. E hoje, não sabemos donde vem o islão? Fomos nós mesmos que pedimos solto o homicida. E é aquele homicida por quem pedimos que fosse solto que nos degola hoje. Aquilo que se diz: cá se faz e cá se paga.
Eu pessoalmente não temo ser degolada porque sei que só vai durar alguns secundos, talvéz apenas uma dezena de minutos. E Jesus Cristo ele, por quanto tempo demorou o seu calvário???? Eu, tudo o que desejo é regressar a casa. Já se torna extremamente doloroso assistir as atrocidades perpetrada pelos muçulmanos. Todo filho de Deus entre os homens na terra, anda baixo a lei de Moisés. Não matarás e ama ao teu próximo como a ti mesmo. Esta é a lei que o cristão tem em comum com o judeu. E o islão diz: matar a todo os judeus e a todos os cristãos. Desde do ataque de Nairobi eu vos alertei que aquilo era só o começo. Satanás foi solto. Eu sempre vos informei sobre a verdadeira origem do islam. O islam é governado pelo espírito do Diabo. O alcorão é o Codex de Satanás. E hoje o que estão a ver? E também vos adverti dizendo: Todos aqueles que não estão no Cristo vão começar a ficar malucos.
Se o mundo fosse um corpo, Europa é a cabeça. Decapitam Europa e o corpo todo cai morto. Fim do mundo. Falar mal de Europa é sentenciar-se a si mesmo a morte.
Quando falais mal de Europa em que idioma vos exprimis? Quem nos ensinou a cobrir a nossa nudez? Quem nos albabetizou? Quem nos ensinou a calçar sapatos e a viver em alvenaria? Quem nos ensinou a cagar na sanita e a usar papel higiênico? Quem nos ensinou a comer com talheres? E hoje segundo o vosso juízo julgais e condenais Europa por não acolher um povo que é o povo que nunca trouxe nada de bom ao mundo e vos posicionais do lado do povo que reivindicam abertamente suas intenções de perpetrar o holocausto na Europa?
Como foi na crucificação de Jesus Cristo o povo clamou, solto o homicida e que o justo fosse condenado a morte, estais a repetir o mesmo como os vossos pais. Aclamam pelo homicida e sentenciam morte o justo. Vocês acham mesmo que estes discípulos do profeta do diabo vos pouparará a vida a vocês? Deixme-me rir!
Bem nos diz a Bíblia: Nossos irmãos nos entregarão e seremos mortos. A traição sempre vem de dentro de nassa própria família.
Quem traiu Jesus Cristo, não foram judeus? A história se repete.

Loumari disse...

Porque há muitos desordenados, faladores vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, Aos quais convém tapar a boca, homens que transforma casas inteiras, ensinando o que não convém, por torpe ganância. Um deles, seu próprio profeta; São sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos.
( TITO 1:10 )


Eles todos virão, com violência: os seus rostos buscarão o oriente (Meca), e eles congregarão os cativos, como areia.
E escarnecerão dos reis, e dos príncipes farão zombaria: eles se rirão de todas as fortalezas, porque, amontoando terra, as tomarão.
Então passará como um vento, e pisará, e se fará culpada, atribuindo este poder ao seu deus.
(HABACUC 1:9)


Gog e Magog, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em Batalha.
E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada (estas bestas ruins já estão muito perto do Vaticano); mas desceu Fogo do céu, e os devorou. (o tal 3 de escuridão)
E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de Fogo e enxofre, onde está a BESTA E O FALSO PROFETA;
e, de dia e de noite, serão atormentados, para todo o sempre.
( APOCALIPSE 20:8 )


As vossas luas novas e as vossas solenidades as aborrece a minha alma; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer.
Pelo que, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos;
sim, quando multiplicais as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue.
( ISAÍAS 1:14 )


Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão.
( FILIPENSES 3:2 )


Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne.
Este tal é o enganador e o anticristo.
( 2 JOÃO 1:7 )

Samuel disse...

Loumari, acima, escreveu: Deveras o meu povo está LOUCO, já me não conhece; são filhos néscios, e não entendidos;
SÃO SÁBIOS PARA FAZER MAL, MAS PARA FAZER BEM NADA SABEM.
Nada mais esclarecedor. As colunas que sustentariam uma sociedade justa seriam: A Razão, a Moral e a Ética. Religiosamente falando, seriam a Fé, a Esperança e a Caridade.Os poucos que se apoiam nestas Virtudes, estão encapsulados, por constrangimento ou medo.
Os humanos devassos ainda não conhecem o benefício da Razão, da Moral e da Ética.
Já não há mais Fé, nem Esperança,nem Caridade.
As néscias criaturas humanas - cada vez mais néscias - só se apoiam no egoísmo e no egocentrismo.