segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Comunicação não verbal


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Maurício Mantiqueira

Desde a antiguidade, trombetas e tambores já eram usados para dar ordens às tropas no campo de batalha.

Dizem que os primeiros cruzados pintavam em seus escudos cruzes de diferentes cores para indicar a língua que falavam: azul para os franceses,vermelha para os ingleses, preta para os alemães e verde para os italianos.

No auge da heráldica utilitária, cada cavaleiro tinha com exclusividade o seu escudo (quase sempre reproduzido em seu casaco -coat of arms). Assim, membros de uma família usavam diferenças para identificá-los.Os elmos já eram fechados e não se conseguia reconhecer os indivíduos por suas feições.

O filme “Henrique V” mostra à perfeição este período histórico.
Nos tempos modernos, principalmente na Inglaterra, a gravata mostra a qualidade da escola (v.g. Eton), da universidade (Cambridge/ Oxford) ou do clube a que o seu portador pertence (Salmão e Pepino em listas diagonais para os membros do Garrick Club).

Em nosso jovem país não chegamos a tais requintes. Pouco clubes de cavalheiros tiveram distintivos de lapela ( Jockey Club de São Paulo). Alguns clubes de serviços, também (Rotary, Lions).

Hoje vemos distintivos da Opus Dei, do Exército, da Marinha e de outras prestigiosas instituições em cidadãos que ainda não aboliram o paletó.

Um dos mais brilhantes brasileiros de todos os tempos e sua digníssima esposa, tiveram três filhos homens. Nos anos 70 o casal comprou seis automóveis comuns absolutamente iguais. Ensinaram que os veículos, eram meios de transporte e não símbolos de “status”.


Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador.

8 comentários:

Loumari disse...

Atravessámos e Vencemos Tudo

Olho para o passado com embriaguês, mas não é com menos deslumbramento que encaro o nosso futuro. Eis-nos, agora, um do outro para todo o sempre, sem ansiedades, sem inquietações, sem angústias. Atravessámos e vencemos tudo o que era mau e que poderia ser fatal. Estamos na plena posse dos nossos dois destinos fundidos num só. O nosso amor não terá a frescura dos primeiros tempos, mas é um amor posto à prova, um amor que conhece a sua força, e que mesmo para além do túmulo, espera ser infinito. O amor, quando nasce, só vê a vida, o amor que dura vê a eternidade.

"Victor Hugo, in 'Carta a Juliette Drouet'
França 26 Fev 1802 // 22 Mai 1885
Poeta, Escritor, Dramaturgo, Político

Loumari disse...

A Verdadeira Divisão Humana

Sois vós um daqueles a quem se chama feliz? Pois bem, vós estais tristes todos os dias. Cada dia tem uma grande amargura e um pequeno cuidado. Ontem tremíeis pela saúde de alguém que vos é caro, hoje receais pela vossa; amanhã será uma inquiteação de dinheiro, depois a diatribe de um caluniador ou a infelicidade de um amigo, mais tarde o mau tempo que faz, qualquer coisa que se quebrou ou se perdeu, uma vez um prazer que a vossa consciência e a coluna vertebral reprovam, outra vez a marcha dos negócios públicos. Isto sem contar as penas de coração. E assim sucessivamente. Uma nuvem que se dissipa e outra que se forma logo. Apenas um dia em cem de plena felicidade e cheio de sol. E sois desse pequeno número que é feliz! Quanto aos outros homens, envolve-os a noite estagnante.
Os espíritos reflectidos usam pouco desta locução: os felizes e os infelizes. Neste mundo, evidentemente vestíbulo de outro, não há felizes.
A verdadeira divisão humana é esta: os iluminados e os tenebrosos.
Diminuir o número dos tenebrosos e aumentar o dos iluminados, eis o fim. É por isso que nós gritamos: ensino, ciência! Aprender a ler, é alumiar com fogo; toda a sílaba soletrada cintila.
De resto, quem diz luz não diz, necessariamente, alegria. Também se sofre com a luz; em demasia queima. A chama é inimiga da asa. Queimar-se sem deixar de voar, é o prodígio do génio.
Quando conhecerdes e quando amardes, sofrereis ainda. O dia nasce em lágrimas. Os iluminados choram quando mais não seja sobre os tenebrosos.

"Victor Hugo, in 'Os Miseráveis'
França 26 Fev 1802 // 22 Mai 1885
Poeta, Escritor, Dramaturgo, Político

Loumari disse...

A ciência sem a religião é coxa, a religião sem a ciência é cega.
(Albert Einstein)


Definição de CIÊNCIA em Língua Portuguesa: Conhecimento certo e racional sobre a natureza das coisas ou sobre as suas condições de existência; Investigação metódica das leis dos fenómenos; Saber; Conhecimento; Erudição; Instrução;

CIÊNCIA INFUSA: Dom preternatural pelo qual DEUS COMUNICA A UMA INTELIGÊNCIA CRIADA A INTELIGIBILIDADE DAS COISAS SEM O CONCURSO DOS SENTIDOS; Do Latino: "Scientia";

Loumari disse...

O bem atrai o bem. Pensar o bem cria condições à intuição apropriada. Falar no bem desenvolve o ambiente propício. Actuar por bem induz a resolução dos problemas. Assim se fortalece a autoconfiança; assim se estabelece o ciclo virtuoso de fazer bem e à primeira.
(Luís Portela)


Não sendo de esperar que cada um de nós vá resolver os problemas de todos, tornar-se-á aconselhável que procuremos dar o nosso melhor contributo para a resolução dos problemas próximos e mesmo distantes, através do pensamento positivo, da palavra incentivadora e da atitude construtiva.
(Luís Portela)



A pessoa deve desenvolver-se no seu ser físico - também é preciso cuidar da saúde, por exemplo -, no seu ser intelectual - é preciso esforçar-se por entender a realidade, entender-se a si mesmo e a sociedade -, no seu ser emocional - cada vez estamos mais despertos para a importância das emoções positivas e negativas na existência humana -, no seu ser social - os outros também existem e sem tu não há eu -, no seu ser artístico - sem beleza, não há salvação -, no seu ser moral - é preciso aprender a distinguir entre bem e mal e a saber julgar do bem e do mal - no seu ser espiritual - não é o Homem, constitutivamente, o ser do transcendimento sem fim, até ao Infinito?
(Anselmo Borges)



Um homem é aquilo que é, mais aquilo que faz e aquilo que lhe acontece. Um homem é quem é, mais o seu bom nome, a sua honra, os princípios que traiu ou não traiu. E vive com isso e é julgado por isso pelos outros. Mas nem tudo o que nos acontece, nem todo o julgamento dos outros, depende das nossas acções ou da nossa vontade.
(Miguel Sousa Tavares)



Os homens sempre se mataram uns aos outros, perseguiram e roubaram. Mas precisaram de falar em nome dum deus, da raça perfeita ou duma sociedade perfeita para programarem o extermínio de povos ou grupos sociais determinados.
(Helena Matos)

Loumari disse...

Mas tu, por que julgas o teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas o teu irmão?
Pois, todos havemos de comparecer ante o tribunal de CRISTO.
Porque está escrito: Pela minha vida, diz o Senhor:
QUE TODO O JOELHO SE DOBRARÁ DIANTE DE MIM, E TODA A LÍNGUA CONFESSARÁ A DEUS.
De maneira que, cada um de nós dará conta de si mesmo a DEUS.
(ROMANOS 14:10)

Anônimo disse...

O General Antônio Hamilton Mourão me representa!

Loumari disse...

O seu general Mourão é galinha não Felino. Ele pensou e agiu como galinha (vitima) não como CAÇADOR.
Cacarejou e lhe pegaram um tiro na culatra.

Carlo Germani disse...

Caro Mantiqueira,

Você disse: "Um dos mais brilhantes brasileiros de todos os tempos e sua digníssima esposa,tiveram 3 filhos homens.Nos anos 70 o casal comprou seis automóveis comuns absolutamente iguais.Ensinartam que os veículos eram meios de transporte e não símbolos de "status"."

Excelente lição.

Curiosidade:pode informar o nome do casal.
PS:O casal (2)+ 3 filhos = 5
O sexto veículo era de quem?