quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Na prancha do pirata


No bonde da corrupção sempre cabe mais um fato e um ladrão.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Ernesto Caruso

Os “pecados” são muitos e os malfeitos também. Única saída e esperança é a boia salva-vidas, como a porta dos fundos. A espada não é a do pirata, é a da Justiça com letra maiúscula. Abominável grau de corrupção e ainda a “coração valente” tem “coragem” de dizer que no seu governo não há corrupção. A “presidenta” é do PT? O PT é do Lula? Os corruptos presos são do PT? As propinas atendem aos objetivos de poder do PT?

Ora, se a “presidenta” é do PT; o PT é do Lula; Dilma, Lula e PT são ente único de comando; os corruptos presos são do PT e as propinas se destinam ao PT, há corrupção no governo Dilma, sim, que é do PT e dele se serve, em especial no duplo presidencialismo existencial. Dilma é a guardiã do cofre caixa preta, que precisa ser afastada para descortinar aos brasileiros os malfeitos nos bancos oficiais e empresas públicas.
      
Desde o mensalão do PT, que o ministro Marco Aurélio declarou que hoje seria processo no Juizado de pequenas causas, passando pelo petrolão, Passadena, Angra dos Reis, BNDES, obras no exterior fora do controle, e, a cada dia outra ladroagem que não surpreende mais. A operação Zelotes a envolver o filho de Lula, com o peso de mandado de busca e apreensão e mais grave, o pedido de prisão do ex-presidente Lula pela Justiça lusitana no processo de fusão da OI com a Portugal Telecom, do qual está preso o ex-primeiro-ministro português, José Sócrates, envolvido na trama.
      
Ora, o julgamento dos envolvidos no mensalão foi concluído graças à determinação do ministro Joaquim Barbosa em 2014, nove anos depois de ser descoberto, assim mesmo com penas muito mais severas para os empresários do que para os que deveriam ser os guardiões do Tesouro, ministros e deputados. Com o agravante na trama de uma segunda votação no STF se anulou o crime de formação de quadrilha para alguns dos condenados, como se fosse possível tamanha engenharia de corrupção ocorrer de forma independente.

No entanto, assusta a sociedade, enojada, nauseada, estuprada, pela ausência ou demora de ação concreta para por cobro à afrontosa, contínua e generalizada corrupção.
      
Inação das autoridades “competentes” reforçadas por ameaças explícitas dos aliados do governo que se diz imaculado, inclusive na presença da “presidenta”, como foi o presidente da CUT, ao proferir “não vai ter golpe”; pior quando completa “ir pras ruas, entrincheirados com arma na mão se tentarem derrubar a presidenta Dilma... seremos o exército que vai enfrentar essa burguesia nas ruas”. Lula já havia anunciado o exército do Stédile. O deputado Siba Machado extrapolou: “Eu vou juntar gente e vou botar vocês para correr daqui da frente do Congresso. Bando de vagabundos... Vamos para o pau com vocês agora.”.

Ele não compareceu, mas membros do movimento dos sem teto foram e baixaram o pau em um grupo pró-impeachment:


E daí, alguma punição para quem promoveu a violência? Repetiu o feito por Zé Dirceu na agressão ao Mario Covas:

        
No mesmo tom da pancadaria prometida por Lula o comunista do PCB, Mauro Iasi pede radicalização e fuzilamento dos conservadores de direita. E do P C do B, na sua última propaganda partidária, agressiva no repetir “não vai ter golpe”, a destacar a presença do ministro da Defesa, Aldo Rabelo, com a foto da Dilma na fase da guerrilha que lutava pela implantação do comunismo cubano.
      
Os recados do jaez “não vai ter golpe” vêm dos aliados bolivarianos, presidentes, Evo Morales, da Bolívia e de Maduro da Venezuela, em cerimônias oficiais na presença de militares brasileiros, fardados. De estarrecer.
      
Não bastassem os conflitos políticos, sociais e econômicos, surgiu uma nova edição da questão militar a lembrar da que pôs fim a monarquia. O Gen. Mourão em palestra interna em área sob a sua competência, Comando Militar do Sul, abordou o desconcerto reinante, o que suscitou a sua transferência para Brasília.
      
Movimentação provocada pelo senador Aluysio Nunes, que acordou do sonho neoliberal, misturado com pesadelo marxista representado pelo companheiro Marighela, e encaminhou ao Ministro da Defesa pedido de esclarecimentos.
      
As instituições não funcionam a contento a não ser de forma pontual, como por iniciativa pessoal e a determinação do Juiz Sérgio Moro com ajuda da Polícia Federal. Pronta resposta e tentativa de barrar a corrupção, ao menos na sua instância. Esperança de que o povo seja o fiel da balança nas demais. 


Ernesto Caruso é Coronel de Artilharia e Estado-Maior, reformado. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Cleonice I Ferreira disse:
Coronel Ernesto Caruso se a solução é esta operação Lava a Jato, o Brasil continuará rolando ladeira abaixo.
O conceituado Jornal Financial Times em seu Editorial afirmou que o Brasil vive na política e na economia um filme de terror sem fim, ora todos sabem como ambos afetam a vida das pessoas, isto é o mesmo que afirmar que estamos vivendo neste estado de coisas. Agradeço se ler o meu comentário.

Anônimo disse...

Ainda bem que não existe nenhuma denuncia contra o ilustre senador Aluysio Nunes.
O presidente Evo Morales, da Bolívia foi tão cara de pau ontem, que anunciou que a Bolívia será o segundo país mais desenvolvido da América do Sul, deve estar ficando muito "doidão".

augusto.a disse...

O pais durante o governo do pt, foi de ladeira abaixo, agora que a roubalheira esta escancarada e todos vamos ter que pagar a farra dos quadrilheiros,nao adianta chorar.Enquanto essa gente for dona do pais , a vida vai ser essa ai.