sábado, 19 de dezembro de 2015

Petistas incomodados com a condenação de tucano


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Renato Sant'Ana

Ao saberem da condenação do tucano Eduardo Azeredo no "Mensalão
Mineiro", os petistas ficaram bem aborrecidos. É que, com a condenação,
eles perderam um argumento - dos poucos que havia em seu repertório.

Foi a conclusão a que cheguei observando um camarada que mora no meu condomínio - com quem evito discutir qualquer coisa séria. Ele é um militante estereotipado. Até então, sempre que surgisse um debate político e se fizessem as inevitáveis críticas à grossa corrupção do governo, ele sapecava: "É, mas eu quero ver o outro lado!", insinuando uma imparcialidade que, absolutamente, ele nunca teve. Óbvio, esse era um modo de levar a coisa para o lado de FHC... Depois, para desqualificar a prisão dos mensaleiros petistas (José Dirceu, Delúbio, Genoíno e outros), tirava do bolso o argumentozinho: "Por que não condenam ninguém do mensalão mineiro?" E sustentava a versão de uma "justiça seletiva" que, no dizer dele, só punia o pessoal da esquerda.

Às vezes, esse papo colava, até porque muita gente não lê sequer o jornal e não sabe que o partido com mais investigados e presos por corrupção é o PP, que não é de esquerda.

Mas agora aquela alegação já não serve nem para enrolar os patetas:
condenaram um tucano do "Mensalão Mineiro" e lá se foi um argumento por água abaixo. Azeredo foi sentenciado a mais de 20 anos de cadeia. Ao que parece, a condenação de um tucano - e a perda do argumento - tornou mais trabalhosa a vida para os defensores dos mensaleiros do PT. O rapaz do meu condomínio ficou que nem cachorro que tem a mania de sair latindo atrás dos carros. Quando um carro inventa de parar, o cachorro fica olhando apalermado, sem saber onde morder... Ele está assim, ao menos por enquanto.

Confesso que estou curioso para ver como será, daqui para frente, a linha de defesa dessa turma, que desculpas e justificativas haverá para os crimes praticados pela companheirada.

P.S. Para não dizer que não falei das flores, transcrevo nota de O
Antagonista: "Marco Aurélio Mello [ministro do STF] já não é mais o
mesmo desde que sua filha Letícia, de apenas 37 anos, foi nomeada por
Dilma Rousseff como desembargadora do TRF2."


Renato Sant'Ana é Psicólogo e Bacharel em Direito.

Um comentário:

Anônimo disse...

O comportamento dessa gente é o mesmo de torcedores de time de futebol, apesar de desprezarem torcedores e futebol. Em breve inventam um outro argumento mantra para ficarem repetindo.