sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Big Data Venia


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Diz o ditado que “veneno de cobra se combate com veneno de cobra”.

Um grupo de cidadãos massacrados pelo desgoverno, resolveu montar o seu próprio banco de dados.

Passou a coletar informações sobre os intocáveis de capa preta. O local de moradia é verificado no registro de imóveis; as chapas dos automóveis anotadas; as sacolas dos empórios e negócios de luxo trazidos pelos semideuses e seus familiares são registradas.

Em pouco tempo é possível verificar se o seu padrão de vida é compatível com os rendimentos.

Na era do jornalismo independente e eletrônico a divulgação dos dados obtidos é imediata.

O trabalho de formiga é cuidadosamente guardado para evitar arroubos de autoritarismo dos poderosos de plantão.

Amantes da boa mesa, de vinhos e de outros prazeres mundanos, por se imaginarem inatingíveis, negligenciam pequenos cuidados para eludir os malfeitos.

Parafraseando um verso português:

“Ó tu que tens de humano o gesto e o peito, não me venhas de borzeguim ao leito!”


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

5 comentários:

Anônimo disse...

Qualquer presidente no mundo por mais ignorante que seja jamais classificaria uma falta de estrutura em um barragem como natural.E não adianta transformar o presidente da empresa Samarco em bode expiatório que é isso que estão fazendo.O negócio é mais em cima!

Loumari disse...

A Missão de Continuar a Vida

Ninguém se pode possuir inteiramente, porque se ignora, porque somos um mistério. Para nós mesmos. Podemos sim, ser mais conscientes de uma determinada missão que temos no mundo. Todos nós somos uma missão. Somos a missão de continuar a vida, aperfeiçoando-a, festejando-a e não destruindo-a como se está a fazer hoje. Eu não tenho certezas, mas tenho convicções e uma das minhas convicções mais firmes é que nascemos para a liberdade. E, no entanto, veja o paradoxo: essa liberdade, esse caminho para a liberdade está a ser cada vez mais obscurecido por aquilo que observamos no nosso mundo de hoje. Nós chegamos a esta coisa terrível, o chamado equilíbrio nuclear, que é o jogo de escondidas de duas disponibilidades criminosas para suprimir a humanidade. A humanidade está hoje pronta (parece que está sempre pronta!) para pôr luto por si própria. Isto não é uma forma humana de viver. Esta tragédia tem que ser a sua «húbris», que é, digamos, a arrogância que desencadeia a catástrofe punitiva. E o que me perturba muito, o que me assusta, é que países que subscrevem, que proclamam os direitos humanos, possam entrar num jogo fatal destes, um jogo que se destina a suprimir o homem.

Natália Correia, in 'Entrevista (1983)'
Portugal 13 Set 1923 // 16 Mar 1993
Poeta

Loumari disse...

Como o corpo se não for lavado fica sujo, assim a alma sem oração se torna impura.
(Mohandas Gandhi)


Rezar é para a religião o mesmo que pensar para a filosofia. Rezar é criar religião.
(Friedrich Novalis)


A oração é a irmã trémula do amor.
(Victor Hugo)

Loumari disse...

Dava a Vida para te Apertar Contra o Meu Peito

Nunca te vira tão linda e sedutora ao mesmo tempo como ontem à noite. Dava a vida para te apertar contra o meu peito. Diz-me, era o amor que eu te inspiro que te fazia assim tão bela? Seria a paixão que me abrasa que te tornava tão atraente a meus olhos? Bem viste: não podia deixar de olhar para ti, nem de beijar a candeiazinha de oiro. Quanto tu saíste tive vontade de me prosternar a teus pés e de te adorar como a uma divindade. Ah! Se tu me quisesses metade do que eu te quero! Deste volta à minha pobre cabeça; repara no mal que me fizeste querendo-me como me queres. Às oito, esperar-te-ei numa ansiedade.

"François Chateaubriand, in ' Carta à Condessa de Castellane (1823)'
França 4 Set 1768 // 4 Jul 1848
Escritor

Anônimo disse...

Adorei a iniciativa desse grupo. Precisamos de transparência em todos os Três Poderes.