terça-feira, 10 de novembro de 2015

15 de novembro de 2015 e o dever cívico dos brasileiros


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Chagas

Caros amigos: Fui, com muito orgulho, Comandante do Regimento de Dragões da Independência, cujo lema é “cumpre teu dever aconteça o que acontecer”!

Isto não é apenas uma frase para os que tem a honra de ser Dragões da Independência, é compromisso de honra, sejam eles os Dragões de ontem, os Dragões de hoje ou os Dragões de sempre!

São eles que estão na belíssima e famosa obra do pintor Pedro Américo, fazendo coro ao Imperador, com os sabres desembainhados, no emocionante grito de “independência ou morte”, representando, em definitivo e para sempre, o anseio de toda a jovem nação brasileira!

Independência é a característica de quem é livre, de quem não se deixa levar ou influenciar, de quem preza a prosperidade e o bem estar.
Foram todas estas coisas que o grito retumbante do povo heroico, às margens do Ipiranga, fez surgir junto com o sol da liberdade que, em raios fúlgidos, brilhou no céu da Pátria naquele instante.

Já se passaram 193 anos e, desde então, por diversas vezes, essa conquista esteve ameaçada mas os filhos desta terra, para assegurar seu futuro de paz, ergueram a clava forte da justiça sem temer nem mesmo quem lhes queria a própria morte!

Esta é, de fato, uma terra adorada, uma mãe gentil dos filhos deste solo. É o nosso Brasil, a nossa Pátria amada.

Mais uma vez, os nossos risonhos, lindos e floridos campos, nossos bosques, nossa vida, nossos amores e, com eles, a nossa liberdade, a nossa prosperidade e o nosso bem estar estão ameaçados.

As glórias do passado nos tocam a consciência e o lema dos Dragões da Independência nos vem à lembrança!

Temos, mais uma vez, erguida a clava forte da justiça e já definimos que o futuro que nos querem impor não espelha a grandeza, a beleza e a força do gigante impávido cujo nome lembra a cor e o calor do sangue de amor que por ele corre em nossas veias.

Já a mostramos antes aos que nos adoram a própria morte e a mostraremos tantas vezes quantas forem necessárias para que o futuro de paz e prosperidade volte a surgir, fulgurante, no céu da Pátria.

O dia 15 de novembro de 2015 deverá juntar-se às glórias do passado como mais um raio vívido de esperança que a esta terra desce, como mais um brado retumbante de “Independência ou morte”, em nome do amor eterno e da paz no futuro representados no lábaro estrelado que, com orgulho, estaremos ostentando, porque os brasileiros conhecem o seu dever cívico e, como os Dragões da Independência, o cumprirão, aconteça o que acontecer!

O Brasil já surgiu libertado! Seja o nosso País triunfante, livre terra de livres irmãos! A liberdade tem as asas sobre nós e de sua sombra não sairemos jamais!

O nosso dever nos espera em Brasília, na Esplanada dos Ministérios, no próximo dia 15 de novembro!

Nos encontraremos lá, porque o Brasil está acima de tudo!

                            

Paulo Chagas é General de Brigada, na reserva.

3 comentários:

Sérgio Alves de Oliveira disse...

O Ilustre General Paulo Chagas fala a verdade quando diz que "Independência é a característica de quem é livre,de quem não se deixa levar ou influenciar,de quem prega a prosperidade e o bem estar". Mas isso teria sido uma verdade tão somente em relação a D.Pedro I quando declarou a independência do Brasil? Essa mesma frase não se aplicaria também hoje em relação aos intentos libertários do SUL DO BRASIL,por exemplo? Em vista da radical contrariedade que em geral os generais têm com a proposta independentista do Sul(eles só não são corajosos com a tirania de Brasília), valeria até invocar o brocardo popular ,segundo o qual "pimenta só não arde quando é no 'c..." dos outros". Ademais,Sua Excelência cultua uma espécie de paganismo,ao se agarrar tão forte à letra do Hino Nacional,que é cheia de incongruências,que bem refletem e explicam a "cara" do Brasil de hoje,um país que definitivamente NÃO DEU CERTO.

Anônimo disse...

Esses milicos brasileiros são uma fraude, uma piada de mau gosto...

Paulo Robson Ferreira disse...

Sou até simpático aos esforços do general Paulo Chagas, fiquei animado quando ele disse que o "tranco vai ser duro" mas confesso que ele não avaliou bem o arsenal do inimigo, mais especificamente no que se refere à potência do artefato chamado "Cartão Corporativo" capaz de destruir qualquer sentimento patriótico e ainda autorizar seus portadores a dizerem com todo o cinismo dos canalhas que "vivemos na mais perfeita normalidade institucional". Infelizmente parece que os contemporâneos do general não tem muito a se identificar com Caxias, Castello Branco e até o bravo general Mourão, preferindo, na sua maioria, trocar a bravura cívica por aquilo que mais simboliza a postura do atual do comando: a Vida Boa. É triste ver que os valores do passado foram substituídos tão facilmente pelo conforto da submissão e nosso país, já antes carente de orgulho cívico, hoje envergonhar o cidadão comum.