sexta-feira, 13 de novembro de 2015

A Cartilha


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Paulo Roberto Gotaç

A divulgação, por parte das lideranças do PT, de uma cartilha cujo texto cita de maneira desrespeitosa, não só autoridades na plenitude de suas funções, mas  também as instituições que elas representam, dá bem uma medida do desespero nas hostes do partido que há quase 14 anos assumiu o poder com uma proposta carregada de esperança e com a promessa de um governo transparente e voltado para as necessidades do povo que elegeu seu ícone máximo, José Inácio Lula da Silva. 

Os governos que se seguiram, longe de praticarem a transparência  prometida, preferiram apostar em um projeto subterrâneo de poder, a ser concretizado através de esquemas de corrupção política e empresarial, esta última também elemento estrutural de enriquecimento rápido do seu principal líder, com extensão a membros de sua família. 

As necessidades de boa parte da população que votou no grupo foram ilusoriamente atendidas de maneira demagógica e populista sob forma de estímulo ao consumo e crédito fácil, com trágicas consequências que estão agora emergindo, sob forma de desemprego e inflação. 

O resultado de todo esse desdobramento foi a erupção, no segundo mandato do "poste sucessor" de Lula, de uma crise de natureza econômica, política, moral e administrativa de proporções nunca vistas. 
Restou, então, a ação das instituições no sentido de investigar e condenar os responsáveis, muitos pertencentes às fileiras do PT. 

E agora a sociedade é surpreendida com essa peça de ofensiva panfletária, chocada e criada por petistas que se dizem democratas, visando exatamente a atacar alguns pilares da democracia, como a justiça  e a polícia federal. 

Presumivelmente, o documento se destina a estimular a militância. 

A expectativa, no entanto, é que ela própria, a militância, desiludida, o repila e o encare, não como uma tentativa de soerguer o partido no qual um dia confiaram mas de ver nele somente uma luta desesperada de alguns de seus líderes decadentes para se livrar das investigações e das convocações da justiça.


Paulo Roberto Gotaç é Capitão de Mar e Guerra, reformado.

Nenhum comentário: