sábado, 5 de dezembro de 2015

Sobre o artigo "o Brasil tem de reviver como Nação"


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Mtnos Calil

Sobre o artigo “O Brasil precisa reviver como Nação”:

1. Considero Adriano Benayon, doutor em economia pela Universidade de Hamburgo e ex-diplomata do Itamarati como um dos melhores diagnosticadores que temos hoje no Brasil a respeito dos problemas nacionais.

2. O título do artigo dá a entender que o Brasil foi um dia uma Nação. Segundo os mais de 100 artigos que li do Dr. Adriano, a única época em que o Brasil teria sido uma Nação foi quando teve no governo o Presidente Getúlio Vargas que foi vitima de um golpe dos americanalhados vendilhões da Pátria. Uma das provas mais evidentes do desempenho “nacionalista” de Getúlio foi a criação da Petrobrás que a cúpula corrupta do PT fez desmoronar. Outro ponto forte e óbvio da administração getulista foi a defesa dos trabalhadores que fez dele o “pai dos pobres”. (isso não significa que Getúlio não tenha cometido falhas importantes nos seus mandatos; porém uma coisa é liquida e certa: ele não era um americanalhado vendilhão da Pátria como tantos outros civis e militares, a exemplo do General Golbery, um dos maiores responsáveis pela ascensão de Lula ao poder, que fez direitinho o papel sujo que este sujo general lhe reservou e que foi o de manter o povo distante do poder. Esse foi o ponto chave da estratégia de redemocratização do Brasil: colocar Lula no poder para conter a revolta das massas. O pretexto para isso era o risco de comunização do país. E ainda temos muita gente que acredita mesmo que Lula é comunista. Lula é tão comunista quanto Golbery foi nacionalista.  

3. Em seus artigos o Dr. Adriano tem desmistificado a falsa democracia instalada no país nos dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso que é a versão contemporânea do vendilhão Carlos Lacerda.

4. A questão crucial que está colocada hoje diz respeito ao COMO.  Como fazer o Brasil reviver como Nação? Qual seria a estratégia para ressuscitar o Brasil que deu, na época de Getulio,  os primeiros passos para realizar suas imensas potencialidades que foram enterradas pelos governos de nossa falsa democracia, dentre os quais se incluem os governos petistas que foram omitidos neste artigo de Benayon. Essa omissão se explicaria pelo fato de Lula ser menos vendilhão que FHC? Mas será que ele foi mesmo, tendo Henrique Meirelles a seu lado durante os dois mandatos? Precisamos tomar o cuidado de, sem querer, acabar assumindo uma atitude “golberiana”em relação ao Lula.

5. De Getúlio para cá a população do Brasil cresceu de cerca de apenas 50 milhões de habitantes para mais de 200 milhões. Esse crescimento demográfico esquizofrênico que a sociedade em geral considera normal, é uma das causas de nossas tragédias, ao lado do “vendilhismo”.

Com todos os desmandos acumulados por nossas elites desgovernantes, chegamos hoje a uma situação que parece ser irreversível, porque o país não dispõe de um orçamento condizente com as suas necessidades mínimas. Só o que pagamos com os juros e amortizações de nossa divida dita interna, mas que em grande parte é na verdade externa (até com essa farsa o PT foi conivente!), representam mais de 50% do orçamento da União e não se viu até agora nenhum sinal de que as nossas zelites (entre as quais os banqueiros ocupam um lugar de grande destaque) vão pelo menos negociar essa divida para tentar remover o Brasil do buraco em que o PT ajudou a colocá-lo.

Isto não significa, porém, que Lula e sua camarilha sejam os únicos e grandes responsáveis por essa barbárie. Não podemos nos deixar levar pelos farsantes jornalistas da revista Veja que fazem o possível para seduzir a nossa hiper-ingênua classe média que não entendendo bulhufas de política se entregou de corpo e alma à falsa verdade que as manchetes da Veja tentam vender às camadas mais favorecidas da população e que constituem a base de sua audiência. Um de seus articulistas qualifica Lula e Dilma como  “A dupla de embusteiros que quebrou o Brasil”  como se Lacerda e FHC não fossem embusteiros. O próprio articulista é um embusteiro que faz da mentira o instrumento para manter-se no emprego.

6. Se o Brasil tivesse hoje a mesma população da época de Getulio, teria muito mais chances para ressuscitar. Mas com 200 milhões de habitantes e com seu orçamento atual, mesmo que a corrupção seja debelada, não teremos os recursos para promover os imensos investimentos necessários para civilizar o Brasil, que se tornou sim, selvagem devido principalmente à existência de imensos bolsões de miséria que são a base de sustentação do crime organizado e também dos políticos corruptos que compram os votos dos eleitores miseráveis, cujos cabos eleitorais, os mais privilegiados, chegam a ganhar uma dentadura como remuneração para o seu trabalho de assessores de compra de votos.

Cabe lembrar que a Igreja Católica contribuiu para afundar o Brasil com o seu “fanatismo demográfico” que sempre impediu o controle da natalidade, como se isso fosse um crime e a super-população fosse uma virtude. O mandamento cristão “Crescei e multiplicai-vos” foi levado às ultimas consequências, demonstrando o quanto o fundamentalismo religioso e a psicopatologia muitas vezes se identificam. A desconsideração do fato de que todo crescimento deve ter limites revela um claro transtorno lógico, ou seja: mental – e que se nota no crescimento sem limites de cidades como a de São Paulo que é, com certeza, uma das mais loucas e selvagens do planeta.

Junto com o Brasil a nossa Igreja Católica também está afundando. Mas essa crise do “catolicismo” é  mundial e  explica porque um papa revolucionário e franciscano como o atual, foi promovido a este posto. De qualquer forma é muito mais fácil garantir vida longa para a Igreja Católica do que ressuscitar o Brasil.

7. Concluindo: o nosso brilhante diagnosticador dos problemas nacionais não visualiza uma solução viável para estes problemas, confirmando a nossa tendência de declínio irreversível, para a qual está contribuindo a crise mundial do capitalismo, um sistema que já deu o que tinha que dar. É um sistema em fase de esgotamento. O que acontecerá com a humanidade daqui para frente é imprevisível, mas a curva do declínio já está bem traçada. A meu ver a única solução está contida neste aforismo: “Morto o comunismo, só resta à humanidade civilizar o capitalismo, ou continuar sua marcha em direção ao abismo, conduzida pelos psicopatas do poder”.

Teoria dos 5 zeros:  ideologia zero, narcisismo zero, ingenuidade zero,  ilusão zero e expectativa zero, que podem ser todas resumidas no  “simulacro zero.”

Mtnos Calil, Psicanalista, é coordenador do Grupo Mãos Limpas Brasil.

Releia o artigo de Adriano Benayon: http://www.alertatotal.net/2015/12/o-brasil-tem-de-reviver-como-nacao.html 

8 comentários:

Anônimo disse...

Cara, quando passei pelo trecho do "controle de natalidade" comecei a levar o resto da leitura mais a sério. Esses dois fatores juntos serão os responsáveis pela derrocada da humanidade e do planeta: superpopulação com capitalismo.

Loumari disse...

Se sois prostitutas e fazem sexo como PORCOS e cagam filhos como ratos, esta não é culpa da igreja católica.
A igreja católica está para o casamento. E que do casamento nasçam filhos legítimos educados a honrar seu pai e sua mãe.
Se cagais filhos como ratos é unicamente devido as vossas perversões e prostituições.
Que assumam as vossas MERDAS COM TODAS AS CONSEQUÊNCIAS QUE COMPORTAM!

Carlos dePaula disse...

Este deve ser mais um maçom esquerdista. Deve estar torcendo para que ocorra um holocausto brasileiro para eliminar o excedente populacional. Acha que uma civilização se faz sem religião. Será que é um muçulmano tentando facilitar as coisas para os "brimos" colonizarem o Brasil?
Se tivéssemos 50 milhões de habitantes atualmente o país seria fatiado facilmente. Países pequenos com populações pequenas não conseguirão fazer frente as grandes potências, serão irrelevantes. Dividir o país é tudo o que a China e USA gostariam que ocorresse aqui. Por que esse pessoal nunca fala em dividir a Rússia? Maior país do mundo com uma população que hoje é menor do que a que tinha no início do século passado.

marco aurelio de nigris boccalini disse...

LIXO, LIXO E LIXO!!!

Martim Berto Fuchs disse...

"“Morto o comunismo, só resta à humanidade civilizar o capitalismo, ou continuar sua marcha em direção ao abismo, conduzida pelos psicopatas do poder”.

É só o que se aproveita deste artigo. Criticam o capitalismo, mas não tem propostas para aperfeiçoá-lo. Criticar é fácil.

otavio ribeiro disse...

.......... 'Cabe lembrar que a Igreja Católica contribuiu para afundar o Brasil com o seu “fanatismo demográfico” que sempre impediu o controle da natalidade, como se isso fosse um crime e a super-população fosse uma virtude. O mandamento cristão “Crescei e multiplicai-vos” foi levado às ultimas consequências, demonstrando o quanto o fundamentalismo religioso e a psicopatologia muitas vezes se identificam. A desconsideração do fato de que todo crescimento deve ter limites revela um claro transtorno lógico, ou seja: mental – e que se nota no crescimento sem limites de cidades como a de São Paulo que é, com certeza, uma das mais loucas e selvagens do planeta'.......

Nada do trecho extraído é correto.

A visão de natalidade presente na doutrina católica é fundamentada na paternidade responsável: cada casal deve ter um número de filhos compatível com suas possibilidades sócio-econômicas.

E a explosão demográfica de algumas cidades brasileiras deve-se principalmente ao fenômeno da migração, por razões econômicas.

Quanto a qualificar um grupo determinado de pessoas (igreja católica) de 'fundamentalismo religioso' e 'psicopatologico', o 'psicanalista' não poderia ser mais leviano - não bastasse, claro, o conhecimento primário acerca dos temas abordados.

Na verdade, ao ler tais absurdos, me pergunto se tal 'psicanalista' não possui, ele sim, algum transtorno mental.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Não há como fazer um diagnóstico correto da situação em que o Brasil hoje se encontra sem que se insira essa problemática na Teoria Geral do Estado,que ainda existe somente para fins de cumprimento de currículo nas Faculdades de Direito. À luz da TGE,e de todas as outras ciências (antropologia,sociologia,etc.),o Brasil nunca foi,não é ,nem nunca será uma NAÇÃO.O Estado pode ser NACIONAL,quando nele vive uma só nação e um só povo. Pode também ser PLURINACIONAL,com mais de uma nação nação/povo submetidos à sua soberania. O Brasil,portanto,é um ESTADO PLURINACIONAL. A "nação" brasileira foi criada de baixo para cima. É mais uma realidade geográfica que histórica. Partindo-se do pressuposto que à cada Nação deve corresponder um Estado próprio,soberano,independente,autodeterminado,é de se concluir que o Brasil somente vai acertar o passo quando cada um dos seus povos arrumar as suas malas a
partir para CONSTRUIR-SE a si mesmo em Estado-Nacional,autodeterminado.O SUL (PR,SC e RS) já está decidido.

Sérgio Alves de Oliveira disse...

Perfeito o raciocínio,Martim B.Fuchs. O problema é que a cegueira acampada no "coletivo" não deixa enxergar nada de positivo no comunismo. E ele tem. Mas nunca foi colocado em prática,nem na Rússia.Muitos menos pelos impostores que carregam essa bandeira no Brasil.Por isso acredito que o "capitalismo-social",como prefere Vª.Sª,ou o "social-capitalismo",como prefiro,seria capaz de dar mais "comunismo" ao povo do que todas as promessas feitas,e não cumpridas,pelos adeptos dessa ideologia,desde o nascimento,até hoje. Detalhe: esse "comunismo" funcionaria dentro do sistema de produção capitalista,com os rendimentos do capital sendo distribuidos em proporções justas entre capital e trabalho.A propriedade do capital seria mantida como está. Onde seria mexido seria na forma de distribuir os seus "frutos",que seriam mais generosos e beneficiariam os dois lados da produção econômica.Acabaria "mais-valia" e a compra e venda de trabalho. Seria o reino da sociedade capital-trabalho.