sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

PT cassando Dilma?


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Sérgio Alves de Oliveira

A política se assemelha muito à bolsa de valores, onde se alternam fenômenos ponderáveis e imponderáveis, nem sempre com alguma andaimarialógica. Agora que foi dada a partida ao processo de crime de responsabilidade/impedimento contra a Presidente Dilma Rousseff, na Câmara Federal, tenho fundadas suspeitas que esse processo servirá como “boi-de-piranha” para  desviar a atenção da sociedade brasileira para o verdadeiro GOLPE que está em gestação, inteligentemente arquitetado pelos maiores “cérebros” do PT, que estão usando  os “babacas” da oposição política como ferramentas para operacionalizá-lo.

Os autores desse “golpe”, no caso, são os próprios governistas, que têm por hábito acusar os “outros” daquelas habilidades onde eles são os maiores “especialistas”, ou seja, darem golpes de toda a espécie, inclusive fazendo leis e emendas constitucionais, dentro dos interesses partidários, que podem não coincidir com os da sociedade, e que passam a autorizar o que antes era vedado em lei. Esses podem ser chamados de golpes “jurídicos”. São mais inteligentes e eficazes que quaisquer outros, inclusive os  golpes militares.

Já em outubro passado debrucei-me sobre o assunto, escrevendo “Conspiração Política em Marcha”,que saiu em diversos blogs. Ali manifestei meu pressentimento sobre a estratégia empregada pelo PT que hoje parece bem mais clara, que está “esquentando”, inclusive com as recentes informações dadas ao TSE pelo Juiz Federal Sérgio Moro, nos autos da ação de impugnação de mandatos eleitorais movida pelo PSDB, sobre o dinheiro sujo da Operação Lava-Jato, que teria financiado a campanha eleitoral ilícita da dupla Dilma & Temer.

O PT sem dúvida armou um GOLPE. Um golpe “legal”. Como ele tem os Tribunais Superiores na “mão”, cujas maiorias são compostas hoje por “cupinchas” seus, nomeados nos últimos 12 anos –um mal  decorrente das estapafúrdias regras para preenchimento das  vagas nos tribunais superiores  -parece certo que esse partido teria  na manga do colete a alternativa  do processo de IMPUGNAÇÃO DE MANDATOS ELEITORAIS de Dilma e Temer no  TSE,caso se evidencie a  probabilidade objetiva de procedência a ação de responsabilidade/impeachment de Dilma Rousseff na Câmara Federal/Senado.

Em vista disso, a ação de impugnação dos mandatos deve ficar à espera no TSE ,em regime de “STUND BY”, esperando sinal verde para prosseguir e cassar os mandatos dos “réus”,se for o caso, e “recomendável”. No momento em que o PT, ou Lula, derem um simples “estalar de dedos”, esse tribunal sairá  correndo para cassar os mandatos de  Dilma e Temer ,”matando” o impeachment, por consequência, que corre em paralelo no Poder Legislativo ,abrindo-se vaga, ao natural, como se verá adiante, novamente, para  “reempregar” Lula como Presidente da República,num curto espaço de tempo, sem que esse  esperto senhor tenha que esperar os “longínquos” 3 anos que faltam para as próximas eleições presidenciais. Seria um gigantesco “atalho”, com a vantagem de não ser necessária a interrupção, por 3 anos, dos mandatos presidenciais do PT, bem com o  desmonte da estrutura de poder por ele deixado para dar lugar ao pessoal do PMDB, de Temer.

Pode-se ter como certo que o impeachment de Dilma NUNCA acontecerá. Mesmo que se conseguisse  os 2/3  de votos necessários para isso, na  Câmara, o  “esquemão” acertado entre o PT , o TSE e  o STF (tudo do mesmo “balaio”)nunca deixaria que o impeachment prosperasse. O “placar” seria 2 ( Justiça +PT) X 1 ( parlamentares “pró” impeachment de Dilma).  Tudo significa que para que o impeachment acontecesse, ”mil” obstáculos teriam que ser vencidos, o que é quase impossível. Mesmo os 2/3 necessários na Câmara Federal seriam muito difíceis. O poder de “compra” que tem o Planalto, de pessoas e votos, é ilimitado.

As “pedrinhas” no percurso do processo de impedimento já começaram. Serão tantas outras que passaria o tempo restante do mandato de Dilma (3anos) sem que houvesse uma decisão definitiva, trânsita em julgado. Mas se isso não acontecer, ou seja, se o impeachment tiver indícios de que vai prosperar, certamente a alternativa “stundby”,no TSE, será acionada.

No projeto de poder que tem o PT, sempre é considerado o “descarte” de quem ameace a integridade desse poder. Dilma não escapa, mesmo porque é nova no “partido-religião” e sempre teve alguma resistência dentro dele. Ela não é unanimidade, como Lula, dentro da cabeça desse partido. O apoio que Dilma tem no PT e nos demais partidos que a sustentam é de mera conveniência,não de convicção. Além do mais ela é “cria” do Lula, tanto quanto Lula o foi do General Golbery, no Regime Militar. E Lula certamente não titubearia em abandoná-la à própria sorte, ou azar, a qualquer momento, no interesse político próprio, ou do seu partido.

Nessa política virada ao avesso o abandono ou a traição faz parte da natureza da própria sobrevivência. Some-se a toda essa “resistência” que muitos do PT têm com Dilma o fato de que ela tem o seu coração ainda muito ligado ao PDT, de Leonel Brizola, o que muitos não conseguem “engolir. O PT está “bombardeando”, desesperadamente, o impeachment de Dilma, por todos os lados. Nem titubeia, desrespeitosamente, e de forma antiética, ele e os outros partidos seus comparsas, em distribuir avalanches de processos no STF, na esperança de que algum deles “cole”, e  obtenha  alguma decisão liminar para trancar o impeachment de Dilma. E isso já começou a acontecer.

Mas ao mesmo tempo o PT solta um pouco a “linha” nessa alternativa, como se faz com os grandes peixes nas pescarias de alto-mar. Se a situação “apertar”,ou seja,se o risco de procedência de impeachment não puder ser evitado, por qualquer razão,o PT usará a alternativa que mantém na “reserva”, usando a sua influência e prestígio junto aos Ministros  do TSE que nomeou para acelerar o andamento  da  ação de impugnação dos  mandatos eleitorais de Dilma e Temer,com julgamento de procedência da ação. Nunca é demais lembrar os antigos vínculos do Presidente do TSE, Ministro Dias Toffoli, com o PT,de quem inclusive foi advogado.

Acredito até que essa saída seria menos traumática para a Presidente Dilma Rousseff do que a queda por impeachment. No impeachment, ela seria a “ré”. Na impugnação de mandato eleitoral, seria mais o seu partido ,o PT, ao menos pelo lado ético, além de que cairia também Temer, seu “vice” e mais recente desafeto. Cassados os mandatos de Dilma e Temer, seriam realizadas logo novas eleições . Ganha um prêmio aquele que  acertar quem seria o candidato do PT nessas novas eleições.

Apesar do desgaste que sofreu durante todo esse tempo, Lula tem a capacidade de “regeneração”, de enganar e se recuperar como ninguém. Sua bandeira , como candidato do PT ,seria a de “vítima” das “zelites”, da classe dominante, dos ricos, da burguesia,que  teriam dado um golpe na “Dilminha”. Sua chance de vencer seria grande, porquanto a vitória eleitoral no Brasil não é aferição de inteligência, de politização. É pura “aritmética” na contagem dos votos, quando não tiver a “ajudazinha”extra de certas urnas eletrônicas suspeitas que andam por aí. O sistema eleitoral vigente não investiga o que o eleitor tem dentro da cabeça, se é consciência política, interesse egoísta, ou “merda” mesmo. Mas o valor do voto é igual para todos.Disso decorre que desde o momento em que a maioria da consciência política é de má formação, não mais se pode afirmar estar-se vivendo numa DEMOCRACIA, porém na sua contrária, na OCLOCRACIA (democracia deturpada, corrompida, degenerada, virada ao avesso).

Somando-se os eleitores tradicionais do PT com a massa carente de consciência política que tem título eleitoral e que foi conquistada com as mentiras desse partido, parece que ninguém conseguiria tirar essa vitória de Lula, tanto se ele concorresse logo, com a cassação de Dilma/Temer, quanto se fosse na próxima eleição, daqui a 3 anos, o que seria até favorecido com o  improvável impeachment de Dilma, visto não haver qualquer luz no horizonte que indicasse a recuperação do Brasil num eventual Governo Temer, até as próximas eleições presidenciais. Lula voltaria com toda a força, culpando Temer pela situação caótica deixada por “ele”.

Esse é o alerta que nos permitimos dar. Caso não houver uma brusca mudança de rumos na sua política,o Brasil não escapará tão cedo da tragédia em que se viu envolvido. Tudo leva a crer que as únicas alternativa que ainda se teria seria (1) ou uma grande revolta popular depondo-se  os Três Poderes por métodos  que não poderiam ser pacíficos, o que provavelmente se inviabilizaria em vista da “doença” que afeta grande parte do povo, somado ao fato do total desarmamento da sociedade civil, decretado preventivamente pelos governos ilegítimos,ou (2) a “intervenção constitucional” (CF art.142) do Poder Instituinte do Povo, cuja soberania se manifestaria por ação das suas Forças Armadas, cassando-se os Três Poderes hoje instalados para em seguida organizar-se a sociedade mediante uma Nova Constituição, onde seriam fixadas novas regras para uma verdadeira democracia, com eleições livres e controladas pela sociedade.

O que parece certo é que a sociedade brasileira não poderá contar com nenhuma atitude política que atenda aos interesses do bem-comum e que tenha a iniciativa nos poderes constituídos que aí estão, porque são eles os únicos responsáveis por todo esse estado de coisas.


Sérgio Alves de Oliveira é Advogado e Sociólogo.

11 comentários:

Loumari disse...

Sérgio, nas vésperas das eleições presidenciais do Brasil disse eu aqui que, naquelas eleições o povo estava a jogar a sua última carta. Se um país está constituído como um conjunto de cartas, nas últimas eleições o povo jogou a última carta que ainda lhe sobrava baixo a manga; o JOKER.
Eu fui mais que precisa na minha visão para com o futuro do Brasil se o povo se precipitasse em ir votar.
Militei aqui para o Boycott das eleições. Quando apelei para o Boycott das eleições, eu estava segura de que, se o número de votantes fosse o mais inferior possível, aquilo ia automaticamente conduzir a anulação das eleições, e, também, o povo teria DESLEGITIMADO TODAS AS INSTITUIÇÕES LANÇANDO ASSIM SOBRE ELES O DESCRÉDITO. Todos os que ocupassem postos de responsabilidades nas administrações, ministérios, parlamentares, senadores, governadores, teriam sido forçados a demitirem de suas funções públicas, porque o povo já lhes teria retirado as legitimidades de funcionário público. Considerando-lhes que estes já não representavam o povo. Simplesmente o povo com o Boycott, teria enviado a carta de demissão aos seus dirigentes, por estes terem falhado nas promessas que fizeram, que os levou por meio do voto popular ocupar aquele posto de gestor administrativo que consistia em trabalhar para o povo, voto que lhe dava o direito de assumir o cargo de funcionário publico como administrador dos bens públicos, e onde se lhe tinha atribuído o poder de garantir assim a aplicabilidade das leis em vigor no país. O povo lhes teria enviado assim a mensagem de que não servem. E como tudo o que não serve, deve ser expulso do cargo que lhe foi confiado.
E se isso tivesse ocorrido, é quando entraria em cena um poder civil para assumir o cargo da nação. Este poder civil é o órgão que faz a unanimidade da nação e reconhecido unanimemente pelo povo. O CORPO DIPLOMÁTICO. Eles haviam de formar um governo de transição constituído de puros TECNOCRATAS para dirigir o país o tempo de organizar novas eleições presidenciais e legislativos, onde todos candidatos haveriam de ser novas cabeças.
Com isto a ALTERNATIVA, teria sido assegurada sem violência, nas calmas, serena e inteligente. Hoje o Brasil já estaria entre boas mãos, partindo sobre boas bases, onde todos teriam sido convidados a participar na fundação de uma verdadeira nação democrática em conjunto com o poder popular do seu povo.

Mas quando vim aqui para vos auxiliar, LAMENTAVELMENTE, deparei com demónios. E eu vos disse: mais me fareis guerra, mais o mal prosperará. Agora Brasil não tem alternativa possível.

CULPA DE QUEM???

Anônimo disse...

Dr. Sérgio, concordo plenamente com a sua análise à respeito do momento politico que vivemos. Tenho insistido, também, em meus comentários diários nas redes sociais, na única saída efetiva para recolocar o país no caminho da decência, da ética, da moralidade, da competência, no desenvolvimento sustentável, que é uma intervençäo constitucional instituinte que passe uma borracha em tudo que aí está e comece tudo de novo, com os atributos acima mencionados.
Fora disso, estamos condenados à mediocridade indefinidamente. Uma pena !!!.

Loumari disse...

A capitulação definitiva do Brasil como nação.

> Oleográfico (Petroleira)

> Desprezo (a opinião publica)

> Besta (Cachaceiro)

> Burzigada (apostema - ferida moral)

> Amielencéfalo (Monstruosidade caracterizada)

> Compatível

> Cegueira (inércia do povo face a situação)

> Fusilado

> Insurgentes

> Ingressar

> Gabão (o crápula)

> Celebrar

>Pé de porco (china, comunismo ditatorial)

>Importação (de exércitos estrangeiros)

>Cabeçada

>Retrospectivo

>Expecializado

>Incubadora

>Mudança

>Defesa (não são as manobras feitas nas FFAA?)

>Analfabeto (povo inculto; bruto)

>Guerra de interesse

>Dopar (a resistência com que o regime vai resistir)

>Altivez (soberba arrogância)

>Anarquizar (o totalitarismo)

>Abulia: Alteração anormal da vontade caracterizada pela indecisão e pela impotência da acção.

Loumari disse...

O Elogio do Vício

Admiro os viciados. Num mundo em que está toda a gente à espera de uma catástrofe total e aleatória ou de uma doença súbita qualquer, o viciado tem o conforto de saber aquilo que quase de certeza estará à sua espera ao virar da esquina. Adquiriu algum controlo sobre o seu destino final e o vício faz com que a causa da sua morte não seja uma completa surpresa.
De certo modo, ser um viciado é uma coisa bastante proactivista. Um bom vício retira à morte a suposição. Existe mesmo uma coisa que é planear a tua fuga.

"Chuck Palahniuk, in "Asfixia"
Tema: Vício

Martim Berto Fuchs disse...

"(2) a “intervenção constitucional” (CF art.142) do Poder Instituinte do Povo, cuja soberania se manifestaria por ação das suas Forças Armadas, cassando-se os Três Poderes hoje instalados para em seguida organizar-se a sociedade mediante uma Nova Constituição, onde seriam fixadas novas regras para uma verdadeira democracia, com eleições livres e controladas pela sociedade."

Caro Sérgio. Apoiei integralmente o contra-golpe de 1964. Mas:
1. Os que assumiram, pegaram um Brasil com inflação anual de 84% (1964) e entregaram com uma inflação de 200% (1985).
2. Afastaram o socialista Brizola - clone tupiniquim do Fidel Castro - e criaram as pragas Lulla e Sarney.
3. Nossos militares, felizmente, não compactuam com o comunismo, mas são nacionalistas e na falta de alternativa viável, optam pelas empresas estatais.
4. Infestaram o Brasil com elas, empresas estatais, com dinheiro da Oligarquia Financeira Internacional, e que depois não puderam pagar (elas não funcionam) nem manter.
5. Hoje, novamente assisto a sociedade pedindo a intervenção das FFAA, sem, novamente, termos uma alternativa econômica e política definida, ou seja, tiramos os “bolivarianos” e suas idéias marxistas que não deram certo em lugar nenhum do planeta, e colocamos o quê ?
6. Li a proposta da Loumari, acima e que transcrevo:
“E se isso tivesse ocorrido, é quando entraria em cena um poder civil para assumir o cargo da nação. Este poder civil é o órgão que faz a unanimidade da nação e reconhecido unanimemente pelo povo. O CORPO DIPLOMÁTICO. Eles haviam de formar um governo de transição constituído de puros TECNOCRATAS para dirigir o país o tempo de organizar novas eleições presidenciais e legislativos, onde todos candidatos haveriam de ser novas cabeças.”

Desculpe meu caro Sérgio, mas assim fica difícil.

Loumari disse...

Martim Berto Fuchs, ainda posso adicionar: Todos os que fazem parte do corpo diplomático brasileiro estavam a espera do sinal forte do povo, para eles entrarem em cena. Mas todos caíram de Nu quando se pronunciou o resultado das eleições. O número de participantes não deixou margem alguma a qualquer ambiguidade. Que nos digam que houve fraude! Possível. Mas, nenhuma constituição nem tribunal legislativo pode contestar o número de participantes ao escrutino universal que deu eleição a um dos candidatos a presidência da republica. Assim que, a eleição foi incontestavelmente constitucional e democrática.
Meu caro interlocutor, este povo mata a todas as iniciativas. O único que o povo brasileiro devia fazer era Boycottar as eleições presidenciais. Com isto teriam dado legitimidade ao outro organismo civil que é o corpo diplomático. Este órgão é o único órgão que faz a unanimidade nacional e internacional. Este órgão tudo pode, desde o momento que o povo dê sua palavra para que os seus superiores civis docentes (corpo docente: conjunto dos professores de um estabelecimento de ensino) Na nossa linguagem: Diplomatas, tomarem o controlo do destino do país; Os únicos com autoridade nacional e internacional que podem tomar em mão o destino do país e pôr o país nas suas raias como Deus manda.
Soluções aos problemas sempre há. Mas o verdadeiro problema e que não se desbloqueia, é a decisão do povo que não abre a porta a soluções. Não podemos impor ao povo o que o povo não quer nem deseja. Assim que, assistimos impotentes ao desmoronamento da nação.
Segundo a constituição brasileira, o poder emana do povo. E se o povo não faz valer este direito é porque o povo está em conformidade e em adequação com o poder legislativo, judicial e parlamentar que o representa.
ESTAMOS BLOQUEADOS FUCHS. WE ARE WITHOUT ANY WAY. DO YOU UNDERSTAND?

Loumari disse...

Continuando meu comentário acima: Se os diplomatas tivessem tomado o controlo do país e dos poderes legislativos, judiciais e constitucionais, haveriam de procederem com a dissolução de todos partidos políticos existentes sem excepção. Assim, teriam se livrados definitivamente de todos partidos políticos existentes no Brasil. Não teria sido isso BONITO?
O PODER EMANA DO POVO.

Anônimo disse...

A estratégia do menor número de votantes não pode ser aplicada no Brasil, onde o voto é obrigatório e o não cumprimento dessa obrigação acarreta diversas sanções que prejudicariam muito os não votantes.

Anônimo disse...

Caro Martim o SR não mencionou que nesse período quem não era funcionário publico federal e nem das FFAA, ESTAVA PERDIDO SEM PAI E NEM MÃE, ERA ESCRAVIZADO,TORTURADO, ASSASSINADO OU INCLUIDO NOS 2 TERÇOS DA POPULAÇÃO QUE ERA CONHECIDO COMO, DESNUTRIDOS, DESDENTADOS, ANALFABETOS E OUTROS ADJETIVOS... AGORA QUEM TINHA UM CARGO EM UMA ESTATAL POR MAIS INCOMPETENTE ESTAVA COM A VIDA GANHA...

Martim Berto Fuchs disse...

1. Loumari. Corpo Diplomático ?

http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2013/04/21/interna_politica,374306/corpo-diplomatico-brasileiro-instalado-no-pais-mostra-descontrole-de-gestao.shtml

É para este pessoal que você quer entregar a tarefa de propor um novo Contrato Social para o Brasil ? Mas se eles já são parte do problema - empreguismo escancarado e criminoso no setor público, o que podemos esperar ?

A sociedade é soberana e é dela que tem que partir o debate de um novo Contrato Social. Estamos no século XXI e ainda discutimos liberalismo x marxismo, enquanto os acumuladores de capital fazem a festa.
A posição preferida dos nossos "governantes" continua a mesma desde 1808: de quatro.
Agora será a vez da China, país que começou sua escalada apenas após a morte de Mao Tse Tung (1976) e já estão em posição de comprar - literalmente - o Brasil.

Sonia Monnerat. disse...

O Brasil é roubado desde o seu descobrimento. Nosso pau-brasil, o ouro e outras riquezas...
Nossa cidadania foi para o ralo há muito tempo.
O PT institucionalizou a corrupção como método de governo há 13 anos.
Atualmente, o povo sem instrução tem o voto comprado pelas diversas bolsas esmola. Para mante-las, até pedaladas fiscais foram praticadas. E por aí vai!...
A classe média paga impostos cada vez mais altos para que a corrupção possa ser sustentada.
Resta um pais sem esperança jogado à própria sorte. Sinto pelas novas gerações, o que inclui meu neto!!!
Me parece que a única saída seria uma geração de novos políticos, éticos, cidadãos, comprometidos com o povo e com o grande pais que o Brasil poderá se tornar.
Que Deus nos ajude!