quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Cleptocrático submergente


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Carlos Henrique Abrão

O Brasil se transformou, pelas mãos do seu governo, em um País cleptocrático submergente. O FMI acaba de revelar que o País apresentará um produto interno bruto de 3,5% ano e contamirá o crescimento dos demais continentes, sendo pois, o pior estado nação dentre os Brics. Daí porque não pode mais ser considerado emergente mas simplesmente subemergente, cuja prognóstico aponta apenas a partir de 2018 um leve e imperceptível crescimento.

Os donos do poder queriam fazer uma fortuna de bilhões para se perpetuarem por mais vinte anos na forma como comodamente se encontram, porém não tinham a mínima noção que a competência é fundamental. Não basta surrupiar o País, levar ao caos a maior estatal do Brasil, ou afundar de vez a bolsa de valores e reduzir a pó o mercado de capitais. Nada disso se leva em conta, já que a putrefação econômica gerará um caos, prevendo-se que o desemprego poderá alcançar dez milhões de brasileiros em poucos meses.

Não se trata de uma falta de otimismo, mas sim do desconhecimento vital de dados e capacidade elementares para o exercício de um governo. Não se pode brincar em governar ou fazer discursos mentirosos. A realidade é completamente destoante e dissociada dos discursos e ainda se apegam com tenacidade ao poder, pois que jamais tiveram vocação para o trabalho sério e competente.

Eis o retrato que se pinça no começo do ano de 2016 e extraído dos números fornecidos pelo Banco Mundial e FMI, na reunião iniciada em Davos, na Suiça. Todo o crescimento anterior e a estabilidade da moeda foram destruídos pela insanidade de poucos e a cumplicidade de muitos. Mas é preciso destacar que, definitivamente, o Brasil caiu na real. Não no real do plano econômico de mais de duas décadas passadas, com tantos outros frustrados e que comprometeram milhares de brasileiros.

Agora o momento pede passagem para uma imprensa livre e comprometida com a realidade. Advogam que o impedimento cessou a força e que vamos ter mais três anos de desgoverno chegando às raias do absurdo, tentando enganar incautos e incultos, já que a maioria agora acordou e viu que as migalhas distribuídas acabaram e o pão e circo viraram fúria de todos os que defenestram a forma de se governar arrogante, sem dialogo e pouco democrática.

As principais obras de infraestrutura estão paradas, o transporte público caro e ineficiente, as ferrovias nunca saíram do papel, e o prometido trem bala somente foi um soluço de avanço num Brasil de atrasos. Essa roubalheira generalizada acabou pondo de joelho as duas maiores estatais do setor de petróleo e energia elétrica. Daí os malabarismos para se tentar apagar incêndios e novamente se recriar a dantesca CPMF. O mais incrível
e que custa a acreditar se refere à crise generalizada poucos setores conseguirão sobreviver,e as despedidas continuam em ritmo acelerado.

Enquanto isso os nossos parlamentares curtem férias e o recesso não combina com a recessão, ou possível depressão que assusta, já que serão anos seguidos de crescimento negativo. Enquanto a China se aproxima de 7% ano, os americanos batem à casa de 2,5 anualmente, e aqueles famigerados oradores da marolinha sumiram e sequer conseguem explicar
a origem de riquezas noticiadas pela imprensa e que paulatinamente serão desnudadas.

As ruínas do modelo e o fracasso do sistema se devem à cleptocracia instaurada e perpetuada numa nefasta aliança entre o parasitismo do governo e ganância de empresários, submetendo a sociedade a todo tido e sorte desventuras. A incompetência somada ao dolo consciente também são motivos mais do que justificados para fazer cessar o atual estado de coisas e mudar o arranjo já que nos preparamos para um choque inevitável contra um paredão, como bem preconizado por festejado economista.

A derrocada geral se hospeda na total falta de lisura, decência, moralidade e ética nos negócios, de nada adianta aprovarmos leis modernas se no dia seguinte baixamos decretos e resoluções,seguidos de medidas provisórias para rasgarmos o regime da legalidade. Estancada a sangria de bilhões, cujos contratos da copa do mundo e dos jogos olímpicos deverão ser examinados, em detalhes, um a um, chegamos ao atoleiro. E num desanimo total, o brasileiro que sempre foi otimista agora se tornou pessimista, achou que a derrota na copa de 2014, jamais vista, seria a gota d'água da mudança, mais viriam caminhões e toneladas de sujeiras que se lançavam debaixo do tapete.

Não é sem razão que detestavam tinham arrepios quando falavam de parcerias ou privatizações. Eis que se apresentavam como donos do dinheiro do contribuinte e fizeram em 13 anos. Combina com o número da sigla partidária, tantas e descomunais patifarias que a Nação está paralisada e angustiada sem saber o seu próprio amanhã. E se pudéssemos importar dirigentes e bons políticos do exterior as chances de sobrevivência seriam bem maiores e da corrupção reduzidas.

Sem duvida alguma, nos colocaram numa tremenda enrascada que durará mais alguns anos,e o sofrimento da população recrudescerá. Estatais de petróleo sem petróleo, de energia, sem energia, de água, sem água, e a má administração envolve todas as esferas da administração pública.

Eis que se valem da administração descentralizada para centralizarem seus desvios de conduta e comportamento. Não há alternativas ou matamos o tumor pela expressão da lava jato ou ele vai se espalhar por todo o corpo social e extinguirá o orgulho do povo brasileiro.


Carlos Henrique Abrão, Doutor em Direito pela USP, é Desembargador no Tribunal de Justiça de São Paulo.

3 comentários:

Anônimo disse...

ESSA TRANSFORMAÇÃO TEVE FOI O DEDO PODRE DO JUDICIARIO, POIS BRASILIA SE ENCONTRA LONGE DO POVO, AGORA EM TODOS OS MUNICIPIOS DOS ESTADOS TEM UM MEMBRO DO JUDICIARIO,SABOTANDO, ROUBANDO, TRAFICANDO, CONTRABANDEANDO,PROTEGENTO INTEGRANTES DE UMA MAFIA QUE A MUITO AQUI SE INSTALOU. É PRECISO QUE SE CRIE UMA POLICIA ESPECIALIZADA, MAS PRIMEIRO TEM QUE HAVER A MODIFICAÇÃO NA LEI DA MAGISTRATURA, POIS NO JUDICIARIO ELES TEM CARTA BRANCA PARA AFUNDAR O BRASIL E LEVAR O POVO COM ELES...

Loumari disse...

Os Sintomas do Nosso Mal-Estar Espiritual

Os sintomas do nosso mal-estar espiritual são demasiados familares. Incluem: a dimensão da corrupção, tanto no sector público como no sector privado, onde cargos e posições de responsabilidade são tratados como oportunidades de enriquecimento pessoal; a corrupção que ocorre no seio do nosso sistema de justiça; a violência nas relações interpessoais e nas famílias, em particular, o vergonhoso recorde de abuso de mulheres e crianças; e a dimensão da evasão fiscal e a recusa em pagar pelos serviços utilizados.

"Nelson Mandela, in 'Walk to Freedom'
África do Sul 18 Jul 1918 // 5 Dez 2013
Estadista, Nobel da Paz

Loumari disse...

Não devemos ter medo de inventar seja o que for. Tudo o que existe em nós existe também na natureza, pois fazemos parte dela.
(Pablo Picasso)



A verdadeira diferença entre a construção e a criação é esta: uma coisa construída só pode ser amada depois de construída, mas uma coisa criada ama-se mesmo antes de existir.
(Charles Dickens)